História Find U Again (FUA) - Camren - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane, Fifth Harmony, Harry Styles, Lauren Jauregui, Normani
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Visualizações 111
Palavras 1.633
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Lírica, Literatura Feminina, Luta, Misticismo, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tá bom, não vou enrolar mais com isso, e como sei que vocês provavelmente vão querer minha morte, vou colocar de madrugada hehe
mas de qualquer jeito, boa leitura e bebam um calmante dessa vez

Capítulo 19 - Fateful day.


Continuação

— Nunca pensei que veria Lauren na cozinha, isso aqui... está maravilhoso!— Mike comentou ao mesmo tempo que enfiava mais uma garfada da massa que estava comendo.

Lauren apenas sorriu.

— O molho foi por conta da Camz.— disse ainda sorrindo.

— Devo te parabenizar, Camila. Está maravilhoso.— Clara elogiou e Camila sem querer corou, não muito.

— Obrigada, fiquei com medo de exagerar no sal.

— Que nada! É só dar a desculpa da gorgonzola.— Mike disse e as três começaram a rir.

— Eu não tinha pensado nisso.— Camila disse ainda rindo.

Estava ao lado de Lauren e de frente para Clara. Não que fosse algo importante a ordem da mesa, mas sentia-se estranhamente vigiada.

— Como estão Chris e Taylor?— Lauren aproveitou para perguntar já que sabia o quão demorado aquele assunto seria. Era um tempo extra.

— Chris está trabalhando em uma empresa de papéis, acredita?— Clara disse rindo.

— Como assim?— Lauren perguntou.

— Ele vende resmas de papel, é o gerente de tudo por lá.— Mike explicou.— Eu nem sabia que essa palavra existia até o dia que ele nos contou.

Mais risadas foram ouvidas e logo Clara continuou.

— Taylor está no último ano da faculdade.

— Isso eu sei! Sempre soube que ela faria alguma arte.— Lauren disse orgulhosa de sua irmã mais nova e por um momento lembrou de alguns acontecimentos que vivera ao lado dela.— Sem contar que ela é uma excelente atriz.

— Desculpa perguntar, mas o que ela está cursando?— Camila perguntou timidamente.

— Teatro!— Mike não escondeu o orgulho em sua voz.— Acredita?

— Sinceramente? Sim. Tay sempre teve essa alma artística, sempre admirei isso.

— Ela está tão feliz...— Clara comentou.

— Taylor sempre está sorrindo, não importa a situação.— Lauren disse.

— Sabe, eu tive o desprazer de vê-la chorar, por causa de um rapaz. Burro, no mínimo.

Lauren fechou os olhos rapidamente mas logo olhou sua mão junto à de sua namorada por baixo da mesa e suspirou. Se enganou ao achar que teria um tempo extra para esse assunto.

— E você, Camila? Creio que possui muitos bobos atrás de você.— Mike perguntou.

— Pai!

— Está tudo bem...— Camila a olhou sorrindo.— Talvez tenha, Mike. Mas já estou com alguém, então...

— E quem é o sortudo?!— Clara perguntou.

Droga!

— Um cara d—

— Por que não deixamos ela em paz e vamos para a sobremesa, hm?— Lauren a salvou de contar uma mentira sem pé nem cabeça mas não deixou de ficar pensativa.

Camila inventaria uma mentira dessas? Que nome ela falaria? Arthur?

— Lauren aprendeu a flambar só para essa ocasião.

A linha de pensamentos desconexos e duvidosos foi interrompida quando Camila anunciou a mais nova habilidade da morena.

— Nós esperávamos que você fosse comprar a comida em um bom restaurante e pronto! Agora flambar? Cozinhar? Tem algo que queira nos contar, filha? Todo esse trabalho só pode ter um motivo.

— O motivo é que estou feliz em ter vocês aqui... sou uma filha que sente saudade dos pais, sabia? Ainda mais agora que não estamos no mesmo lugar. Então sim, eu cozinhei para vocês e aprendi a mexer com fogo de uma maneira diferente para garantir que esse jantar seja no mínimo inesquecível. Perguntas?— Lauren foi direta e educada, sem ser grossa. E não estava mentindo, sentia muita saudade dos dois.

Sentia falta de sua mãe a colocando para dormir, não se importando com o fato de ela ser uma mulher adulta, e assistir programas de culinária com seu pai, mesmo que ela não entendesse a maioria dos termos. Afinal, ser filha de um chefe se cozinha não te faz chefe também.

Clara e Mike ficaram calados apenas absorvendo o fato de que Lauren não era uma pessoa fria e que estava ali de mal gosto. Era novo, visto que um dia Lauren fora irreconhecível. E ela queria falar. Queria gritar aos quatro ventos todos os porquês de sua frieza, de seu afastamento. Há meses atrás não ligaria para isso, mas ali tudo mudava. Assim que Camila voltou, tudo mudou. A vontade dela, a única vontade naquele momento, não era se esconder pelo mundo, muito menos enterrar sua orientação sexual. A vontade dela era dizer livremente, sem medo, o quanto amava e estava feliz com uma mulher, e que essa mulher era ninguém menos que Camila.

Como eles reagiriam?

Camila não tinha fala ali, mas por opção própria. Estava cumprindo sua promessa de ser o suporte de Lauren, e isso não envolvia conversas muito longas que poderiam levar ao assunto mais esperado e delicado da noite.

— Tudo bem...— Mike sorriu de leve, mas parecia confuso.— Podemos comer a sobremesa.

Sentindo a mesma adrenalina de quanto cortou sua mãe há minutos atrás, Lauren foi atrás da banana flambada que estava na cozinha enquanto Camila retirava a mesa junto com Mike.

