1. Spirit Fanfics >
  2. Férias com você >
  3. Carro

História Férias com você - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei!! Finalmente procurei alguns imagens pra colocar nos caps, gosto de deixar algo bonitinho. então ja coloquei em todos.

Obg pelo carinho <3

Boa leitura

Capítulo 4 - Carro


Fanfic / Fanfiction Férias com você - Capítulo 4 - Carro

 

O clima ainda estava ameno, os pais estavam jogando cartas, e a azulada prestava atenção no filme que Khalil tinha escolhido. Nem lembrava que “ Os incríveis 2 “ tinha saído lançado, estava ocupada demais para relembrar um filme de sua infância, que demorou exatos quatorze anos para ter uma continuação.

No andar de cima, Adrien ainda dormia por mais um dia conturbado da convenção, odiava quando o evento durava a semana toda, mas era necessária sua participação. Estava na cama de casal, assim como tinha pedido para a azulada, e estava amando poder ter um colchão fofo e não um colchonete.

 

-Quer mais pipoca? - Perguntou para o primo.

-Quero, tem pipoca doce!? - Sorriu animado.

-Eu faço. - Revirou os olhos pela empolgação dele e sorriu, gostava de mimá-lo.


 

Foi até a cozinha e alcançou o açúcar, iria fazer a calda de caramelo para depois jogar sobre a pipoca, mas parou ao perceber o andar de Emillie até a geladeira, parecia levemente alterada.


 

-Mais uma rodada? - Marinette perguntou risonha.

-Quem perder vira o copo, né? E eu estou gostando de perder. - Riu. - Devia experimentar.

-Estou bem com a pipoca e a Coca-Cola. - A ajudou a abrir a garrafa de vinho.

-Devia sair mais pra beber, o Adrien sempre fala que você faz hora extra, principalmente nas sextas. - Se escorou na pia.

-Ele fala de mim? - Franziu a testa. - Parece que gosta de tomar conta da minha vida. - Soltou sem querer.

-E ele quer mais do que tomar conta, sempre quis. - Riu pegando mais um pacote de amendoins, deixando a garota assustada em frente ao fogão.


 

Marinette respirou fundo e tentou recobrar a consciência, Emillie devia estar bêbada demais para soltar uma coisa dessas, e era o que mais assustava. Bêbado é a espécie mais sincera e sem filtro que se pode ter no mundo.

Tinha gostado da aproximação do chefe, das brincadeiras, mas não pensou que fosse real ao ponto de até os pais dele saberem sobre o dia a dia dela como a adulta. Adrien realmente queria algo a mais com ela? Não, não, mil vezes não. Ele só quer um passatempo.

Se arrepiou  pelo pensamento, e fez uma careta, mas sentiu-se tentada no final, talvez também quisesse, mas mantinha esse sentimento reprimido por causa do trabalho.


 

-Sem loucura, Marinette. - Disse para si mesma, não era para sorrir com o que Emillie disse.


 

Fez a pipoca e deixou sobre a mesa de centro, vendo a cara fofa que Khalil fazia enquanto dormia, já era tarde, devia ter imaginado que ele iria cair no sono antes mesmo do filme acabar.

Riu pela posição dele e o pegou no colo, subindo pelas escadas e abrindo a porta com cuidado, vendo Adrien estirado na cama, tinha chegado tarde da convenção, devia estar acabado.

Deixou o primo do lado vazio da cama e olhou para o colchonete, não acordaria o loiro, ficaria no chão essa noite.

Então, com muita preguiça, a mestiça voltou a sala, arrumou tudo, desligou a tv e foi até os pais, dizendo boa noite, vendo o quão alterada sua mãe e Emillie estavam.


 

-Cuidado para não se afogarem. - Riu ao ver as duas dando leves pulinhos perto da piscina. - Pai, presta atenção nas duas.

-Ele também não está sóbrio. - Gabriel riu.

-Acho que ninguém está. - Riu de volta, acenando para todos.


 

Subiu até o quarto novamente e se arrumou para dormir, reparando em como os dois na cama pareciam confortáveis, principalmente Adrien, que permanecia de barriga para baixo e com os braços agarrados no travesseiro.

Se ajeitou sobre o colchonete e rapidamente pegou no sono, resmungando de leve pelo incômodo em sua coluna, seria uma longa noite.


 

[...]



 

Era tarde, mas a risada alta não passou despercebida por Adrien, que acordou assustado com sua mãe no andar de baixo. Respirou fundo pelo  tremor do seu corpo em resposta ao grito e tentou abrir os olhos com mais força, percebendo já ser de noite, ou melhor, de madrugada, tinha tirado um tremendo cochilo.

Viu o garoto ao lado e voltou a cabeça rapidamente para o que seria sua cama, vendo o colchonete com a figura pequena de Marinette, ela devia tê-lo acordado.

Levantou com dificuldade e ouviu mais uma vez a risada escandalosa de sua mãe, era uma figura quando estava embriagada. 


 

-Mari. - A chamou baixo, vendo o rosto sereno pelo sono, não iria acordá-la. 


 

A tirou do chão sem muita força, tendo o corpo dela em correspondência com o seu.


