História Fim!! Apenas o começo?! - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 1
Palavras 1.682
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ecchi, Ficção, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Para que não lembra, Jorge foi o primeiro demônio que apareceu com nome na história

Capítulo 18 - A morte de Jorge


Passando-se mais quatro dias e completando uma semana que Victor estava na outra escola já era hora de retonar

Bruna – É hoje! O Victor esta voltando, e quando ele chegar nós dois vamos esclarecer as coisas

No portão da outra escola

Victor – Onde será que ela esta?

Diretor – Calma ela já deve estar chegando

Kele – E ai pirralho onde você esteve? Eu fui até a enfermaria para ver se você estava morto, mas a enfermeira desse que depois de você acordar, você simplesmente sumiu

Victor – Eu passei o resto da semana treinando, mas esse não é o caso aqui. Você esta muito atrasada

Diretor – Bem, já que ela esta aqui acho que vocês podem ir

Victor – O senhor esta certo – desse levantando vôo – vamos Kele – desse olhando para garota – o que foi? – pergunta ao ver a garota ainda no chão

Diretor – É que a Kele não tem asas ainda

Victor – Serio?

Kele – Serio!Qual o problema – diz irritada

Victor – Então eu te levo – diz voltando ao chão

Kele – Me leva?

Victor – Sim, eu vou te carregar

Kele – Me recuso, a deixar que você me carregue, você pode muito bem se aproveitar da situação

Victor – Se você acha isso, então você pode ir dentro disso – diz mostrando a caixa que havia recebido do Instrutor Paulo

Kele – O que é isso?

Victor – É uma caixa com um espaço dimensional que seu tio me deu para carregar a bagagem

Kele – Está bem, eu vou deixar você me carregar, mas se você fizer qualquer coisa eu contarei para o meu tio e ele vai te castigar

Victor – Esta decidido então – diz pegando a garota no colo – Obrigado pela hospitalidade Diretor – diz dando um grande impulso com as asas e voando

Depois de alguns minutos Victor e Kele já estavam perto da área que Victor avia ouvido o som de batalhas

Victor – Estranho, a uma semana havia uma grande batalha acontecendo aqui

Kele – E qual o problema? Pelo menos não tem sinal de ninguém

Victor – Isso é o estra- foi interrompido ao ser atingido por alguma coisa e caindo ao chão fazendo uma bola com as asas

- Olha quem eu encontei aqui!

Victor – Essa voz, é daquele demônio no primeiro dia o ... Jorge – pensou – Kele você esta bem?

Kele – Sim, mas o que foi isso?

Jorge – Ei, moleque, é bom te ver, mas dessa vez nós estamos fora da escola e aqui eu posso te matar e ninguém vai fazer nada – disse descendo ao chão

Victor – Eu discordo, para mim é um desprazer em te ver de novo, seu velho

Jorge – Você é mais língua afiada do que eu imaginei

Victor – O que você quer?

Jorge – Te matar e pegar de volta a espada do orgulho

Victor – Eu já disse que eu não estou com ela

Jorge – É o que vamos ver – diz dando um impulso, acertando Victor no rosto e o arremessando para longe de Kele – foi bem fácil

Victor – Achou que esse soco ia me matar?

Jorge -Mas oque é isso que você esta vestindo?

Victor – Essa é a impacto, uma armadura de combate que eu desenvolvi nos últimos quatro dias, ela não esta completa ainda mas vai dar pro gasto contra você

Jorge – Tá se achando meio de mais garoto. Você esta precisando apanhar um pouco para ver se coloca a cabeça no lugar

Victor – Acho que quem tem que colocar a cabelos no lugar é você, seu velho gagá – diz tirando a espada que Paulo o deu das costas

Jorge – Então você que lutar usando armas, tudo bem vamos la então – diz fazendo uma espada a para mente mente enferrujada

Victor – Você vai batalhar contra mim com essa coisa velha e enferrujada? – pergunta debochando

Jorge – Não importa a aparência da arma, mas sim o seu corte – diz e logo em seguida parte para cima de Victor, Victor consegui bloquear alguns golpes, mas lodo recebe um golpe direto que provoca um corte não muito profundo no lado direito do peito

Victor – Essa foi por pouco, se tivesse sido mais profundo acho que nem conseguiria me mecher por caus da dor

Jorge – Ainda acha que é a aparência que faz a arma, garoto?

Victor – Não, não acho mais, agora esta na hora de eu te mostrar o meu poder – diz dando um impulso e batendo de frente contra Jorge espada com espada

Kele observava de longe

Kele – A forçá dequele tal Jorge é nível 120, sendo que o poder corporal é nivel 50 e a magia é nivel 70 ele é muito forte, mas se olhar o Victor a força corporal dele é nível 40 mas acho que é por causa da armadura e da espada que meu tio deu para ele, a espada deve ter um feitiço que dobra a força do usuário e a armadura também – pensa com sigo mesma

Jorge – Vamos acabar logo com isso garoto, afinal você só tem uma coisa para perder neste momento

Victor – O que você esta falando?

