1. Spirit Fanfics >
  2. Filha de Hades - Saint Seiya >
  3. Capítulo XXI - Xadrez.

História Filha de Hades - Saint Seiya - Capítulo 22


Escrita por:


Capítulo 22 - Capítulo XXI - Xadrez.


Fanfic / Fanfiction Filha de Hades - Saint Seiya - Capítulo 22 - Capítulo XXI - Xadrez.

- ...vamos vovó, me diga onde a senhora escondeu o Kagaho! - Macária olhava seriamente para Deméter que estava assustada, sabia que sua neta era esperta e que logo descobriria algo, ela engoliu em seco se recompondo.

- Eu não sei onde ele está, mas posso tentar acha-lo, mas porque o está procurando? - Macária olhava nos olhos da avó.

- Eu preciso dele, ele pode me ajudar nessa guerra - Deméter levantou a sobrancelha - eu, ele e mais dois espectros vamos ajudar Athena nessa Guerra Santa! - a mais velha se assustou olhando para a neta.

- Ajudar Athena? Você enlouqueceu Macária? Pois mais que eu não goste de seu pai, não é certo uma filha dele fazer isso, ter você ao lado de Athena será mais difícil para ele, as chances dele perder aumentam mais e... - ela interrompeu a avó.

- Mas é isso que ele quer! - Deméter se assustou - conversei com ele a um tempo atrás, durante nossa conversa ele se aproximou do tabuleiro de xadrez e começou a mexer nas peças - a mesma se lembrou do momento que observava o pai - toda guerra ele sempre mexe as peças, e todas as vezes as peças petras, que no caso é ele, está sempre dando o xeque-mate nas peças brancas, que no caso seria Athena, mas... - lembrou da forma que ele havia arrumado as peças - ...dessa vez eram as brancas que estavam dando o xeque-mate - Deméter a olhou surpresa - Hades quer perder essa Guerra Santa! Mas por qual motivo, eu não sei.

- Isso explica algumas coisas - a Deusa ficou pensativa enquanto Macária a olhava - o fato dele demorar para fazer um ataque a Athena, e quando fez, foi longe do santuário, ele estar focado em fortalecer Sophia, mas - olhou para a neta curiosa - por qual motivo está ajudando Athena?

- Se Hades morrer, creio que consigo tirar Sophia do Inferno! - Deméter ficou surpresa novamente com o olhar determinado de Macária - sei que no passado eu fiz coisas a ela e posso ter sido uma das culpadas por ela ir morar naquele lugar - fechou os punhos sentindo as lágrimas nos olhos - mas se tem algo que eu posso fazer para tirá-la de lá eu irei fazer, mas pra isso eu preciso do Kagaho, então por favor vovó, se você está com ele, o devolva a Sophia, pois eu sei que ela não está aguentando ficar longe dele - Deméter abaixou a cabeça.

- Eu não estou com ele Macária - deixou as lágrimas saírem - sinto muito por decepciona-la, mas posso tentar ajudar a procurá-lo, pode ser que algum dos Deuses que conheço saibam de algo - sorriu para a avó em meio a lágrimas, a mesma se aproximou segurando as mãos da neta - você sabe o preço que pagará com isso não sabe? - concordou, soltando uma das mãos para limpar as lágrimas.

