1. Spirit Fanfics >
  2. Fight With Me (Lauren G!P) >
  3. Capítulo 23

História Fight With Me (Lauren G!P) - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Não ia postar hoje mas acabei não resistindo 😂

Capítulo 24 - Capítulo 23



   Lauren me coloca em pé, e eu fico na frente dela, com as mãos dela descansando sobre os meus ombros, paralisada. O gazebo foi transformada em um refúgio encantador e romântico. A lareira no centro do espaço rústico está em chamas, há uma mesa preparada ao lado, com baixelas cobertas e uma garrafa de champanhe em um balde prata de gelo. 
   Um pufe vermelho foi empurrado ao lado de um sofá para duas pessoas, e há grandes almofadas coloridas e cobertores apoiado sobre ela. 
   Luzes de Natal brancas foram espalhados por todo o espaço, tanto no teto, como na grade, acrescentando um brilho suave. 
   Adicionado a isso , há o por do sol laranja incrível, descendo até o oceano azul profundo, e eu nunca vi nada tão bonito em minha vida. 
   – Diga alguma coisa. – sussurra Lauren. 
   – Uau. – murmuro. 
   Lauren me vira, então eu estou de frente para ela, seus lindos olhos esmeraldas dançando com humor. – O que você acha? 
   – Você é tão romântica comigo. – Eu seguro sua bochecha na minha mão. 
   – Lucas pode ser romântico na tela, mas é o meu trabalho lhe dar isso na vida real, baby. Acostume–se a isso. – Ela se inclina para baixo e suavemente encosta seus lábios nos meus, beijando–me daquela única maneira que Lauren consegue, e eu suspiro. 
   – Vamos alimentá–la. 
   Nós caminhamos até a mesa lindamente decorada, e Lauren levanta a cúpula de prata dos pratos. Há alimentos que são surpreendentes e é muito lindo para comer. 
   – Ok. – Lauren diz, apontando para cada prato. – Temos chorizo recheado com cogumelos, com salada Caprese e crostini. – ela sorri para mim – O que significa queijo, tomate e manjericão em pão torrado, bolos de cogumelo e bife com bacon. 
   – Puta merda, isso parece delicioso. – Lauren me entrega um prato e nós começamos a nos servir. Ela serve uma taça de champanhe para cada, e nos leva até o sofá. Estamos sentadas lado a lado, na posição indiana, nossos pratos no nosso colo, de frente para o oceano. 
Bbb– Um brinde. Lauren levanta seu copo e eu acompanho seu movimento. – Para você, 
Camila. Por me fazer sentir vivo e feliz, não importa onde estamos.
   Eu sorrio para a minha mulher, ainda surpreendida por este incrível gesto romântico. Eu nunca fui cortejada assim. 
   – Obrigada. – eu sussurro. 
   – O prazer é meu. 
B  Nós brindamos e saboreamos o delicioso champanhe rose, depois começamos a comer. 
   – Como você fez isso? – Pergunto, com um pedaço de bife na boca. 
   – Com meus milhões de ajudantes. – ela responde com um encolher de ombros e eu dou uma gargalhada. 
   – Sério, quando? Isso não estava aqui, quando chegamos essa manhã. 
   – Eu providenciei tudo esta tarde, enquanto você dormia. 
   Eu pego uma mordida do meu crostine, e a observo, enquanto mastigo. Seu cabelo esta solto, elela está usando uma camiseta preta, mostrando sua belo tatuagem, e seus jeans que moldam seu corpo perfeitamente. Lauren olha para mim, e seus olhos suavizam. Ela limpa uma migalha da minha boca e corre seu polegar sobre meu lábio inferior. 
   – O que foi? – Eu pergunto. 
   – Você está linda, com a luz do fogo dançando em sua pele, e seus belos olhos castanhos felizes. 
   Oh. Sim, ela está no modo super romântico. 
   – Obrigada. – eu sussurro, completamente envolvida por ela. 
   Eu tomo outro gole do delicioso champanhe e termino a comida do meu prato. – Isso estava delicioso. 
