1. Spirit Fanfics >
  2. Fetish Blood >
  3. Fetish Blood

História Fetish Blood - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


É só um cap e acabo

Capítulo 1 - Fetish Blood


Meu nome é Guilherme Guimarães, comi minha irmã gêmea, Guilermina, eu sei que pode parecer um nome estranho, mas é porquê nossos país são ex usuários de maconha que venceram na vida e largaram a vida antiga, mas agora são muito ocupados para ficar em casa, o que resultou em eu e minha irmã ficarmos sozinhos em casa nas férias...

Tudo começou no dia 05/01/2020, nos estavamos sozinhos em casa e eu tava batendo uma violenta, até que minha irmã entrou em meu quarto, e me pegou no flagra, no primeiro momento, eu não me toquei, já que tenho fetiche em bater uma me olhando no espelho e ela tem o rosto parecido com o meu, ela ficou parada me vendo fapar, depois que gozei me dei conta de que eu acabará de me masturbar na frente da minha irmã, ela rapidamente avançou pra cima de mim e disse que veio até ali para mim tirar sua virgindade, que ela tava saindo com MEU MELHOR AMIGO e que tinha combinado de transarem amanhã, Guilherminho (nome do meu comparça) já estava em pé de novo e dominou minha mente, eu pedi para que ela ficasse olhando para mim por causa do meu fetiche, ela achou estranho, mas aceitou, eu acabei gozando dps de uns 3 minutos dentro dela mas ela nem percebeu,

Dps que a barriga dela começou a crescer todos acharam que meu "amigo" era o pai, já que minha irmã confessou o que tinha feito com ele, meu pai acabou aceitando e ele passou a morar conosco, a raiva que eu criei pelo filho da puta era tanta, que eu tinha que fazer algo a respeito, numa madrugada, estava pensando em um jeito de fuder a vida dele, mas derepente, ele entrou em meu quarto e me revelou:

Ele na verdade era gay, e comeu minha irmã gêmea pensando em mim,

Eu fiquei estático por alguns segundos, ele disse: "É... eu sei o que você deve estar pensando, mas por favor, não conte a ningu..."

*Eu o beijo,* Guilherminho tinha acordado e não se importa com nada se acabar gozando.

Nós passamos a nós encontrar nas madrugadas, mas não sabíamos o que fazer quando o bebê nascesse...

Por cerca do 6 mês de gravidez do bebê, minha irmã me chamou e disse que queria contar que tinhamos transado ao seu futuro marido, mas sabendo das circunstâncias, eu neguei, obviamente, não podia deixar Vinícius(o nome dele) saber que eu comi a futuro mulher dele antes dele, continuarmos nessa enrolação até o bebê nascer, e no dia do parto, houve a grande surpresa, o filho que eu não tinha certeza se era meu ou do Vinicius, na verdade não era de nenhum de nós, ele era negro, a família inteira ficou em choque, minha irmã tentou se explicar dizendo que nossa avó era negra e que era possível ele ser assim, Vinicius estava devastado, mas ele tinha a cara da minha irmã, muito parecida com a minha, um dia, quando Vinícius e Guilermina foram comprar roupas pro bebê e eu estava sozinho cuidando dele, meu fetiche atacou e eu fiz o bebê pagar um babão, até que ouvi passos no corredor e parei, o bebê estava chorando, quando um homem negro, com uma farda policial e mais o menos 1,90 de altura entrou, o bebê parou de chorar, ele me contou a história, disse que minha irmã o ligou e pediu para ele ir até lá para me explicar...

Um dia depois que eu tinha comido minha irmã, ele a viu indo para casa do namorado na boca da noite, ele a parou, achando que ela era suspeita, ele também explicou que o casamento estava ruim, por isso fez o que fez, ele disse pra minha irmã que ela poderia continuar se fizesse um favor a ele, e o resto vocês podem imaginar...

Nós escutamos o barulho de alguém chorando, era Vinícius que havia chegado e escutou tudo, então, ali no meio de todos, ele revela nosso caso, todos entram em choque... eu estava abalado, mas depois de muita discussão, nos resolvemos,

Eu e Vinícius acabamos juntos, adotamos uma criança e cortamos todos os nossos laços com a família, superei meu fetiche e fiz uma plástica no rosto.

Meus país denunciaram o polícia por estrupo, que aceitou e foi preso.

Minha irmã criou a criança com a ajuda dos meus pais e continuou se relacionando com vários caras...

Moral da história:

Mulher transa com quem quer, homem transa com quem pode...


Notas Finais


N leve nada a sério, ou leva fds


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...