História Filho do Coringa - Hot Kim Taehyung - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Filho do Coringa - Parte 2



IMAGINE HOT TAEHYUNG:

Não sei quanto tempo eu fiquei apagada, mas quando eu acordei me vi em cima de um prédio sendo pendurada por uma corda em volta dos meus pulsos, meu corpo balançava e eu me senti como um pedaço de carne no frigorífico.

Meu deus, se alguém cortar essa corda eu vou cair igual ovo podre lá embaixo.

Olho para cima e não consigo ver ninguém, eu estou com tanto medo que lágrimas escorrem pelo meu rosto, mas é um choro silencioso, dou uma olhada para baixo e consigo ver poucas pessoas ali me olhando, mas elas estão tão pequenas que não consigo ver o que estão fazendo ou se estão mesmo me olhando. O sangue não corre mais pelas veias dos meus braços e eu fico me perguntando por quanto tempo tenho que ficar aqui, Dealer, ou melhor, Taehyung fez isso comigo, eu estou com raiva dele, ele disse que me queria, mas parece que não liga se eu morrer agora já que me amarrou aqui nesse prédio.

Escuto um barulho e uma aterrissagem em cima do prédio e vejo o meu pai, quer dizer, o Batman, ele me vê ali amarrada e se eu conseguisse ver seus olhos tenho certeza que veria a preocupação estampada em seu olhar.

- Ora, ora, ora – Escuto a voz rouca de Taehyung – Parece que finalmente o Batman resolveu aparecer para buscar a sua pequena menina – Ele diz e sinto que ele está sorrindo.

Batman solta um rosnado furioso e parte para cima de Taehyung e os dois começam a lutar, eu não consigo ver nada, só escuto barulhos de murros, risadas e som de bombas que um deles está jogando, até que do nada escuto um barulho diferente, um som de porta sendo arrombada.

- Parece que meu filho estava certo sobre você e essa garota – É a voz do palhaço psicopata, é o Joker, ele está aqui.

- Podemos deixar a garota em paz, mas para isso acontecer queremos saber quem é você, vamos, ou a garota morre – Joker diz pegando uma faca e se direcionando para onde eu estava pendurada. Eu olhei para Taehyung e ele estava sério, não demonstrava nenhum sentimento. Ele tentou me enganar, ainda bem que não falei nada sobre o meu pai ser o Batman.

- Deixe essa garota em paz, ela não tem nada haver com a nossa rixa – Batman diz com a famosa voz rouca dele.

- Nós até poderíamos, mas somos os caras maus aqui, então não vamos – Joker diz dando uma gargalhada enquanto brinca com a faca perto da corda que me segura.

- PARE – Batman grita e eu me tremo de medo, Taehyung deu um passo para frente em direção ao pai.

- Não – Joker diz sorrindo largo e passa a faca na corda e eu sinto meu corpo leve e percebo que estou despencando, estou indo em direção ao solo, a última coisa que eu vejo é Taehyung correndo até a beirada do prédio. Fecho os olhos, mas no momento seguinte sinto algo me agarrar e me virar, vejo os braços fortes e cobertos pela roupa do meu pai. Meu pai me salvou. Vejo que ainda continuamos caindo afinal ele não consegue voar. Quando nos aproximamos do chão meu pai me aperta mais contra ele para me proteger do baque. Caímos em cima de um carro que estava estacionado e meu pai sentiu todo o impacto, a sorte é que a roupa dele protege seu corpo.

- Está tudo bem? – Ele pergunta com a sua voz de Batman.

- Estou sim, e o senhor? – Pergunto preocupada.

- Eu sempre fico bem – Ele diz e eu dou um sorriso. Ele aperta em alguma coisa e eu escuto uma carro parar ao nosso lado. O Batmóvel.

- Vamos – Ele manda e eu entro no carro junto com ele e meu pai acelera pelas ruas de Gotham.

Ele dá várias voltas pela cidade para ter certeza de que o Joker e o Dealer não estão nos seguindo.

- Eu descobri o nome do Dealer – Digo e meu pai me olha por alguns segundos e depois encara a rua.

- Qual? – Ele pergunta.

- Taehyung – Respondo.

