História Fighter - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Bardock, Bulma, Raditz, Rei Vegeta, Vegeta
Tags Boxe, Bulma, Drama, Esporte, Superação, Vegebul, Vegeta
Visualizações 80
Palavras 2.041
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Mais um capítulo! ^---^

Quem será o encapuzado que saiu da casa dos Briefs?!

Obrigada aos comentários e favoritos!

Boa leitura!

Capítulo 10 - Boulevard of Broken Dreams


Fanfic / Fanfiction Fighter - Capítulo 10 - Boulevard of Broken Dreams

“My shadow's only one that walks beside me. My shallow heart's the only thing that's beating.Sometimes I wish someone out there will find me. 'Till then I walk alone.”

A pessoa era pequena, mas, bem rápida. Vegeta imaginou que a pessoa já o teria percebido, pois, ela acelerou as passadas. Correram por quase dois quarteirões, até Vegeta alcançar a pessoa e a segurá-la pelo capuz, o que fez a pessoa desequilibrar para trás. Vegeta a sustentou pelo capuz.

-Ei, você! Aonde vai com tanta pressa! O que está levando nessa mochila? - Vegeta gritou. De repente, ele viu longos cabelos e a pessoa começar a tossir. Ele sentou a pessoa no chão e a encarou.  Ele ficou surpreso ao ver de quem se tratava. - Bulma!? O que diabos está fazendo?

- Você é maluco, é?! Quase me matou do coração! - gritou Bulma, que folgava um pouco do moletom.

- E eu que sou maluco?! E aonde é que você estava indo?! - perguntou Vegeta.

- Indo embora! É isso que estava fazendo, até você bancar o psicopata perseguidor! - gritou Bulma, que se levantou.

-É o quê!? Ficou maluca?! E você iria embora para onde? - perguntou Vegeta, que segurou o punho dela.

- Eu não sei! Mas, eu não quero ficar aqui! Eu odeio esse lugar! - gritou Bulma, que tentava se soltar da mão de Vegeta. - Dá para me soltar?!

-  Você só pode estar de brincadeira! Não vou soltar!  Vem, vamos para casa! - ele disse e a puxou devagar para cima.

- Eu não quero ficar aqui! Eu só quero ficar sozinha! Quero fugir, para longe! - gritava  Bulma, enquanto Vegeta a puxava.

- E por que quer fugir? - perguntou Vegeta, que se virou para encara-la.

- Eu quero encontrar um lugar a que eu pertença! Eu quero sentir que minha presença não é desprezível e que eu não sou um nada! E afinal, quem se importaria!? Ninguém liga para mim! - gritou Bulma, que começou a chorar.

Vegeta ficou sem palavras. Nem imaginava que Bulma estava sofrendo daquela forma. Ele a puxou e a abraçou.Enquanto ele a ouvia soluçar e se abraçar a ele com força, ele permaneceu em silêncio por um tempo, até voltar a falar novamente.

- De onde você tirou que ninguém se importa? Você pode não ter a noção ainda, pois acabou de chegar, mas, é a primeira vez que eu vi seu pai abrir um sorriso como aquele, em muito tempo. Você não faz ideia do quanto ele sofreu com sua ausência… Eu ainda não sei o tamanho do seu sofrimento, Bulma. Mas, nunca mais diga que ninguém se importa e que você é um nada. Seu pai se importa, eu me importo. E seu lugar é aqui, no seu lar, com a gente. E se você precisa de ajuda para superar essa dor que você sente, é só pedir. Não precisa mais fugir da realidade. Estamos aqui com você… - disse Vegeta.

Bulma permaneceu em silêncio e apenas se manteve abraçada com ele. Receber carinho ainda era estranho para ela, mas, era uma sensação boa. Não se incomodava nem pelo fato dele estar com o corpo molhado. Ele tinha um calor bom. E eles ficaram um bom tempo parados no meio do tempo até Vegeta interromper o abraço e segura-la pelos ombros.

- Vem, vamos para casa. A nossa casa. - disse Vegeta.

- Está bem… - disse Bulma.

Ele a apoiou com uma mão em seu ombro e eles entraram em casa. Sr. Briefs dormia em uma poltrona, enquanto um filme passava na televisão. Os dois subiram as escadas e ele a deixou na porta do quarto.

-Você vai contar a ele? - perguntou Bulma, envergonhada.

- Você vai tentar fugir de novo?  - perguntou Vegeta.

- Talvez… - disse Bulma.

- Então, eu vou contar. - disse Vegeta.

- Aff… Eu acho que já te odeio… - disse Bulma, que o encarou, com um sorriso discreto.

