História Fica Comigo!! - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Cana Alberona, Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gildartz, Grandine, Gray Fullbuster, Igneel, Jude Heartfilia, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Mavis Vermilion, Meredy, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Sting Eucliffe, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Brigas, Ciumes, Intrigas, Lucy Heartfilia, Lucy Vs Lissana, Nalu Vs Nali, Natsu Dragneel, Obsessão, Passados Dolorosos, Revelaçoes, Romace, Segredos, Traição
Visualizações 122
Palavras 2.919
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hihihi🔥🔥😏

Boa leitura Minna 😉

Capítulo 21 - Último dia no Paraíso !!


Fanfic / Fanfiction Fica Comigo!! - Capítulo 21 - Último dia no Paraíso !!

Lucy P.o.v

É nossa última manhã no paraíso tropical, e eu acordo mais cedo que Natsu , propositalmente.                                                              Ele fez tanto por mim esta manhã , bem, no mês inteiro  e  eu só quero fazer algo especial para ele antes que voltemos para a realidade. 

Não que a realidade seja ruim, mas é que eu adorei tê-lo comigo durante a semana inteira.

Depois do nosso “Dia de ontem ”, que ficará gravado para sempre na minha memória, Natsu  me surpreendeu com um passeio para alimentarmos os tubarões, o que, antes dessas férias, eu teria achado que incluiria a mim mesma no cardápio deles, mas acabou sendo uma das experiências mais emocionantes da minha vida. 

Nunca vou me esquecer da água que batia na minha cintura, e eu parada, com dúzias de tubarões dóceis nadando ao nosso redor, pegando comida das nossas mãos. Ontem passamos um dia em um SPA fazendo tratamentos românticos para dois.

Nas duas últimas semanas eu fui mais para o SPA do que nos últimos dois anos. 

Não estou reclamando. 

Mas hoje é nosso último dia.

Coloco minha cabeça para dentro do quarto outra vez para ter certeza que ele está dormindo.

Então, desço as escadas do bangalô até a água, para pegar nosso café da manhã que será entregue por uma canoa.

Coloco a comida e o café em uma bandeja e vou para o quarto.

Depois de colocar a comida com cheiro delicioso sobre um divã aos pés da cama, eu me coloco sobre Natsu  e beijo seus lábios.

Natsu , querido acorde. -  Eu mordo seus lábios e beijo seu pescoço enquanto ele se mexe embaixo de mim.

_ Bom dia - ele murmura.

_ Bom dia, amor. Acorde. Tenho algo para você.

Ele passa a mão nas minhas costas e franze o cenho.

É difícil fazer amor com você quando está vestida, linda. - Falou e Eu rio enquanto ele abre aqueles olhos lindos.

Não é isso que eu tenho para você.

Saio de cima dele e ando até os pés da cama enquanto ele se senta, com o lençol caindo até seu quadril, passando a mão no rosto e no cabelo.

Café da manhã! -  Coloco a bandeja entre nós e tiro a tampa de prata de cima do prato.

Panquecas, bacon, ovos e frutas , no outro lado tem uma jarra de café e duas canecas.

Você pediu isso? -  ele pergunta.

Sim, achei que seria bom alimentá-lo pelo menos uma vez. -  Ele sorri e segura meu rosto em suas mãos.

Obrigado, amor.

_  Não há de quê. Espero que esteja com fome. - Seguro um morango na frente de sua boca, ele dá uma mordida e coloco o resto na minha boca.

Faminto -  ele diz, com seus olhos cheios de luxúria.

Mais tarde -  sussurro.

_ Você não é divertida. -  Ele faz biquinho enquanto se serve com um pouco de café, e eu rio.

Não foi o que você disse ontem à noite. -  Lembranças de nós dois fazendo amor na banheira surgem na minha mente, e eu mordo o lábio.

A noite passada não conta.

_ A que horas vamos embora? -  pergunto.

Só à noite. Por quê?

_  Temos algum plano especial para hoje? -  Dou uma mordida numa panqueca  -  Nossa, isso aqui tá bom demais.

_  Eu adoro te observar comendo, amor.  E não, não pensei em nada para hoje. Tem alguma coisa em mente?

Eu dou de ombros e como mais um pedaço de panqueca.

_ O que é? - perguntou

Nada, podemos fazer o que você quiser. - Dou de ombros novamente, mas evito seu olhar, sentindo-me tímida de repente.

Não quero ir a lugar algum hoje, só quero ficar com ele, e não sei por que de repente me sinto tão tímida para falar isso para ele. É uma bobeira.