— Bom... essa foi a... décima tentativa, creio eu. Quase me queimei no começo, isso é difícil demais.— disse colocando os pratos na mesa.— Espero que esteja aceitável, e se não estiver... é banana.— Lauren deu de ombros.— Banana nunca fica ruim. Bom apetite!

— Isso eu devo concordar.— Camila sorriu.

— Isso está muito bom, filha. Parabéns! De verdade.

Aquele elogio de Mike aqueceu o coração da filha de uma maneira tão gostosa que tudo pareceu estar bem. Mas Lauren sabia que não estava. Tinha que contar. O que Camila falaria caso ela não conversasse com os pais?

— Na verdade... agora que vocês trouxeram o assunto, eu devo admitir que não estou sozinha.

As palavras saíram. Simplesmente saíram e Lauren teve os três olhares em si em menos de dez segundos.

O assunto não tinha aparecido antes de ela comentar.

Camila parecia que a qualquer momento entraria em colapso, mas seguiu respirando fundo.

— Oh... você está com vergonha até agora disso, meu amor?— Clara perguntou sorrindo.— Lauren nunca foi de apresentar namorados.— disse a Camila.

— Eu não estou acreditando! Qual o nome dele?— Mike parecia tão empolgado que Lauren quase sentiu dó de acabar com a alegria deles.

— Ela.

Por um momento tudo ficou no silêncio absoluto.

Ela disse. Em voz alta, pela primeira vez em anos ela disse.

Lauren poderia dizer que viu sua vida passando diante de seus olhos.

Tudo estava em silêncio até que o primeiro talher caiu e bateu contra o prato, fazendo um barulho agonizante. E havia caído da mão de Michael.

— Ela...?

— Ela, pai. Algum... problema?— Lauren parecia firme. Parecia forte e nada poderia atingi-la. Nada exceto...

— Que tipo de brincadeira é essa, filha?— ele perguntou rindo e voltou a comer.

Camila tinha a respiração levemente descompassada e segurava fortemente a mão da namorada, que estava visivelmente em choque.

— Não foi uma brincadeira.— a voz de Lauren saiu ainda mais forte.— Eu estou saindo com uma mulher, saindo não, namoran—

Com a chegada da sobremesa, a ordem da mesa havia mudado. Como estavam mais a vontade, não precisavam sentar um de frente para o outro. Nisso, Clara estava ao lado de Lauren, e ela nunca havia sentido um tapa como aquele.

Foi muito rápido. Camila chegou a avançar em direção, seu reflexo. Não escondeu o espanto quanto viu que Lauren virou o rosto, e não, não foi voluntariamente.

Assim como o som na palma da mão contra a bochecha fosse perturbador, nada tirava da cabeça de Lauren uma coisa: não se bate no rosto de alguém.

Não naquele caso.

Clara ainda tinha a mão levemente para cima e a encarava.

Devagar, Lauren levantou. Trancava o maxilar a todo momento, evitando assim que as lágrimas caíssem sem previsão de parar.

— Onde nós erramos com você, Laur?

Lauren riu sem gosto.

— Meteu um tapa na minha cara e ainda usa o apelido? Qual é?

— NÃO FALA ASSIM COMIGO!— Clara levantou.— Eu sou a sua mãe! Embora seja difícil aceitar que eu mereço respeito, você me deve.

— Lauren, retire o que disse.— Michael pediu também sério.

— Não. Eu cansei disso. Eu cansei de esconder com quem eu estou. Vocês não perceberam? Como não perceberam? Vocês são meus pais! Deveriam saber sem eu contar!

— Você não parece uma sapatão.

O nojo nas palavras da própria mãe de longe foi o que mais mexeu com Lauren até o presente momento.

— Tem cara? Vocês... vocês não enxergam o preconceito nessa frase mesmo? Eu gosto de mulher, o que isso muda na vida de vocês?! Nada!— Lauren exclamou nervosa.— Eu tentei ficar com homem, tentei mesmo. Achando que era errado ser o que eu sou mas... é nojento. Simplesmente nojen—

Sem perceber a proximidade, aquele foi a primeira vez que ela conheceu o peso da mão do próprio pai.

E novamente Camila não tinha ação.

Ela iria proteger, afinal?

— Não ouse dizer mais uma besteira dessa, Jauregui. Você não é nojenta a esse ponto.— Michael estava sério.— Mulher...? Você é uma, e adivinha? Se o que você está dizendo for verdade, você não passa de uma aberração. É isso que você é, Lauren? Uma aberração?

Nesse momento Camila ficou entre os dois e sua cara não era das melhores.

— Vamos parar por aqui.

— Camila, você não é ninguém nesse lugar agora.— Clara disse.

— Sou.— Camila disse séria e sua raiva só aumentou quando viu os olhos brilhantes de Lauren, infelizmente, brilhantes por causa das lágrimas.— Sou a namorada dela. Vocês querendo ou não, estamos juntas.

— Sai da minha frente.

Michael a empurrou tão forte, que Camila caiu, batendo a cabeça na quina da mesa.

— Camila!— Lauren tentou ir até ela, mas Michael a impediu.— Me solta! CAMILA!

— Lau...

— CAMILA!

Lauren conseguiu correr até ela. Quando colocou a mão na cabeça da namorada viu que estava sangrando.

— OLHA O QUE VOCÊ FEZ!

— VOCÊ NÃO VAI ESCOLHER ELA A NÓS, LAUREN! NÃO VAI.

A visão era turva demais, ela já não sabia se Michael estava batendo na filha ou se estava apagando. Infelizmente, tudo o que levou consigo quando desmaiou foi um último grito, um grito bem alto.

— CAMILA!


Notas Finais


Agora sim, seria bem interessante vocês terem os primeiros capítulos frescos na memória...
Já volto rs
Não é porque eu vou colocar dois que esse não merece comentário hein


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...