História Finalmente amor - Capítulo 289


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brokee, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Visualizações 858
Palavras 1.828
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 289 - E você vai?.


Fanfic / Fanfiction Finalmente amor - Capítulo 289 - E você vai?.

Duas horas se passaram, quando eu penso que ele vai parar de chorar ele só desaba mais, o meu pai sempre foi para mim um herói, um cara grande que me defendia do mundo, e o vendo assim, tão pequeno no meu colo e chorando sem parar me deixou triste, então quando ele finalmente parou eu só o queria fazer feliz.

-Que tal eu cozinhar um macarrão de domingo pra você?.

Ele sorriu com a lembrança e foi para o quarto rapido e sem olhar para mim, provavelmente ele está envergonhado por ter chorado tanto, eu também era assim.

Fui até a cozinha e ao abrir a geladeira me deparei com muitas latinhas de cerveja e um pote com um pedaço de pizza que cheira a meia podre.

-Tem um rato morto na geladeira -falei e ele apareceu na minha frenta para verificar.

-É só pizza.

-Pizza podre você quer dizer né, a quanto tempo isso ta guardado?.

-Algumas semanas, acho que foi a primeira coisa que eu comi quando vim morar aqui.

-Céus pai, isso tem um mês e meio.

-Que nojo, joga isso no lixo.

-Eu não, vai que eu pego uma infecção.

Ele foi fazer o que eu pedi e eu decidi abrir a dispensa, quando vi a mesma apenas com besteiras percebi que não teremos um almoço saudável e no momento é isso que meu pai precisa.

-Não tem macarrão? -ele perguntou.

-Nem macarrão nem nada que seja comestível e de origem não duvidosa.

-Idiota, e então o que sujere espertinha?.

-Nossa lanchonete favorita está servindo comida agora sabia?, vamos começar uma tradição nova.

-Qual?.

-O almoço saudável na nossa lanchonete favorita todas as segundas.

Ele deu risada mas acabou concordando comigo, fomos a lanchonete e lá eu fiz meu pai prometer comer coisas que não o façam ter uma diabetes, além disso também consegui fazer ele prometer voltar a trabalhar esse mês.

Iris pov.

-Até amanhã Lilo -beijei a bochecha do meu amigo quando vi Magie eatacionando.

-Oi amor -ela me deu um selinho e logo começou a dirigir- como foi seu dia hoje?.

-Começou péssimo, mas agora que eu vi você ele melhorou muito -peguei a mão de Magie e ela deu um beijo- e o seu?.

-Não notou nada de diferente em mim?.

-Eu notei que está de maquiagem, por acaso você se envolveu em uma briga e alguém te socou?.

-Não meu amor, eu passei a tarde com meu pai e choramos por horas.

-Por quê?.

-Ele não é pai do Junior.

-Nossa, ele deve estar arrasado, temos que fazer algo para animar ele.

Magie estacionou o carro e só então notei que tínhamos chegado no meu restaurante favorito.

-Você tem razão, mas hoje eu não quero que pense nisso -Magie desceu do carro e abriu a porta para mim- hoje é nosso aniversário de namoro e eu quero pensar só na gente.

-Você não esqueceu?.

-Como poderia?, você Iris Cabello, é o amor da minha vida.

-Jauregui, não se esqueça do Jauregui.

Ela sorriu e me deu um beijo, coisa que ela não tinha feito ainda hoje, então eu aproveitei cada segundo até ela separar nossos lábios.

-Vamos, eu fiz reserva -Magie me levou até nossa mesa e eu agradeci quando ela afastou a cadeira para que eu me sentasse.

-Sobre o que mais conversou com seu pai amor?.

-Ele perguntou sobre como andam os preparativos do nosso casamento, mas eu disse que vamos esperar passar seu aniversario e depois começaremos a nós preparar.

-Falando em meu aniversário, eu estava pensando em passarmos o dia no nosso lugar, o que acha?.

-Eu amei a ideia meu amor, era o que eu mais queria e precisava, só de pensar que depois do casamento vamos parar se transar bate até um medo.

-Quem disse que vamos parar de transar depois do casamento, enlouqueceu.

-Todo mundo para de transar depois do casamento, então vamos ter que aproveitar bastante.

-Eu não pretendo parar de transar com você depois do nosso casamento, de onde tirou isso Magie?.

-Mas amor, como vamos transar com as crianças?.

-Que crianças?.

-Os filhos que vamos ter.

Quando Magie terminou de falar isso os nossos jantares chegaram a mesa, eu esperei o garçom nos servi e o agradeci.

-Por que a cara de espanto? -ela perguntou.

-Pensei que você não queria filhos.

-O que eu quero Iris é ter uma família com você, hoje estamos comemorando aniversário de namoro mas daqui a quinze ou vintes anos eu quero comemorar aniversário de casamento e também quero comemorar aniversário de todos nossos filhos por quanto tempo Deus nós permitir estar vivas, eu te amo e por isso quero e vou passar o resto da minha vida com você.

Magie levantou a cloche do meu prato e quando ela fez isso três pequenos balões vermelhos com formato de coração subiram e na ponta de cada um tinham fotos nossas, uma com as lengendas.

"Minha amiga"

"Minha namorada"

"Minha noiva"

Era uma foto nossa quando amigas, uma como namoradas e a última era uma foto que tiramos nesse final de semana mostrando lindamente nossa aliança de noivado.

-Eu te amo -levantei para dar um beijo com carinho nela, eu não me importei com quem poderia olhar e achar ruim, eu apenas beijei minha namorada.

-Obrigada -ela falou quando as pessoas começaram a aplaudir- seu restaurante favorito não é homofobico, um ponto a mais.

