1. Spirit Fanfics >
  2. Filhinha de papai - Imagine Jung Jaewon >
  3. 50 ou nada

História Filhinha de papai - Imagine Jung Jaewon - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 14 - 50 ou nada


Fanfic / Fanfiction Filhinha de papai - Imagine Jung Jaewon - Capítulo 14 - 50 ou nada

Havia se passado uma semana, eu não tinha notícias do Jaewon, eu jurava que os meninos sabiam de algo, só não queria me contar. 

Agora eu estava dentro do meu closet, procurando uma roupa digna de um encontro com um bandido. 

- Aish! 

Amiga.

Vamos sair hoje?

Ivy, hoje não vai da, prometo que amanhã a gente sai.

Joguei o celular na cama e voltei pro closet.

- Vai sair? 

- Meu quarto tem porta sabia? - peguei o look que veio a mente.

- Eu já te vi nua - sentou na cama.

Vesti a lingerie preta, o blazer preto, calça preta social (Foto de capa), escolhei uma bolsa, saltos e por último fiz uma maquiagem leve.

- Quer que eu te leve? - perguntou. 

- Não, já chamei o táxi, fecha a porta quando sair do meu quarto - peguei meu celular e desci as escadas, entrei no carro, dei o endereço. 

(...)

- Quero a Range Rover preta - falei autoritária, estava me sentindo a patroa, dona da porra toda. (Foto de capa)

- Sim, senhora! - fez uma pequena reverência e saiu.

Zico: - Está louca? - apareceu. 

- O que foi? 

Zico: - Aquele carro é o preferido do One.

- Jura? - sorri pra ele - Vai combinar com o meu look.

B.I : - Sabe dirigir? 

Peguei minha habilitação na bolsa e lhe entreguei. O segurança parou o carro na frente da casa, veio até mim e entregou a chave. 

- Me manda a localização? - olhei pro B.I - Quero vocês com carros atrás de mim - entrei no carro. 

Zico: - Esqueceu isso - estendeu a arma. 

- Oras, vocês serão meus seguranças. 

Zico me olhou com cara de tédio. 

- Estou indo! 

Fechei a porta, coloquei a chave e liguei o carro. Jaewon parecia que não usava muito esse carro.

Espero que esteja bem meu amor! 

Coloquei o celular no suspensório e segui a localização. Uns 15/20 minutos depois chegamos no lugar, era um galpão que parecia abandonado.

- Se eu soubesse, queria vindo de tênis - reclamei. 

Zico: - Acho que foi uma péssima idéia te colocar no - o encarei séria - Tá - levantou as mãos - Não está mais aqui quem falou.

Peguei minha bolsa, fechei o carro, o trancando e caminhando em direção a porta, quando cheguei perto o Zico abriu pra mim. 

- Demoraram - ouvi - Cadê o One? 

Sentei na cadeira a frente dele, colocando minha bolsa na mesa, cruzei as pernas e encarei o homem. Zico estava de um lado e o B.I do outro, tinha mais 2 seguranças do lado de fora e 2 dentro.

- One tirou férias. 

- E colocou uma...- me olhou rindo.

- Mulher? - perguntei 

- Exatamente, o que você sabe sobre isso? - cruzou os braços. 

- Que os 10% que você nos oferecia, é uma miséria! 

- O que? - fez uma cara de confuso. 

- É isso mesmo, quero 50% do lucro faturado.

- 50%? Deve está louca! - disse alto.

- Baixe o tom! - sorri. 

- Quem ela pensa que é? - olhou pros meninos. 

B.I : - A patroa - disse com as mãos no bolso.

Zico: - Senhora, não acho que...

Levantei o dedo para que ele ficasse quieto. 

- Cobrimos as provas das suas cargas, vocês passam pela nossa área para chegar ao destino - descruzei as pernas - fora as outras coisas que você tem em mente, 10% é muito pouco! - me levantei - 10% não paga nem minha bolsa - apontei.

- Está louca! Não terá 10%! - gritou - Só pode está de brincadeira. 

Peguei minha arma dentro da bolsa e coloquei encima da mesa.

- Pareço está brincando? 

Zico: - Senhora...

- Eu pedi sua opinião? - olhei pro Zico, que negou - Então fique quieto! 

- 40%? 

- 50% ou nada, afinal, você precisa da gente! 

- Não, não fecharemos com 50 - disse.

- Tudo bem - peguei a arma e a bolsa, caminhei até a porta. 

- 45%? - parei de andar.

- Certo - me virei - Sem um centavo á menos, eu mesma cuidarei disso para que não haja esse deslize. 

Ele me encarou raivoso.

- Meus homens pegaram o dinheiro - me aproximei dele - Foi ótimo fechar negócio com você - sorri estendendo minha mão, ele pegou a apertando.

Entrei no carro, joguei a bolsa no banco do passageiro, tirei meus saltos, o blazer e relaxei no banco.

- Você foi ótima! One nunca conseguiu aumentar para 30% - riu.

Zico: - Nunca duvidei de você - rimos. 

(...)

- Vai ficar aqui hoje? - perguntou assim que desci do carro.

Jaewon: - Estranhei, não achei ninguém em casa.

