1. Spirit Fanfics >
  2. Filhos de Apokolips >
  3. A fúria de um Uchiha

História Filhos de Apokolips - Capítulo 6


Escrita por: SrZaniel

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 6 - A fúria de um Uchiha


Fanfic / Fanfiction Filhos de Apokolips - Capítulo 6 - A fúria de um Uchiha

O sol ainda brilhava no céu azul da tarde sem nuvens, mas era levemente ocultado pela poeira e fumaça que se erguia das chamas da vila atacada. Os parademônios desconhecidos daquele mundo onde os inimigos eram simplesmente humanos, era problema para muitos shinobis que desconheciam tais seres. Kalibak era cruel e não importaria se seus adversários eram crianças, ele daria tudo de si para cumprir a missão dada por Godfrey.

- Vamos mostrar para essa coisa do que nós somos capazes, pessoal! – Boruto bate o punho na sua mão e mostrando um sorriso confiante, inicia um ataque.

Mitsuki e Sarada correm em paralelo confundindo Kalibak que não saberia qual atacaria e por isso, optou por golpear o chão causando tremores. Boruto estava acompanhado de outros dois de si mesmos que então gritam:

- Palma vendaval! Corrente Boruto!

Fortes explosões de ar ocorrem na palma das réplicas que sustentam Boruto e depois o lançam como um torpedo rumo ao alvo. Quando o guerreiro filho de Darkseid pensa em reagir, percebe ele estar com sua mão direita imobilizada. Os braços de Mitsuki lhe prendiam a longa distância como correntes que saiam do chão e lhe puxavam. Sarada em posição oposta disparava esferas de fogo pela boca, obrigando o guerreiro a se defender com a outra mão.

- Teisho! – Gritou Boruto ao acertar o peitoral do imenso ser a sua frente, e não causar absolutamente nada em sua estrutura, como se o golpe nunca tivesse sido executado.

- Crianças burras! Grah! – Com uma mão, Boruto é erguido e esmagado no chão. Com a outra, Mitsuki é feito de corda e assim jogado contra Sarada. – Eu sou puro poder!

Para o disfarce de Kalibak, até sua voz era modificada. A armadura que escondia sua face não deixará ninguém saber quem se esconde ali.

- E um tagarela! – Grita o loiro que se levanta com facas de ponta triangular na mão acertando o braço desprotegido de Kalibak. – Liberação de raio! Pessoal agora!

O plano desde o início era focar naquele braço desprotegido e assim lhe dar foco. Mitsuki faz seus sinais de mão e exclama:

- Cobra relâmpago! – Fazendo de sua palma surgir o ofídio luminoso que acerta o braço de Kalibak que era paralisado pela carga elétrica.

- Chidori! – Exclamou a menina de óculos que saltando golpeou o braço do gigante homem com sua palma elétrica certeira. Kalibak tentou atacar novamente com sua clava, mas uma estrutura bizarra segura santo sua cabeça quanto seu braço.

- Nem pense nisso, bastardo. – Diz o quarto shinobi com moicano. A mão direita de Kawaki era transmutada numa estrutura forte para conter o novo deus.

Quando os raios acabaram, todos mantiveram distancia ficando em posições especificas enquanto observavam o ser atordoado.

- Mais um golpe e ele cai. – Diz Kawaki olhando o corpo que soltava fumaça com desprezo. Mas nada era fácil vindo de uma criatura como Kalibak que começava a rir. – Qual a graça?

Sem responder, o grande guerreiro salta sentido Kawaki e com apenas um soco, lhe subjuga por trás da defesa biológica do rapaz que mal se aguentou de pé. Sarada usando de seus olhos escarlate jogou diversas estrelas ninjas eletrizadas, mas elas sequer penetravam a armadura e Kalibak que sem dificuldade acertou um forte golpe contra a garota que foi jogada no chão como um raio e, como um macaco, Kalibak saltou de casa em casa para enfim erguer um tanque de água e jogar sentido o grupo de crianças.

- Sarada! Seu maldito... – Soltou Mitsuki que perdendo sua misericórdia, tornou-se um ser luminoso com um chifre em sua testa. Sua velocidade impressionou o novo deus que enfim se assusta com a visão de cobras de energia lhe fazendo soltar o tanque de água em sua própria cabeça.