Luce ... -  Sua voz soa severa, e eu olho para ele. -  O que há de errado?

_  Nada. Eu só estava pensando... -  Coloco meu garfo no prato e mordo o lábio. -  Só quero ficar aqui, até termos que ir para o aeroporto. Quero que fiquemos sozinhos, pelo máximo de tempo que pudermos, aqui na nossa bolha tropical. -  As últimas palavras são nada mais que um sussurro, e o olho para ver sua reação.

Ele está sorrindo com doçura.

Por que isso te deixou tímida?- perguntou e eu dou de ombros novamente e olho para baixo.

Eu não sei. Pensei que talvez você quisesse fazer alguma grande aventura antes de irmos, mas eu só quero você.

_  Amor, olhe para mim. -  Obedeço sem hesitar e fico aliviada em ver seu belo sorriso. - Passar o dia sozinho com você neste belo paraíso tropical é perfeito pra mim.

Oba! -  Sorrio para ele, aliviada, e continuo a comer minhas panquecas.

Terminamos nosso café da manhã e, enquanto Natsu  está no chuveiro, o serviço de quarto na canoa vem para levar as louças sujas.

O homem é enorme e fala muito enquanto coloca as coisas numa caixa para levá-las para a canoa.

_ Seu marido é um homem de muita sorte -  ele sorri para mim, e eu sorrio também, mas algo não parece certo.

Que coisa mais inapropriada para se dizer! Não corrijo seu engano a respeito do meu estado civil e só digo.

_ Obrigada.

_ Há quanto tempo estão casados?- perguntou

_Hummm, não muito. -  Por que ele está me assustando? Aprendi há muito tempo a confiar nos meus instintos, então dou a volta no quarto, colocando-me atrás de um sofá enorme, perto da porta do banheiro.

_ Ah, que legal. -  Ele caminha em direção ao sofá, fingindo pegar um fiapo de tecido laranja no chão.

Meu coração acelera quando o medo surge. Ele está tentando se aproximar de mim e agora seus olhos parecem predatórios.

_ Reparei em você esta semana. É muito bonita. - Diz o homem

Acho que você deveria ir embora. -  Novamente me movo para o outro lado do sofá, mas ele está me seguindo. 

Meu coração sobe à garganta.

Por quê? - perguntou

Porque não quero você aqui. Meu marido vai aparecer em um minuto, e não estou interessada. Saia daqui ou vou fazer com que te demitam.

Não pode fazer isso, meu tio é dono do resort. -  Ele ri e começa a se aproximar de mim mais rápido.

NATSU ! -  eu grito, mas antes que a palavra termine de sair da minha boca, o homem está sendo jogado na parede.

Natsu , com a respiração pesada e o rosto contorcido de raiva, está com as mãos na garganta do Rapaz.

Ele o soca no rosto, duas vezes, e sangue espirra do nariz do homem, fazendo-o gritar como uma mulherzinha.

Tenho certeza que nunca ninguém ousou colocar a mão nele antes.

Vou fazer com que nunca mais toque nenhuma outra mulher neste resort, seu merda. -  A voz de Natsu  é fria e calma, seu olhar glacial, e este é um lado dele muito zangado que eu nunca tinha visto antes. -  Você está bem, amor? -  Ele não olha para mim ao falar, pois não tira os olhos do homem.

Estou bem. -  Minha voz soa mais forte do que eu realmente me sinto e fico feliz por isso.

Ligue para a recepção e peça que chamem a polícia. Conte-lhes o que aconteceu.

Faço como ele pede e depois de alguns minutos um barco a motor surge no bangalô, com a administração e a polícia, e um homem que deve ser o tio do babaca.

A polícia toma o controle da situação e livra Natsu  de qualquer acusação.

Assim, Natsu corre para mim e me toma em seus braços. Eu devo estar chocada demais para fazer qualquer coisa além de arregalar os olhos para o que está acontecendo ao nosso redor.

Você está bem ? -  Suas mãos estão acariciando minhas costas, tentando me acalmar.

_ Sim, estou bem. Ele não me tocou, mas foi realmente assustador, e eu sei que ele teria me tocado se você não estivesse aqui. Senti desde o momento que ele entrou aqui, por isso me coloquei atrás do sofá, perto do banheiro, para o caso de ele tentar alguma coisa. E ele tentou. -  Eu tremo, e Natsu me puxa mais para perto.

O tio está gritando que devem prendê-lo. Parece que não é a primeira vez que isso acontece. O babaca está chorando e resmungando, mas ninguém parece se importar.

Enquanto observo o que está acontecendo ao meu redor, o medo é substituído por puro ódio.