- Eu agradeço a sua ajuda - Deméter sorriu - mas - a olhou seria uma última vez, o sorriso sumiu imediatamente - se eu souber que de alguma forma você está envolvida nisso, darei um jeito de Sophia ficar sabendo, e eu tenho certeza que ela não vai ter o mesmo amor que eu tenho por ti - soltou a mão de Deméter e se virou saindo do templo, a mesma ficou olhando a neta partir assustada.

~~~~~~

- Eu estou morta Cheshire - Sophia falou enquanto entrava em seus aposentos retirando as braçadeiras que usava durante o treino, o espectro vinha logo atrás.

- A Senhorita está cada dia melhor My lady - olhou para o acompanhante com um sorriso.

- Já disse que não precisa de toda essa formalidade, pode me chamar de Sophia - ele sorriu.

- Me desculpe, é força do hábito - ela sorriu caminhando até a penteadeira onde soltou os longos cabelos.

- Acho que já está na hora de cortar ele de novo - falou ficando de lado para o espelho, o cabelo já passava do quadril - o que você acha Cheshire?

- Bom, na minha opinião seu cabelo está bom desse tamanho - sorriu.

- Tem razão - olhou o espectro - eu vou tomar um banho para relaxar, por hora está dispensado, se eu precisar de você eu chamo.

- Sim Sophia - ele se curvou - com sua licença - saiu do quarto e Sophia caminhou até o banheiro.

Retirou com calma os equipamentos de proteção e a roupa, a água da banheira já estava pronta e morna, as servas já tinham o costume de deixar o banho dela pronto aposto os treinos, com cuidado entrou na água sentindo seu corpo relaxar aos poucos, encostou a cabeça na borda da banheira, estava calma e perdida em alguns pensamentos, oportunidade perfeita para uma certa pessoa sair do lugar que estava escondida e colocar uma adaga em seu pescoço, ela permaneceu de olhos fechados, no fundo sabia da presença daquela pessoa no banheiro desde que havia entrado.

- Achei que fosse esperar mais - Sophia sorriu - Pandora.

- Olá querida - a mesma sorriu de canto.

- O que faz aqui em meus aposentos? - a questionou com a expressão calma.

- Sabe, você atrasou demais seu pai nessa guerra, sem contar que como Deusa é uma inútil também, então vamos ver, se você morrer ninguém irá se importa, sem contar que Hades não terá distrações e eu ficarei livre - Sophia deu um sorriso de canto.

- Vá enfrente Pandora, se é esse seu desejo não perca tempo e passe essa adaga por meu pescoço - Sophia estava calma, algo que incomodou Pandora - prometo que não vou gritar ou fazer qualquer escândalo - tranquilamente aproximou um pouco o pescoço da lâmina, ato que surpreendeu Pandora - você sempre quis acabar comigo desde pequena, teve várias oportunidades mas não sei porquê não as aproveitou, mas - olhou de canto para a mulher atrás de si - não sei se meu pai iria perdoar uma serva como você, por ter tirado a vida da filha que ele passou os últimos tempos treinando e ajudando a ficar cada vez mais forte e pronta pra assumir seu lugar, mas infelizmente não saberemos a reação dele até você cortar a minha garganta, e creio que essa adaga seja especial, pois uma adaga simples infelizmente não serve para matar a Deusa inútil - Pandora engoliu em seco.

- Como pode estar tão calma? - perguntou surpresa, a calma de Sophia lhe assustava.

- Pandora eu vou te contar uma coisa - ela ouviu com atenção - depois de passar todos esses anos sofrendo nesse inferno - deu um fraco sorriso - a morte séria um presente.

- Está dizendo que se eu te matar, você ficará feliz? - questionou.

- Sim - afastou a faca do pescoço de Sophia se afastando um pouco.

- Então não serei eu que lhe darei esse luxo - se retirou do banheiro deixando Sophia a sós, caminhou apressadamente pelos corredores até seu quarto, fechou a porta com raiva assim que entrou - desgraçada - jogou a adaga em um canto do quarto passando a mão pelo cabelo com raiva.

- Queria saber quem lhe deixou nesse estado - a voz de grossa de Radamanthys dominou o quarto assustando Pandora que olhou rapidamente em sua direção.

- Você me assustou - arrumou a postura - quem lhe deu permissão para entrar em meus aposentos? - ignorando a pergunta ele se aproximou mais, ela recuou um pouco mas parou quando bateu as costas na parede, os olhos amarelos de Radamanthys olhavam fixamente para os dela - espero que tenha feito o que eu lhe pedi - ele socou a parede ao lado dela.

- Eu não matei a Macária - o olhou assustada por alguns segundos mas ficou seria - antes que comece com o seu chilique que eu sou um inútil, espero que saiba, que por deixar Macária viva eu poupei a sua vida diante a irá de Thanatos - se surpreendeu - pois Hades pode não se importa mais com a filha, mas Thanatos gosta de Macária - a olhou - assim como eu gosto de você - se afastou dando as costas a ela - por mais que eu goste de você Pandora, eu não vou mais seguir as suas ordens absurdas, se quiser matar Macária ou até mesmo Sophia - olhou de canto para a mesma - faça você mesmo o trabalho, porque eu não quero ser a pessoa que vai assinar a sua sentença - caminhou calmamente até a porta, parou e olhou para a adaga - torça para Hades não descobrir que tentou matar a Sophia, e se ele descobrir - abriu a porta - não me espere na hora da sua punição - saiu do quarto batendo a porta, Pandora respirou fundo e escorregou pela parade se sentando.

- Malditas - se referiu a Sophia e Macária - vocês duas so foram atrasos e problemas na vida do meu Imperador - olhou para o quadro de Hades que tinha em seus aposentos - não... - deu um sorriso de canto - ... os problemas começaram quando a mãe de vocês apareceu, aquela maldita podia ter ficado longe dele - praguejou olhando para um canto com raiva, coisa que durou pouco pois um sorriso de vitória apareceu - mas ela está morta, e as duas filhas inúteis vão ter o fim durante essa guerra - começou a rir enquanto imagina Sophia e Macária ambas mortas pelos Cavaleiros de Athena - essa Guerra Santa, vai me favorecer muito.