- Um nome até comum para o filho dos psicopatas de Gotham – Ele diz e eu assinto.

Quando finalmente meu pai acha que não estamos sendo seguidos ele dirige até a nossa casa.

Quando chegamos na mansão Wayne, descemos por uma garagem secreta subterrânea, já são umas cinco horas da tarde, Alfred vem correndo até nós.

- Eu vi pelo noticiário o que aconteceu, você está bem, querida? – Ele pergunta abrindo a porta do carro para mim e quando eu desço, ele me abraça apertado.

- Alfred, eu estou bem, meu pai me salvou.

- Sempre vou salvar você, (S/n) – Bruce diz retirando a máscara de Batman e sorri para mim.

Depois que entramos em casa eu corro para meu quarto e tomo um banho e fico pensando em tudo que Taehyung disse para mim, ele desperta o desejo em mim, mas ele foi tão baixo em tentar me usar para conseguir algo do meu pai, ele quase me matou, ele e o seu pai psicopata, eu nunca mais quero ver ele.

***

Um mês depois:

Eu finalmente terminei meu colégio, já estou livre e focada na faculdade que irei cursar, já faz um mês que não vejo ou escuto falar sobre o Taehyung, mas o pai dele vem causando sempre uma confusão.

Estacionei meu carro, que meu pai me deu de presente quando passei em primeiro lugar no colégio, na frente de uma cafeteria localizado no centro de Gotham, estava indo atrás de livros novos para ler quando senti fome. Entrei no local e alguns homens engravatados olharam para mim, eles com certeza trabalham na empresa do meu pai, já que tem escrito Wayne Enterprises na roupa deles, então eles sabem que eu sou a filha do dono. Caminho até um balcão e peço um chocolate quente, já que está frio, junto com alguns cookies, pago e espero meu pedido, assim que ele me dá a comida me sento afastada das pessoas.

Bebo o chocolate e coloco um pedaço de cookie na boca e observo o tempo lá fora e me perco em pensamentos sobre os livros e CDs que irei comprar, quando a porta do local é arrombada com tudo, nem sei porque já que estava aberta, mas vejo Taehyung entrar com um fuzil na mão, agora eu entendo o porque dessa entrada, ele gosta de aparecer.

- Finalmente encontramos você, Senhor William, procurei você por toda Gotham, finalmente irá pagar o que me deve com a vida – Ele diz olhando para um cara que está em pé na minha frente, me encolho e observo a cena, todo mundo do estabelecimento está jogado no chão, menos eu, que estou encolhida na cadeira, e o tal de William que está em pé com as mãos para o alto.

- Por favor Dealer, eu posso pagar tudo só me dê mais tempo, eu preciso de mais tempo, por favor – Ele diz chorando de medo.

- Eu já te dei todo o tempo que precisava, agora sua hora chegou – Taehyung diz e atira na cabeça do homem fazendo sangue espirrar no chão e na parede. Eu tampo a minha boca para não fazer nenhum barulho, mas assim que o corpo de William cai no chão, eu fico amostra para ele, Dealer me encara surpreso e depois um sorriso surge em seu rosto. Ele joga sua arma para Jimin, que estava do seu lado, e se aproxima de mim com os braços abertos.

- Pensei que estava morta, mas parece que aquele Batman conseguiu te salvar – Ele diz e me puxa pelo braço e me prende ao seu corpo – Agora vamos ter uma conversa apropriada, Sweet – Taehyung diz e sai me arrastando de dentro da cafeteria e me joga no braço de Jimin e se vira para as pessoas do local – Tenham um ótimo dia, espero não ter assustado vocês com esse pequeno… assassinato, mas quem me deve sempre acaba morrendo, lembrem-se disso – Ele diz e me pega novamente e me enfia dentro do carro dele e sai cantando pneu pelas ruas de Gotham. Taehyung tinha pego a chave do meu carro e mandando Jimin ir dirigindo com o meu carro até o local que Taehyung irá me levar.

- O que você quer comigo? Já não basta seu pai quase ter me matado agora você quer terminar o serviço dele? – Pergunto petulante e ele abre um sorriso.