Ouvi sua voz depois de semana fez meu coração disparar, o mesmo chegou a suspirar vê-ló bem.

- Jaewon! - corri para abraça-ló.

One: - Estava com tanta saudade mesmo? 

- Seu idiota, como você está? - perguntei, mas nem deixei ele falar, selei nossos lábios num beijo calmo - Meu Deus, eu fiquei tão preocupada! - o abracei - Porra, não faz mais isso! - o beijei novamente. 

One: - Preciso ficar fora mais dias! - disse, lhe dei uma cotovelada - Ai! 

- Ai, desculpe! - o abracei. 

B.I : - Vamos entrar? 

Zico não entrou junto com a gente, eu voltei para fora para procura-ló, mas ele foi mais rápido, entrou no carro e foi embora. 

Xxx: - Eu liberei ele mais cedo - uma voz feminina.

Entrei na sala, encontrando eles no sofá e uma garota na poltrona, quando ela me viu parou de sorrir.

One: - Essa é a Sn...- disse

Xxx: - A famosa - riu - Burguesa como você disse - olhou pro Jaewon. 

One: - Sim, mas ela é uma burguesa legal - pegou no meu pulso e me puxou para sentar no colo dele - Ela é a nossa médica, cuida da gente quando acontece algo.

- Ah, que legal - forcei um sorriso. 

Por que eu já não fui com sua cara?! 

One: - Afinal, onde você estava? Tão bonita assim e com o meu carro...- me olhou.

- Assumi seu lugar...- me levantei do colo dele - Enquanto estava afastado.

Jaewon riu olhando pro amigo, que assentiu. 

One: - Porra, vocês são loucos? E se acontecesse algo com ela?! - gritou pro B.I

- Não grita com ele, ele foi contra o tempo todo.

One: - Quem te apoiou?! 

- Isso não interessa! Os meninos me protegeram. 

One: - Onde estavam? 

B.I: - Com o Suk.

Jaewon passou os dedos nos cabelos.

Xxx: - Calma, One - se levantou e se aproximou dele, passando a mão nas costas do mesmo - Você não pode ficar nervoso.

One: - Pra onde você vai? - veio atrás de mim.

Abri a carro, peguei minhas coisas e fechei a porta.

- Embora.

One: - Droga, Sn! - segurou meu pulso - É perigoso! - me deu um selinho - Não sei o que faria se te perdesse! 

- Os meninos estavam lá. 

One: - Fica...dorme hoje comigo,eu estava com tanta saudade! 

- Achei que iria dormir com a médicazinha hoje - falei, ele arregalou os olhos me olhando. 

One: - Ô, não sabia que burguesa sentia ciúmes! - me abraçou. 

Revirei os olhos emburrada.

- Idiota! 

One: - Ela é só uma amiga. 

- Claro! Assim como o Jack e eu.

One: - Achei que não eram amigos. 

- Eramos antes e transavamos! Será que sua amizade com ela também é assim? 

Ele se afastou de mim, colocou as mãos nos bolsos na calça e me encarou.

One: - Tem que confiar no que digo.

- Que nem a vez que disse que não tinha envolvimento no sumiço do Dylan? 

One: - Porra, de novo isso, Sn?! 

- Melhor eu ir embora! 

One: - O que você quer?! Quer que eu a mande embora? 

- Não, quero ir embora.

One: - Tem certeza? - me olhou com uma carinha fofa de choro.

- Só não vou porque o Zico foi embora.

One: - O que o Zico tem a ver? 

- Nada - voltei pra dentro da casa o deixando confuso. 

Subi as escadas, entrei no quarto dele, joguei minhas coisas no canto e sentei na poltrona. 

- Estamos namorando? - fechou a porta. 

- Me assustou! - o olhei - Meu pai quer que vá em casa.

- Eu? Mas ele sabe de mim.

- Não sabe quem exatamente é você, mas não tem problema.

- Como não? Se o Smith for lá? - sentou na cama.

- Sr.Smith não ira está no jantar de família - me levantei - Vou tomar banho. 

(...)

Sai do banheiro vestindo apenas a camisa dele. O mesmo já estava deitado, sentei na cama, tirei as pantufas e deitei.

- Ela me liberou mais cedo, não aguentava mais ficar sem te vê.

O abracei, o senti contrair o abdômen.

- O que foi? - perguntei. 

- Nada.

- Jaewon! 

Liguei o abajur e abaixei o edredom. 

- Merda, o que aconteceu? 

Tinha um curativo médio no abdômen, por isso ele contraiu quando tomei.

- O que é isso, Jung Jaewon?! - sentei na cama.

- Nada demais, só um tiro de raspão. 

- Ah, só um tiro de raspão! - falei brava - Não deveríamos ir para o hospital? 

- Não, os médicos ligam para a polícia quando envolve esse tipo de coisa.

- Aish, mas...

 Ele me beijou. 

- Eu estou bem! 

- Yuna cuidou de mim, disse que eu só preciso descansar, nada de esforço. 

- Tem certeza? - perguntei preocupada.

- Sim! - me beijou. 

- Então não faremos sexo...

- Droga, Sn! 


Notas Finais


Ai gente! Por hoje é só esses dois caps mesmo, espero que tenham gostado! Obrigada por me acompanharem 😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...