~~~~~~

- Vamos Kagaho - Nikaía o chamou com um sorriso.

- Já estou indo - respondeu com um sorriso também - pronto cheguei - os dois se sentaram no topo do penhasco e olharam para o mar.

Durante as semanas que passaram juntos, os dois se aproximaram bastantes, Kagaho não se lembrava de seu passado e isso lhe atormentava, se lembrava todo dia do rosto e voz de Sophia, queria saber o motivo dessa mulher não sair de sua mente, Nikaía por outro lado estava amando a companhia do espectro, no segundo dia quando ele já estava melhor o levou para conhecer toda a região, não passou dos limites que sua Deusa havia dado e também não se atraveu a levá-lo no templo, queria negar a si mesma mas estava começando a sentir algo por aquele homem gentil e amável, sabia que ele era de outra, que já tinha alguém, ele próprio chegou a comentar que se lembrava de uma tal de Sophia e que ela não saia de sua mente.

- Nikaía - ela olhou para o espectro fitando aquelas orbes roxas, com cuidado ele acariciou o seu rosto que ficou com as bochechas levemente vermelhas - você tem olhos lindos - sorriu tímida.

- Obrigada - ele sorriu - seus olhos também são lindos - se aproximou devagar da garota e desceu os olhos lentamente para os lábios levemente avermelhados, Nikaía fechou os olhos assim que sentiu os lábios de Kagaho junto aos seus, com calma ele levou a mão até a nuca de Nikaía e a mesma apoio ambas as mãos no peito do espectro, as línguas se encontraram em um beijo calmo, que durou pouco pois logo se tornou um beijo cheio de desejo por ambas as partes.

........

Deméter entrou as pressas no templo indo direto para o salão, quando entrou não esperou a Deusa daquele lugar e já começou a falar.

- Liberte o Kagaho - a olhou confusa - Macária já desconfia que eu sei de algo - com um sinal de mão as servas foram dispensadas e a mesma se levantou do trono.

- Vamos para meus aposentos - concordou e as duas seguiram tranquilamente pelo corredor, ao entraram nos aposentos a porta foi trancada e as duas sentaram nas poltronas brancas com detalhes dourados - o que Macária lhe disse?

- Ela desconfia que eu esteja escondendo Kagaho, por conta da presença dele estar oculta de Hades - a Deusa engoliu em seco nervosa - e também, Macária se juntou a Athena nessa guerra - se surpreendeu - segundo ela, Hades quer perder essa guerra, pois as peças de xadrez que ele sempre mexe, foram colocadas com as brancas dando o xeque-mate - ficou pensativa.

- Não entendo, ele sempre quis vencer, porque dessa vez seria diferente?

- Ele tem planos pra Sophia - a olhou surpresa - ele não disse isso claramente, mas dá pra deduzir que seja isso, pois desde que reviveu ele só está indo atrás dela, focando tudo nela, lembra do ocorrido com Ares no castelo - a Deusa sentiu um calafrio ao sentir aquele nome - e também Macária quer tirar a irmã do inferno, por isso ela precisa de Kagaho, ele junto de mais alguns espectros parece que estarão com ela nisso.