- Ah Sweet, você e essa sua língua petulante, adoraria ter ela ao redor do meu pau – Ele diz isso de uma maneira simples e eu fico corada e ele ri alto – Amo a sua inocência, estou louco para tirá-la, mas respondendo a sua pergunta, não, eu não irei matar você, ainda – Ele diz sombrio.

- Ainda? – Pergunto com certo medo.

- Sabe, você me deixa louco, preciso senti-la, tocá-la e provar de você, quando eu enjoar eu provavelmente irei te matar – Taehyung diz isso como se tivesse falando sobre o clima, como se fosse normal.

- Eu não quero você me tocando, não quero você – Digo com convicção.

- Você vai me querer quando sentir do que eu sou capaz de fazer com seu corpo – Ele diz sorrindo largo igual ao pai dele.

Quando chegamos a um local afastado da cidade, Taehyung estaciona em frente a um galpão e Jimin para com o meu carro logo atrás.

Ele me tira do carro segurando meu braço com força e as portas do galpão se abrem e vejo que por dentro é como se fosse uma casa, é grande e espaçosa.

Taehyung vai me levando escadas acima e passamos por um corredor meio escuro e finalmente na última porta ele abre e me joga em cima da cama que tem lençóis roxos de seda.

- Agora fique aí e seja boazinha, tenho alguns acertos de contas para tratar – Taehyung diz com um sorriso grande e fecha a porta e em seguida tranca.  

Passo o resto do dia trancada.

Eu estou tão cansada, me sento na cama e arrumo a minha saia que está amassada e prendo meu cabelo. Pelo menos a roupa que estou usando é confortável, uma saia preta de tecido leve e uma blusa branca simples de mangas compridas, tinha deixado meu casaco no meu carro. Retiro meu sapato e me enrolo nos lençóis da cama, o ar condicionado está no mínimo e estou começando a ficar com frio.

Pego no sono muito rápido.

***

Acordo soltando um gemido, me sinto quente, estou sentindo muito prazer, vou abrindo meus olhos e não vejo ninguém, mas sinto novamente algo me tocando lá no meio das minhas pernas, sinto algo molhado tocar meu clitóris e solto um gemido de prazer, me ergo pelos cotovelos e retiro o lençol de cima de mim e vejo Taehyung no meio das minhas pernas me chupando, ele ergue o olhar e me encara malicioso e me chupa com força e eu caio deitada gemendo longamente. Deus, o que está acontecendo? Ele me acordou com um sexo oral.

Porra.

Sinto um dedo dele entrar em mim e eu rebolo lentamente nele, Taehyung solta um rosnado e volta a me chupar com gosto e eu sinto que estou cada vez mais próxima do orgasmo. E foi o que aconteceu, eu gozei fortemente na boca dele e Taehyung sorriu malicioso.

- Eu fui o causador do seu primeiro orgasmo – Ele diz e eu solto um sorriso debochado.

- Não foi não – Digo e ele se levanta com tudo de cima de mim e me encara com os olhos em chamas. Ele segura seu rosto e me obriga a encarar ele.

- Quem foi? – Taehyung pergunta sério, ele está com ciúmes.

- Quando eu tinha 16 anos fui a uma festa e lá um menino me tocou até eu gozar, ele foi um ficante meu – Digo e Taehyung me encara mortificado.

- Qual é o nome do filho da puta? – Pergunta com raiva.

- Não lembro mais, ele não era tão importante assim – Digo me sentando e abaixando minha saia, vejo os pedaços da minha calcinha do meu lado. Ele rasgou a minha calcinha.

- Bom, já que ele foi o primeiro no orgasmo eu vou ser o primeiro a tirar sua virgindade – Ele diz e volta a ficar em cima de mim.

- Não, você não vai – Digo e tento sair.

- Vou sim - Ele me beija com fervor e eu tento recusar, mas sinto sua mão lá embaixo, me estimulando novamente, solto um gemido e ele aproveita para aprofundar o beijo e acabo cedendo. – Você tem um gosto maravilhoso – Dealer diz com a voz rouca.

Ele se separa e tira a minha blusa e arranca a minha saia me deixando apenas de sutiã. Coro quando ele tira a última peça do meu corpo e fico nua na frente dele. Eu não devia deixar ele fazer isso comigo, mas eu não ligo mais para isso, só quero ele logo.

