1. Spirit Fanfics >
  2. Fire and Ice - Mo Dao Zu Shi >
  3. Vamos dançar com os leões

História Fire and Ice - Mo Dao Zu Shi - Capítulo 43


Escrita por:


Notas do Autor


Hello my sweet lovers~! Segundo capítulo do dia, hehehe....
Preciso avisar uma coisa importante, as próximas cenas são bem pesadas com gore, então se é sensível, pule essas partes... Já eu, preciso admitir que sou doentio ao extremo, então me deu água na boca escrever isso para uma escória que merece...
Chegamos a tão sonhada vingança~! Segura o coração aí.
Apreciem, ou não.

Capítulo 43 - Vamos dançar com os leões


Os ouvidos do moreno estavam afiados, então assim que percebeu a movimentação do outro lado em busca da arma, ele deu outro disparo certeiro. O corpo caiu com um gemido abafado. Aproveitando-se de sua distração, outro tiro ecoou na direção de Wei WuXian que mais uma vez desviou e rebateu. Mais um corpo caiu e ele sorriu com satisfação.

Do lado de fora, os sons de tiros alarmaram tanto Jiang Cheng quanto Lan WangJi, eles estavam temerosos de terem chegado tarde demais, mas assim que perceberam que ainda havia alguém ali, correram na direção do som. Jiang Cheng se sentiu inquieto e de alguma forma excitado, a adrenalina percorreu suas veias com a possibilidade da vingança. Por sua vez, Lan WangJi sentia-se ansioso, preocupado com o autor dos disparos e com a possibilidade de quem estar ferido não fosse o inimigo.

Quando chegaram juntos a entrada do galpão, avistaram Wei WuXian terminando de amarrar duas pessoas com os braços presos no alto das grades. Amarrar não era o termo correto, assim que se aproximaram notaram, o moreno havia acorrentado os dois homens nas grades, ambos com marcas vermelhas em cada mão e perna.

Estavam ambos gemendo de dor e com a aproximação identificaram se tratar de Wen Chao e Wen ZhuLiu. Eles ficaram confusos sobre a intenção de Wei ao fazer aquilo, aquelas grades davam entrada para o que? E por que a armação delas parecia uma espécie de jaula?!

 – Wei Ying! – Lan WangJi quebrou o silêncio primeiro, quase correndo da direção do amigo que parecia absorto em sua atividade, como se estivesse preparando uma brincadeira.

 – Wei WuXian! – Jiang Cheng seguiu logo depois, sem entender exatamente do que se tratava aquilo, mas completamente furioso por ver o irmão bem. – Seu bastardo filho da puta! Não sabe o quanto eu e minha Irmã ficamos preocupados?! Se está vivo e bem dê algum sinal, porra!

 – Huh? – Finalmente parecendo ter notado a movimentação e o barulho, o moreno se virou. – Que bom que chegaram a tempo, pensei que não tinham recebido meu email. – Ele ignorou as falas irritadas do irmão e o olhar apreensivo de Lan WangJi, não que parecesse ter mudado muito.

Verdade seja dita, a Segunda Jade estava cheia de queixas, ele queria questionar o porquê do sumiço, onde tinha estado, se ficara bem, se se lembrava da promessa que fizeram, contudo, nada saiu de sua boca, apenas as sobrancelhas foram arqueadas em apreensão, ele nunca fora bom em se expressar.

 – Wei Ying....

 – Huh? Lan Zhan, não imaginei que acabaria vindo também, seu irmão deve tê-lo mandado, talvez não goste do que verá.

 – Foi você? – WangJi não esperou o outro terminar, ignorando o conteúdo daquelas palavras.

 – Eu o que?

 – Os escândalos expostos... As pessoas mortas na entrada. – Ditando uma palavra por vez, o mais velho não sabia como definir as emoções que sentia no momento.

