História Too Close For Comfort - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Chimchim, Hentai, Hot, J-hope, Jimin, Jungkook, Park Jimin, Parkjimin
Visualizações 62
Palavras 1.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Os capítulos estão demorando um pouco para saírem, mas estão vindo com novas turbulências...
Vamos ver no que vai dar...

Capítulo 29 - Lua de Mel


 

Eu não acreditava que estava casado, e que cada sentimento que havia dentro de mim era real. Eram tantas, felicidades, amor, carinho, paixão e tudo com uma intensidade inexplicável. A cerimônia, ela vestida de noiva e com a barriga evidente no vestido. Agora seríamos uma família, e eu me esforçaria para ser para eles o que meu pai foi para nós.

Eduarda foi/é a mulher que mudou minha vida para melhor, me fez acreditar no amor novamente, me fez viver momentos incríveis, passamos por momentos que dificilmente outras pessoas superariam, mas nós superamos.

Ela atravessou o mundo para tentar viver uma nova vida, mas acredito que a nova vida dela era especialmente me encontrar e me salvar do sentimento obscuro que eu sentia.

Ela ficou perigosamente perto de mim e diversas coisas lhe aconteceram, mas para nós dois foi o melhor perigo que podíamos ter vivido. E eu a quero cada vez mais perto de mim, ela e nossa pequena Mi-Cha.

- Jimin, vamos perder o vôo... – Eduarda corria pelo quarto, carregando bolsas e mais bolsas.

Parecia que íamos nos mudar.

- Minhas coisas já estão prontas desde ontem, você que está querendo levar a casa toda. – Rolei os olhos.

- Mas você poderia me ajudar, huh? – Ela pôs as mãos sob a cintura e com uma cara de indignação olhou para mim.

- Nós acabamos de sair do casamento e você já está assim? – Perguntei rindo e a mesma me jogou uma almofada.

- Você não quer me ajudar, a culpa é sua... – Mandou língua, enquanto tentava fechar a mala.

- Tenta pular em cima dela pra’ vê se vai fechar. – Disse rindo.

Estávamos com vôo marcado para ás 12h00min e já eram 10h40min, já devíamos estar a caminho do aeroporto, fazer check-in e aguardar nosso vôo. O destino seria Paris. Clichê, não é? Mas Eduarda queria muito conhecer.

Então procurei por um pacote que pudéssemos ir a Londres também, já que é tem muitas coisas bonitas e diferentes para conhecer por lá e era perto.

 Ela estava tão animada e ansiosa, que ficou esse tempo todo colocando mais e mais roupas na mala, com suposições de lugares que iremos, com roupas que ela gostaria de tirar foto. Nem parecia aquela mulher que eu conheci, é isso que intimidade faz com as pessoas.

Eu havia me tornado um homem totalmente diferente e em tão pouco tempo, me sentia mais protetor, me sentia mais preocupado com as pequenas coisas e me sentia feliz por isso. A cada dia novas responsabilidades surgiam, mas eu me sentia pronto para cada uma delas.

- Pronto! – Arfou. – Terminei
 

Eu ri e levantei-me para enfim ajudá-la com as malas. Eu com toda certeza do mundo, sou o homem mais feliz.

 

(...)

 

Desembarcamos no aeroporto de Paris-Charles de Gaulle, eu havia alugado um carro para podermos nos locomover por aqui, sem precisar se preocupar com táxi. Um Audi A3 foi a minha escolha, havia outros carros, mas eu tinha certa admiração pela marca Audi.

Entramos no carro e seguimos para o hotel que eu havia reservado para nós, um que era três ruas da Torre Eiffel. Dava para ver uma parte da torre pela janela da nossa suíte, mas eu queria mesmo era levá-la para visitar. Eu tenho certeza que ela iria amar, e se tudo ocorrer como planejamos talvez eu consiga isso.

Paramos em frente o Hotel Regina Louvre, eram cinco estrelas e eu escolhi a dedo. Não que eu seja mesquinho, mas eu escolhi o melhor porque era a nossa lua de mel, não era uma ocasião simples, era nosso momento, nosso casamento. E eu não queria que nada saísse errado, queria que fosse uma experiência única para nós.

Fui até a recepção para efetuar o check-in e minha esposa, ficou encantada ao olhar todo o lugar. Acabei rindo pela sua admiração.

- Reserva no nome de Park Jimin e Park Eduarda. – A atendente sorriu simpaticamente e começou a fazer a busca no computador.

Olhei ao redor procurando por Eduarda e a vi se servindo com um pouco de café que ficava perto da recepção. Olhei para o elevador e o mesmo já estava se fechando, mas eu vi um rosto conhecido... Era JungKook, com a roupas pretas, de capuz. Eu tinha certeza!

Mas não havia tido notícias nenhuma dele nesses últimos meses, meu detetive não o encontrou, em nenhum lugar.

- Senhor? – Chamou-me a atendente. E só então percebi estar olhando vidrado para o elevador.

- Huh? – Voltei com a minha atenção para ela, e a vi me olhando com cara de poucos amigos.

- A chave do seu quarto e seus documentos... – Estiquei minha mão, ainda meio desnorteado e peguei os documentos e a chave.

Fui até Eduarda com o coração apertado. Eu não iria estragar nossa lua de mel, não iria contar para ela. Eu apenas precisava encontrar um jeito de falar com Hoseok sem que a alarmasse.

Ele devia estar nos observando esse tempo todo, para descobrir cada passo nosso. Agora mais uma vez, minha esposa estava em perigo... E possivelmente nossa filha também.

Respirei fundo e a abracei, como se eu pudesse protegê-la de todo mal somente com o meu corpo em volta do seu.

- Já podemos ir para o quarto? – Ela perguntou-me, de forma serena. E era assim que eu queria que ela permanecesse.

- Sim meu amor...

Esperamos pelo elevador e meu cabelo começava a grudar na testa, por conta da camada de suor que já começava a se alastrar pelo meu corpo. Felizmente, Eduarda não estava percebendo isso.

Meu medo era abrir o elevador e darmos de cara com ele, com uma arma na mão pronta para disparar em nós. Ele se tornou alguém tão irreconhecível, um doente mental.

Meu amigo... Agora, era meu inimigo. Na verdade, eu não o considerava assim, ele era quem me considerava inimigo. Eu não o temia, mas temia o mal que pudesse fazer com quem eu amo.

E eu aposto que não era coincidência alguma, ele estar aqui neste hotel, neste dia.

Chegamos ao nosso andar, seguimos pelo corredor vazio e silencioso até o nosso quarto. Coloquei o cartão no sensor da porta e a mesma destrancou, entramos e tivemos a visão do amplo quarto, extremamente luxuoso e bem decorado. Com cores neutras, tapetes felpudos, a cama era enorme e bem alta. Tinha o banheiro perfeito, com uma hidromassagem, uma banheira, um chuveiro normal e óbvio... Um vaso.

Nossas malas já haviam subido e só faltava nós nos instalarmos corretamente. Pela grande janela Eduarda, namorava discretamente o pico da torre, que aparecia para nós.

E eu aproveitei seu momento de distração e corri para o banheiro. Peguei meu telefone, e disquei o número do meu amigo, que com certeza ia estranhar minha ligação. Já que estou em lua de mel...

- Hoseok, eu vi o JungKook aqui no hotel em Paris...

 


Notas Finais


O que você acham que vai acontecer com Jungkook?

Vamos interagir. ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...