História Festa de Faculdade - Twoshot - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, V
Tags Bottom!jimin, Bts, Festa, Jimin, Kim Taehyung, Lemon, Otp, Park Jimin, Taehyung, Taemin, Top!taehyung, Vmin
Visualizações 243
Palavras 4.872
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Me perdoem qualquer erro.

Capítulo 3 - Capítulo Bônus - Eu e Você


Passou-se quase três anos desde aquela festa e do início de nosso relacionamento. Não podia dizer que, mesmo eu não sendo chegado, eu não havia gostado daquela festa. Sendo sincero, até comecei a frequentar mais delas quando tinha. 

Nós dois nos aproximamos mais ainda, coisa que jamais imaginaria que fosse possível. Desde quando nos conhecemos construímos um laço forte de lealdade e respeito um com outro, agora criamos um de carinho e amor. E a dia após dia me apaixono cada vez mais pelo jeito de ser de Taehyung.

Com tudo o que tinha aconteceu, não podia ficar sem falar com a minha progenitora. Ela sabia de minha opção sexual e desde sempre me apoiou. Quando havia dito que eu e Taehyung tínhamos ficado e que começamos um relacionamento ela ficou super feliz por nós dois. Ela sempre gostou dele. No dia que tinha contado isso à ela, a mais velha revelou que desconfiava que eu tinha uma atração por ele e torcia secretamente pra que acabassemos juntos. Foi meio estranho.

Tae e eu estamos empregados e com o dinheiro dos nossos empregos conseguimos comprar um apartamento para nós dois. O lugar não era pequeno, mas também não era tão grande, é o lugar ideal para nossa moradia. É um lugar confortável e aconchegante em um bairro bem situado. Em meu ponto de vista, perfeito.

Estava tendo uma vida ótima com Taehyung e só de estar ao seu lado, ele conseguia me proporcionar sensações nunca exploradas. Sensação de segurança, sensação de estar sendo amado, sensação de carinho, coisas que eu achava que nunca tinha tido em outros relacionamentos. 

Sabe, a sensação de engano é triste na maioria das vezes. Você acha que está agradando uma pessoa, mas na verdade ela só te queria por interesse e não pela coisa mais importante que é o amor. De vez enquanto eu lembro das coisas que aconteceram comigo e fico meio pra baixo, mas Taehyung sempre está lá pra me animar. Ele me diz pra esquecer as coisas do passado e focar no presente e em nosso futuro. Ele estava certo, não vale a pena sofrer por memórias que já passaram e que fazem mal. Algumas coisas devemos apenas esquecer e fingir que nunca aconteceram e as outras que são boas, devemos tentar reviver o máximo as sensações contidas daquele momento.

— Jimin. Está se sentindo melhor? Sua febre passou? — Taehyung chamou por mim assim que chegou em nosso apartamento. Naquele dia tinha pegado um resfriado forte, fiquei com dores de cabeça e febre, tanto que não tinha ido trabalhar.

— Um pouco apenas. — Permaneci sentado no sofá sob meus cobertores enquanto meu namorado seguia em minha direção deixando um beijo sobre minha testa e em seguida rodeou-me com os seus braços fazendo com que eu ficasse com minha cabeça sobre seu peito. — Senti sua falta. Você demorou pra chegar hoje, aconteceu alguma coisa? Já são quase dez da noite.

— Desculpe pela demora bolinho, juro que você vai me perdoar por isso. Eu tenho uma surpresa pra você e amanhã você vai descobrir o que é. — Ele me respondeu fazendo um leve cafuné sobre meus cabelos quase me levando ao sono.

— Por que você não fala logo? Não me deixe na expectativa.

— Porque senão não seria uma surpresa bobinho. — Ele soltou uma risadinha e apertou minhas bochechas. — Você já comeu?

— Estava esperando você pra comer. Não achei que você fosse demorar. — Funguei meu nariz. — Eu tinha já esquentado ela, mas creio que a esse ponto, deve ter esfriado.

— Então fique aqui que eu vou esquentar ela de novo. Não quero que você faça esforço, okay? — Concordei com a cabeça encostada em seu peito. — Mas você sabe que não precisa me esperar para se alimentar. E se eu tivesse chegado aqui de madrugada? Você acabaria dormindo com fome. — Ele estava certo eu passaria fome - pensei. — No estado em que você está agora não quero que faça mais isso, você precisa se nutrir.