O que predominava em seu peito era, o que no mundo havia acontecido para levar o jovem sorridente e despreocupado a tomar atitudes vingativas de forma tão desumana e fria?! Por que ele não pôde estar com essa pessoa e apoiá-la durante esse tempo?! Quanto sofrimento ele teve que suportar para regar seu ódio a esse ponto?!

 – Sim. – Alheio a mistura de pesares no coração do Lan, o moreno respondeu com um leve dar de ombros.

Do lado do Lan, Jiang Cheng se adiantou e se aproximou do irmão o fuzilando com um olhar que dizia que iriam se resolver mais tarde. Logo após isso, passou pelo maior e socou os corpos amarrados.

 – Wei Ying... Isso não é certo, a justiça deve ser feita, mas não assim. – Lan WangJi voltou a falar, sentindo sua voz ficar pesada e rouca.

 – E então o que? Eu deveria deixar esses bastardos à solta para a polícia julgar e ser comprada por eles?! Para o crime ser encoberto como sempre e eles ainda ganharem em cima disso, não, obrigado!!

 – Se vingar não vai te satisfazer... É...

 – Me vingar? Estou apenas fazendo um favor a humanidade e livrando o mundo de cães imundos! Vai me dizer que sou igual a eles? Que sou pior? Agradeço a preocupação, mas sei o que estou fazendo, Lan Zhan, se te incomoda, a porta é serventia da casa. – Wei WuXian sentiu-se irritado, era sempre assim, não houve uma vez sequer que essa pessoa não discordasse de si.

 – Wei WuXian! Não é isso que estou dizendo! – Tencionando o maxilar, Lan WangJi elevou sua voz também, as mãos se fecharam em punhos.

 – Lan WangJi! Acha que eu não sei o quanto me odeia?! Não precisa se contrapor a mim, estou ciente disso, okay? Eu vou fazer o que for necessário, seja certo aos seus olhos ou não, caso desejar, pode me denunciar, quero ver tentar, não acha justo eles morrerem? Para ser sincero a morte é uma dádiva diante do que esses cães merecem. – Tomado pela raiva, Wei WuXian focou somente nas coisas negativas que recebera do outro, os bons momentos foram todos deixados de lado e seria inútil tentar se lembrar mesmo que quisesse, seu objetivo era um só, e o completaria com o sem a aprovação de quem quer que fosse.

 – Wei Ying... Vamos voltar, podemos resolver isso com calma em Gusu, não precisa sujar suas mãos com sangue que não vale a pena. – Lan WangJi sentiu o peso das palavras alheias cravarem em seu coração como facas, doía ver a única pessoa pela qual havia criado uma ligação lhe interpretando mal.

Em parte era sua culpa, afinal não era bom em demonstrar sentimentos, todavia não podia mudar tudo de si, não conseguia, apenas esperava que os pequenos gestos fossem notados e mesmo se não fossem, só estar ao lado de sua pessoa querida era o bastante, ele só não esperava que fosse mal interpretado até quando desejava ser um apoio.

 – Eu sou o único quem decide que sangue vale a pena eu me sujar. – Com uma súbita calma, Wei WuXian encerrou o assunto e se virou, guiando seus passos para a escadaria lateral depois de trancar aquela jaula.

 – Lan WangJi, entenda, eu e meu irmão temos assuntos pendentes com esses malditos cães, você não é obrigado a me esperar. Pode voltar, quando acabarmos aqui eu irei para pegar A-Ming, não iremos incomodá-lo mais. – Jiang Cheng completou e acompanhou o irmão logo depois, deixando um Lan WangJi cheio de dor no olhar e o pesar no coração para trás.

Sem olhar quando a porta do salão bateu, Wei WuXian guiou o caminho até uma pequena salinha de comando, Wen Ning havia falado que era a partir dali que se controlava a circulação do ambiente no espaço preparado para os leões. Sentando-se a cadeira, não demorou muito até ele desvendar todos os comandos que precisava, a visão que tinha ficava de frente para a jaula onde os Wen foram acorrentados.

