História Find U Again (FUA) - Camren - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane, Fifth Harmony, Harry Styles, Lauren Jauregui, Normani
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Visualizações 118
Palavras 2.321
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Lírica, Literatura Feminina, Luta, Misticismo, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


I do therapy at least twice a week.

Vocês levaram a sério os comentários... sabem que eu não ligo taaaanto assim, mas cara... é sempre bom ver a interação ❤❤❤❤❤ então comentem aqui também, podem até xingar que esse vai ser o único capítulo que eu aceito ser xingada
Bebam água, calmante, chá de camomila, morfina... sei lá, qualquer coisa pra vocês não desejarem minha morte precoce e uma excelente leitura :)
OBS.: AS PASTES EM ITÁLICO (tombadinha) SERÃO FLASHBACKS
Fique com preguiça de escrever flashback... mals ae~

~~ NOTAS FINAIS KAKAJOTA ~~

Capítulo 20 - Just a dream.


New York, 6:38pm.

— Camila!

Camila suspirou alto e levantou como se tivesse levado um choque. Era... Dinah?

— Eu já tenho que ir, vai dormir o dia todo?— perguntou sorrindo enquanto colocava os sapatos.

Camila olhou em volta, estava em seu apartamento, seu quarto.

E assim que lembrou, começou a perguntar.

— Cadê a Lauren, Dinah? Eu preciso falar com ela.— ela levantou e começou a se vestir.

Dinah a olhou confusa.

— Lauren?

— Sim. Onde ela está? Ontem mesmo, agora... não sei. Eu estava jantando com ela e com os pais dela e... Clara e Mike bateram nela, Dinah. Onde está a Lauren?!— Camila elevou o tom e Dinah a segurou.

— Camila? Não tem Lauren. Ontem você estava trabalhando. Conseguindo as obras do Mazzetti. Você foi para o mesmo pub se sempre e acabou com uma loira qualquer na cama. E eu, como sou uma boa amiga, estou dormindo aqui com você desde manhã. Você ainda está bêbada?

— Dinah, não brinca comigo...

— Eu não est—

— EU PRECISO FALAR COM ELA, DINAH!

— CAMILA, ACORDA! LAUREN FOI EMBORA, VOCÊS NÃO ESTÃO JUNTAS HÁ ANOS.— Dinah devolveu dois tons acima.— Você tem que esquecer ela... isso está acabando com você.

— Keana me entende.— Camila passou por ela e foi direito ao quarto de Keana que estava...— Vazio?

— Keana viajou, esqueceu?

Camila então começou a andar pelo apartamento.

A antiga louça que estava na pia, agora estava lavada. O sapato dela estava na sala e então, aos poucos, ela lembrou.

— Mas que merda...— resmungou quando escutou a campainha soar. Após arrumar o apartamento ela havia se jogado no sofá e pretendia ficar ali por um bom tempo, mas isso não aconteceria.

— Oi, minha bunduda linda!

— Oi, DJ... o que faz aqui? Sabe, são... oito da manhã.— Camila tentou não soar rude e deu espaço para que Dinah entrasse.

— Ah, você sabe... estava com saudades. E não me importo com a hora, sabe que nessa sua vidinha de balada, pelo incrível que pareça, eu farei de tudo para que seja um inferno.— Dinah sentou-se no sofá e disse calmamente cada palavra.

— Eu... nem estou fazendo tanto.— Camila se defendeu e fechou a porta.

— Você não dormiu em casa.— Dinah disse sem a olhar.

— Como sabe?— Camila perguntou espantada.

— Seus sapatos estão aqui na sala, você nunca os deixa aqui.— Dinah explicou.

— É, apesar de tudo eu gosto das coisas em ordem...— Camila sentou no sofá e logo deitou sua cabeça na perna da amiga.

— Não... não, eu vi. Eu vi ela, DJ. Eu... eu falei com ela, eu toquei nela, eu... nós...

Dinah a abraçou antes que Camila desabasse ali mesmo.

— Você tem que esquecer...

— Foi um sonho perfeito...

— Chan...— Dinah a olhou.

— Tudo bem, pode ligar.

— Ela está te esperando, não preciso ligar.

(...)

As letras muito bem entalhadas na madeira em cima da mesa mostravam o quão sério era o ambiente. Camila não sentia medo. O que poderia machucá-la em um momento onde seu próprio inconsciente era seu maior traidor?

Dra. Allyson Brooke, psicóloga especializada em traumas.