- Faz sentindo ela ter Kagaho, ele é o espectro ligado a Sophia - se levantou - você tem um quarto aqui em meu templo, pode ficar o tempo que precisar, libertarei Kagaho amanhã cedo - Deméter se levantou.

- Você vai libertar Kagaho agora mesmo - elas se olharam - não ficará com ele nem mais um minuto, não quero problemas futuros para ti - estranhou - Hades pode não lhe fazer nada, mas Sophia sim, ela tem o lado de Hades dentro de si, nada garante que ela vai ser mais calma que ele, e também nada a impede de querer fazer algo contra você, então eu te peço como alguém que zela pelo seu bem, libere Kagaho - desviou o olhar.

- Kagaho não está no templo e nem próximo daqui - Deméter estranhou - ele saiu hoje com Nikaía, não se preocupe que eles estão sobre os meus domínios e assim que retornarem, libertarei Kagaho - Deméter concordou.

- Obrigada - se abraçaram - vou para meus aposentos, preciso descansar um pouco - após Deméter se retirar, a Deusa olhou para um quadro de Hades que tinha em seus aposentos e suspirou.

"- Mas já está cansada? - Hades sorriu ao ver Perséfone com a respiração ofegante - nem começamos direito.

- Da um desconto - sorriu olhando para o marido - você faz isso a mais tempo que eu, podia pegar mais leve - Hades riu.

- Mas eu estou - estreitou os olhos na direção do marido.

- Eu tenho minhas dúvidas - ele sorriu e apontou a espada para a esposa, ela fez o mesmo apontando sua espada dourada e branca.

- Lembre-se do que eu disse, mantenha os olhos no do inimigo, se fizer isso conseguirá prever os movimentos, além de que irá intimida-lo - ela concordou mantendo os olhos focados no do marido.

Eles avançaram novamente e começaram a luta, as espadas se chocavam fazendo o barulho agudo, Perséfone segurava a espada com as duas mãos enquanto Hades segurava apenas por uma, ela mais defendia do que atacava, já ele tomava cuidado nos ataques, um tempo depois se afastaram.

- Você não está atacando - comentou e ela desviou o olhar - já disse para não ter medo de me atacar, a intenção desse treinamento é isso.

- Eu sei - olhou rapidamente para a espada e depois para ele - mas eu não consigo te machucar, mesmo em um treinamento - Hades sorriu.

- Finja que eu sou algum inimigo, alguém que quer fazer mal a você ou talvez, a algum futuro filho nosso - Perséfone sorriu com aquilo - não precisa se preocupar com me machucar, se caso isso acontecer - sorriu olhando para a esposa - será um prazer ter um cicatriz que foi deixada por você.

- As vezes eu desconfio que meu marido é um pouco sádico - os dois riram.

- Pronta? - ela concordou e novamente começaram a luta, dessa vez ela atacava mais do que defendia, e numa dessas vezes conseguiu fazer um corte no braço esquerdo de Hades, no mesmo momento os dois se afastaram e ela o olhou assustada, ele colocou a mão no ferimento sorrindo - você foi muito bem - ela sorriu.

Deram o treino daquele dia encerrado, Hades fincou as duas espadas no chão próximo deles e ambos se sentaram na capa que ele havia tirado antes do treino, Perséfone tratava do ferimento do marido tratando de curá-lo, infelizmente o ferimento havia sido feito com a arma de um Deus, então ficaria a cicatriz, Hades notou o olhar da esposa sobre o ferimento.

- Não precisa se preocupar, foi um corte pequeno e também não me importo com a cicatriz - acariciou o rosto da esposa.

- Eu sei, mas vou ficar com um remorsozinho em relação a isso - ele riu e passou o braço pelo corpo da mulher a trazendo mais perto deixando um beijo no topo de sua cabeça.

- Eu te amo, nunca se esqueça disso minha luz - sorriu e Perséfone deixou um beijo em sua bochecha.

- E eu te amo Hades, mesmo com toda essa fachada de Deus do Inferno e malvado - riu - eu sei que por trás de tudo isso, tem um homem bondoso e gentil, e foi por esse homem que eu me apaixonei, o meu coração de ouro - ele sorriu e beijou a esposa com todo o desejo e amor."