— Tudo bem Tae, desculpe. — Ele estava  realmente certo. Eu estava com a imunidade baixa e fazer isso não era bom.

— Não se culpe por isso. — Taehyung depositou um beijinho em minhas bochechas me fazendo abrir um sorriso. — Agora é melhor você ir tomar um banho enquanto eu faço algo para comermos. Vai querer minha ajuda? Você sabe que meus métodos para te curar são bons. — Fiquei corado com seu comentário. Virei rapidamente a cabeça para poder olhar seu rosto. Ele estava com um sorriso sacana no rosto como quem queria segundas intenções.

— Nesse estado nem pensar! — O repreendi e dei um pequeno empurrão em seu braço. Acabei ouvindo um muxoxo e uma risada da parte dele. — Estou com fome Tae. Pode esquentar logo a nossa comida por favor? — O olhei com uma cara de gatinho pidão.

— Ah meu deus, esse meu namorado é muito manhoso mesmo. — Riu de seu próprio comentário. — Claro que eu faço, mas agora vai tomar seu banho e vestir uma roupa quentinha, isso vai fazer sua febre passar.

— Pode deixar que eu vou. — Levantei e fui fazer o que devia.

Eu posso afirmar que Taehyung caiu como um verdadeiro anjo na minha vida. Toda hora ele se preocupava comigo, independentemente se eu estivesse bem ou mal. Além disso quando estou doente eu fico mais sensível e mais manhoso se podemos dizer assim, mas isso é uma vantagem porque eu posso ficar apenas descansando enquanto ele faz algumas coisas por mim.

Não me interpretem como preguiçoso, afinal não duvido muito que você também queria ter uma pessoa pra fazer suas coisas.

Assim que cheguei ao banheiro despi de minhas roupas e senti um ar gélido no local, enquanto isso me lembrei da tal surpresa que ele estava planejando. A água ia caindo sobre minha cabeça eu pensava em possibilidades do que poderia ser.

Estava pensando em talvez uma viagem, ou quem sabe até férias, essas foram as únicas coisas que ficavam na minha cabeça do que podeira ser. Fiquei com esses pensamentos desde o momento que eu entrei até a hora que eu sai do banho. Parecia que isso martelava em minha cabeça o tempo todo.

Senti novamente o ar frio no ambiente quando retirei minha toalha e fui ver com qual roupa eu ficaria. Peguei um moletom e uma calça emprestada do Taehyung. As roupas dele ficam maiores em mim e do jeito que eu me sentia o melhor que eu pegasse elas mesmo, afinal, consequentemente, elas ficam mais quentes. Segui em direção pra sala de estar e vi que em cima da mesa  estavam servidos os nossos pratos. Mal podia esperar pra comer ele, minha barriga aclamava por comida.


                            [...]


— Jimin, ainda não foi dormir? Já é quase meia noite, você precisa descansar. — Taehyung saiu do banho logo me questionando.

— Estava esperando você pra ir dormir. Não gosto de dormir sozinho. — Vi ele indo pegar uma bermuda e uma cueca para se vestir. Ouvi ele sussurrando alguma coisa que não consegui interpretar, mas me parecia apenas um hum ou algo do tipo. — Tae, você pode me responder só uma coisa dessa surpresa?

— Dependendo que você perguntar. — Virou de frente pra mim e sentou na nossa cama.

— Essa surpresa é uma coisa grande? Digo, algo que possa fazer com que eu fique feliz por bastante tempo?

— Posso te afirmar que sim. — Um sorriso curvou-se automaticamente no rosto de Taehyung e em seguida no meu. — Queria poder te dizer mais sobre isso, eu juro, mas não posso. Mas eu posso te dizer que você vai gostar, e muito. — O mais alto deitou no meu lado, apagou as luzes do abajur e rodeou a minha cintura com seus braços fazendo com que ficassemos de conchinha.

— Você promete? — Virei meu corpo de frente pra ele.

— Prometo. — E mais um sorriso se formou em meus lábios, os mesmos que foram ao encontro dos lábios do Kim durante um tempo. — Agora vamos dormir, já é tarde.


                          [...]


— Okay Taehyung, eu já tenho certeza pra onde vamos, então por que você não conta logo?

