1. Spirit Fanfics >
  2. Fifty Shades of Jungkook >
  3. Capítulo - 17

História Fifty Shades of Jungkook - Capítulo 18


Escrita por: e JKOFFICIAL


Notas do Autor


Olá.
Sorry pela demora!!!
Esta sem internet ▪
▫Deixem cometarios e favorito ok?

Boa leitura 📖🌱

Capítulo 18 - Capítulo - 17


Fanfic / Fanfiction Fifty Shades of Jungkook - Capítulo 18 - Capítulo - 17

▫Manhã seguinte▫

A luz inundava o quarto, arrancando-me de um sono profundo. Eu me espreguiço e abro os olhos. Era uma bonita manhã de maio, com Seoul aos meus pés. Uau, que vista.

Jeon Jungkook está profundamente adormecido ao meu lado. Surpreende-me que esteja ainda na cama. Como está de cara para mim, tenho a oportunidade de examiná-lo bem, pela primeira vez. Seu formoso rosto parece mais jovem, relaxado em seu sono. Seus lábios esculturais, carnudos estão lingeiramente abertos, e o seu cabelo, limpo e brilhante, em gloriosa confusão.

Como alguém pode ser tão bonito e mesmo assim ser frio? recordo seu quarto no andar de cima... talvez não seja tão frio. Sacudo minha cabeça, tenho muito em que pensar. Sinto a tentação de esticar a mão e toca-lo, mas esta tão adorável dormindo, como um garotinho.

Eu não tenho que me preocupar com o que estou dizendo, pelo que diz ele, ele tem planos, especialmente planos para mim. Eu poderia passar o dia todo o contemplando, mas tenho minhas necessidades... fisiológicas. Saio devagar da cama, vejo sua camisa branca no chão e me visto com ela.

Dirijo-me para a uma porta pensando que podia ser o banheiro, mas acabo dentro de um closet tão grande quanto o meu quarto. Filas e filas de trajes caros, de camisas, sapatos e gravatas. Para que necessita de tanta roupa? eu estalo a língua em desaprovação. Na verdade, o closet de Jisoo certamente não fica devendo nada a este.

Jisoo! Oh, não.

Não me lembrei dela uma única vez a noite toda. Eu tinha que lhe mandar uma mensagem. Merda. Ela vai se zangar comigo. Por um segundo, me pergunto como está com o Heechul. Volto para o quarto, Jungkook continua dormindo. Abro a outra porta. É o banheiro, maior que meu quarto de dormir. Para que necessita tanto espaço um homem sozinho? Duas pias, eu observo com ironia. Se nunca dorme com ninguém, uma das duas não é utilizada.

Olho-me no enorme espelho. Pareço diferente? Sinto-me diferente. Para ser sincera, estou um pouco dolorida, e os músculos... é como se nunca tivesse feito exercício na vida. Você não faz exercícios em sua vida, diz-me meu subconsciente, que despertou.

Ele me olha franzindo os lábios e batendo com o pé no chão. Acaba de se deitar com ele, você entregou sua virgindade a um homem que não a ama, que tem planos muito estranhos para você, que quer converte-la em uma espécie de pervertida escrava sexual.

VOCÊ ESTÁ LOUCA? - ele grita para mim.

Sigo me olhando no espelho e estremeço. Tenho que assimilar tudo isto. Honestamente, gostei de perder para um homem que está para além de bonito, mais rico que credo, e que tem um quarto Vermelho da Dor me esperando.

Estou desconcertada e confusa. Meu cabelo está um desastre, como sempre. O cabelo revolto não fica nada bem. Tento pôr ordem nesse caos com os dedos, mas não o consigo e me rendo... Possivelmente tenha algum elástico na bolsa.

Estou morrendo de fome.

Volto para o quarto. O belo adormecido continua dormindo, assim, o deixo e vou à cozinha.

OH, não... Jisoo.

Deixei a bolsa no estúdio de Jungkook. Vou buscá-la e pego meu celular. Três mensagens.

≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈≈

Está tudo OK  ______? — Jisoo

Onde você está  ______? — Jisoo

Que droga ______! — Jisoo

===============================

Ligo para Jisoo, mas não me responde e lhe deixo uma mensagem na caixa postal, Ihe dizendo que estou viva e que o Jeon não acabou comigo, bem, ao menos não no sentido que poderia Ihe preocupar... ou talvez sim. Estou muito confusa. Tenho que tentar me esclarecer e analisar meus sentimentos por Jeon Jungkook. É impossível. Movo a cabeça me dando por vencida. Preciso estar sozinha, longe daqui, para pensar.