- Mandou me chamar papai? - Hades saiu de seus pensamentos enquanto olhava a janela e olhou para Sophia que estava parada na entrada da biblioteca.

- Sim querida - foi até a mesa - quero conversar um pouco com você, sente-se - indicou uma das cadeiras e Sophia se sentou, ele se sentou na outra - enquanto conversamos o que acha de jogar um pouco de xadrez? - indicou o tabuleiro, as peças brancas estavam com Sophia e as pretas consigo.

~~~~~~

- Athena - a Deusa se virou para Shion, as Santias automaticamente se colocaram na frente da mulher - A Deusa Macária está na entrada das Doze Casas, devemos deixá-la subir?

- Ela está sozinha? - ele confirmou - a deixe subir - o homem se retirou após uma reverência - vocês pode esperar aqui - as Santias concordaram e Athena seguiu o caminho até o templo do Grande Mestre, quando chegou se sentou calmamente no trono a espera de Macária.

Alguns minutos depois a Deusa chegou, assim que ficou diante Athena as duas se cumprimentaram com um aceno de cabeça e Macária foi a primeira a falar.

- Athena, quando pretende fazer o ataque a Hades?

- Ainda não sei Macária, mas pretendo fazer isso logo - Macária sorriu.

- Creio que deva fazer isso logo Athena, mas se me permite dizer, Hades quer perder essa guerra - a Deusa se surpreendeu.

- O que está dizendo Macária? Com que fundamento você diz isso?

- Bom Athena meu pai... - Seiya entrou no salão interrompendo.

- Desculpa entrar assim - as duas Deusas o olhavam - mas tem um espectro na entrada das Doze Casas - Macária o olhou curiosa - pelo o que parece, é o de Benu - surpresa e alegria tomaram o coração da Deusa de cabelos negros, ela olhou para Athena que entendeu e olhou para o Pegasus.

- Libere a entrada dele - o jovem se surpreendeu - mande os Cavaleiros de Ouro subirem também - Seiya concordou e se retirou, o sorriso no rosto de Macária era tanto de alívio, quanto de felicidade.

........

Nikaía estava deitada no peito de Kagaho enquanto ele acariciava seus cabelos, ela se levantou calmamente e olhou para ele com um sorriso, selou os lábios em um selinho.

- Melhor voltarmos - falou enquanto arrumava alguns fios da franja de Kagaho, ele concordou e com cuidado Nikaía se levantou.

Os dois se arrumaram e de mãos dadas começaram a andar para perto do templo, quando estavam se aproximando Nikaía ouviu a voz de sua Deusa em sua mente.

"Nikaía, traga Kagaho para o templo, está na hora de deixar ele ir"

Sem dizer nada ela continuou indo para a cabana, mas quando estavam chegando perto, mudou a rota indo para o templo.

- Aonde estamos indo?- Kagaho perguntou assim que mudaram o trajeto.

- Ao templo, minha Deusa quer lhe ver - ele estranhou mas continuou a seguindo, quando entraram no templo os dois soltaram as mãos e andaram até o salão, no trono estava sentada a Deusa que Nikaía servia, os dois se ajoelharam e quando a jovem olhou para o lado do trono encontrou a armadura de Benu.

- Kagaho - o espectro estava inquieto desde que colocará os olhos na mulher, tinha certeza que a conhecia de algum lugar - se levante - ele obedeceu e assim que olhou para a Deusa os olhos dela brilharam e uma forte dor se fez presente em sua cabeça, gruniu de dor e se ajoelhou, seus olhos ainda estavam fixos aos da Deusa, sua visão ficou turva e ele desmaiou, Nikaía se assustou e quando pensou em se aproximar foi repreendida - não se aproxime, se afaste dele por favor - concordou nervosa e se afastou indo para o lado de Deméter que estava parada no pé da escada, Kagaho resmungou - levante-se - nada - levante-se Espectro de Benu! - começou a se levantar devagar, sua mente ainda doía por conta das memórias que havia recuperado, quando se colou de pé e abriu os olhos, no mesmo momento a Sapuri de Benu se desmontou e cobriu o corpo de Kagaho com exceção do elmo, os danos causados pela luta com os dois Cavaleiros já havia sido restaurado, quando se deu conta da Deusa que estava em sua frente se surpreendeu.

- Você... - a Deusa sorriu se levantando com calma do trono e descendo até o espectro - ...como? - sorriu diante a confusão do espectro.

- No momento certo tudo será explicado, mas agora... - sorriu levantando o pingente de Sophia - ...a uma pessoa que sente sua falta, e você tem que retornar para ela - com cuidado prendeu o colar no pescoço do rapaz - antes, você deve encontrar Macária, ela lhe colocará a par de tudo, espero que me desculpe por mantê-lo preso aqui.

- Não precisa se desculpar - ele sorriu - a senhora fez o que achou certo - a Deusa concordou.

- Você deve partir, Hades ainda não começou a guerra - ele concordou e olhou para Nikaía, a Deusa deu passagem para o espectro que seguiu até a serva, segurou as duas mãos dela a olhando nos olhos.

- Obrigado por tudo, nunca irei esquecê-la - sorriu.

- Nem eu irei te esquecer Kagaho - o espectro junto os lábios em um pequeno selinho e se afastou, olhou uma última vez para a Deusa que sorriu, foi para a saída do templo acompanhado das três mulheres e não demorou a levantar vôo.