 – Jiang Cheng, sabia que esses bastardos criam leões aqui, hahahha. É incrível, vamos ver como eles dançam com os animais que “cuidam”.

Parando ao lado do irmão, Jiang Cheng abriu um sorriso satisfeito com a visão que tinha. Com mais uma olhada nos comandos, o moreno encontrou a localização das caixas de forças, ativando-as no máximo, então se levantou e entregou uma arma ao irmão pegando outra para si.

 – Prove-me que ainda pode me vencer, hahahha. Você precisa mirar nesses pontos ao norte e oeste, eu fico com os outros dois. – Sem conseguir evitar a provocação, WuXian logo se posicionou e o irmão fez o mesmo depois de dar uma cotovelada no mais velho.

Quatro tiros ecoaram no salão e quase imediatamente, as chamas subiram com uma explosão. Com as caixas danificadas e o espaço mergulhado em chamas, os leões não iriam correr para outro lugar, senão o ponto menos quente, este não era outro senão a jaula em que Wen Chao e Wen ZhuLiu foram amarrados.

Inicialmente, era um local destinado a prender os felinos quando o restante estivesse sendo limpo, mas em um instinto de sobrevivência estes fariam de tudo para escapar do calor das chamas. Não demorou muito até o par de irmãos ouvirem os rugidos ecoarem desesperados.

Sob a luz amarelada do fogo, três leões correram com urgência para a direção segura, o único obstáculo, é claro, era a presença de dois homens amarrados obstruindo ali. Um grito após o outro ecoou, as garras afiadas cortaram a pele dos homens como se fosse papel, mas pelo desespero dos animais, eles não estavam preocupados em matar e comer as presas, queriam a penas destroça-las para poderem passar.

Na sala em que estavam, Jiang Cheng e Wei WuXian observaram com satisfação a carne ser rasgada pedaço a pedaço, cada tapa de um felino abria um corte vermelho e profundo, ao longe não dava para identificar quando chegara ao osso, porém, parecendo irritado, um leão se inclinou e mordeu a carne, entre o ombro e o pescoço de Wen Chao, arrancando um braço com força.

O homem gritou desesperadamente, sua consciência oscilando entre a dor e a escuridão, antes que pudesse gritar novamente, as garras do animal penetraram sua barriga, rasgando de cima a baixo desmembrando uma das pernas. Outra mordida no pescoço finalmente destroçou suas cordas vocais e os gritos ficaram mudos, ele não morreu, a dor apenas dobrou a níveis extremos.

Ao seu lado, Wen ZhuLiu não estava muito melhor, dois leões juntaram contra si, rasgando a pele da cabeças aos pés, ele sentiu-se verdadeiramente ser descascado em carne viva. A dor queimou em tudo, no entanto, ele não foi capaz de gritar, porque em uma mordida sua boca fora rasgada e separada do restante do rosto.

O par de irmãos ficou absorto assistindo a cena, não sabiam quanto tempo durou, nem em que ponto os dois homens morreram, mas permaneceram ali mesmo assim. Quando os pedaços dos corpos tingiram o chão de vermelho, Wei WuXian abriu a jaula que dava saída para fora e contatou Wen Ning.

 – Informe o acontecido a polícia, Wen Chao que mantinha leões em cativeiro sem uma autorização, teve um acidente na jaula e os animais escaparam, eles devem ser capturados e levados para um zoológico.

 – Okay! – Sem pestanejar, Wen Ning respondeu prontamente.

 – Vem, temos um último lugar para passar. – Ignorando o olhar confuso do mais novo, Wei o puxou correndo para o porão, usando uma passagem que desviava do caminho que os animais estavam.

 – Com que você está falando? Quem está te ajudando nessa?

 – Teremos tempo para explicações depois! – Sentindo a dor de cabeça que viria, Wei adiou o assunto e correu.

