História Fetish - Jikook - Capítulo 24


Escrita por: ~, ~wiincest e ~outcastx

Postado
Categorias Apink, Bangtan Boys (BTS), CL (Chaelin Lee), EXO, Got7, I.O.I
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Choi Yoo-jung, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lee Chaelin "CL", Mark, Rap Monster, Son Na-eun, Suga, V, Xiumin
Tags Amor, Desejo, Fetiche, Jikook, Kookmin, Menção Namjin, Menção Taeyoonseok, Paixão, Traição
Visualizações 297
Palavras 1.397
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus bebês!
Tudo bom?
Esperamos que sim.
E olha só, estamos postando rapidinho.
u.u

Música do capitúlo : Youth. - Troye Sivan.

Boa leitura meus amores. <3

Capítulo 24 - A verdade fala tão alto, que você não pode ignorar.


Fanfic / Fanfiction Fetish - Jikook - Capítulo 24 - A verdade fala tão alto, que você não pode ignorar.


                            Jeon Jungkook.


Continuei olhando a porta observando a imagem dos meus pais e da Naeun ali parados.

Engoli em seco.

– Jimin querido. – Minha mãe sorriu acolhedor. – O que está fazendo aqui?

Sem nem ao menos esperar Jimin responder, tomei a iniciativa de começar a inventar uma desculpa.

– J-Jimin… V-Veio… N-Nós… T-Trabalho. – Tentei falar mas minha voz simplesmente não saiu firme o suficiente, o que só me fez ficar ainda mais nervoso.

Percebi a face de todos ali ficarem confusas, revisei meu olhar entre eles e o Jimin parando em seguida apenas neles.

A minha vontade do momento era correr dali e torcer para que um caminhão passasse em cima de mim, mas nada é como queremos.

– Vocês? – Meu pai disse diz no intuito que eu continuasse a falar, e uma pequena risada saiu dos seus lábios.

– N-Nós… O-O... T-Trabalho…

Antes que eu pudesse tomar forças para falar o que estava acontecendo – Ou ao menos tentar. – Senti meu corpo ser puxado com força, e os lábios do Jimin foram ao encontro dos meus.

Na minha cabeça podia-se imaginar a face; reação de todos ali presente.

Afastei tanto o corpo de Jimin quantos seus lábios e um sorriso cínico se formou nos lábios que estava a alguns segundos colados ao meus.

Olhei Jimin assustado.

Eu ainda não conseguia acreditar no que ele fez. Me beijou.

Me beijou na frente de meus pais.

Eu pedi que ele esperasse meu tempo. Mas claro, ele não me ouvi e nem ao menos segue o que eu digo.

– Jimin? Jungkook? – A Naeun me olha com um olhar indignado, chateado. – Logo vocês dois? Eu esperava mais de vocês. E pelo jeito os dois se merecem. – Ela sai correndo do local.

– VOCÊ TINHA QUE FAZER ISSO? – Gritei olhando para Jimin.

Não estava me importando se meus pais estavam ali, no que eles diriam, ou até mesmo se a Naeun ia conseguir me ouvir.

– Deixaremos vocês a só. – Minha mãe se curva saindo sendo acompanhada por meu pai.

Continuei olhando para jimin esperando uma resposta su a,ele apenas passou sua mão pelo seu cabelo e mordeu os lábios.

Ele veio até mim e colocou ambas as mãos em volta da minha cintura, mas a tirei rapidamente.

– O que foi? – Ele diz me olhando.

– Ainda pergunta? – Digo irônico. – Eu pedi para você esperar MEU tempo, mas você é tão egoísta, que só pensa em você.

– Eu não acredito que você 'tá fazendo todo esse drama por causa de um beijo.

– UM BEIJO JIMIN? Você me beijou na frente de meus pais, NA FRENTE DA NAEUN. – Me controlei para não chorar ali mesmo. – Ela confiava em mim. Agora ela sabe que você terminou com ela por MINHA causa. Você estava com ELA enquanto estava COMIGO.

– Você não é inteligente o suficiente para entender que fiz isso por nós?

– Por nós? – Ri irônico. – Você fez isso por você.

– Talvez eu tenha feito por mim, porque eu queria poder assumir nosso relacionamento, porque eu queria poder andar de mãos dadas com você sem me preocupar se alguém vai vir até nós.

– Aish, não começa com isso. Isso não vai mudar Jimin. Você soube esperar meu tempo para assumir que te amava,mas não foi capaz de esperar meu tempo para assumir tudo isso com meus pais. Talvez eu tivesse que esperar mais tempo para dizer que te amava?

– Não me ama? – Ele riu irônico. – Vai dizer que não me ama só por isso?

– Eu te amo Jimin. Mas você me ama? Me ama o suficiente?

– Agora vai dizer que não me ama? – Ele dá alguns passos para perto de mim. – EU TE OBSERVEI POR QUATRO ANOS E VOCÊ VAI DIZER QUE EU NÃO TE AMO?

– O que você dizer com isso? – Dou passos para trás.

– Eu observei você durante quatro anos, você entende o quanto eu te amo? O quanto eu queria dizer que você é meu? Mesmo sabendo que você não era. Eu te amava e te amo.

– Isso não era amor Jimin, isso é apenas possessividade.

Sem nem ao menos ouvir o que ele ia dizer, sai dali.

Subi as escadas rapidamente pois sabia que em pequenos segundos às lágrimas iam começar a correr, e como já imaginado, não demorou para as lágrimas quentes estarem sobre minha bochecha.

