1. Spirit Fanfics >
  2. Fifty Shades of Jungkook (REESCREVENDO) >
  3. Capítulo - 00

História Fifty Shades of Jungkook (REESCREVENDO) - Capítulo 1


Escrita por: e JKofficial


Notas do Autor


Olá. 
MUITOS DE VOCÊS DEVEM ESTÁ SE PERGUNTANDO OQUE ESTÁ ACONTECENDO. 

POIS BEM... MINHA CONTA ANTERIOR ONDE EU POSTAVA MINHAS HISTÓRIAS, FOI BANIDA, SIM GENTE, ELA FOI BANIDA, E EU NÃO SEI O MOTIVO, ESTAVA CONSTANDO QUE EU FIZ PLÁGIO... PLÁGIO!!!!!!! 
GENTE, EM TODAS AS FICS QUE EU ESCREVIA, SE ELAS FOSSEM BASEADA EM ALGO, EU DEIXAVA BEM CLARO NA SINOPSE QUE NÃO ERA DE MINHA AUTORIA MAIS HAVERIA BASTANTES ADAPTAÇÕES. 

VAMOS AO QUE INTERESSA... ESSA MINHA FANFIC FOI APAGADA (ÓBVIO)  ENTÃO EU ESTOU REINICIANDO ELA... PORÉM...NÓS PRIMEIROS CAPÍTULOS VAI TER DOIS OU TRÊS CAPÍTULO COM O PONTO DE VISTA DO JUNGKOOK, É GENTEEEEEE, VAI TER O POV'S DO JK. 
ESTOU REESCREVENDO ELA ATÉ ONDE EU PAREI, ENTÃO PESSO QUE QUEM LEU ELA ATÉ O ÚLTIMO CAPÍTULO POSTADO, LEIA NOVAMENTE PQ VOU MUDAR ALGUMAS COISAS OK? 

E A OUTRAS FANFICS?  SINTO MUITO MAIS NÃO CONTINUAREI, EU FIQUEI MUITO MAL COM TUDO ISSO, SÉRIO, DOIS ANOS USANDO UMA CONTA AI DE UMA HORA PARA A OUTRA ELA É BANIDA, EU FIQUEI DEVASTADA, SENTI VONTADE DE NÃO CONTINUAR COM NEM UMA, MAS EU ESTAVA BASTANTE ANIMADA PARA ESCREVER ESSA FIC, ENTÃO ELA SERÁ A ÚNICA QUE CONTINUAREI 💔💜💜💔. 


DEIXEM SEU FAVORITO DESDE JÁ EM 👯🤗

Boa leitura 📖🔛

Capítulo 1 - Capítulo - 00


Fanfic / Fanfiction Fifty Shades of Jungkook (REESCREVENDO) - Capítulo 1 - Capítulo - 00

Eu olho com frustração para mim mesma no espelho. Maldito cabelo, ele simplesmente não se comporta, e maldita Kim Jisoo por estar doente e me sujeitar a esta provação. Eu devia estar estudando para meus exames finais, que será na semana que vem, mas estou aqui tentando escovar meus cabelos até que eles se submetam.

Eu não devo dormir com ele molhado.

Eu não devo dormir com ele molhado.

Recitando essa ladainha várias vezes, eu tento, mais uma vez, deixa-los sob controle com a escova.

Eu reviro meus olhos em exasperação e olho para a pálida menina de cabelos castanhos com olhos azuis muito grandes para seu rosto, olhando fixamente de volta para mim, e desisto. Minha unica opção é conter meu cabelo rebelde em um rabo-de-cavalo e esperar que eu pareça meio apresentável.

Jisoo é minha companheira de quarto, e ela escolheu justamente hoje para sucumbir à gripe.

Então, ela não podia comparecer a entrevista que ela agendou, com algum magnata mega indústrial que eu nunca ouvi falar, para o jornal estudantil. Então eu tive que me voluntariar. Eu tenho exames finais para estudar, uma redação para terminar, e eu devia estar trabalhando esta tarde, mas não, hoje eu tenho que dirigir mais de duzentos quilometros para o centro de Seoul a fim de encontrar o enigmático CEO da Jeon Enterprises Holdings Inc.

Como um empresário excepcional benfeitor importante de nossa Universidade, seu tempo é extraordinariamente precioso, muito mais precioso que o meu, mas, ele concedeu a Jisoo uma entrevista.

Um verdadeiro golpe de sorte, ela me disse.é

Malditas atividades extracurriculares dela. Jisoo está encolhida no sofá na sala de estar.

- ________, eu sinto muito. Demorei nove meses para conseguir esta entrevista. Levará outros seis para reagendar, e nos duas vamos estar formadas até lá. Como editora, eu não posso estragar isso. Por favor. - Jisoo me implora em sua voz rouca, de garganta inflamada.

