História Férias Com Meu Ex - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 320
Palavras 1.294
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Me solta, p-!


Fanfic / Fanfiction Férias Com Meu Ex - Capítulo 4 - Me solta, p-!

Taehyung havia esperado incansávelmente por Jungkook a noite a inteira. Sem sucesso. O mais novo tinha lhe dado um belo bolo. 

ㅡ Eu não acredito nisso ㅡ Riu sem humor nenhum. 

Havia sido deixado esperando pelo moreno. Sentia mistura de emoções, raiva, ódio, tristeza. 

Jungkook deveria ter uma bela desculpa para não ter ido ao seu encontro. O Kim tinha certeza absoluta que Jungkook iria, o conhecia como ninguém, certamente, tinha algo errado. 

Sem pensar, Taehyung foi até a porta calçando seus chinelos. A noite era impiedosamente frita, sentiu o corpo por inteiro tremer com a brisa gelida bater em suas pernas desnudas. Caminhou em passos lentos até o quarto do mais novo, um barulho lhe chamou atenção. Pareciam… gemidos? Não podia ser. Voltou a caminhar, porém, parou novamente, conhecia esses gemidos, eram de Jungkook e outro desconhecido por si! 

Sentiu o sangue ferve. A sua única vontade era de entrar ali e matar quem que fosse que estivesse tocando no que é seu. No entanto, antes que pudesse o fazer, sentiu uma mão pousar seu ombro, sobressaltou assustado em resposta. Era Jimin. 

ㅡ O que você quer? Quase me matou! ㅡ Respousou as mãos sobre peito, este que, subia e descia.  

ㅡ Impedir o que você pudesse fazer. Sei que queria entrar ai dentro! ㅡ Falou sério. 

ㅡ Queria não. Eu quero ㅡ Corrigiu. ㅡ E eu vou! ㅡ antes que pudesse tentar novamente arrombar aquela porta Jimin, novamente, o impediu. 

ㅡ Ele está ocupado. Por acaso é surdo?! ㅡ Falou em grosseria. 

ㅡ Não. Eu não sou, mas não vou deixar essa palhaçada continuar. ㅡ Puxou o ombro com força, livrando-se do ruivo. 

ㅡ Tudo bem. Entre lá dentro, e deixe o Jungkook com muito mais raiva de você! Será um pena se ele nunca mais olhar nos seus olhos. 

Taehyung suspirou em frustração, Jimin estava certo. Seu temperamento só iria piorar as coisas, precisa sair dali, precisa para de ouvir o barulho que soava-lhe como facadas em seu peito. 

ㅡ Preciso sair daqui. 

 {...} 

Passou a mão rodeando a cintura da loira as apertando. Logo, distribui pequenos selares em sua nuca. Hye balançou um pouco seu corpo, resmungando. 

ㅡ Hoje não, Tae. estou muito cansada dessa viagem. Podemos apenas dormi? ㅡ Hye pediu manhosa. 

ㅡ Podemos sim, meu anjo. ㅡ selou seus lábios antes de se combrir por completo com lecois de tecido macio. Estava frustado. 

Eram quase seis da manhã. O loiro virava de um lado para outro, buscando a melhor posição para dormi, mas nada lhe parecia confortavel. Bufou. Levantou-se buscando por suas pantufas que havia comprado pelo caminho; era rosa, mais precisamente era de coelho, achou fofo, e o fez lembrar de Jungkook. Ah! Por que o moreno tem de ser tão complicado?! 

Buscou por uma roupa quente; um casaco de frio preto, e um cachecol feito a mão que havia ganhado de sua falecida avó. Com cuidado, saiu do quarto onde estava dividindo com Hye. 

Não havia visto Jungkook o dia todo. Jimin tinha dito que o mais novo estava indisposto demais ㅡ Taehyung poderia imaginar o porquê, o que lhe causava raiva ㅡ Por este motivo, iria sair um pouco mais tarde que os outros. 

A fazenda que iriam passar a lua de mel de Yoongi e Jimin era linda. Tinha um grande quintal, seguindo uma pequena trilha de vinte minutos continha um lagoa linda com água cristalina. 

O loiro sentou-se em uma espreguiçadeira  perto da piscina. Foi ai que avistou uma silhueta. Era Jungkook. Ele estava de frente para si, contudo o mais novo não havia notado sua presença. 

Com o máxima cautela Taehyung, pôs-se ao seu lado, Jungkook tomou um pequeno susto, no entanto, não fez nada, apenas olhou o mais velho de relance. 

ㅡ Não consegue dormi? 

ㅡ Dormi a viagem inteira, não estou com sono. Aliás, o que está fazendo aqui? ㅡ Sua pergunta havia saido muito mais grossa do que o planejado. 