Na porta de entrada do porão ele bateu algumas vezes, quando não ouviu nada, deu um tiro na maçaneta e arrombou. A mulher estava enrolada em um canto escuro tremendo da cabeça aos pés, chorava tão baixinho que só perceberam ao se aproximar.

 – Veja só onde a puta se escondeu. – Quando reconheceu a pessoa, Jiang Cheng falou cobrindo a distância em poucos passos para chutá-la.

 – Eu não fiz nada! Eu não fiz nada! Por favor... – Choramingando a mulher rastejou até as pernas de Jiang, mas ao ser chutada novamente, recorreu ao Wei. – Não fui eu quem falou para o Mestre Wen te torturar daquela forma eu-. – O moreno não a deixou terminar.

 – Cala a boca, puta! – Com um movimento chutou a também, então foi para o outro canto do cômodo e se sentou. – Ela é toda sua.

Estendendo a mão ao shidi, Wei apenas observou quando ele deu um único tiro na cabeça da mulher, sobretudo entendeu que não valia a pena lidar com uma vida tão medíocre quanto aquela. E assim, tendo terminado seus assuntos, se retiraram rapidamente indo em encontro a Wen Ning. Aproveitando o caminho para explicar ao irmão o que havia acontecido até então.

 – Então... Você some por quatro meses e quando volta, está envolvido nos escândalos da empresa Wen? – Jiang Cheng bufou mal-humorado. – Sabe o quanto minha Irmã ficou preocupado, seu idiota!

 – Hahaha, estou te dizendo, não me lembro de tudo, apenas no último mês estive com... Bem, ele me ajudou com tudo isso. – Wei sorriu preferindo não revelar sobre o quanto de tortura vivera ou o estado que foi encontrado por Wen Ning. – Mas só a Shijie? E você não estava preocupado?

 – Hmpf! Ainda tem tempo para isso cuzão!? Para onde estamos indo, quem te ajudou?

 – Okay.... – Soltando um suspiro prevendo o surto, Wei WuXian parou no estacionamento do local e se virou para o amigo. – Lembra-se de um jovem mestre bom com o arco e flecha no Festival de Luzes de anos atrás?

 – Hmm... Mais ou menos, o que tem?

 – Wen Ning o nome dele, sua irmã, Wen Qing, é médica, eles que me ajudaram.

 – PUTA QUE PARIU WEI WUXIAN! Tu não pode fazer uma coisa sensata, não é?! De todas as pessoas, tinha que ser justo cães-Wen?! – Jiang Cheng rugiu, logo saindo do carro voltando na direção que vieram.

 – Jiang Cheng! Espera animal! Eles não são como os outros, foi Wen Ning que me ajudou a recuperar os corpos do Tio Jiang e a Senhora Yu!

 – Minha bunda que não são! Eles têm o sobrenome Wen, são tão sujos quanto, aposto que se sentiram culpados pelo genocídio em nossa empresa e tentaram te ganhar com essa palhaçada! 

 – Para! Eles não são assim, não fizeram nada contra nossa empresa! – Correndo, o moreno finalmente alcançou o mais novo e o conteve, não antes de ganhar um soco no rosto, no entanto.

 – Não fizeram, mas também não impediram! – Jiang finalmente soltou completamente sua fúria, afinal qualquer chance que tivesse tido de evitar aquele desastre, ele usaria para despejar sua raiva.

 – Você é idiota? O que poderiam fazer contra eles? Eles são da família secundária, o que camponeses podem fazer contra um Império?! – Deixando o outro descontar sua raiva em si, Wei rebatou deixando o irmão sem palavras, tendo chegado a um consenso, eles retornaram.


Notas Finais


Meeeh.... Enquanto revisava percebi que talvez não tenha ficado tão bom assim assim quanto pensei.... Me digam, ficou corrido? Deu pra entender?
Espero conseguir trazer o próximo capítulo na segunda, caso não, manterei informados. Vou indo aqui, later~!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...