Nós sorrimos e meu pedido de verdade chegou.

Camila pov.


Quando cheguei em casa essa noite eu logo notei que Lauren recebeu visita para o almoço pois nada cheira a queimado e minha cozinha parece até limpa.

-Oi meus amores -a voz de Lauren se fez presente no ambiente e eu suspirei sabendo que agora estava em casa.

-Enquanto você fala eu vou subir para tomar um banho -passei por ela e lhe roubei um selinho rápido.

-Ah, amor, a Iris fez macarronada no almoço e não precisa se preocupar em dar banho nas crianças, eu faço isso, pode tomar seu banho relaxada.

-Obrigada por isso -mandei um beijo para ela e fui até meu quarto.

O chuveiro de nosso banheiro é como a oitava maravilha quando estou cansada, hoje não poderia ser diferente, eu peguei uma turma nova e bem agitada, brinquei quase que o dia todo, amanhã desisto de ser a professora legal e vou ser obrigada a passar lição para eles ficarem um pouco quietos; quando meu banho quente acabou eu desci as escadas já de pijama e vi Lauren sentada dando comida aos nossos filhos.

-As vezes eu penso que fui louca em ter tantos filhos -eu disse a abraçando- mas quando vejo a mulher maravilhosa com quem casei só me faz ter certeza que foi a melhor coisa que já fiz na minha vida.

-E a melhor coisa que eu já fiz na minha foi ter me casado com a mulher dos meus sonhos.

-Ecaaaa -os três falaram quando nós beijamos- que nojo -Lucas falou e eu dei risada.

-Você mal aprendeu a falar e já ta copiando os seus irmãos, mas que monstrinho esperto -eu me abaixei para ficar na altura de Lucas e cheirei seu pescoço o fazendo dar risada.

-Também quero cheirinho -Miguel falou e eu não pude resistir.

Depois de encher meus filhos de amor eu sentei a mesa para comer com minha família, Lauren me contou por cima como foi seu dia já que não poderíamos conversar sério com as crianças a mesa; depois do jantar eu a ajudei a lavar a louça e colocamos as crianças para brincar em seus quartos.

-Agora que estamos sozinhas precisamos conversar -Lauren disse e eu me sentei de frente para ela.

-Como foi de verdade seu dia?.

-Bia ficou muito triste quando eu disse que não poderíamos mais pagar ela, ela aceitou vir uma vez por mês para te ajudar com a casa já que eu sou péssima nisso.

-Tudo bem, podemos viver sem isso, e como foi a reunião com seu pai?.

-Conversamos sobre a audiência de quarta, eu pedi para ser no período da tarde pois você não pode faltar no serviço, mas mesmo assim ainda ficou cedo, você consegue sair mais cedo?.

-Consigo sim meu amor, e o que mais seu pai falou?.

-Que a empresa pode voltar a ser minha ainda esse mês, mas as chances são poucas então ele me emprestou mais alguns dólares para passarmos o mês até você receber.

-E como você fez aquele macarrão?.

-Iris veio almoçar comigo, ela perguntou por que você voltou a trabalhar.

-Você mentiu? -ela assentiu- bom, acho que temos que falar pra ela, ela vai acabar descobrindo uma hora ou outra mesmo.

-Sabia que você falaria isso, então chamei ela pra almoçar amanhã mais uma vez.

-Vai dar tudo certo -disse e me deitei no ombro dela- vamos assistir um filme de terror?.

-Claro meu amor.

Lauren colocou o filme e por algumas horas nos permitimos esquecer o mundo e curtir uma a outra.

Quando acordei no dia seguinte estavamos na mesma posição de antes, deitadas no sofá e abraçadas como se o mundo dependesse do nosso abraço para continuar a girar.

-Lauren, acorda, vai deitar na cama.

Ela resmungou um pouco mas acordou assim que eu levantei do sofá.

-Vou acordar as crianças, faz o café? -perguntou com uma carinha de sono e eu apenas concordei- bom dia.

-Bom dia -lhe dei um selinho e caminhei até a cozinha para preparar algo.

Depois que tomamos o café da manhã Lauren subiu para arrumar os meninos pra escola eu peguei as cartas e estranhei quando vi uma carta da penitenciária com meu nome nela.

-Tem algo pra mim? -Lauren perguntou quando me abraçou por trás e eu neguei rapidamente- quer que eu te leve?.

-Não precisa amor, eu vou indo já, crianças dêem tchau para mãe de vocês.

Eles se despediram da mama e entraram no carro comigo.

No horário do almoço eu me juntei a Lucy em seu restaurante, ela se sentou a minha mesa e no meio da conversa pegou minhas cartas.

-Vamos ajudar vocês a pagarem as contas, mas amiga, por que tem uma carta do presídio?.

-Bom -suspirei- aparentemente o Shanw vai entrar no corredor da morte e seu último pedido é me ver e falar comigo.

-E você vai?.

-Eu não sei, acho que sim, digo, ele me deu a Iris, eu sei que não foi bom pra mim mas eu amo minha filha.

-Amiga, você gosta dele?.

-O que?!, não, claro que não, eu só...

-Camila, não mente.

-Eu não gosto do que rolou entre a gente no sitio, mas eu gosto dele antes entende?.

-Você gosta do Shanw antes do abuso?.

-Sim, eu gosto.

-Olha eu entendo, de verdade, e não acho ruim, mas o que Lauren vai pensar?.

-Eu não sei, eu acho que não vou falar para ela que vou.

-E você vai?.

-Vou, em respeito aos bons tempos que vivemos.

-Vamos rezar para ela não ter como descobrir.

-Assim espero.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...