Como que eu já tinha certeza de onde estávamos indo? Bem, pelo fato de que ele tinha me acordado seis da manhã dizendo que era pra eu arrumar uma mala para uma semana.

E para onde estávamos indo? Em direção do aeroporto. Já era meio obvio que uma das minhas suspeitas estavam certas, que seria uma viagem. Mas a questão é, eu não fazia ideia pra qual seria o nosso destino.

— Porque é uma surpresa e eu já disse isso várias vezes. Uma coisa que posso te falar é que o Seokjin e Namjoon vão nos acompanhar. — Isso foi uma surpresa pra mim, saber que os hyungs iriam ir conosco nessa viagem. Seria legal, é a primeira vez que viajamos juntos. 

— Só eu que não vou poder viajar com vocês? — Uma terceira voz se pronunciou no local. De quem era essa voz? Era de Jeon Jungkook, o nosso amigo mais novo que iria levar o nosso carro de volta ao nosso prédio assim que fossemos embarcar. — Isso não é justo.

— Kookie, você sabe que você tem provas da faculdade e elas são importantes. Pense assim, já estamos no fim do ano e logo você entra de férias. Podemos marcar uma próxima viagem pra você poder ir também.  — Tentei  argumentar algo para que ele não ficasse triste.

— Verdade Jeon, foque primeiro nos estudos e depois na diversão. — Pelo retrovisor pude ver a cara que Jeongguk fez. O mais novo o repreendeu com um olhar incrédulo, como se Taehyung fosse seu pai lhe dando lição de moral. — Agora um assunto importante. Você sabe como dirigir nesse carro, certo? Eu não quero que nada de ruim aconteça com ele quando você estiver dirigindo ele. Esse carro custou a minha alma. — Sério? Assunto Importante?

— Claro que sei hyung, se não soubesse por que você acha que eu teria aceitado fazer isso?

— Talvez por querer usar ele e se fazer como superior.— Argh, lá vem... — Não é todo dia que se vê um carro desse passando pelas ruas, afinal essa belezinha é cara. — Se Taehyung gostava de se esnobar quando conseguia alguma coisa cara? Pfft, imagina. Ele parece uma criança quando ganha algum brinquedo que sempre quis e fica esfregando na cara dos amiguinhos falando que não ia imprestar. Se eu falasse pra vocês que ele tem 22 anos vocês acreditariam?

— Ah para com isso hyung, esse carro nem é tanta coisa assim. E se eu iria usar seu carro pra me esnobar? Uhum...

— Você fala como se você não quisesse andar nele. — Criança insistente. — Ah senhor Jeon, eu te conheço de antigos carnavais. 

— Tá, tá. Dá pros dois pararem de discutir por causa disso? Parecem duas criança brigando. — Parecem não, são. — Olha, o Kookie vai levar o nosso carro em segurança pra casa, ele já tem carteira de motorista então não vamos nos preocupar com isso. — Olhei pro rosto de Taehyung  e em seguida para o do maknae, os repreendendo e fazendo com que ambos parassem com a discução desnecessária. — Agora será que podemos apenas ir pro caminho do aeroporto sem mais briguinhas?

— Mas não estávamos bri-

Shh! — Repreendi Taehyung na hora. — Não quero explicações, só quero silêncio. 

Talvez eu tenha sido um pouco rude? Talvez, mas eu não queria ter falado daquele jeito, mas parece que só comigo falando que os dois se aquietam.

E foi assim o caminho até o aeroporto, dentro do carro o silêncio reinava, o único meio sonoro que se tinha ali era a música de uma rádio qualquer que estava sintonizada. Ficou um ambiente meio monótono, mas o caminho até o nosso destino não demorou tanto.

Em menos de dez minutos já estávamos dentro do enorme aeroporto. Jeongguk nos ajudou nas bagagens e estávamos apenas sentados esperando os hyungs para podermos, finalmente, ir pro nosso destino. E, até o momento, eu não sabia qual o lugar que iríamos, até que:

— Jimin, não dá mais pra esconder onde vamos a essa altura, então tome sua passagem e olhe o local. — Meu coração acelerou no momento em que ele ditou meu nome. Estava ancioso mas mesmo assim fui desdobrando a passagem devagar. Finalmente, depois de dois dias de expetativas eu descobri, com muita alegria, para onde iríamos.