Encontro na bolsa dois elásticos para o cabelo e rapidamente faço duas tranças. Sim! Possivelmente quanto mais menina pareça, mais a salvo estarei do Jeon. Pego o meu iPod na bolsa e coloco os fones. Não há nada como música, para cozinhar. Coloco o iPod no bolso da camisa de Jungkook, subo o volume e começo a dançar.

Santo inferno, eu estou faminta.

A cozinha me intimida um pouco. É elegante e moderna, com armários sem puxadores.

Demoro uns segundos em chegar a conclusão de que tenho que pressionar as portas para que se abram. Possivelmente deveria preparar o café da manhã para Jungkook. No outro dia comeu uma panqueca Bem, ontem, no Susung.

Caramba, quantas coisas aconteceram desde ontem.

Abro a geladeira, vejo que há muitos ovos e pego o que quero para fazer panquecas e bacon, o famoso café da manhã americano. Começo a fazer a massa dançando pela cozinha.

Estar ocupada é bom. Isso me concede um pouco de tempo para pensar, mas sem aprofundar muito. A música que ressona em meus ouvidos também me ajuda a afastar os pensamentos profundos. Eu vim para cá para passar a noite na cama de Jeon Jungkook e consegui, embora ele não permita a ninguém dormir em sua cama. Sorrio.

Missão cumprida. Bons momentos. Sorrio. Bons, muito bons momentos, e começo a divagar recordando a noite. Suas palavras, seu corpo, sua maneira de fazer amor... Fecho os olhos, meu corpo vibra ao recordar e os músculos de meu ventre se contraem. Meu subconsciente me faz cara feia. sua maneira de fuder, não de fazer amor, grita-me como uma harpa. Não faço conta, mas no fundo sei que tem razão. Movo a cabeça para me concentrar no que estou fazendo.

A cozinha é muito sofisticada. Confio que saberei como funciona. Necessito de um lugar para deixar as panquecas, para que não esfriem. Começo com o bacon. Amy Studt está cantando em meu ouvido uma canção sobre gente inadaptada, uma canção que sempre significou muito para mim, porque sou uma inadaptada. Nunca me encaixei em nenhum lugar, e agora... tenho que considerar uma proposta indecente do Rei dos Desajustes. Por que Jungkook é assim? Por natureza ou por educação?

Nunca conheci a ninguém igual.

Coloco o bacon no grill, enquanto frita, bato os ovos. Me viro e vejo Jungkook sentado em um tamborete, com os cotovelos em cima do balcão de café da manhã e o rosto apoiado na mão. Veste a camiseta com que dormiu.

O cabelo bagunçado fica realmente bem, assim como a barba de dois dias. Parece divertido e surpreso ao mesmo tempo. Fico paralisada e ruborizada.

Logo me acalmo e tiro os fones. Com os joelhos tremendo, só de vê-lo.

- Bom dia, senhorita Kang. Está muito ativa esta manhã. - diz com ironia.

- Eu dormi bem. - digo gaguejando. Ele tenta dissimular seu sorriso.

- Não imagino por que. - Ele faz uma pausa e franze o cenho. - Eu também, quando voltei para a cama.

- Esta com fome?

- Muita. - responde com um olhar intenso, e acredito que não se refere a comida.

- Panquecas, bacon e ovos?

- Soa muito bem.

- Não sei onde estão os guardanapos de mesa. - Encolho os ombros e tento desesperadamente não parecer nervosa.

- Eu me ocupo disso. Você cozinha. Quer que ponha música, então você pode continuar... err... dançando? - Olho para os meus dedos, perfeitamente consciente de que estou ruborizando. - Por favor, não pare por minha causa. Isso é muito interessante. - diz em tom zombador.

Enrugo os lábios. Interessante, verdade? Meu subconsciente se dobra de rir.

Viro e sigo batendo os ovos, Certamente com mais força do que necessário. Num instante, ele está ao meu lado.

Ele gentilmente puxa a minha trança.

- Eu adoro isso. - sussurra. - Mas não vão proteger você.

Hmm, Jeon.

- Como quer os seus ovos? - pergunto-lhe bruscamente. Ele sorri.