Como ela faz isso?

Mesmo doente ela parecia atrevida e magnífica, com cabelos em um tom de castanho avermelhado e olhos em um castanho claro, embora agora avermelhados e com coriza nasal.

Eu ignoro minha pontada de simpatia indesejada.

- Claro que eu vou Jisoo. Você deve voltar para a cama. Você gostaria de um pouco de analgésico?

- Uhum, por favor. Aqui estão às perguntas e meu mini-gravador. Apenas aperte gravar aqui. Faça anotações e eu transcreverei tudo.

- Eu não sei nada sobre ele. - eu murmuro, tentando e falhando em suprimir meu pânico crescente

- As perguntas virão ao seu encontro. Vá. É uma longa viagem. Eu não quero que você se atrase.

- Ok, eu estou indo. Volte para a cama. Eu fiz uma sopa para você esquentar mais tarde. - Eu olho para ela ternamente. - Só por você, Jisoo, eu farei isso.

- Eu sei. Boa sorte. E obrigado _______, como sempre, você é minha salvação.

Juntando minha mochila, eu sorrio ironicamente para ela, então me dirijo porta afora para o carro. Eu não posso acreditar que eu deixei Jisoo me convencer disso. Entretanto, Jisoo pode convencer qualquer um de qualquer coisa.

Ela vai ser uma jornalista excepcional. Ela é articulada, forte, persuasiva, argumentativa, bonita e ela é minha mais querida, querida amiga.

As estradas estão limpas quando eu parto de Daegu. É cedo, e eu não tenho que estar em Seoul até as duas da tarde. Felizmente, Jisoo me emprestou seu desportivo Mercedes CLK.

Eu não tenho certeza se Sansa, meu velho besouro VW, faria a jornada a tempo.

Oh, o Merc. É uma diversão de dirigir, e as milhas escapam quando eu piso no pedal até o fundo.

Meu destino é a sede global da empresa do Jeon. É um edifício comercial enorme de vinte andares, todo em vidro curvo e aço, uma estrutura arquitetónica fantástica, com "Jeon House" escrito discretamente em aço acima das portas de vidro dianteiras. É 13:45PM quando eu chego, estou tão aliviada de não estar atrasada quando eu entro na enorme, e francamente intimidante portaria de vidro e aço, em arenito branco.

Atrás do balcão de arenito sólido, uma muito atraente, adestrada, jovem sorri agradavelmente para mim. Ela está vestindo um terninho carvão e camisa branca, mais elegante que eu já vi. Ela parece imaculada.

- Eu estou aqui para ver o Sr. Jeon, de Kang ________ por Kim Jisoo.

- Um momento, Senhorita Kang. - Ela arqueia sua sobrancelha ligeiramente quando eu permaneço conscientemente diante dela. Eu começo a desejar que eu ter pegado emprestado um dos blazers formais de Jisoo em lugar de vestir minha jaqueta azul marinho. Eu fiz um esforço e vesti minha unica saia, minhas comportadas botas marrons até os joelhos e um suéter azul. Para mim, isso é inteligente. Eu enfio um dos fugitivos tentáculos de meus cabelos para trás da minha orelha enquanto eu finjo que ela não me intimida. - Senhorita Kim é esperada. Por favor, registre-se aqui, Senhorita Kang. Você irá até o último elevador à direita, pressione para o vigésimo andar - Ela sorri amavelmente para mim, divertida, sem dúvida, quando eu me registro.

Ela me dá um crachá de segurança que tem o nome VISITANTE estampado na frente. Eu não posso evitar meu sorriso. Certamente é óbvio que eu estou só de visita. Eu não me encaixo aqui mesmo.

Agradecendo a ela, eu caminho para o banco de elevadores passando os dois homens da segurança que estão muito mais bem vestidos do que eu, em seus ternos pretos bem cortados.

O elevador me leva rapidamente com máxima velocidade para o vigésimo andar. As portas deslizam abrindo, e eu estou em outra grande entrada, mais uma vez toda em vidro, aço e arenito branco. Eu sou confrontada por outra mesa de arenito e outra jovem vestida impecavelmente em preto e branco, que levanta para me saudar.

- Senhorita Kang, você poderia esperar aqui, por favor? - Ela aponta para uma área acomodada por cadeiras de couro branco.

Atras das cadeiras de couro está uma espaçosa sala de reunião envidraçada, cercada por uma mesa de madeira escura, igualmente espaçosa e pelo menos vinte cadeiras harmonizadas ao redor dela. Além disto, tinha uma janela do chão ao teto com uma visão do horizonte de Seoul. É uma vista deslumbrante, e eu fico momentaneamente paralisada pela visão.