— TAEHYUNG! VAMOS PARA A CALIFÓRNIA?! — Gritei de alegria ao dizer isso. Não hesitei em pular nos braços dele e encher ele de beijos, sem mesmo ligar para as pessoas que olhavam feio para nós. — Mas é o meu sonho ir para lá, como que... — Não consegui completar a frase, ainda estava em choque.

— Por isso mesmo que eu escolhi para irmos para lá. Eu pedi ajuda pro Namjoon-hyung sobre coisas básicas de uma viagem, como hospedagem, lugares turísticos para irmos, já que ele já viajou pra lá. E eu sabia que você tinha o sonho de conhecer lá desde pequeno, então achei que você iria gostar. O que achou? — Finalizou mostrando um sorriso se formando em seus lábios.

— Eu... Eu não tenho nem palavras pra te dizer. Bem... Quero dizer... Argh, eu te amo Taehyung-ssi. — Eu poderia dizer mil coisas, mas elas fizeram um nó em minha garganta e a única coisa que conseguiu escapar desse nó foi isso. — Eu te amo, te amo muito mesmo, obrigado por isso. Obrigado por se importar comigo. — Após um longo abraço um beijo iniciou-se lá mesmo, com pessoas desconhecidas olhando pra nós. Mas você acha que ligamos?  A única coisa que ligamos é pro nosso amor.

— Olha só se não são dois pombinhos apaixonados, não é mesmo. — Uma voz grossa conhecida surgiu atrás de nós, era de Namjoon, e junto com ele estava Seokjin. — Pelo visto deu certo, né Taehyung?

— Deu sim hyung... Deu sim. — Dei uma olhada no local e pude ver a cara de Jeongguk, ele possuía um sorriso estampado no rosto para nós dois. Os hyungs também não estavam diferentes. O ambiente ficou mais alegre depois da notícia, sabe quando você ganha ou consegue alguma coisa que muda o seu humor de uma hora pra outra? Então estava assim nesse momento. — Jiminnie, além do local, você viu que horas é o embarque? — Neguei com a cabeça e peguei a passagem novamente para ver o horário. 

O nosso avião sairia daqui a quarenta minutos, então já era melhor irmos ao terminal e embarcar. Foi o que fizemos, fomos em direção do nosso terminal. Já tinha passado quinze minutos e então decidimos que era melhor embarcar logo para não perdermos o avião.

— Tchau Jiminnie, se cuida. — Jeon deixou um beijinho em minha bochecha e me deu um abraço. Jeongguk era como um irmão pra mim, sempre é carinhoso comigo, sempre cuida de mim e me protege, assim como Taehyung. Eu não ligo se ele me dá beijinhos na bochecha ou na testa, eu até que gosto de ser mimado por ele às vezes. — Quando chegarem lá me mande notícias.

— Pode deixar Kookie, eu mandarei.

— Tchau hyungs, se divirtam. — Jeongguk se despediu dos demais e pegou em seguida a chave do nosso carro para poder cumprir sua missão.


                          [...]


Se a viagem foi cansativa? Com certeza.

Ficar quase vinte e quatro horas dentro de um avião cansa, por sorte tínhamos nossas distrações como a música, ficar tirando as típicas fotos da asa do avião e também tirar fotos nossas. Sempre é bom.

Quando chegamos em solo americano estava me sentido nervoso, por motivos e circunstâncias que eu não fazia ideia. Era minha primeira vez nos EUA, talvez tenha sido por isso. Por sorte tínhamos o Namjoon que salvaria a nossa vida noventa por cento das vezes. Olha, sem ele eu provavelmente não saberia como voltar pra casa.

O hotel que ficamos era um era lindo, tanto por fora quanto por dentro. Ele possuía uma arquitetura muito bem feita. Sem contar os quartos, foi um dos quartos mais bonitos que eu já vi. Metade da vista dava pra cidade e a outra para o mar. Ah, o mar californiano é lindo. Estava me encantado com cada pedacinho daquele lugar. 

Chegamos cedo no primeiro dia, cerca de nove horas da manhã. Todos nós quatro tínhamos ficados cansados, então descansamos da viagem em nossos quartos. Mas tarde combinamos de dar uma volta pela cidade de Los Angeles pra conhecer mais ela e no fim do dia ir comer em algum restaurante. Eu estava tão feliz. Só de poder estar lá com a pessoa que eu amo eu me sentia mil vezes melhor.

