1. Spirit Fanfics >
  2. Fire, ice and water... (imagine) >
  3. Dia das mães

História Fire, ice and water... (imagine) - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Dia das mães


Fanfic / Fanfiction Fire, ice and water... (imagine) - Capítulo 8 - Dia das mães

Conseguimos sair da USJ, uns colegas ficaram bem feridos, eu só fiquei com um pequeno arranhão na perna, voltei para casa e jantei, fui para o quarto, o gato preto estava lá, olhando atentamente os dois desenhos na parede, ao me ouvir chegar, foi em minha direção e parou ao ver o arranhão em minha perna, ele colocou uma de suas patas ao lado e ficou me olhando...  fui dormir, meio mal e preocupada, afinal, eu fui descoberta, isso significa que não estarei segura em lugar nenhum, e todos que estiverem comigo também correm perigo... 

Uma semana depois 

Como o professor Aizawa e alguns alunos ainda não se recuperaram totalmente do ocorrido, as aulas foram suspensas por tempo indeterminado, nesse tempo eu estou ajudando a Fuyumi a limpar a casa e fazer refeições... já está tarde, e estou indo dormir... amanhã fará 7 anos desde o ocorrido... Quando minha vida se tornou um enorme vazio, amanhã também, completarei 16 anos... 

Sonho on

Adriana estava sentada em um solo seco, sem nada ao seu redor, um chuva bem fina caía sobre a mesma que estava a cantar uma melodia doce, uma canção de ninar... uma s/n de quatro  anos mais velha apareceu do seu lado, se ajoelhou e encostou a mão em seu ombro, nesse instante Adriana se virou de frente para s/n exibindo um rosto todo machucado e com muitos cortes pelo corpo, antes que s/n pudesse dizer alguma coisa, Adriana chega mais perto da mesma e diz:

- você é a culpada por isso! Você não me salvou das garras daquele monstro... você vai pagar caro pelo que aconteceu... eu estarei a sua espera no inferno, que é pra onde você vai..

Dito isso Adriana pula no pescoço de s/n...

Sonho of

Acordo com um susto, isso faz o gato preto acordar também, esses pesadelos se repetem com grande frequência, se eu não fosse portadora de uma individualidade muito forte que exige noites bem dormidas, eu iria desistir da idéia de dormir... dói demais pensar que esses pesadelos não passam de uma amarga verdade... 

Quando percebo, lágrimas desciam lentamente pelo meu rosto, as sequei na hora, o gato ao me ver assim, pulou em cima de mim e se acomodou... diferente de outros gatos, esse é muito manso, faz uma semana que ele vem aqui... 

Acordo meio tarde, me arrumo e desço tomar café da manhã, ajudo Fuyumi com o almoço e depois ajudo a servir, nos sentamos todos para comer... o telefone fixo tocou, Fuyumi foi atender, voltou bem rápido e disse:

- s/n t tchan, a ligação é pra você... é de uma penitenciária- 

- ah, obrigada por avisar- eu disse me levantando para atender... pela primeira vez desde que vim pra cá, sinto algo além de tristeza e culpa... sinto ódio, muito ódio, acho que eles perceberam isso, eu me esqueci que ele veio para uma penitenciária no Japão... fui até o telefone e disse:

- o quê você quer ?

- é assim que você vai falar comigo? 

- o quê você esperaria?

- mais educação da sua parte, te eduquei até seus nove anos...

- você chama aquilo de educação? 

- bem, eu te liguei para te desejar um feliz aniversário 

- um aniversário que por sua culpa não comemoro com eles 

- me agradeça por estar viva 

- minha individualidade que me salvou 

Dito isso desliguei o telefone fixo e voltei para mesa, tentando me acalmar, mais aparentemente todos perceberam... eu e ele estávamos falando em japonês, deu para ouvir tudo...

- s/n tchan... hoje é o seu aniversário? - pergunta Fuyumi 

- sim - eu disse

- e porque não falou pra gente? - pergunta o Natsuo 

- porque eu não acho importante...- eu disse

- claro que é!  Se troque, vamos todos ao Shopping! - Disse Fuyumi 

Eu apenas concordei e fui me trocar, fomos ao Shopping e ficamos a tarde toda lá, voltamos pra casa, jantamos e dormimos...

Hoje é dia das mães..., acordei tarde novamente e fui tomar café da manhã 

- você vai ligar pra sua mãe hoje? - pergunta Fuyumi 

- não, minha mãe trabalha muito ela está sempre ocupada- eu disse, gostaria que fosse verdade, nem que ela fosse muito ocupada, mais....

- entendo... vamos visitar a nossa mãe hoje, e só vamos voltar de noite- disse a Fuyumi 

- tudo bem- eu disse

Depois de um tempo eles saíram de casa, fiquei sozinha, isso é um pouco preocupante... não que eu esteja com medo... só estou preocupada... preparei um almoço pra mim e fui arrumar a casa, quando acabei já estava meio tarde, começei a fazer o jantar, depois de acabar, fui para o quarto, vesti um pijama e me deitei no colchão para jogar joguinhos... até que a mensagem com um número desconhecido aparece...

×××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××

S/n O'Brien? 

Acho que você se enganou 

Não, eu sei que é você, aliás, sei tudo sobre você 

E quem é você? 

Seu irmão 

Se você soubesse tudo sobre mim, saberia que atualmente não possuo irmãos 

Seu meio irmão então, já que você prefere

Você não sabe nada sobre mim, eu não tenho um meio irmão 

Sei sim, por exemplo, você está usando um pijama roxo, o seu favorito 

Como você sabe?  

Porquê estou no seu quarto no momento 

(Olho desesperadamente pelo meu quarto à procura de alguém, mais não tem ninguém)

Você se enganou de casa 

×××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××

- talvez se você olhasse pra cá- ouvi uma voz masculina atrás de mim, me levantei do colchão com um pulo e fiquei em uma posição de ataque... e consigo ver seu rosto( imagem à cima) 


Notas Finais


Obrigada por ler 🙂


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...