Boruto de longe faz um movimento estranho como se atacasse algo, e após se aproximar e chamar atenção do irado ser, surge o efeito daquilo que foi arremessado. O rasengan invisível quebra mais uma área da armadura de Kalibak. Deixando sua barriga peluda e malhada a mostra.

- Boruto, você acerta o braço. Eu dou cobertura e Kawaki a barriga. – Mistuki então se torna líder enquanto seus cabelos pareciam fogo em movimento. Boruto sequer percebe a presença de Kawaki ao seu lado, mas não toma susto indo apenas atacar a criatura diante de seus olhos.

Com kunais elétricas, Boruto atacava as regiões do braço e costas enquanto Kawaki atacava os joelhos e a barriga do novo deus. Mitsuki irado evitava que os movimentos de Kalibak fossem bem elaborados, fazendo com que ele deslize até o momento em que solta sua clava. Ao ver que a arma cai, Mitsuki libera serpentes de seu manto e assim empunha a poderosa clava-beta de Kalibak. O objeto era pesado, mas graças ao modo sábio usado pelo shinobi, conseguiu ele atacar o dono da arma com grande força. A máscara do guerreiro havia se partido deixando cair alguns pedaços e graças ao erro de um eufórico, se ouve a voz:

- Seu estupido, saia logo daí antes que vejam seu rosto!

- Não vai mesmo! Ataque da fênix sabia! – A voz de Sarada surge no céu cuspindo fogo em direção ao novo deus.

Mesmo com uma mão segurando os restos da sua máscara, o guerreiro consegue nocautear a garota com poucos movimentos. Jogando seu corpo próximos aos pés de uma pessoa misteriosa de cabelos lisos e um manto negro que era levado pelo vento que também revelava os olhos daquele sujeito. Um olho possuía anéis roxos pontilhados num padrão enquanto o outro um caleidoscópio vermelho.

- O que você fez com minha filha?

Foram as palavras de Sasuke Uchiha ao ver o corpo de Sarada repleto de sangue. Sem seu braço direito, o shinobi de grande poder sacou sua espada e encarou de forma fria o sujeito que tentaria fugir a partir de então.

- Boruto, Kawaki, Mitsuki... levem a Sarada para um lugar seguro e me esperem lá.

- Nem pensar! Nós quatro podemos...

- Boruto...! – Sasuke não queria ouvir ninguém naquele momento e com um simples olhar, fez Boruto perder sua coragem e apenas seguir suas ordens.

- Um braço contra um braço parece uma luta justa, mas eu não tenho tempo para isso então vamos... Agh! – Interrompido por um grande calor que só aumentava, chamas negras surgiam nas pernas de kalibak.

- Vou te mostrar o que acontece quando tocam na filha de um Uchiha!

Com um relâmpago, o shinobi atacava o novo deus de todas as direções, tentando acima de tudo tirar a mão da sua própria face. As chamas negras tinham a forma de espinhos cruzando os joelhos de Kalibak o prendendo como uma armadilha de urso.

- Me tirem daqui! Agora! – Gritava Kalibak que não conseguia prever os movimentos cirúrgicos de Sasuke. Quando parado frente ao novo deus, mantendo uma distância mínima, Sasuke preparou sua mão com o chidori, e depois o implementou com as chamas de amaterasu. – Vai!

Um tubo cilíndrico de luz surge atrás do guerreiro lhe puxando como um buraco negro luminoso e padronizado com um fundo que não era visto nada além de luz.

- Não vai mesmo! Bansho Tennin! – A fúria do shinobi lhe fez usar uma das técnicas de seu olho roxo, onde tentou puxar o novo deus, fazendo seu corpo ser puxado para as duas direções ao mesmo tempo. O chidori enfim acerta a costa da mão de Kalibak, ferindo-o gravemente e depois lhe jogando para o tubo de explosão que logo se fecha. – Isso ainda é pouco...

Foram as últimas palavras daquele nobre ninja que então parou para ver a situação da aldeia. Fumaça, fogo, poeira, destroços ainda a cair pelo mero bater do vento. O céu estava bonito, mas aquele dia foi marcado como a primeira visita dos novos deuses para aquela terra desolada que sempre viveu guerras.