Depois de algumas horas descansando, finalmente fomos ver a cidade. Ah, ela era linda. O que mais marcou lá foi o mar, poder ouvir as ondas e ver o sol se pondo seria uma memória que eu jamais esqueceria. Tirei muitas fotos de lá com todos, e principalmente Taehyung. Me sentia hipnotizado por lá e já ficava triste por saber que uma hora teria que voltar para a Coréia, mas o importante e aproveitar cada momento, como se fosse o último minuto da sua vida. A cada lugar que íamos eu tirava uma foto, nem que fosse um pedaço da calçada ou até mesmo aquele céu limpinho com pouquíssima nuvens.

Compramos muitas coisas naquela tarde, coisas que iam de lembrancinhas para os nossos amigos a roupas novas para nós. Quando terminamos as compras, Taehyung e Namjoon foram comprar um milkshake pra nós, enquanto isso eu fiquei com Seokjin observando os últimos raios de sol que davam adeus pra que no dia seguinte eles voltassem.

— Jin, posso te fazer uma pergunta?

— Pode sim Jiminnie.

— Você ama o Namjoon, não é?

— Amar é uma palavra forte, ela é carregada de muitos sentimentos e emoções, e você tem que ter certeza que essa palavra está sendo direcionada pra pessoa certa. No meu caso eu posso te afirmar que eu o amo, eu sinto isso desde a primeira vez que eu o vi. O amor é algo que sentimos e não algo forçamos. Se você não sente isso, você pode estar gostando da pessoa, dependendo do nível que você a admira. Mas por que a pergunta Minnie?

— Você acha que o Taehyung me ama?

— Do meu ponto de vista sim. Se você sente que ama ele, pode ter certeza que ele sente o mesmo por você. Mas por que você me perguntou isso?

— Você sabe o que aconteceu comigo, sabe que eu já fui usado como troféu nos meus dois primeiros relacionamentos. — Suspirei e continuei a falar. — Eu não confio em meus sentimentos, as vezes eu acho que não sei interpretar eles, ou até mesmo eu interpreto eles da forma errada. Eu sinto algo forte por ele, mas será que ele sente o mesmo por mim?

— Você só saberá se perguntar pra ele. Mas como você ainda tem dúvidas se ele te ama? Não vê o que ele fez pra você? Ele se importa com o seu bem Minnie, se eu fosse você não se preocupava com isso.

— Você acha?

— Eu te garanto. — Eu tinha sorte de ter o Seokjin como amigo, ele é uma pessoa incrível, sempre que eu preciso de algum conselho ele sempre está lá pra me ajudar.


                         [...]


O fim daquele dia foi tranquilo, voltamos pros nossos quartos para deixar nossas compras lá e fomos jantar em um restaurante conhecido e super elogiado da cidade. A comida que eles faziam era deliciosa, voltamos de lá satisfeitos e por fim fomos dormir para descansar nossos corpos para que um no dia seguinte estivéssemos cheios de energia.

No dia seguinte fomos visistar lugares turísticos, como a calçada da fama e a tão famosa placa de Hollywood e também, já que não tínhamos nos cansado naquele dia, fomos para uma festa que o hotel estava fazendo que seria em comemoração aos quinze anos de serviço. A festa seria realizada na área de lazer de lá, com tudo pago pelo hotel.

Estava sendo uma festa boa, tocando algumas músicas eletrônicas em um volume agradável, o local não estava tumultuado e o melhor era que o espaço era grande e é dividido em quatro partes: a parte de dentro que tinha as mesas era um lugar mais calmo; a parte externa que tinha uma piscina razoavelmente grande; a parte que era uma mini boate que ficava fechada, e por fim uma área aberta que era mais afastada e mais calma assim como a parte de dentro, que dava uma vista linda para a cidade. Ou seja, você consegue se encaixar em qualquer lugar de lá.

Eu fiquei na parte de fora junto com os meninos, porque o ambiente estava mais ao nosso estilo. Eu e Seokjin optamos por não beber nada alcoólico, eu porque não sou chegado e ele porque se ele bebe um pouco ele não para, e bem, ele não iria querer ficar com uma ressaca forte no dia seguinte.