Abri a porta do meu quarto e me joguei ali mesmo no chão me fazendo sentar.

As lágrimas escorriam pelo meu rosto.

Talvez eu estivesse errado, Talvez Jimin estivesse errado, ou talvez nós dois estejamos errados.

O pior é que falei coisas que não deveria, assim como escutei coisas que talvez não deveriam.

Enxuguei as lágrimas com minhas próprias mãos, e respirei fundo.

O que estou fazendo?

Chorando por motivos tão idiotas?

Não deveria estar assim, e também não irei ficar.

Peguei meu celular rapidamente, e disquei os números que  já tinha gravado.

– Jungkook? – Chung-ho diz confuso.

– Vá se arrumar, vamos sair hoje.

– Mas…

– Já 'tá tomando banho? – O interrompo e ouço sua risada.

– Passo em sua casa em uma hora.

– Ok, passe em minha casa em trinta minutos. – Desligo a ligação.

Me levantei do chão, corri até o banheiro, tomando um banho rápido.

Sai do banheiro com o cabelo já seco e com uma maquiagem leve já feita.

Após uma longa discussão comigo mesmo, acabei colocando uma calça preta escura colada e uma blusa um pouco larga cinza.

Coloquei um par de brincos descretos e uns anéis em meus dedos.

Arrumei meu cabelo novamente com as mãos, peguei meu celular e minha carteira.

Desci apressadamente quando ouvi o barulho de uma campainha.

Dei de cara com o Chung-ho assim que abrir a porta, comecei a sorrir.

– Eu realmente não acredito que você me tirou da minha sexta de séries para sair com você.  – Ele revirou os olhos.  – Estava assistindo teen wolf cara.

– A alisson morre. – Digo rindo e recebo um tapa forte no ombro.

– Aish, já disse que te odeio?

...

Chung-ho disse que quando ele sai – que são poucas vezes. – Que ele sempre opta por ir em uma balada um pouco afastado do centro.

Quando chegamos no local que ele tinha dito, pudemos perceber as luzes coloridas,  pessoas bêbadas, pessoas se esfregando uma na outra e se pegando, a música estava alta e o local estava cheio.

Olhei para Chung e o mesmo estava com um sorriso no rosto, ri fraco.

– Vamos beber.

Ele me puxou indo até um balcão com diversas bebidas. Deixei Chung-ho escolher a bebida.

Quando ele me entregou o copo cheio, pude desgostar do gosto do álcool enquanto sentia a queimação em minha garganta.

A música que tocava no início quando chegamos era desconhecida para mim, mas o tempo se passou e pude ouvir uma melodia conhecida.

–  Eu amo essa música. – Chung-ho gritou.

– 'Tá esperando o que para irmos dançar? – Rimos.

Andamos até a pista de dança.

...

Meu suor já escorria, mas nada me impedia de continuar a dança.

Diversos olhares estavam sobre mim – sobre meu corpo. – e alguns “esbarros” era descontados em mim, as pessoas aproveitavam para tocar em meu corpo e sussurrar coisas desconectadas.

Eu apenas continuava a dançar não ligando para aquilo.

– Sua vez de pegar a bebida. – Chung-ho gritou por causa do volume alto da música.

Balancei a cabeça positivamente e andei até o balcão de bebidas.

Me sentei no balcão pois meu corpo já estava doendo, tanto por ter que pegar bebidas para o meu acompanhante em cinco e cinco minutos e também por ter dançado a noite toda.

– Você dança muito bem. – Percebi alguém sentando ao meu lado e sorri.

– Não sei se danço tão bem assim. – Dou de ombros.

– Não seja modesto. – Ele me olhando sorrindo novamente. – Você deve ser ótimo com o corpo.

– Talvez eu seja, não quer ter a certeza? – Sorri pequeno me levantando e pegando as bebidas. – Qual seu nome menino dos cabelos acastanhados meio avermelhados?

– Esse é o pior apelido que já recebi. – Ri baixo juntamente a ele. – Me chamo Kim Yugyeom, mas me chama apenas de Yugyeom. – Sorri pensativo. – E você menino dos cabelos acastanhados? – Ri.

Jeon Jungkook.

– Lindo o nome, igual ao dono.

– Você não viu nada. – Sussurrei e voltei a pista de dança rindo.

Voltei a dançar e novamente alguns olhares foram até mim.

Estava tudo bem até que senti um braço me puxando.

– Sério Jungkook? Ficamos brigados por um minuto e você já sai assim e ainda dá mole para outros garotos? – Jimin aperta meu pulso.

– Me solta.

QUANTAS VEZES VOU TER QUE DIZER QUE VOCÊ É MEU?

– Seu? – Ri irônico. – Por acaso esse corpo é seu? – Volto a dançar o provocando.

Pelo jeito alguém vai ser punido.


A única pessoa que está sendo punida é você.



Notas Finais


galera, o que é isso?
humm...prevemos um hot ou um meio hot para o outro episódio?
*moon face*
SÓ ESPEREM MEUS AMIGOS.

Links babes : SoundCloud - https://m.soundcloud.com/ipoddo20/youth-troye-sivan

YouTube - https://youtu.be/XYAghEq5Lfw

~

Foi isso Jikookas, peguem os coletes para o outro cápitulo, heuheuheheuhehe.

TE AMO VOCÊS DUENDES. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...