- O q-que... o que aconteceu? – Os olhos negros da jovem garota agora de cabeça enfaixada revelavam tristonhos olhares para si. Seus pais e seus amigos estavam preocupados por conta dos graves golpes que levou.

Não somente Sarada, mas também Boruto e Mitsuki aparentavam estar bem feridos devido ao que ocorreu. Konohamaru estava logo na maca ao lado com braços e pernas engessadas e uma máscara para respirar.

- Ficamos preocupados com você. – Dizia Boruto que logo deu espaço para que Sakura abrace sua filha. – Ainda bem que o Sasuke chegou logo.

- E aquela coisa foi embora? – Questionou a pequena ninja enquanto procurava seus óculos vermelhos.

- Sim. Alguém ajudou ele a fugir. – Diz o pai da garota que entrega o óculos para ela e depois lhe faz um leve carinho na bochecha. – Você foi corajosa, mas tome mais cuidado... o mesmo se aplica a vocês, rapazes.

- Onde eles estão?! – Uma voz ecoa do corredor chamando a atenção de todos da sala. Sasuke coloca a mão sobre o cabo de sua espada, mas antes que possa sacar a lâmina, a porta bate revelando ser o líder da aldeia. – Vocês estão bem?! Eu vim assim que soube!

- Pai, não deveria estar vendo o que aconteceu com aquelas coisas? – Questionou o jovem Boruto diante de seu pai que apenas lhe abraçou matando sua preocupação.

Naruto Uzumaki era líder da aldeia e, assim como seu filho, tinha ele cabelos pontudos e olhos azuis, embora os cabelos sejam mais curtos. Sua blusa laranja abaixo do manto branco e vermelho logo faziam sua pessoa ser reconhecida por todas da aldeia.

- Meus clones estão olhando para mim. Eu deveria ter ido assim que tive oportunidade, mas tive problemas com uma invasão na torre do hokage.

- Invasão?! – Questionou Sakura surpresa.

- Sim. Um tipo de cão mecânico gigante estava causando problemas e eu tive que os caçar o mais rápido possível. Eu não sabia que vocês estavam lutando contra aquela coisa, se eu soubesse eu teria trocado de lugar com os Ambu e iria o mais rápido possível.

- Ataques coordenados... essas coisas foram as mesmas que atacaram o orfanato e foram derrotadas pelo Koji, Takero e a Himiko... – Fala Mitsuki que pensativo demonstrava interesse no que lhes era um mistério. – Isso tudo parece estar apenas sendo uma ponta de iceberg...

Enquanto duvidas surgiam na cabeça dos shinobis de konohagakure, Koji olhava o céu vermelho e negro, poluído da região central de Apokolips, a famosa capital Armagetto. Gritos de raiva, choros de pavor e som industrial não poluíam a mente de Koji Hyuuga que se perdia num mar de questionamentos. Encapuzado com um manto negro serviu ele para que uma figura lhe encontrasse e transmitisse uma notícia.

- Capitão, reunião na casa da Vundabar. – Foram as palavras de uma bela figura com cabelos loiros e um vestido amarelo e objetos que pareciam imitar uma armadura. Koji suspirou e com apenas um selo de mão, teleportou ele para o local. Gilotina logo fica sem graça por conta do silêncio, mas logo sai do local.

Na casa de Vundabar, na porta de um dos laboratórios onde ocorria a tal reunião, Koji se deparava com Himiko no corredor onde logo esperaram juntos a reunião acabar. Ambos estavam cobertos pela capa negra que carregava o símbolo ômega em seus ombros e para evitar o silêncio, jogam conversa fora a respeito do que poderia ser a reunião, até que:

- Quanto tempo de reunião? Parece não ter fim. – Questionou Koji que recém-chegado, parecia já querer sair dali.

Antes que alguém lhe responda, a porta se abre revelando Takero também encapuzado e sorrindo dizia calmamente:

- Querem dar uma volta por Konoha?


Notas Finais


Uma visitinha não mata ninguém, não é? ou será que...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...