- Você é muito gostosa, quero estar dentro de você – Taehyung diz e eu gemo quando sinto os lábios dele se fecharem em meu mamilo e o sugar com força, ele planta vários chupões nos meus seios e sobe para meu pescoço, sinto a ereção dele dentro da calça e me esfrego ali nele. Taehyung geme e tira a blusa roxa de botões que vestia, encaro seu peitoral cheio de tatuagens e vejo ele retirar sua calça e em seguida sua boxer, seu membro está duro e é grande, estremeço com o medo, irá doer, eu sei disso, mas a pessoa com quem eu vou perder a virgindade não me passa nenhuma tranquilidade, eu estou quase desistindo quando sinto novamente a língua dele tocar na minha intimidade, eu gemo alto e cravo meus dedos no cabelo dele.

- Taehyung… Tae... – Gemo e ele me encara.

- Geme o meu nome – Ele manda e volta a me chupar e eu gemo o nome dele mais uma vez.

Taehyung sobe e fica por cima de mim. Ele coloca seu membro na minha entrada e eu o encaro. Ele passa a glande de seu pau no meu clitóris e eu gemo e no minuto seguinte ele entra com tudo dentro de mim, solto um grito de dor e lágrimas caem dos meus olhos, Taehyung solta um gemido de prazer alto. Eu uso anticoncepcional desde os meus 16 anos, então estou mais segura de não usar camisinha, só rezo muito para ele não ter nenhuma doença. Taehyung fica parado dentro de mim e eu cravo minha unha nas costas dele e gemo de dor quando ele se movimenta.

- Taehyung… dói – Falo com a voz chorosa.

- Logo irá passar – Ele diz e se movimenta devagar dentro dele mim e percebo que ele está se segurando para não me foder como ele realmente quer. – Porra, você é tão quente e apertada – Taehyung fala roucamente gemendo no meu ouvido, isso me deixa excitada e faz com que eu comece a sentir prazer.

- Mais rápido – Peço abrindo mais as pernas e o recebendo melhor.

- Com certeza, minha Sweet – Ele geme e começa a me penetrar com mais força e eu solto um grito e arranho as costas dele com vontade, parece que ele gosta de sentir dor porque não reclama quando eu o arranho sem piedade.

Ele entra e sai de mim com força e eu estou gostando, Taehyung me beija com vontade e desce para meu pescoço onde deposita vários chupões e mordidas, eu o agarro pelo pescoço e ele aninha seu rosto na curvatura do meu pescoço e fica respirando meu cheiro.

- Seu cheiro me excita tanto.

Ele dá uma estocada com força e eu grito e gozo ao redor dele e sinto minha intimidade apertar o pau dele e Taehyung solta um gemido alto e no minuto seguinte sinto os jatos dele me preencherem por completo. Taehyung continua gemendo até parar de ejacular dentro de mim.

Dealer me encara, ele está sério e eu o encaro de volta.

- Eu não vou matar você, eu me viciei no seu corpo, agora você é minha, você é a propriedade de Dealer Joker Quinn, propriedade do Taehyung – Ele fala e volta a me beijar e beija também meus seios em seguida.

Eu estou tão atordoada que só lembro que depois disso fizemos sexo mais algumas vezes, ele disse que a noite ele iria aparecer no meu quarto para provar mais de mim, deixou o número dele no meu celular e pegou o meu número, falou que ninguém agora pode encostar em mim nem mesmo o pai dele ou qualquer outro vilão, eu não sei o que eu sinto por ele, mas é forte.

Depois de todo o sexo que fizemos ele me levou para casa e me deixou algumas quadras antes da minha mansão para eu poder trocar de carro e ir com o meu, que o Jimin estava trazendo.

A partir daí eu e ele nos encontrávamos sempre, não posso negar, eu estou ficando apaixonada por ele, mas é um amor que não sei se tem futuro. Eu sou filha do Batman e ele é filho do Joker, nada está ao nosso favor.

                             *****


Notas Finais


Me dêem bastante comentários em todos os capítulos por favor, estou péssima aqui ao ver que minhas fanfics foram todas apagadas 😔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...