O tempo passava e eu começava a ficar cansado, e foi nessa hora que eu quis ficar na parte calma daquele espaço. Lá estava vazio, aproveitei e fiquei observando a vista apoiado em um murinho de proteção sem ninguém me atrapalhar. Uma coisa que eu pude concluir é que Los Angeles nunca dorme, as luzes dos prédios e dos carros pareciam estrelas em um céu limpinho de lua cheia.

Diante disso eu pensava em cada coisa que aconteceu na minha vida, cada momento bom que ocorreu comigo. Nossa, como eu tinha sorte de ter conhecido as pessoas que fazem parte da minha vida, como eu tinha sorte de estar realizando um sonho que eu sempre desejei, como eu tinha sorte de estar aqui com a pessoa que eu amo. 

Sai de meus pensamentos quando ouvi passos vindo atrás de mim. Virei para olhar quem era. Era meu namorado, com um lindo sorriso estampado no rosto vindo em minha direção.

— Desistiu de ficar lá? — Ele falava enquanto me rodeava com seus braços me fazendo ficar refugiado nos mesmos.

— Na verdade não, eu só estou ficando um pouco cansado e então eu resolvi vir pra cá pra ver um pouco da vista daqui de cima. — Senti ele encaixar sua cabeça na curvatura de meu pescoço e em seguida deixou vários beijinhos naquele local, me fazendo ficar arrepiado. Eu adoro quando ele me colori de beijinhos assim. — A vista daqui de cima é linda, você não acha?

— Eu acho sim, mas você é mais lindo ainda. — Fiquei de frente pra ele após ele ter dito aquilo, ele sabe bem como me deixar feliz.

— Você só diz isso pra me agradar. — Ri e em seguida eu deixei minha cabeça encostada em seu peito, podendo assim ouvir cada batida do seu coração.

— Eu não falo isso só pra te agradar, eu falo porque é verdade. Você é meu mundo inteiro e mais um pouco Minnie. — Em seguida me abraçou. As palavras dele entravam em meus ouvidos como uma música suave, eram tão boas de ser escutadas e elas permaneciam rodando em minha cabeça fazendo com que eu sorrisse bobo.

Nesse meio tempo iniciamos um beijo apenas para nossos lábios matarem a saudade que tinham um com o outro. Cada selar que nós iniciavam os era diferente, parecia que cada um tinha sua peculiaridade e isso é uma coisa que eu jamais reclamaria.

— Kim Taehyung, você bebeu não é? — Acabei separando os nossos lábios e uma risada gostosa se instalou ali.

— Ah, eu não iria resistir. Você me conhece.

— Beber você pode, você só não pode beber muito.

— Eu posso até ter bebido, mas eu estou sóbrio o suficiente pra dizer que eu te amo. — Depois das últimas três palavras que ele disse eu me lembrei automaticamente do conselho que Seokjin tinha me dado no dia anterior, e a melhor hora de utilizá-lo seria agora.

— Tae, posso te fazer uma pergunta?

— Claro que pode Jimin, o que foi?

— Você me ama?

— Claro que sim Jiminnie. Eu te amo e sempre vou te amar, você ainda tem dúvidas disso?

— Não tenho... É que, bem... Eu só queria ter certeza. — As palavras saíram emboladas de minhas cordas vocais por conta do meu nervosismo. Isso não era exatamente o que eu queria que saísse, mas foi a única coisa que eu consegui formular.

— Você ainda pensa naqueles seus relacionamentos não é? — Respirei fundo e concordei. — Se for necessário, eu vou te dizer quantas vezes for possível que eu te amo, e que essa expressão jamais será falsa quando sair da minha boca. Minnie, o passado já se foi, nunca mais vai voltar, a única coisa que pode voltar dele são lembranças. Se elas voltarem, não se esqueça que eu estarei aqui com você, sempre.

— Sempre, é um tempo muito longo. — Comecei a brincar com a sua mão e logo em seguida foi entrelaçada com a minha. — Você sabe não é?

— Sim eu sei, se eu não soubesse não estaria te falando isso. — Ele começou a acariciar meus dedos com os seus e apertamos ainda mais as nossas mãos. — Jimin, você gostou da sua surpresa? — Ele mudou totalmente de assunto do nada, por um segundo estranhei mas depois apenas ignorei.