Saio dos braços de Natsu  e ando até o babaca, que está sendo algemado pela polícia.

Ele está choramingando para mim, fraco e assustado, e antes que eu perceba o que estou fazendo, ergo meu joelho e o acerto bem no meio das pernas, fazendo-o desabar.

Meu peito está pesado, e um súbito silêncio se forma ao nosso redor.

Não sou uma vítima. -  Minha voz está firme, controlada e alta, porque eu quero que ele ouça cada palavra. -  E você não é nada além de um pedaço de merda.

_  Viu o que ela acabou de fazer comigo? Quero prestar queixa. - O babaca choramingador está gritando, mas o tio ergue a mão silenciando-o.

Não vi nada que você não merecesse. Tire-o deste bangalô. - diz o tio do garoto.

Ele é escoltado para fora e o dono do local se desculpa profundamente, oferecendo reembolso, compensações e tudo mais que eu nem sequer poderia imaginar.

Tenho certeza que ele está torcendo para que não contemos nada para a imprensa, o que não vamos fazer, de qualquer forma.

Natsu não faria isso.

Viro-me e olho para Natsu , cujo o olhar está vidrado e o rosto duro.

Ele avisa à gerencia que vamos embora ainda hoje.

Vamos prestar queixa, mas não queremos que isso chegue à imprensa também - Natsu murmura, e meu coração para.

Ah, meu Deus. Isso poderia dificultar muito as coisas para ele se chegasse aos tabloides.

De repente me sinto culpada. Deixo Natsu cuidar do resto da burocracia e vou para o quarto fazer as malas.

Natsu  entra no quarto quando já estou terminando.

Ele vem na minha direção e me puxa para seus braços fortes, embalando-me para frente e para trás, beijando minha testa.

Você está bem mesmo? - perguntou

_  Sinto muito.

Pelo quê? -  Ele me afasta e me olha com a testa franzida. - Você não fez nada de errado.

_ Isso pode ficar muito ruim para você, se algum tabloide souber. - falo 

_ Acredite Luce , eles não vão saber. Nem o resort nem eu queremos isso. Mas isso não é importante; você é, amor. Ele te machucou?

_ Não, eu te disse, ele não me tocou. Mas foi bom chutar as bolas dele. - Sorrio, e Natsu  me puxa para ele outra vez.

Fiquei tão assustado quando saí do banheiro e te ouvi gritando. Vi aquele safado te perseguindo e juro que não me lembro de nada que aconteceu depois. Só queria me certificar que ele não tinha te tocado. - Ele passa o dedo pelo meu rosto e eu beijo sua mão.

_ Obrigada.

_ Eu sempre vou te proteger, Luce . É para isso que estou aqui. É o que quero fazer.

_  Eu sei, e essa é uma das razões que me faz te amar. E nem sei por que não estou surtando. -  Dou de ombros e sorrio. -  Acho que me sinto forte, e sei que você estava aqui, que ele não iria me machucar. -  Passo minhas mãos por seu cabelo.  -  Você está bem?

_ Contanto que você esteja bem, eu também estou. Deus, adoro que você seja tão forte, amor. Foi uma visão e tanto vê-la fazê-lo desmoronar daquele jeito. - Comentou

_ É bom que se lembre disso para o caso de pensar em sair da linha. - Pressiono meu corpo no dele e sorrio.

Ah, é? Você acha que pode comigo?- Ele esfrega seu nariz no meu, e eu suspiro.

Provavelmente não, mas tentar seria muito divertido.

Ele sorri ternamente para mim.

E agora é hora do presente.

Então, antes de sermos rudemente interrompidos, eu ia te dar um presente assim que você saísse do chuveiro. - falo e  Suas sobrancelhas se erguem.

_ Você comprou um presente para mim?

_ Algo assim. - Estou usando uma saída de praia preta que é um pouco conservadora. Tem um capuz e fecha com zíper na frente, cobrindo-me dos joelhos ao pescoço.

Dou um passo atrás, soltando-me de Natsu  e começo a abrir o zíper devagar.

Quando está completamente aberto, afasto o tecido dos meus ombros e ele cai aos meus pés.

Natsu  ofega e seus olhos se arregalam, encontrando os meus, e seu rosto se desfaz em um sorriso. Coloco minhas mãos nos meus quadris nus e inclino a cabeça para o lado.

_ Gosta do meu traje? - falo 

Ele caminha na minha direção e passa os dedos sob as pérolas, beijando-me daquele jeito carinhoso só dele, e sinto minhas pernas  bambearem.