“Me odeia!?” - pensou Vegeta, que sentiu uma pontadinha no peito. 

-Vegeta… Obrigada… - disse Bulma, que se aproximou dele e beijou seu rosto. Ela entrou em seu quarto e fechou a porta.

Vegeta ficou estático no meio do corredor, tentando processar o que havia acontecido. Sentiu o rosto corar ao perceber que os lábios dela haviam tocado seu rosto. Resolveu tomar um banho para relaxar um pouco e depois foi deitar em sua cama. Quando pegou o celular, viu as inúmeras mensagens dos amigos, que debochavam de sua ausência com fotos e memes. Mas, ele apenas sorriu e olhou para a parede ao lado. Tinha mais alguém mais importante para cuidar naquele momento.

No dia seguinte, acordou mais tarde do que esperava. Observou sr. Briefs no jardim, que regava as plantas enquanto assobiava. Bulma estava sentada no sofá, com os fones de ouvido, enquanto lia um livro. A franja cobria parte do rosto e ela usava outro moletom, que cobria seus braços. Porém, havia trocado a calça por um short.  Vegeta se aproximou dela e sentou ao seu lado.  Ela olhou para ele e tirou um dos fones.

-Pensei que ia dormir o dia todo! - disse Bulma.

- Hahahaha. Domingo é o dia que tenho para descansar, então, eu posso me dar a esse luxo. - disse Vegeta.

- Ah, entendo… - disse Bulma.

- Então, ainda gosta de devorar livros? - perguntou Vegeta.

- Sim! Nunca deixei de ler! Foi o que não me deixou surtar todos esses anos… - disse Bulma. 

- Você lembra que me deu um exemplar de “O pequeno príncipe” quando éramos crianças?  - perguntou Vegeta.

- Sim! Lembro! Não me diga que você ainda o tem!? - disse Bulma.

- Tenho! Está no meu armário! Claro, não está no melhor estado, mas, até que dá para ler. - disse Vegeta.

- Isso é muito legal, Vegeta! - disse Bulma, que se sentou próximo a ele. Vegeta reparou que ela usava a mesma maquiagem forte do dia anterior.

- Por que você sempre usa esse negócio preto no rosto? - perguntou Vegeta.

- Eu gosto… Me sinto mais bonita com ele… - disse Bulma.

- Mas, ele esconde quem você é… Eu acho que ficaria mais bonita se tirasse isso… E parasse de esconder a cara com os cabelos. - disse Vegeta, que levou a mão até a franja dela e levou para trás da orelha. - Ficaria melhor assim.

- Você… Você acha? - perguntou Bulma, que ficou com as bochechas coradas.

- Com certeza. - disse Vegeta, que depois percebeu que eles estavam se encarando e ficou envergonhado. - Desculpa… Eu não… - ele dizia, quando sr. Briefs apareceu na sala.

- Ora, vejo que meus filhos estão se dando bem! Isso é ótimo. Estava pensando, que tal irmos ao jardim botânico? Você adorava quando era criança, Bulma! Pode te trazer boas lembranças! - disse sr. Briefs.

-Hã… Eu não sei… Talvez, seja melhor vocês irem e eu ficar… - disse Bulma.

- Eu acho uma ótima ideia! Acho uma boa chance para passarmos um tempo junto como família! - disse Vegeta.

-Ótimo! Vou tomar um banho para irmos! - disse sr. Briefs.

- Mas… - Bulma, tentou contestar, mas, Vegeta tocou na sua mão.

- Dá uma chance para ele, pelo menos… - disse Vegeta.

- Eu não tenho certeza se ele merece… - disse Bulma.

- Só vai saber se permitir que ele se aproxime de você… - disse Vegeta.

-Ta, tá bom! - disse Bulma, que revirou os olhos.

Alguns minutos  depois, os três caminhavam pelo jardim botânico, observando algumas árvores floridas.  

-Não  está com calor, filha? - perguntou sr. Briefs.

- Não, estou bem… - disse Bulma.

- Como consegue usar manga longa, nessa época? - perguntou sr. Briefs.

- Eu… Já acostumei… - disse Bulma.

- Olha! Lembra daquela árvore? Você marcou seu nome nela! - disse sr. Briefs.

- É sério? - disse Bulma.

- Sim, tenho quase certeza. - disse sr. Briefs.

Havia um lago próximo, azulado e tranquilo. Perto dali, havia um trailer de sorvete e Vegeta teve uma ideia para iniciar a aproximação de Bulma com seu pai. Ele sabia que não ia  ser fácil, mas, faria o que pudesse para ajudá-los.