   – Mmm ... – ela responde, enquanto leva também a sua última mordida. Ela tira o meu prato e guardanapo, e os coloca ao seu lado no chão, e se volta para mim, abrindo os braços. Eu deslizo facilmente entre suas pernas, apoiando a cabeça no seus seios, para apreciar a vista. 
   – É muito bonito aqui, Ás. 
   – Estou feliz que você goste. – Ela beija meu cabelo e envolve seus braços em volta dos meus ombros, me abraçando contra ela. 
   – Se não tivesse trabalho, eu nunca iria querer sair daqui. 
   – Como eu disse anteriormente, podemos vir aqui quando quiser.
   – Devemos tentar vir pelo menos uma vez por mês. E trazer Nat e Lucas e o bebê. 
   Eles adorariam isso também. 
   – Isso soa bem para mim. – Ela beija meu cabelo de novo e eu sorrio. Ela é tão amável, e eu adoro que ela goste dos meus amigos. 
   O sol está agora deslizando na água, deixando reflexos laranja em toda a superfície. 
   O céu esta roxo escuro, e a distância eu posso ver algumas nuvens escuras surgindo. 
   – Podemos ter sorte e conseguir uma noite de tempestade. – Eu esfrego seus braços que descansam em meu peito. 
   – Você gosta de tempestades? – Ela pergunta. 
   – Na praia eu gosto. Elas são fantásticas. 
   – Você gostaria de uma sobremesa? 
   – Eu sempre, sempre tenho espaço para a sobremesa, querida. 
   Lauren ri, enquanto se levanta e caminha até a mesa, e volta com duas porções individuais de cheesecakes chocolate. 
   – Oh, meu. Mesmo aqui você consegue me alimentar com cheesecake de chocolate. 
   – É claro. É o seu favorito. 
   – Qual é o seu favorito? – Eu pergunto e levo um pedaço da sobremesa até minha boca. – Oh doce Jesus, isto é tão bom. 
   – Você. – Ela responde, com os olhos em chamas, enquanto me olha lamber o chocolate que escapou nos meus lábios. 
   – Você está romântica esta noite. – Eu pego outra mordida e solto um gemido. 
   – Isto te incomoda? – Pergunta ela com um sorriso. 
   – Não. Eu adoro. Mas não diga a Natalie. – Lauren ri e me oferece um pedaço de cheesecake de seu próprio prato, que eu aceito e ofereço a ela um pouco do meu. 
   Nós terminamos nossas sobremesas desta forma, alimentando uma a outra, e depois encostamos contra as almofadas, bebendo nossa taça de champanhe. 
   – Eu tenho algo para você. Eu tenho tentado te dar durante o dia inteiro, mas você sempre me distraia. – Ela sorri para mim com tristeza e enfia a mão no bolso de sua calça jeans. 
   – Você não tem que me dar nada, Lauren. Este fim de semana foi incrível.
   – Bem, isto é especial para mim, e eu quero que você tenha. É por isso que nós paramos no meu pai esta manhã. Ela puxa a mão do bolso, mas sustenta o que quer que seja em seu punho. 
   – Ok. – eu murmuro, encorajando–a a continuar falando. 
   – Eu já lhe disse que a minha mãe faleceu quando eu era muito jovem. Eu não me lembro de muita coisa sobre ela, lembro principalmente o que o meu pai me disse, mas eu me recordo que ela era muito bonita, e ela era muito carinhosa. 
   – Eu tenho certeza que ela era linda, Lauren. Um olhar para você, e ninguém duvida. 
   Ela sorri para mim e passa as costas dos dedos pelo meu rosto. 
   – O ano que minha mãe faleceu, eu lhe dei isso no seu aniversário, que seria hoje. 
   – Ela abre o punho, e no interior há uma corrente de prata, com um bonito pingente de prata em forma de coração. 
   Ela olha para mim, ainda sorrindo. – Eu gostaria de dar isso a você. 
   Eu sinto meu queixo cair, e vejo quando ela leva o coração em seus dedos com uma mão, e abre a minha com a outra, colocando o metal quente em minha palma. 
   – Lauren... 
   – Ela teria amado você. – ela continua. – Eu gostaria que ela pudesse ter conhecido você. Eu quero que você fique com isso. 