— Boa tarde, Camila!— a baixinha entrou, sorridente, e sentou.

— Desculpa, mas eu acho que o meu problema não é um trauma... e boa tarde, Dra.— Camila se apressou na explicação. Sentia culpa... isso era trauma?

— Tenho certeza que posso te ajudar. Dinah é uma grande amiga minha e se preocupa com você. Por quê não tentamos? Se não gostar pode me abandonar. E me chame de Ally!

Camila riu. Bom humor era bem-vindo.

— Comece me explicando qual é o seu problema e o que você acha dele.— ela puxou um bloquinho de notas, pelo que Camila observou e a olhou.

— Meu problema...?

Coração partido. O tempo não deveria cuidar disso?

— Meu problema creio que seja uma culpa sem fim.

— Certo, e o motivo da culpa?

— Lauren Jauregui.

-•-

Terça e quinta. Esses eram os dias que Camila deveria encontrar com Ally.

Um sonho... um sonho. Um sonho perfeito em detalhes, personagens e cenário. Um sonho perfeito em emoções e sentidos. Até mesmo Sinu estava lá. Um sonho rico em história. Um sonho sem um final digno.

— Era tudo muito bom para ser verdade, afinal...— Camila disse sozinha.

Aquela noite havia dispensado todos os deveres de Dinah como amiga preocupada. Queria ficar só. Exceto pelo whiskey. Ele deveria ser um bom companheiro.

— Um sonho...— ela riu e olhou para dentro do copo antes de beber novamente. Até que a parede em sua frente virou uma tela de cinema cheia de memórias irreais.

Lauren estava horrivelmente nervosa, sentia que a necessidade era nula mas não conseguia controlar. Por quê era tão importante ser aceita por pessoas que sequer conhecia? Não sabia.

Será que as amigas da sua quase namorada seriam legais? Gostariam dela? Não saber as respostas estava a matando por dentro.

Estava apoiada no bar imersa em tais pensamentos, quando a escutou:

— Amor?— se virou rapidamente.

— Oi!— o nervoso era tanto que não prestou muita atenção ao apelido.

— Essa é a Vero.

— Prazer...?

— Lauren, Lauren Jauregui.— ela estendeu a mão.— O quê?— perguntou sorrindo.

— Você é Lauren Jauregui? A Própria?— Vero perguntou.

— Sim? Creio que só existe uma.— Lauren brincou.— E sou eu.

— Esse nome é bem familiar, me perdoe.— Vero pediu sorrindo.

— Ela não viria contigo?— Lauren ouviu um alguém sussurrando e logo fechou os olhos.

-•-

— Uau... isso tudo é pra namorar de vez?— Camila brincou quando viu Keana se arrumando.

— Tomara.— brincou.— E você está simplesmente maravilhosa.

— Oh... obrigada, me falam muito isso...

— Idiota.

— E isso também!— Camila riu.— Dinah virá conosco, tudo bem?

— Claro que sim, estou com saudades daquela louca.— Keana terminou de passar o batom e se virou.— Então?

— Eu pegava.— Camila deu de ombros.

— Obrigada? Receber tal elogio de você conta muito.

— Idiota... vamos?

— Vamos.

Depois de pegar Dinah no apartamento, Camila seguiu as coordenadas que Keana ia passando até o local do encontro.

— Uow... é bonito aqui.— Dinah falou olhando tudo em volta.— Mani vai curtir.

— Ela não viria contigo?— Camila sussurrou.

— Ela descobriu que tinha um compromisso hoje... foi de última hor...— Dinah parou de falar quando seus olhos se prenderam justamente em Normani.

— O que f...

A visão era turva mas ainda assim o ar faltou, a garganta secou e o coração acelerou. Os pensamentos gritavam, Camila não conseguiu tirar os olhos da menina a sua frente. O olhar foi sustentado até Keana aparecer.

— Ela está aqui.— avisou as puxando.

Camila esperou ser levada até Lauren e sentir o aperto no peito ainda maior, mas isso não aconteceu. Seu corpo foi puxado para a parte superior do lugar. Viu Keana correr para alguém, só não conseguia assimilar ainda.

Ela voltou a sorrir. Será que Lauren estaria lá algum dia?

Camila deixou Lauren sozinha por qualquer outra. Que estúpida! Lauren estava alterada e agora com o ego ferido de certa forma. Se levantou e a procurou com os olhos.