- Por favor - uma pequena lágrima escorreu do olho da Deusa - cuide da Sophia.

Assim que saiu do templo, Kagaho tentou localizar a presença de Macária, seguiu para onde ela estava e se assustou ao ver que era na direção do Santuário de Athena, ele pousou na entrada das Doze Casas e olhou para elas, se aproximou da primeira casa e não demorou para o Cavaleiro de Áries aparecer na entrada.

- Quem é você? - o Cavaleiro perguntou calmamente - está com a Deusa Macária?

- Meu nome é Kagaho de Benu, e estou com a Deusa - Mu o olhava calmamente.

- Entendo, por medidas de seguranças vamos confirmar se está mesmo com ela - pelo cosmo Mu comunicou seiya que estava na entrada do templo sobre a chegada do espectro - por favor aguarde - Kagaho concordou e cruzou os braços, não estava a vontade com aquela desconfiança para cima de si, mas entendia o motivo e respeitava ele, um tempinho depois Seiya se comunicou com Mu - está livre para subir, mas nós cavaleiros de ouro vamos contigo.

- Com tanto que eu chegue até Macária, não me importo com a companhia - os dois começaram a subir junto as casas.

Nas outras casas Mu explicou o porquê aquele espectro estava ali, Saga ficou um pouco surpreso por ver o mesmo ainda vivo e bem, já Dohko sorriu de alívio, ele não queria que Kagaho morresse, pelo o que havia entendido ele tinha uma pessoa especial, e só de imaginar essa pessoa triste por algo que ele havia feito o deixava péssimo, não demoraram para chegar ao templo do Grande Mestre, os cavaleiros andavam em volta do espectro, ao entrar no salão os Cavaleiros se ajoelharam enquanto Kagaho fez uma leve reverência, antes que pudesse dizer algo Macária se pronunciou.

- KAGAHO!! - ela pulou no espectro que a segurou evitando que os dois fossem ao chão, com cuidado retribuiu o abraço apertado que Macária estava lhe dando, Athena sorriu diante os dois, podia entender a felicidade de Macária ao rever alguém querido vivo novamente, Dohko também sorriu vendo os dois - aaa que saudades que eu tava de você - comentou após se olharam e se separarem um pouco, o sorriso de Macária logo sumiu e um tapa foi dado na parte exposta do braço de Kagaho, ele colocou rapidamente a mão no lugar e a olhou - isso é pra ver se não me dá um susto desse, aonde você se enfiou? Foi dar uma volta no Triângulo das Bermudas?

- Engraçadinha - estreitou os olhos na direção da Deusa - eu estava bem e com uma pessoa - estranhou - depois falamos disso, por hora eu só tenho uma pergunta pra te fazer - ela cruzou os braços esperando - Macária, eu sei que você não gosta do seu pai, e que tem seus probleminhas com ele, mas em que momento você decidiu que devia se juntar a Athena nessa guerra? - ele começou falando calmamente mas logo se alterou um pouco, Macária revirou os olhos - Athena Macária? - olhou para a Deusa no trono - sem ofensas - Athena sorriu gentilmente para o especto - é só eu sumir que você da uma dessas? Se eu sumir de novo vai se aliar a quem? Ares?

- Você tenha respeito comigo em - apontou o dedo para Kagaho - eu nunca me rebaixaria a tal nível - Kagaho cruzou os braços a olhando com um sorriso debochado - a qual é eu não iria pedir ajudar pra ele - o espectro levantou as sobrancelhas - você para em - levantou as a mãos em rendição - mas os motivos para me juntar a Athena são... - a interrompeu.

- Tem mais de um? - ela sorriu.

- Tem - começou a contar nos dedos - o primeiro e o principal, tirar você sabe quem do Inferno e o segundo é que meu pai quer perder essa guerra - os dourados se surpreenderam assim como Kagaho.

- Pera, repete - pediu surpreso a olhando.

- Meu pai quer perder essa guerra.

- Macária - ele respirou fundo - passou tanto tempo com sua avó Deméter que andou mexendo com erva que não devia? - outro tapa foi dado no braço de Kagaho, esse chegou a fazer o som ecoar pelo salão e alguns cavaleiros fizeram uma careta indicando que havia doído, o espectro colocou a mão no local com dor.

- Mais respeito com minha avó em - ela arrumou a postura - mas sim, por mais estranho que pareça meu pai quer perder essa guerra, as peças do tabuleiro estavam invertidas - olhou surpreso para a Deusa, ele sabia que Hades sempre arrumava o tabuleiro do mesmo jeito - com base nisso me juntei a Athena, pois não podemos deixar que ela fique mais no inferno.

- Ela está bem? - a preocupação na face de Kagaho era nítida.

- Está sim, e com grandes saudades sua - ele deu um fraco sorriso - e se quer saber - Macária sorriu travessa - Minos não está mais com ela - Kagaho a olhou surpreso.

- Depois você vai me contar direito essa história - concordou.

- Macária - Athena a chamou - se você estiver certa, e se Hades quer mesmo perder essa guerra, creio que você deva ter algum plano em mente, pois não iria vir até mim se não tivesse pensado em algo - a mesma sorriu.

- Sim Athena, eu tenho um plano - sorriu - vou lhe contar.