 ㅡ Também não consigo dormi. ㅡ Explicou. ㅡ Jungkook, por que está com essas roupas? Está frio! ㅡ Ralhou observando as vestimentas dos mais novo; apenas uma blusa e calsa, que nem de frio eram. 

ㅡ Não! ㅡ Deu de ombros. ㅡ Acho melhor você sair daqui. Sua noiva deve está lhe esperando. 

ㅡ Então é por isso. ㅡ Riu forçadamente. Jungkook olhou pela primeira para Taehyung com uma sobrancelha arqueada. ㅡ Você não foi no meu quarto. Está com ciúmes? 

ㅡ Não acredito nisso ㅡ Riu em indignação. ㅡ O mundo não gira ao seu redor Kim Taehyung. 

Jungkook preparou-se para sair quando Taehyung o puxou pelos pulsos, até que ambos ficaram frente a frente. 

ㅡ Qual outro motivo você iria me deixar pra ficar com aquele… ㅡ Antes que pudesse xingar Hoseok de todos os palavrões existentes, Jungkook o interrompeu. 

ㅡ Por você mesmo, Taehyung! ㅡ praticamente gritou ㅡ Você me deixou… e depois aparece como se nada estivesse acontecido? ㅡ A voz estava embargada. 

Jungkook jamais esqueceria do dia em que Taehyung o abandonou. Jeon estava na véspera de sua formatura em arquitetura, quando o loiro chegou em casa, simplesmente, falando que queria acabar com tudo. Taehyung havia estragado o dia que deveria ser o melhor de sua vida. 

ㅡ Você não entende, Jungkook… tive que fazer aquilo. ㅡ O Kim não podia evitar as lagrimas. 

ㅡ Ah é mesmo? ㅡ Ironizou ㅡ não me importa suas desculpas. VOCÊ ME ABANDONOU POR DINHEIRO, TAEHYUNG! 

Falou descontroladamente, o frio estava isuportável até para Taehyung. Imediatamente o loiro preocupou-se, sabia como Jungkook tinha sensibilidade ao frio. Sem avisos agarrou o corpo alheio, cobrindo os dois corpos como um. 

ㅡ ME SOLTA, PORRA! ㅡ Gritou com toda força de seu ódio, porém, Taehyung era mais forte não consiguiu se soltar. 

ㅡ Não grita, Jungkook, vão nos ouvir. ㅡ Alertou enquanto o mais novo ainda insistia em se soltar, sem sucesso. 

ㅡ FODA-SE, EU QUERO MAIS QUE ELES ESCUTEM O QUANTO VOCÊ É UM BABACA! 

As palavras de Jungkook o massacravam por dentro. O mais novo precisa saber a verdade, não podia mais mentir, não podia mais continuar com aquilo. 

ㅡ Jungkook, por favor, me escuta... ㅡ A voz estava nitidamente vacilante. Por mais que tenta-se evitar, não podia, sempre foi um bobo quando se tratava de Jungkook. 

Ao ouvir a fala do mais velho, Jungkook involuntariamente ficou quieto. Por esses dois anos sempre pediu em seus choros mais silenciosos para que Taehyung tivesse um motivo para isso, nem que fosse para dizer que simplesmente não o amava mais, ou que, não estavam dando mais certo: qualquer coisa que não fosse por puro capricho. 

ㅡ Eu jamais te deixaria por dinheiro. ㅡ Fungou ㅡ Meu pai ameaçou me deixar sem heranca, e eu poderia dormi até na rua se fosse para ficar com você ㅡ Fungou novamente ㅡ Mas ele ameaçou colocar droga no seu carro, apenas para te mandar a cadeia. Eu não podia ser egoista… eu te amo demais, por favor, não me deixa. 

Jungkook estava estático, mal conseguia respirar. Sentia raiva de seu sogro, sempre soube que o Kim mais velho era uma verdadeira cobrar, mas chegar a esse ponto chegava a ser desprezível.

ㅡ Fala qualquer coisa… ㅡ Solucava sem parar, apertou o corpo do moreno com mais força contra si, este que para sua surpresa, retribuiu o abraçando mais forte ainda. 

Taehyung escondeu seu rosto na curvatura de seu pescoço permitindo-se chorar. Enquanto Jungkook afagava seus fios de loiros desbotados. Fazia tanta tempo desde que Taehyung não sentia seu cheiro, há dois anos necessitava disso. Precisava de Jungkook. 

Soltaram-se do abraço lentamente, se olhavam como se pudessem ver suas almas. E foi assim que iniciou-se um beijo desajeitado e afoito. 

Eram apenas os dois ali, em um beijo que ambos aciaram por tampo tempo.






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...