   Meus olhos estão procurando o seu, e eu estou muito emocionada. Ela está me dando algo de sua mãe. Se isso não é gritar compromisso, eu não sei o que é. 
   – Vire o pingente. – ela sussurra. 
   Gravado nas costas esta: Amor, Lauren. 
   Lágrimas queimam em meus olhos, enquanto eu esfrego as doces palavras com a ponta do meu dedo. Estou tomada pela emoção. 
   – Eu sei que não são diamantes, ou muito caro ... 
   Antes que ela possa terminar as palavras, eu subo em seu colo e envolvo meus braços ao redor de seus ombros, enterrando meu rosto em seu pescoço, e me mantendo ali firme, deixando as lágrimas descerem 
   – Ei, baby, está tudo bem. – Suas mãos estão se movendo para cima e para baixo minhas costas, me acalmando. 
   – Muito obrigada. – eu sussurro em seu pescoço, incapaz de olhá–la nos olhos e deixá–la ver as minhas lágrimas. – Este é o presente mais belo que alguém já me deu.
   – Hey. – Ela me afasta para trás, então eu tenho que olhar para ela e ela sorri para mim, enquanto enxuga as lágrimas do meu rosto com seus polegares. – Posso colocá–lo em você? 
   – Sim, por favor. – Eu lhe ofereço um sorriso molhado, levantando meu cabelo do 
pescoço, e espero pacientemente ela fechar o colar. Ele cai poucos centímetros abaixo da minha clavícula, e brilha na luz do fogo suave. 
   – É lindo, Lauren, obrigada. 
   – De nada. 
   De repente os trovões irrompem ao longe, e nós olhamos para a água, enquanto raios atravessam as nuvens escuras que se aproximam de nós. 
   – Parece que conseguimos uma tempestade. – eu murmuro. 
   – Bem, tanto quanto eu queria fazer amor com você aqui, olhando para o tempo, acho que vou ter que usar meu plano B. Lauren se levanta e leva sua mão, para me ajudar a levantar. Ela me entrega nossas taças de champanhe e a garrafa, então me pega no colo e sobe as escadas. 
   – Sério, Lauren, eu posso andar. 
   – Você não vai andar para lugar nenhum. 
   Ela não está respirando com dificuldade, mesmo com o esforço. 
   Puta merda. 
   – E a comida e a lareira acesa? – Eu pergunto. 
   – A empresa que contratei voltará em algumas horas para limpar. 
   – Oh. 
   Ela me coloca no topo das escadas e beija minha bochecha, pegando as taças e a garrafa de minhas mãos, e me leva para dentro e pelas escadas, até a suíte master. 
   Entramos no banheiro e Lauren liga a água para encher a banheira, e acende algumas velas por todo o espaçoso banheiro, em seguida, desliga as luzes para que o espaço seja banhado apenas pela luz suave das velas. 
   Ela puxa um controle remoto do bolso de trás – Eu não sabia que ela tinha isso! E liga o sistema de som, e música de Jason Mraz, toca mais uma vez pelos alto–falantes. 
   – Você fez isso de propósito? – Eu pergunto. 
   – Não, é apenas uma coincidência. – ela murmura.
   Ela abaixa nossas taças e o champanhe no chão ao lado da banheira, e quando tudo está pronto, ela se volta para mim, caminhando lentamente em minha direção, e no tempo da música, Lauren começa a cantar, baixinho, "Eu não vou desistir de nós, mesmo que os céus fiquem difíceis, eu te dei todo meu amor, eu ainda estou olhando para cima ... 
   E elela me puxa contra ela, um braço em volta da minha cintura e sua outra mão pega a minha, e começa a balançar com a música, dançando comigo no banheiro, com o ambiente iluminado apenas pela luz das velas, enquanto o céu explode lá fora com os relâmpagos. Ela abaixa o rosto ao lado do meu, e mal me toca com sua bochecha, virando seu rosto, e encostando levemente sua bochecha com o meus nariz, provocando arrepios na minha espinha , que correm pelos meus braços e pernas. 
   – Eu não vou desistir de nós. – ela sussurra no meu ouvido e eu sinto as lágrimas descerem pelos meus olhos novamente. Onde foi que eu encontrei esta bela mulher? E como eu resisti a ela por tanto tempo? 