Uau!

Eu me sento, pego as perguntas de minha mochila, e dou uma repassada nelas, amaldiçoando interiormente Jisoo por não me fornecer uma breve biografia. eu não conheço nada sobre esse homem que estou para entrevistar. Ele pode ter noventa anos ou pode ter trinta. A incerteza está me irritando, e meus nervos ressurgem, fazendo com que eu fique incomodada. Eu nunca fico confortável com uma entrevista em pessoa, preferindo o anonimato de uma discussão de grupo onde eu posso me sentar imperceptívelmente na parte de trás da sala. Para ser honesta, eu prefiro minha própria companhia, lendo um romance clássico britânico, enrolada em uma cadeira na biblioteca do campus. Não sentada se contorcendo nervosamente em um colossal edifício de vidro e pedra. Eu reviro meus olhos para mim mesma.

Mantenha o controle, ________.

A julgar pelo edifício, que é muito clínico e moderno, eu imagino que Jeon está em seus quarenta: em forma, bronzeado, e de cabelos loiros para combinar com o resto do pessoal, sim... Até agora só ví cabeleiras loiras desde que cheguei, por mais que não sejam originais.

Outra elegante, impecávelmente vestida loira sai de uma grande porta à direita. O que é isso tudo com as loiras oxigenadas? É como Stepfords aqui.

Respirando fundo, eu me levanto.

- Senhorita Kang? - A mais recente loira pergunta.

- Sim. - eu coaxo, e clareio minha garganta. - Sim. - Agora, isso soou mais confiante.

- O Sr. Jeon irá recebê-la em um momento. Eu posso pegar seu casaco?

- Oh, por favor. - Eu luto para tirar a jaqueta.

- Já foi oferecido a você alguma bebida?

- Hum, não.

A Loira número dois franziu o cenho e olhou a jovem na escrivaninha.

- Você gostaria de um chá, café, água? - Ela pergunta, voltando sua atenção para mim.

- Um copo de água. Obrigada. - eu murmuro.

- Mina, por favor, vá buscar para Senhorita Kang um copo de água. - A voz dela é grave. Mina se apressa imediatamente para uma porta no outro lado do saguão.

- Minhas desculpas, Senhorita Kang, Mina é nossa nova estagiária. Por favor, sente-se. O Sr. Jeon levará mais cinco minutos. - Mina retorna com um copo de água gelada.

- Aqui está, Senhorita Kang.

- Obrigada.

A Loira número dois marcha para a grande escrivaninha, seus saltos clicando e ecoando no chão de arenito. Ela se senta, e ambas continuam seu trabalho.

Talvez o Sr. Jeon insista que todos os seus empregados sejam loiros,mesmo não sendo originais.

Eu me pergunto ansiosamente se isso é legal, quando a porta do escritório abre e um alto, elegantemente vestido homem sai. Eu deinitivamente vesti as roupas erradas.

Ele se vira e diz pela porta.

- Golfe, essa semana, Jeon.

Eu não ouço a resposta. Ele vira-se, me vê, e sorri, seus olhos escuros enrugando nos cantos. Mina salta e chama o elevador. Ela parece se destacar em pular de sua cadeira.

Ela esta mais nervosa que eu!

- Boa tarde, senhoras. - ele diz enquanto parte pela porta.

- O Sr. Jeon verá você agora, Senhorita Kang. Siga-me. - A Loira Número Dois diz.

Eu estou bastante trêmula tentando reprimir meus nervos. Juntando minha mochila, eu abandono meu copo de água e faço meu caminho para a porta parcialmente aberta.

- Você não precisa bater, apenas entre. - Ela amávelmente sorri.

Eu empurro a porta aberta e cambaleio, tropeçando em meus próprios pés, e caio de cabeça dentro do escritório.

Puta merda!

Eu estou em minhas mãos e de joelhos na porta de entrada do escritório do Sr. Jeon, e mãos gentis estão ao meu redor me ajudando a levantar. Eu estou tão envergonhada, maldita falta de jeito.

Eu olho para cima.

Puta que pariu, ele é tão jovem.


Notas Finais


É gente, eu coloquei um sobrenome na ________ ok?

Espero que tenham gostado e não desistam de mim por favor 🙇.

Sei que vai demorar muito para mim voltar como era antes, infelizmente 😔😔.
Porém, vamos erguer a cabeça né?

Deixem comentários por favor 🔛🔛

Avisando que VAI TER POV'S DO JUNGKOOK, MESMO QUE SEJA SÓ DUAS OU TRÊS VEZES 💜💜👀🙌🙌🤗

Até o próximo Capítulo 📖💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...