Jorge – Estou falando sobre a garota – diz empurrando Victor para traz e indo em direção a Kele

Kele – Por que ele esta vindo em minha direção? – pegunta enquanto começa a correr

Victor – Você não vai tocar nem em um fio de cabelo dela

Jorge – Quer ver como eu vou? – pergunta ao dar um grande impulso e chegando em Kele, em questão de segundos – agora é o seu fim garota e pode agradecer a ele – diz diferindo um golpe

Victor – Haaaa – grita ao ter suas costas cortadas da altura do ombro direito até a estremidade da coxa esquerda – eu disse que você não encostaria nem em um fio de cabelo dela – grita desferindo um golpe, o qual Jorge decapita Jorge

Kele – Você matou ele! – diz assustada

Victor – Isso é o de menos, quando os companheiros dele perceberem que ele esta demorando a voltar, eles virão atrás dele e não seria nada bom que eles nós achessem, então vamos embora – diz pegando a garota no colo novamente e saindo do local o mais rápido possível – Paulo eu vou sempra cumprir a promessa que eu lhe fiz no leito de sua morte a 9 anos atraz, eu sebre cumpri e sempre vou cumprir - mormura

Depois de mais alguns minutos Victor e Kele se aproximavam da escola

Instrutor Paulo – Bruna, veja parece ser eles

Bruna – Victor – grita acenando vendo ele se aproximar

Victor – Saiam da frente

Instrutor Paulo/Bruna – O qu – se enterrompem ao ver Victor e Kele cairem poucos sentimetro depois do portão

Instrutor Paulo – Vocês estão bem? – pergunta correndo em direção aos dois

Kele – Eu estou, mas não posso garantir que ele esta - diz saindo de cima de Victor

Bruna – Victor, você esta bem? – pergunta preocupada

Victor – Pra falar a verdade acho que esse é o meu fim – diz dando uma risada

Bruna – Não brinque com isso

Instrutor Paulo – A julgar pelas marcas no corpo dele, contra o que ou quem vocês estavam lutando?

Kele – Eu nada, ele que lutou contra um demônio chamado Jorge

Instrutor Paulo – Agora confirmei minha suspeita, ele foi envenenado

Bruna – Como assim?

Instrutor Paulo – Veneno de demônio, Jorge era especializado nesse tipo de veneno, se ão levarmosr ele para enfermaria rápido e começar a eatração do veneno ele pode morrer dentro de algumas horas ou agonisar vários dias até morrer

Paulo e Bruna levam Victor para a enfermaria e a enfermeira começa a eliminar o veneno do corpo de Victor, depois de alguns dias Victor acorda e se da conta de que esta na enfermaria

Victor – Ainda estou vivo?

Bruna – Você esta sim – responde entrando na enfermaria – e é bom que você ainda esteja vivo – diz o abraçando

Victor – Quantos dias eu fiquei apagado?

Bruna – Não foram dias, mais sim semanas

Victor – Semanas? Quantas?

Bruna – Foram quatro semanas, nós já estamos quase acabando a treinamento com o arco e flecha

Victor – O que mais eu perdi?

Bruna – Bem, a estreia do distrito comercial, é um shopping na verdade, a criação do conselho estudantil, que tem a função de corrigir e julgar os alunos que quebram as regras, a líder é a Kele e os outros membros são os representantes de classe

Victor – Então não perdi nada de importante, bem já é hora de eu levantar daqui e me exercitar um pouco

Bruna – Você não pode fazer isso

Victor – Por que? Se eu não levantar daqui eu vou ficar sedentário e não poderei cumprir a promessa que te fiz

Bruna – Você pode ficar ai mais um pouco até a Enfermeira te liberar

Victor – Certo, eu espero

Bruna – E sobre a promessa, eu gostaria que você fosse ao shopping comigo no final de semana

Victor – Eu vou com o maior prazer

Minutos depois a Enfermeira chega e libera Victor, ao chegar ao apartamento Bruna abri a porta

Pedro – Victor seu desgraçado, filho de um demônio! – diz socando a cara de Victor e o jogando para fora, do outro lado do corredor

Bruna – O que você esta fazendo?

Victor – Qual é a da recepção calorosa – diz se levantando do chão

Pedro – Não me venha com seu sarcasmos, seu merda

Nick – Ele ta assim por causa do John

Pedro – Pra você é fácil falar, porque nem aqui você estava passou a semana fora

Nick – Eu não queria interromper seu namoro com o John, e eu so passei tentando descobrir mais sobre aquela pessoa

Victor – Você ainda não tirou da cabeça a questão de descobrir quem te mandou aquele poema ?

Nick – Não foi só um, dia a pós dia ela tem mandado mais e mais, eu tenho que descobrir quem ela é

Pedro – Pouco me importa o que você estava fazendo, eu so sei que aquele viado me atormentou durante uma semana por causa do Victor

Victor – Você devia me agradecer, pelo menos confirmamos que você não é gay – diz entrando no quarto

Pedro – Ora seu canalha – diz vendo Victor entrar e fechar a porta do quarto

Victor – O que a espada e a caixa que o Paulo me emprestou esta fazendo aqui? Bem já esta tarde amanha eu devolvo, vou aproveitar que não tem ninguém dentro do quarto comigo e vou entrar na caixa para treinar um pouco


Notas Finais


Ate o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...