— CAMILA!— gritou.— Você não vai a lugar algum, entendeu?!— disse firme.

— Não sabe como senti falta das suas ordens.— Cabello provocou sorrindo com os olhos fechados.

— Você é uma estúpida!— Camila sentiu o tom áspero.

— Sim, eu sou. Você deveria saber... digo, não é novidade.— sentiu sua bochecha esquentar na mesma hora.

Lauren estava ofegando de raiva, embora o arrependimento pelo tapa viesse no mesmo segundo, nada falou.

Camila continuou quieta mas sentiu uma vontade imensa de chorar, não pelo tapa, mas tudo o que ele representava.

— Cam...

— Não, Lauren! Nem tente. Estou indo embora, não venha atrás ou algo assim.— Camila saiu mas se virou.— Se bem que você nunca foi de dar o braço a torcer, não é?— balançou a cabeça e voltou a andar.

Lauren não sabia o que fazer ali, acabou seguindo seu coração.

Assim que sentiu o aperto em seu braço Camila se virou e, pela primeira vez em toda sua vida, não acreditou no que estava vendo.

— Me diga onde mora, eu te levo.

— Você bebeu.

— Não tem táxi.

— Podemos morrer, irresponsável.

— Não importa. Me diga.

— Lauren, não. Olha, não é porque brigamos que você tem o direito de nos colocar a prova da morte não.— Camila rolou os olhos.

— Tem um ponto aqui perto, não tem? Deixe-me ao menos te colocar em um táxi.— Lauren pediu.

— Você quem sabe.— Camila deu de ombros e voltou a andar.— Eu estava indo para o ponto de qualquer jeito.

— Agora tem companhia.

— É, não sabe como eu queria.— debochou.

— Mais um deboche e eu te largo.

— Deveria doer? Assustar ou algo assim? Tente de novo mais tarde, essa frase eu já escutei.— Camila afirmou e ao contrário dela, Lauren sentiu o peso das palavras.

— Vamos conversar?

— Sobre árvores?

— Sobre nós.

— Defina "nós", porque eu sou o que mesmo? Uma babaca sem escrúpulos que... que queria apenas foder e... como é mesmo? São suas palavras, me ajude.— Camila estava no seu modo mais sarcástico e Lauren o conhecia muito bem.

— Eu sou o que mesmo? O tempo perdido da sua preciosa vida.— Lauren rebateu e quando percebeu, estavam discutindo no maldito ponto.

— Aprendi que eu perdi porquê quis. Poderia até me desculpar, mas você me irrita tanto que não consigo chegar ao momento de paz.

— Você se desculpando? Eu pagaria para ver isso, definitivamente pagaria. Quanto custa? É um show, só pode! Camila Cabello, a apaixonada pelo Flash!— Lauren fez um gesto com as mãos, simulando um cartaz.

— É, talvez eu fosse.— aquilo sim tinha magoado Camila.

— Vamos parar com isso. Não somos crianças.

— Somos sim. Ficamos juntas por cinco minutos e uma creche pode ser montada ao nosso redor.

— Talvez... veja, não tem táxi, estamos aqui há tempos... me deixe te levar embora.— Lauren pediu novamente.

— Tudo bem, Lauren! Me leve logo.— Camila se rendeu.

(...)

— Você quer subir?— Camila perguntou.— Fale que não, por favor.

— Sim, eu adoraria subir.— Lauren disse com seu melhor sorriso.

Cínica.

— Eu te odeio... Deus! Como eu te odeio. Vamos.— Camila deixou o carro e correu para o interior de seu prédio.

Estava rezando para que Keana não estivesse ali. E estava com sorte.

— Então... por quê aceitou subir?— tirou o sapatos e sentou no sofá.

— Por que perguntou se eu queria subir? Pensei que tivesse algo interessante.— Lauren fez o mesmo.

— Estava sendo educada.— Camila revirou os olhos.

— Alguém já disse que seu olho pode nunca mais voltar de você revirar mais uma vez?— Lauren perguntou impaciente e Camila, para provocar, revirou novamente.— Se fode, Camila.

— Oh... não. Sai da balada antes de chegar na mulher que te falei. Não serei fodida hoje, infelizmente.— Lauren riu da falsa tristeza.

— Ótimo, agora que estamos mais... amigáveis... me conte o que pedi mais cedo.

— Não estamos amigáveis, posso chamar a polícia por invasão de propriedade.

— Você me convidou.

— Prove.