~~~~~~

Durante o jogo Hades conversou com Sophia sobre alguns assuntos aleatórios, desde coisas que ela tinha feito nos últimos dias até sobre os sentimentos que estava tendo, o jogo de xadrez ocorria calmamente, sem pressa ou afobação, cada movimento era bem calculado por ambos os lados.

- Sophia o que entende sobre guerras? - Hades perguntou calmamente enquanto movia seu cavalo comendo um peão de Sophia.

- Sei o básico - olhou pensativa para o tabuleiro - porque? - mexeu com calma sua torre.

- Pode me dizer o que sabe? - Hades mexeu um dos peões.

- Bom - ela olhou o tabuleiro - geralmente é quando duas grandes forças entram em combate por conta de território ou por desentendimento nas opiniões - ela mexeu com cuidado a rainha - basicamente é o que o senhor e Athena fazem, lutam pela terra, você quer o domínio dela para fazer uma purificação na raça humana que é impura, já Athena luta para proteger esses humanos e a terra - Hades sorriu.

- Pode se dizer também que é como esse jogo de Xadrez - Hades também fez um movimento com a rainha - onde qualquer movimento é decisivo tanto para você, quanto para o adversário - Sophia com o peão capturou a rainha de Hades, ele moveu com calma seu bispo e não demorou para a rainha de Sophia o capturar dando um xeque-mate.

- Xeque-mate papai - Hades sorriu.

- Jogou bem querida.

- Obrigada - sorriu.

- Vá falar com Minos - Sophia o olhou surpresa - sei que você quer resolver a questão do relacionamento de vocês, caso queira saber onde ele está - Hades pegou um dos peões o olhando - eu pedi para ele e os outros juízes ficarem apostos no grande salão - ela se levantou com um sorriso.

- Obrigada Papai - não demorou para sair da biblioteca indo na direção indicada pelo pai, o mesmo olhou o tabuleiro com um sorriso.