   Quando a música termina, Sade começa a cantar sobre isso não ser um amor comum, e Lauren se afasta, os olhos brilhando com amor, e ela suavemente acaricia meu cabelo. – Eu amo você, baby. 
   – Eu te amo, Lauren. 
                                     *** 
   A água esta quente e tem cheiro de lavanda. Lauren está sentada no fim da banheira, comigo entre suas pernas, descansando em seu peito. O céu lá fora está dançando com a chegada das nuvens negras, refletindo sobre a água agitada abaixo. Eu amo que a banheira fica em uma redoma de vidro, para que possamos assistir ao show. 
   – Onde você aprendeu a dançar assim? – Eu pergunto. Lauren esguicha meu gel nas 
mãos e esfrega nas suas mãos, até que forme espuma. 
   – Sente–se um pouco para a frente. – Eu me inclino para a frente e ela começa a esfregar minhas costas e ombros, massageando meus músculos, e eu derreto com ela. 
   – Puta merda, Ás, você é boa com as mãos. 
   Ela ri atrás de mim e continua a massagem deliciosa. 
   – Eu nunca tive uma aula de dança. Eu acho que as artes marciais me ensinaram ritmo. – Suas mãos deslizam abaixo da linha de água e ela esfrega minha parte inferior em círculos lentos e relaxantes. 
   – Mmm ... Eu amo o jeito como você se movimenta. – murmuro. 
   – Você ama? – Eu ouço o sorriso em sua voz. 
   – Mmm hmm ... eu poderia assistir você se movimentar todos os dias. – Ela beija o meu pescoço e me puxa de volta contra ela novamente, suas mãos circulando ao meu seios.
   – Eu amo os seus seios. – ela sussurra. 
   – Eu pensei em colocar silicone, quando eu era jovem e posava para a revista, mas agora eu estou feliz que não tenha feito. 
   – Você não precisa aumentá–los, baby. Eles são perfeitos desse jeito. 
   Ela acaricia seus polegares nos meus mamilos, tornando–os duros, e eu levo minhas mãos até suas coxas, e arqueio minhas costas, empurrando meus seios em suas mãos. 
   Sua mão esquerda desliza pelo meu tronco, entre as minhas pernas, e ela varre seu dedo levemente sobre o meu clitóris. 
   – Deus, querida. 
   – Shh, eu peguei você. – ela sussurra em meu ouvido. Eu posso sentir sua ereção contra minhas costas, suas mãos estão causando estragos na minha pele sensível, junto a água é quente e perfumada. Árvores balançam com o vento lá fora, e a chuva está batendo na janela agora, refletindo os raios que surgem com a tempestade no céu. 
   Eu seguro nos braços de Lauren e me escancaro em seus quadris. Eu a beijo, primeiro suavemente, minhas mãos em seu cabelo, e depois aprofundo o beijo, enredando nossa línguas. Suas mãos levantam minha bunda e ela me puxa de volta, seus olhos nos meus, sua boca aberta, ofegante . 
   – Eu preciso ficar dentro de você, baby. 
   Eu levo minha mão entre nós e envolvo ela ao redor de seu pênis, puxando para cima e para baixo, em seguida, o levando até minhas dobras, me abaixando sobre ela. 
   – Porra, você é tão pequena. – ela rosna. 
   – Porra, você é tão grande. – eu respondo e sorrio, minha testa descansando sobre a dela. Ela sorri como uma predadora, e começa a se levantar e abaixar ritmicamente, ignorando a água que espirra do lado, e nós estamos em uma redemoinho de luxúria. Eu não posso ter o suficiente dela. Estou apertando ao redor de seu comprimento, o piercing 
escovando ao longo desse ponto mais sensível, e eu sinto o aperto familiar de meus músculos em torno dela. 
   – Eu vou gozar. – eu sussurro. 
   Ela agarra meus quadris e me puxa contra ela, se esfregando em mim, seus olhos esmeraldas selvagens nos meus, e rosna, – Venha. 
   E eu vou.

 


Notas Finais


Beijinhos beijinhos 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...