— Eu sou uma das melhores advogadas do estado ou do país! Não meta a besta comigo nesse quesito.

— Falando assim até deu vontade de te beijar, não vou mentir.

— Idiota.

— Bom, vou dormir. Boa noite.— Camila se levantou.

— Mas não vai mesmo!— Lauren a puxou pelo braço. Sua intenção era a fazer ficar, não cair em seu colo.

— Não vamos ter essa conversa hoje, aceite!— Camila riu.

— Okay. Vou embora então.— Lauren a empurrou e se levantou.

— Mas não vai mesmo!— Camila a puxou da mesma forma.

Perto demais. Estavam perto demais.

— Cam...— Lauren sentiu seus lábios em contato com os da Latina e suspirou.

Camila tivera um ataque súbito de coragem.

A segurou pela cintura fortemente e levou a mão ao pescoço de Lauren. Conseguiu aprofundar aquele beijo e com sorte Lauren não havia corrido. Não ainda.

— Camila, não... não podemos.— Lauren disse baixo.

— Eu sei. Sinto muito.— Camila a empurrou levemente para o lado, atordoada.— Quando quiser conversar me fale. Pode dormir aqui se quiser... fique no meu quarto.

— Não aja assim. Por favor, é estranho.

— Lauren, somos estranhas. Eu... meu quarto é o da esquerda. Boa noite, Jauregui.— Camila saiu, e dessa vez Lauren a deixou ir.

De madrugada Camila não conseguiu pregar os olhos, não sabendo da distância que separava ela de Lauren. Decidiu ir a cozinha beber água já que estava acordada a um bom tempo. Se assustou horrivelmente quando sua cintura foi agarrada e a respiração quente bateu em seu pescoço.

— Lauren, você n—

— Fica quieta. Me deixe fazer algo que quero pelo menos uma vez!— Lauren foi grossa e virou a Camila, deixando-a de frente.

Lauren encarou um pouco os lábios, depois os olhos, o nariz... tudo. Tudo infelizmente ainda a atraia de uma forma imensurável. Camila corou, somente Lauren com aquele olhar conseguia tal feito, Lauren sorriu sabendo disso. Camila não quis perder tempo e a puxou para mais perto, tomando seus lábios em um novo beijo carregado.

Os lábios afoitos, as mãos perdidas e um desejo descomunal em comum. Era o que mais as representava no momento. Se redescobriram, gemeram, foram ao céu e inferno juntas em uma única noite e, infelizmente para elas, se amaram. Amaram uma a outra como nunca antes, e amaram se amar. Mas sabiam que nunca admitiram aquilo.

Camila fazia carinho na linha da coluna de Lauren após transarem, Lauren sorria de costas para ela mas se virou.

— O que foi? Fiz algo errado?— perguntou.

Camila tinha o semblante magoado.

— Não. Lembra quando mencionei que... faço sexo apenas c—

— Casual... lembro.— Lauren continuava confusa.

— Sei que jamais voltaríamos e eu nunca esperei te encontrar de novo, mas isso aqui... você sabe. Foi—

— Casual.

— Sim. Sei que é óbvio.— Camila se deitou corretamente.

Lauren permaneceu séria. Não poderiam voltar após uma boa noite de sexo quando anos incompreendidos estavam entre elas. Lauren sabia que aquilo havia sido sério do jeito que não queria, mas odiou o sentimento de tristeza quando Camila disse tais coisas.

— Onde vai?— Camila franziu a testa.

— Embora? Casos não dormem juntos, certo?

Quando tocaria novamente em Lauren...?

Felizmente, a sessão de castigo acabou assim que a campainha soou.

Camila levantou contra sua vontade mas atendeu.

— Dinah, você tem a... chave.

— Oi...

— Hailee?


Notas Finais


Sabe, eu amo vocês, não vamos esquecer disso okay? Eu não seria nada sem os meus Pitelzinhos provavelmente raivosos nesse momento mas... Ally é tão boa que vai passar rapidinho <3 E Hailee é inofensiva por enquanto
Eu sei que vocês me amam (espero) é só um contratempo
ESTOU TENTANDO COMPRAR VOCÊS COM PALAVRAS BONITAS MAS PODEM ME MANDAR PRO INFERNO QUE EU VOU ENTENDER, AFINAL EU TAMBÉM SOU UMA LEITORA NÉ
AMO VOCÊS, COMENTEM E VAMOS AGUARDAR O PRÓXIMO ENCONTRO CAMREN ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...