Amor, você sabe que eu adoro esse traje. Não há nada como você usando apenas pérolas. - diz Natsu

Adoro a forma como olha para mim-  sussurro.

Os olhos de Natsu  percorrem meu corpo vorazmente e quando seu olhar retorna ao meu, ele me beija com carinho.

_ Hoje será diferente , Luce -  ele sussurra contra meus lábios.

_ Diferente ?-  sussurro de volta, jogando minha cabeça para trás enquanto seus lábios passeiam pelo meu pescoço.

_ Sim

_  Adoro sua voz sussurrante. - falo e Ele sorri.

Eu sei.

_ O que você quer fazer?- perguntei

_ Quero fazer amor com você, lento e docemente. -  As pontas de seus dedos mal me tocam, passeando de um lado para o outro, enviando calafrios ao meu corpo.

Seus lábios tocam meu pescoço. A sensação me deixa louca.

Parece adorável.

Ele me ergue em seus braços, e eu emaranho meus dedos em seus cabelos quando nossos lábios se encontram em um beijo suave. Gentilmente ele me coloca na cama e me cobre com seu corpo, suas pernas entre as minhas.

Ele coloca a mão no meu braço esquerdo e une nossos dedos, mas, ao invés de segurá-los sobre minha cabeça, ele simplesmente os coloca ao lado das nossas cabeças, na cama.

Ele não quer me conter nem brincar comigo.

Ele quer me mostrar o quanto me ama, e isso me enche de forças, confiança e carinho.

Ele corre os dedos da mão esquerda pelo meu cabelo e rosto enquanto continua a me beijar com delicadeza e paciência.

Coloco a sola do meu pé em sua panturrilha, acariciando-o para cima e para baixo, enquanto passo as pontas dos meus dedos em suas costas musculosas, para cima e para baixo.

Posso sentir sua ereção contra mim, mas ele não faz nada.   Ainda não.

_ Você é tão linda -  ele murmura contra os meus lábios.

Você me faz me sentir linda Natsu  -  sussurro para ele, que geme.

Ele planta beijinhos ao lado da minha boca.

Emaranho meus dedos em seus cabelos e o acaricio.

_ Adoro seu cabelo. Adoro senti-lo em meus dedos.

_ Já percebi isso -  ele sussurra e o sinto sorrir contra meu pescoço. - Você sempre coloca as mãos no meu cabelo .

_ Nunca o corte curto, por favor. -  Adoro ouvir sua voz sussurrante.

_ Pode deixar que não vou cortar . - Ele beija o lóbulo da minha orelha e o belisca com os dentes. - Você tem uma pele maravilhosa; tão macia e suave. E cheira tão bem.

Suas palavras são sedutoras, e sua mão está se movendo dentro do meu cabelo, fazendo todo meu corpo cantarolar.

Meu quadril começa a se mover sob ele e sinto seu sorriso em minha garganta.

Você sabe o que faz comigo. - Falo

_ Você faz o mesmo comigo, amor. -  Ele flexiona os quadris sobre mim  e eu ofego.

_ Quero você.

_ Eu sei. Também te quero. -  Adoro os sussurros, os suspiros suaves e os gemidos. Esta é a primeira vez que fazemos amor tão quietos, mas não é menos intoxicante.

Lentamente ele começa a me preencher, um centímetro por vez, até que se enterra até onde é possível. Ele me preenche fisicamente, emocionalmente, e sinto lágrimas saírem dos cantos dos meus olhos.

Este homem doce, protetor, gentil e sexy me ama. E eu o amo... tanto.

_ Não chore, amor. - Sua voz sussurrante está rouca de emoção, e ele começa a se mover mais devagar, para dentro e para fora de mim. Minhas pernas se engancham mais alto em seus quadris, levando-o ainda mais fundo, até que ele atinge o ponto mais sensível, me fazendo sentir faíscas voarem ao meu redor, depois de um tempo ja havia chegado ao meu limite.

_ Natsu...eu

_  Eu sei -  ele sussurra no meu ouvido, e eu me sinto perdida, com meu orgasmo me consumindo, mas eu nem sequer emito um som, contagiada por nosso amor silencioso.

Um amor que pretendo levar para vida inteira.

_ Eu te amo Natsu

_ Eu também te amo Luce, amo muito . - respondeu me dando um selinho e se aconchegando ao meu lado.

E assim foi nossa ultima noite nesse lugar maravilhoso.


CONTINUA...




Notas Finais


Espero que tenham gostado ^^ ❤

Próximo capítulo - De volta a Rotina!!

Até a próxima Minna 😉👋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...