 

-O que tá fazendo!? - Ouviu baixo, ela não parecia entender.

-Te colocando na cama. - A apoiou sobre o colchão e viu os olhos dela se fecharem.


 

Riu baixo pelos segundos de lucidez dela, que agora tinham se transformado em um sono gostoso. Ela estava usando o tão famoso short curto que sua mãe tinha pedido para não colocar, mas não faria diferença para Adrien, pois Marinette conseguia tentá-lo com qualquer roupa, sempre teve esse poder, mesmo não sabendo.

Era fácil chegar na empresa e passar por sua sala, ver como a calça jeans se encaixava tão bem junto da blusa fina e o salto alto, ou de como a camisa social ficava bem junto da saia.

Sorriu pela visão e aproximou seu rosto do dela, sentindo sua respiração quente, observando como os fios azulados se comportavam em sua face, continuava linda. Teve a vontade de selar seus lábios, chegando mais perto ainda, colocando um dos braços como apoio no colchão.

Não ligava se Khalil estivesse do lado, queria apenas aproveitar a visão e o cheiro da garota, assim tocando seus lábios. Fechou os olhos por um minuto com o contato  e voltou a abri-los, se espantando.


 

-Se queria um beijo, era só falar. - Marinette esfregou os olhos, tinha acordado com o toque em seu rosto, costumava ter o sono leve.


 

Adrien engoliu em seco e se afastou com rapidez, não estava esperando por isso. Sentiu o rosto esquentar, era pra ele deixar ela assim, com vergonha ou irritada, era trabalho dele, não dela! Por que Marinette conseguia o imitar tão bem? 

Desviou o rosto e pegou seu notebook, saindo do quarto às pressas, iria trabalhar para esquecer aquilo.


 

-Adrien? - Marinette o viu correr.


 

Olhou para Khalil, tento a certeza de que ele continuava a dormir, então saiu da cama atrás do loiro, tinha pensado que ele iria revidar, dizer algo, irritá-la, mas ele só correu.

O procurou no andar de cima, desceu para a sala, cozinha, sala de jantar, fundo e escritório, ele tinha evaporado. As únicas coisas audíveis eram as risadas dos pais. Só tinha um lugar que ainda não tinha procurado, o carro de Gabriel, o mesmo que Adrien usou para lhe dar carona.

Abriu a porta e sentiu a pele gelar pelos oito graus que fazia, não iria aguentar ficar muito tempo lá fora, então correu para o carro, sentindo os pés doerem pela garoa gelada que forrava o chão.

Viu a luz do computador contra o vidro do passageiro, ele tinha se escondido muito bem. Correu até a porta de trás e a abriu, vendo os olhos assustados dele que não esperavam por isso.


 

-Tem noção de que você saiu assim com a sensação térmica de quase zero graus? - Marinette disse olhando para o peito nu dele. 

-Você está de short. - Respondeu voltando o olhar para a tela. - E eu liguei o aquecedor.

-Por que veio pro carro? - Esfregou as mãos contra os braços em busca de calor.

-Porque nossos pais fazem muito barulho, aqui é silencioso. Pelo menos era até você aparecer.

-Fugiu de mim. - Marinette se arrumou no banco. - Por quê?

-Não fugi. - Respondeu seco.

-Tá parecendo meu chefe de novo, sendo sério e seco assim.

-Eu ainda sou seu chefe. - Riu convencido. 

-É…- Marinette respondeu baixo, parecendo chateada. - Não vou mais te atrapalhar. 


 

Só queria que Adrien tivesse coerência em seus sentimentos. Uma hora ele vem pra cima com graça, mas muda rapidamente sua pose, voltando a ser o chefe irritadinho. Não que ela tivesse algum tipo de harmonia com seus sentimentos, também queria entender se estava começando a ceder aos encantos dele como em luxúria, ou se estava gostando para mais do que apenas sexo.

Adrien é o típico homem charmoso que sorri ladino para qualquer um, colocando a mão no bolso da calça, arrancando arfares de qualquer uma. Talvez quisesse cair nesse encanto, mas não conseguia conviver com ele no trabalho.

Agora estavam em um ambiente muito mais favorável, mas ao mesmo tempo estranho. Eram amigos de infância e ele gostava dela quando pequenos, e Emillie tinha soltado uma carta favorável sobre ele ainda falar sobre ela.

Marinette abriu a porta do carro, não iria mais atrapalhá-lo com seu falatório.


 

-Espera! - Adrien pegou em sua mão com força. - Não vai. - Usou a mão livre para deixar o computador no banco do motorista, e tentou ir para os bancos de trás.

-Você fugiu do quarto, se escondeu de mim, e agora quer que eu fique? - Arqueou a sobrancelha.

-Quero. - Falou atônito se aproximando dela, passando o braço por sua frente, alcançando a porta e a fechando, estava muito gelado. - Aqui é o único lugar em que Khalil não te procuraria. - Falou a puxando, sentindo os braços dela rodearem seu pescoço, terminando em um beijo longo, a faria gritar naquele carro.

 


Notas Finais


Adrien está subestimando a inteligência do Khalil. Criança, quando quer, acha você até debaixo da cama.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...