- Completamente batidos e espancados. - ele sorri.

Sigo com o que estava fazendo tentando ocultar meu sorriso. É dificil não ficar louca por ele, especialmente quando está tão brincalhão, o qual não é nada frequente.

Abre uma gaveta, saca duas toalhas individuais pretas e as coloca no balcão. Jogo o ovo batido em uma frigideira, pego o bacon do grill, dou a volta e coloco mais no grill.

Quando me volto, há suco de laranja no balcão e Jungkook está preparando café.

- Quer um chá?

- Sim, por favor. Se tiver.

Pego dois pratos e os coloco em cima de uma bandeja de aquecimento para manté-los quentes. Jungkook abre um armário e saca uma caixa de chá Twinings English Breakfast. Franzo os lábios.

- Um bocado de conclusões precipitadas, não é?

- Você crê? Não tenho certeza que tenhamos concluido nada, ainda, senhorita Kang. - ele murmura.

O que ele quer dizer com isso? Nossa negociação? Nossa, er... relação... seja o que for? Ele ainda é tão enigmático.

Sirvo o café da manhã nos pratos quentes, que estão em cima dos guardanapos de mesa. Abro a geladeira e pego xarope de arce.

Olho para Jungkook, ele está esperando que eu me sente.

- Senhorita Kang. - diz apontando para um tamborete.

- Senhor Jeon. - Concordo com a cabeça, em reconhecimento. Ao me sentar, faço uma ligeira careta de dor.

- Está muito dolorida? - pergunta, enquanto também também se senta.

Ruborizo-me. Por que me faz perguntas tão pessoais?

- Bem, para falar a verdade, não tenho com o que comparar isso. - respondo. - Queria me oferecer sua compaixão? - pergunto em tom muito doce.

Acredito que tenta reprimir um sorriso, mas não estou segura.

- Não. Perguntava-me se devemos seguir com seu treinamento básico.

- Oh. - Olho para ele estupefata, contenho a respiração e estremeço.

Oh... eu adoraria. Sufoco um gemido.

- Coma, _________. - Meu apetite se tornou incerto, novamente... mais... mais sexo... Sim, Por favor. - Isto está delicioso, a proposito. - Ele sorri para mim.

Eu tento uma garfada de omelete, mas mal posso prová-lo.

Treinamento básico!
Quero foder a sua boca.
O que faz parte do treinamento básico?

- Deixe de morder o lábio. É muito perturbador, e acontece que me dei conta de que não está vestindo nada debaixo de minha camisa, e isso me desconcentra ainda mais. - Ele rosna.afundo a bolsa de chá no bule que Jungkook me trouxe. Minha cabeça está dando voltas.

- Em que tipo de treinamento básico está pensando? - pergunto, minha voz está com um volume um pouco alto, o que trai meu desejo de parecer natural, como se não me importasse muito, e o mais tranquila possível, em que pese, os hormônios estão causando estragos por todo meu corpo.

- Bem, como está dolorida, pensei que poderiamos nos dedicar às tecnicas orais.

Engasgo com o chá e olho para ele, com os olhos arregalados.

Ele me dá tapinhas nas costas e me aproxima o suco de laranja. Não tenho nem ideia do que está pensando.

- Isto é, se você quiser ficar. - ele acrescenta. Olho para ele tentando recuperar o equilíbrio.

Sua expressão é impenetrável.
É muito frustrante.

- Eu gostaria de ficar durante o dia, se não houver problema. Amanhã tenho que trabalhar.

- Há que horas tem que estar no trabalho?

- As nove.

- Levarei você ao trabalho amanhã, às nove. - Franzo o cenho.

Ele quer que eu fique outra noite?

- Tenho que voltar para casa essa noite, preciso trocar de roupa.

- Podemos comprar algo.

- Não tenho dinheiro para comprar roupa.

Ele levanta a mão, agarra o meu queixo e faz meus dentes soltarem meu lábio inferior. Eu não estava consciente de que estava mordendo o lábio.

- Oque acontece? - pergunta.

- Tenho que voltar para casa esta noite.

Ele aperta a boca em uma linha dura.


Notas Finais


Oque acharam?
Amanhã, talvez. Eu poste mais um capítulo, então espero que tenham paciência, pretendo recompensar esses dias sem capítulos ok? 😚

Até o Próximo capítulo 📖🍒🐰


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...