— Sim! Apenas nesses dois primeiros dias posso dizer que foi a melhor viagem que eu fiz na minha vida. — Com o meu entusiamo consegui arrancar um sorriso no rosto de Taehyung e no meu também.

— Sabe, essa viagem é muito significante pra mim. Essa é a primeira viagem que fazemos pra fora do país com a nossa independência, e além de tudo, eu estou com você aqui podendo deixar ela mil vezes melhor. — Ele deu uma pausa, sorriu sem mostrar os dentes e olhou pras estrelas como se elas dessem permissão pra ele continuar. — Eu quero que essa viagem seja significante pra você também, porque você era tudo o que faltava em mim. Você me completou e nos transformamos em um só. 

Sua voz calma e grave falava cada sílaba daquelas palavras com clareza, e quando eu interpretava cada uma delas eu um sentimento de ser amado pareava sobre mim. Uma hora eu olhei diretamente pros seus olhos, a sua íris negra parecia que me informava que ele tinha mais coisas pra me contar. E foi isso o que aconteceu.

— Eu me achava um tolo por não acreditar que existiria uma pessoa que me aceitasse da forma que eu sou, meio bobão e infantil. Mas eu não tinha olhado direito pro óbvio. Você estava aqui e sempre esteve.  As vezes eu acho que eu não te merecia. Você é uma pessoa incrível com personalidade única Jiminnie. Você é importante demais pra mim, você não tem noção de quanto que eu te amo, você não tem noção de quanto que eu adoro cada pedacinho seu, des da ponta dos seus pés até o seu último fio de cabelo. 

Nesse momento eu já estava com os olhos lacrimejando. Eu conseguia ver a verdade saindo em cada palavra que ele ditava, eu sentia meu coração esquentar com cada uma delas. A única coisa que eu consegui fazer no momento era abraçá-lo, abraçá-lo muito forte, compartilhar cada sentimento junto com ele. Ele retribuiu o abraço me fazendo ficar mais confortável ainda em seus braços.

— Tae, eu te amo muito, muito mesmo. Palavras assim nunca foram dirigidas pra mim dessa forma. — Minha voz falhou na última frase, porém eu continuei naquele abraço com ele.

— Ei, não fique assim, pra que chorar? — A resposta já era óbvia, então decidi me manter naquele abraço confortante sem falar nada. — Ei Minnie, eu tenho mais uma surpresa pra você. — Ele me despertou atenção assim que me chamou pelo meu apelido.

— Além de tudo isso que você fez pra mim?

— Além de tudo isso o que eu fiz pra você.

Enxuguei algumas lágrimas do meu rosto com a manga da blusa que estava usando olhei ele tirando um de seus braços da minha cintura e botando a mão no bolso de sua calça, tirando de lá uma caixinha azul escura que cabia facilmente na palma de sua mão. A caixinha recoberta com um tecido aveludado foi sendo aberta devagar pelos dedos ageis de Taehyung, revelando duas alianças prateadas dentro dela.



— Jimin, você aceita ser amado por mim, até mesmo sem que a morte nos separe?

 Meus batimentos cardíacos estavam a mil por hora. Eu simplesmente não conseguia acreditar no que estava acontecendo. Fiquei boquiaberto com tudo, com as palavras, com as alianças... A ficha só tinha caído quando eu toquei naquelas alianças feitas sobre medidas para nós dois.



— Eu aceito, até mesmo sem que a morte nos separe.

— Para sempre?

— Para sempre.

Sorrisos, abraços e beijos foram as coisas que nós mais fizemos depois de colocar em nossos anelares nossos anéis que não eram interpretados apenas como um sinal de matrimônio, eles iriam bem além disso.


                          [...]



Perante a tanto ódio no mundo,

Eu achei um lugar pra me refugiar,

Esse lugar eram teus braços,

Esse lugar era seu peito,

Esse lugar era você.

Você é a companhia,

Você é a verdade,

Você é a razão do meu viver,

Você é a minha droga legal,

Você é além de um amor de verão,

Você é uma antiga canção,

Você é tudo pra mim,

Espero que eu seja tudo pra ti.


Notas Finais


“Assim que se olharam, amaram-se; assim que se amaram, suspiraram; assim que suspiraram, perguntaram-se um ao outro o motivo;
assim que descobriram o motivo, procuraram o remédio.”

— Willian Shakespeare


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...