- Nossa! Que calor! Acho que preciso de um sorvete... Por que não vão olhar a árvore  de perto, enquanto compro sorvete para nós? Eu já volto! - disse Vegeta, que se afastou  dos dois.

- Ei, espera! Aonde você vai? -  perguntou Bulma, mas, sr. Briefs a segurou no ombro e a aproximou  da árvore.

- Olha só! Bem, aqui! - disse sr. Briefs, que apontou para o nome de Bulma, que estava marcado na madeira. Ao lado, havia o nome de Tights, sr. Briefs e  até de Panchy.

Bulma passou os dedos  pela marcação e depois levou a mão ao peito.

- Eu não me lembrava mais disso… E como eu consegui escrever tão alto? - perguntou Bulma.

- Você estava nos meus braços… - disse sr. Briefs.

Bulma encarou o pai, com os olhos mareados e olhou para baixo, enquanto entrelaçava os dedos.

-Papai… - ela disse, se virando para ele. - Onde foi que nossa família se perdeu?

Briefs respirou fundo e a encarou.

- Acho que a culpa foi minha, Bulma. Sinto muito… Eu nunca quis que nos separássemos… Eu sei que eu não fui presente o suficiente para vocês e isso fez a mãe de vocês preferir ir embora… Mas, eu prometo que… Se você quiser… Se você puder… Eu posso ser um pai melhor! Eu prometo a você que vou me esforçar para que possamos recuperar o tempo perdido. - disse sr. Briefs. 

- Não sei, papai… Você… Realmente quer tentar? Você acha que… Ainda podemos ser felizes? - perguntou Bulma, um pouco insegura.

- Eu sei que você tem todos os motivos para me odiar… Mas, eu te peço que me dê uma chance, para provar que eu posso ser um bom pai para você e que podemos ser uma família feliz. - disse sr. Briefs.

- Eu… Eu tenho medo… De você me deixar de novo… Eu não quero… Me sentir sozinha de novo… - disse Bulma, que começou a derramar algumas lágrimas.

- Filha, eu prometo! Eu nunca vou te deixar! Eu vou estar ao seu lado, sempre que precisar! Eu te amo, minha pequena safira. - disse sr. Briefs.

Bulma arregalou os olhos e algumas lágrimas desceram por suas bochechas. Ela lembrava que era assim que ele lhe chamava quando ela ia dormir. 

-Papai… - disse Bulma, que foi até o pai e o abraçou. - Eu senti tanto sua falta… - ela sussurrou.

- Minha garotinha… Eu prometo. Eu vou estar sempre ao seu lado. - disse sr. Briefs, que a abraçou de volta.

Vegeta foi até a barraquinha de sorvete e comprou um sorvete para si e dois pequenos potes de sorvetes. Enquanto pagava, viu ao longe Maron passar acompanhada de Raditz. Os dois pararam embaixo de uma árvore e  se beijaram. Vegeta ficou surpreso.

- Que amigão hein, Raditz. Mas, faça bom proveito… - ele sussurrou.

Quando Vegeta voltou, encontrou Briefs e Bulma abraçados. Ele sorriu, animado. Pelo menos, um primeiro passo para que os dois se reaproximassem. Os três sentaram-se em um banco em frente ao lago, apenas deliciando-se do sorvete e da companhia uns dos outros. 

À noite, sr. Briefs foi ajudar Bonyu com o carro, que havia ficado no prego na rua ao lado. Bulma terminava de ler um livro, quando ouviu o que parecia o barulho de pulos em casa. Ela se levantou da cama e saiu do quarto. Ela foi até o quarto de Vegeta e o viu pular corda rapidamente.

-Uau! Como consegue fazer isso? - perguntou Bulma.

- Ahh!- Vegeta gritou, se embaralhou com a corda e tropeçou. -  Ei! Você me desconcentrou! 

-Hahahaha. Desculpa! - Bulma  sorriu a primeira vez desde que chegara em casa. E Vegeta achou o sorriso dela lindo, tanto que sentiu o coração acelerar um pouco. - Então, está se preparando para alguma coisa?

- Bem… Estou… - disse Vegeta.

- E o que seria? - perguntou Bulma.

- Será  que… Você pode guardar um segredo? - perguntou Vegeta.

 


Notas Finais


Oie! Um primeiro passo para a aproximação de pai e filha. Será que isso vai dar certo?
Bem, o segredo do Vegeta é sobre a seletiva. Hihihihi
Próximo capítulo, Bulma vai para a escola. E agora?! Hehehe
Obrigada por ler! Beijos!

A música é Boulevard of Broken Dreams do Greenday!
Segue o link:
https://youtu.be/r5EXKDlf44M


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...