História Fight for Love - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Shawn Mendes
Tags Drama, Justin Bieber, Romance, Shawn Mendes
Visualizações 28
Palavras 1.093
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 24 - Deixe-me ir.


Ao ouvir aquelas palavras, não consegui ingeri-las e ao invés disso, elas vieram como um soco no meio do meu estomago. Olhei Caroline enquanto seus olhos perfuravam o meu peito. Era de fato, culpa minha? Senti tudo a minha volta girar lentamente.

Então, a primeira lágrima escorreu. Limpei-a rapidamente, mas logo em seguida veio outra, outra e outra. Dessa vez, toda a dor foi liberada. A perda da minha avó e agora, Bieber. Deixei, escorrer cada gota da dor que eu estava sentindo. Deixei escapar cada culpa que estava pesando sobre mim. Não tinha o que ser feito, apenas aceitar que o fato de Justin está no hospital e era sim, minha culpa. Encostei meu corpo sobre a mesa e Caroline saiu do quarto. E eu desabei.

Π

Após alguma hora inerte nos meus próprios pensamentos, decidi que era hora de tomar uma atitude e ir visitar Bieber no hospital. Meu rosto estava completamente vermelho e meus olhos inchados por conta da crise que tivera recentemente. Joguei uma água fria e pedi um Uber para ir ao hospital.

Era por volta das nove e quarenta da noite, provavelmente não era mais horário de visita, porém precisava saber se ele estava bem e/ou se havia alguém para ficar ao lado dele. O motorista tentava puxar assunto e eu não conseguia entender nenhuma palavra que ele falava:

- Ela tentou diversas vezes entrar nessa universidade,  - disse num tom triste – mas nunca conseguiu...

Balancei a cabeça rapidamente para tentar focar no que estava me dizendo, mas ele não pareceu ter percebido que não havia entendido nada.

- Espero que tenha mais sorte na próxima vez.

- Ah sim, no próximo semestre ela tentará novamente! – Concordou alegremente – Bom, chegamos.

Olhei aquele hospital e um frio percorreu todo o meu corpo, fechei os olhos e respirei fundo contato até três. Precisava manter a calma e encarar o possível estado de Justin. Tentava a todo custo, colocas na minha cabeça que não era minha culpa. Não era como Caroline havia falado, foi um acidente.

Fui direto para a recepção e esperei a senhora desligar o telefone para pedir informação. O mais engraçado é que de fato, ela lembrava muito aqueles personagens de filme: lixava a unha, respondia com “uhum” e parecia não está dando a mínima para com o que acontecia ao seu redor. Me olho por cima e fingiu que eu não estava ali na sua frente:

- Senhor Murl, tenho certeza que sua esposa está sendo bem cuidada... – Disse calmamente – Uhum...entendo...sim...uhum. Até mais.

Ela desligou o telefone e me encarou. Nos encaramos por alguns segundos até perceber que ela queria saber o que eu estava fazendo ali:

- Ah...hum...preciso visitar um dos pacientes.

- Mocinha, o horário de visita já acabou. – Apontou para uma grande placa que continha a data e horários de visitas.

- Eu sei, mas preciso saber se o paciente está bem. O nome dele é Justin Drew Bieber.

- Bom, irei pesquisar aqui para saber se ele tem acompanhante, caso não tenha, você pode preencher esse formulário e passar a noite aqui. – Disse ajustando o óculos e virando- se ao computador.

Minha perna não ficava quieta de tão ansiosa e apreensiva que eu estava. Estava preenchendo o formulário quando ela informou que o estado dele era estável e não havia ninguém no quarto com ele. Dei a ela o papel preenchido e me dirigi ao quarto que Bieber estava.

Meus passos, batimentos e respiração estavam todos num ritmo: apressado e fortes. Mas estava aliviado, pois ele estava apenas em observação. Fui me aproximando do quarto e tentando manter a calma enquanto ouvia o barulho dos aparelhos e a respiração pesada de Justin.

Quando o vi, meu corpo entrou em estado de choque. Seu rosto estava completamente machucado com arranhões, roxos e pontos. Sua cabeça estava enfaixada e sua boca roxa. As mãos também haviam faixas e seus braços estavam com diversas hematomas. Coloquei minhas mãos na boca e abafei meu choro. Fiquei inerte na porta por pelo menos cinco segundos até cair na realidade. Fui me aproximando lentamente e toquei em um dos seus machucados. Não consegui acreditar, não queria acreditar que o estado de Bieber continha uma parcela de minha culpa. Acaricie lentamente seu rosto enquanto as lágrimas caiam. E por um momento, senti tanto medo de perder Bieber que não via a hora de abraçá-lo para simplesmente cair em seus braços e sentir o calor do seu corpo contra o meu.

 

Π

Meus olhos pesavam junto com meu corpo enquanto tentava abri-lo lentamente. Por um segundo, não reconheci onde estava, mas Justin rapidamente surgiu na minha mente,  Levantei e o vi deitado, ainda dormindo. Me aproximei e toquei seu braço novamente. Num súbito movimento, Bieber abriu lentamente os olhos e tentou mante-lhos abertos, mas ele parecia esta confuso de onde estava e trincou os dentes, provavelmente sentindo dor. Meu coração bateu rápido e passei a mão sobre sua testa:

 - Ei Justin, estou aqui.

Seus olhos encontraram os meus. Sorri. Ele não. Ao invés disso, ele abaixou a visão e fechou fortemente os olhos.  Toquei novamente seu rosto, mas ele virou, como se quisesse se esquivar do meu toque. Senti um golpe no meu estomago e por um momento, aquilo doeu. Justin parecia não quer me ver e tudo se confirmou quando disse: 

- Por favor, vá embora e nunca mais, me procure.

Π

Me afastei lentamente e o encarei. Aquele não era Justin. Não o Justin que eu conhecia, que fazia tudo por mim e que me fez ver naquele momento, que eu sempre o trocava. Abaixei os olhos e segurei as lágrimas. Ele não podia me ver chorando. Ainda havia orgulho dentro de mim.

- Você está bem Justin?

- Laura, por favor... – Disse enquanto tentava se ajeitar na cama e aquele momento o fez soltar uma respiração forte de dor – Isso, esse estado no qual você está me vendo, não se compara a dor que é sentir algo por você. Então, respeite o meu momento e vá embora. Eu não quero mais vê-la, eu não quero mais te-lá na minha vida. Pode parecer drama, mas você me dói de todas as formas possíveis.

- Me perdoe Justin... foi um acidente...foi tudo culpa minha...me perdoe.

- Isso não tem nada haver com você. Pare de se achar. – Disse quase gritando – Agora some, desaparece. Fingi que eu nunca existi.

Fui me afastando lentamente enquanto Justin, não teve nem a capacidade de me olhar. Sai em silêncio da sala e vi pelo vidro, quando ele fechavas os olhos e chorava, 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...