- E também Sophia - deixou o peão sobre a mesa e pegou a rainha branca olhando a peça - as vezes fazemos alguns movimentos que entregam a vitória ao nosso oponente de propósito.

........

- Minos - Sophia o chamou assim que entrou no salão, ele junto dos companheiros a olharam - podemos conversar - ele concordou, se afastou dos companheiros e seguiu Sophia até uma das salas, ela se virou para ele - Minos eu quero me des... - ele levantou a mão a interrompendo.

- Não precisa dizer nada Sophia, nem se desculpar por algo que você não tem culpa, eu errei e assumo meu erro, e independente da sua decisão, eu vou te respeitar e aceitar ela - os dois se olhavam nos olhos.

- Minos - ela sorriu - eu te perdoo - o juíz ficou surpreso - passei os últimos dias refletindo sobre isso, tentando entender seus motivos e seu lado, e deduzi que você fez tudo isso porque achou certo, e vendo o estado que você está e ficou, entendi que você realmente se arrependeu e também... - algumas lágrimas apareceram nos olhos azuis de Sophia - ...eu senti sua falta - Minos sorriu e abriu os braços e sem esperar ela foi ao seu encontro, os dois se abraçaram fortemente.

- Eu te amo Sophia, e esse sentimento não mudou nada esses dias - ela olhou para o juíz.

- Comigo não fora diferente, eu te amo Minos - juntaram os lábios em um beijo calmo e repleto de saudades.

~~~~~~

- Acha que vai dar certo? - Kagaho questionou Macária após os dois se afastarem das Doze Casas.

- Não tenho certeza - pensou - mas é o melhor plano que temos.

- Sabe que pode acabar despertando a irá de um certo Deus - ela concordou.

- Pela minha irmã eu correrei esse risco - sorriu - posso contar com você não é?

- Claro que pode.

- E comigo também - os dois olharam para frente assustados com aquela voz, Violate estava escorada em uma árvore de braços cruzados com um sorriso, a mesma já usava sua Sapuri, Macária sorriu.

- Violate! - as duas se abraçaram.

- Olha, não pensei que fosse voltar a te ver em - Kagaho comentou assim que se aproximou da companheira.

- Digo o mesmo para ti Benu - os dois se cumprimentaram - pois até onde eu estava sabendo, você estava desaparecido.

- Olha, estávamos na mesma situação então - riram.

- Acho melhor os dois voltarem para o Inferno - olharam para Macária - tem duas pessoas importantes para mim que sentem a falta de vocês dois.

- Contarei a Violate o seu plano no caminho - Macária concordou.

- Como estão as coisas da guerra? - a espectra perguntou.

- Logo ela deve acabar, Athena irá ao inferno atrás de Hades - a Deusa respondeu calmamente - Kagaho lhe contará tudo no caminho - olhou para os dois - mandarei um sinal quando for a hora - Kagaho se aproximou de Violate.

- Temos que ir rápido para o inferno - ela concordou - e só tem um jeito.

- Que jeito? - em um rápido movimento ele a pegou no colo - mas o que é isso, me coloca no chão Kagaho.

- Tchau Macária, aguardaremos seu sinal - Macária segurou a risada diante da cena, Violate esperneava querendo ir pro chão e Kagaho estava tranquilo.

- Tchau, se cuidem - ele concordou.

- Kagaho me coloca no chão ou eu juro que vou socar essa sua cara - ignorando totalmente as ameaças Kagaho levantou vôo com a espectra.

- Fica quieta que eu juro que assim que pousarmos no Inferno, eu te colocou no chão - Violate cruzou os braços o olhando mortalmente, ele riu da companheira e olhou para frente "espere Sophia, logo eu estarei contigo".


Notas Finais


Antes que me matem, no próximo cap Sophia vai explicar pra uma pessoa o motivo pela qual ela reateou com Minos😂

Kagaho voltou meu povoooooooo, logo ele e Sophia vão se encontrar, assim como Aiacos e Violate 😊

Radamanthys mandando a real pra Pandora, aleluia acordou pra vida 😒

O cap na minha opinião está um pouco fraco, mas o próximo compensará pois já ira dar inicio a Guerra, e com isso posso dizer que iremos para a reta final dessa história 😊

Bjs até a próxima 🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...