1. Spirit Fanfics >
  2. Fireflies (reescrevendo) >
  3. .paixão? - 004

História Fireflies (reescrevendo) - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


to atrasada me desculpem!!! boa leitura qualquer erro me perdoem🙏☝️👆

boa leitura 🐢

obs: teremos pov do narrador e de Jisung agora

Capítulo 4 - .paixão? - 004


Fanfic / Fanfiction Fireflies (reescrevendo) - Capítulo 4 - .paixão? - 004

Em um dia cheio de surpresas, descansei, e consegui acordar apenas no outro dia, 1:00 da tarde. Por mais que eu escutasse a voz de Jisung me chamando e seus dedos me cutucando, não estava concentrado nele e sim no meu sono.
Uma hora não aguentei e tive que dar atenção para aquele ser minúsculo.

– Aaa o que foi? – digo manhoso com a voz arrastada – Acorda Chenle, hoje tenho visita se esqueceu?

Porra! Eu realmente tinha me esquecido! Jisung falou daquilo a semana inteira e eu me esqueci, um tremendo burro. Ainda com preguiça e sem um pingo de coragem, levantei e fiquei um bom tempo sentado na cama até a coragem vim diante de mim. Me levantei e fui em direção ao banheiro, ainda rastejando meus pés sobre o chão. Lavei o meu rosto e depois tomei um banho quente para esquentar o meu corpo que estava gélido. Assim que terminei, vesti as roupas brancas do hospital e escovei meus cabelos, depois disso fui até a cama novamente e nela sentei.

Jisung olhava a porta toda hora animado, suas pernas estavam inquietas e ele sorria ao pensar em algumas coisas. O quê? Não sei porém assim que Jaehyun abriu a porta logo ele surgiu um sorriso em seu rosto

– Eles já estão vindo – falava Jaehyun indo a direção de Jisung.

A porta se abriu novamente e com presteza entrou um homem de cabelos vermelhos e pele branca serena. Junto a ele estava um menino de cabelos ruivos que logo correu em direção a Jisung e o abraçou. O que será que ele é do Jisung? Questionava em meu subconsciente.

– Você tá tão lindo e fofo Sung – falava o ruivo apertando as bochechas do mais novo – Eu também estava com saudades nana! – exclama bagunçando os cabelos do ruivo

Pela primeira vez nunca me senti tão humilhado (mentira), Jisung namorava? Bom.. claro que não é problema meu mas.. Tão novo? Eles ficam bonitos juntos, porém algo me incomodava e meus punhos se abriam e fechavam quando minhas unhas cravavam na pele. Mesmo estando incomodado fingi que nada estivesse acontecendo e olhei para a janela onde o sol se via iluminando o quarto inteiro com o brilho forte. O deboche plantou na minha cara assim como a raiva e a tristeza junto, agora sim me sentia excluído. Jisung tinha seus assuntos e tinha que passar um tempo com a sua família eu entendia perfeitamente, porém eu me sentia excluído e até mesmo com... Ciúmes.

(Jisung ON)

Chenle estava quieto. Enquanto eu, Jaehyun, Jaemin e Taeyong conversávamos percebi que ele tinha se virado e ficou observando a imensa paisagem ao seu lado como de costume. Ele sentia saudade de alguém porém nunca tocava no assunto, eu deixava quieto no entanto tinha a imensa vontade de abraçar ele. Não havia motivos para não chamar ele para conhecer minha família então resolvi o chamar.

— Eu esqueci de apresentar uma pessoa a vocês, o Chenle. – digo apontando para o mais velho que logo tinha se virado e espantou-se ao ouvir seu nome – Ele é meu melhor amigo aqui no hospital, né? – pergunto e o outro assente engolindo seco – Vem aqui Chenle então – Taeyong o chama e ainda espantado ele se levanta e vem até minha cama

Chenle andava se rastejando como se estivesse com vergonha, mas ele estava. Jaemin provavelmente iria apertar as bochechas de Chenle pelo menos por dez minutos, convivi com ele o meio da minha vida e ele fez isso quase todos os dias. Taeyong provavelmente seria carinhoso assim como Jaehyun. E eu, só apreciaria Chenle se divertindo com uma nova família.

– Ei pequeno não precisa ficar desconfortável, não vamos fazer nada de errado – Taeyong fala passando a sua mão sobre a nuca do mais novo

Chenle suspirou um pouco e depois se sentiu mais tranquilo, depois soltou um sorriso de leve demonstrando estar mais confortável. Para Chenle aquilo era o cúmulo de muita pressão, conversar com gente desconhecida pra ele é muito estranho.

– Como anda aqui no hospital? – Taeyong pergunta – Está indo tudo bem, Jisung e Chenle andam se divertindo muito juntos – Jaehyun diz ajeitando se na cama

– Que tipo de divertimento? – O ruivo pergunta franzindo o cenho

– Hmm, na amizade – fala o mais velho

– Por que eu tô sentindo que vai dar namoro? – Jaemin ri entusiasmado, enquanto eu dava socos de leve em seu braço

Na Jaemin tipo de pessoa que eu tenho que aguentar. Jaemin era o tipo de irmão que se eu arrumasse qualquer amigo ficava falando que ia dar namoro, nas épocas escolares era assim. Jaemin era mais velho que eu então ele usava essa vantagem pra brincar comigo. Eu amo Jaemin, porém as vezes ele consegue ser mais chato que meus ex melhores amigos.

– Cala boca hyung! – digo envergonhado com as bochechas vermelhas – Ué, mas é sério. De todos os seus amigos ele tá sendo o único que eu senti esse sentimento, você vai ver como vocês ainda vão namorar.

Chenle ficou calado olhando para baixo, enquanto Taeyong e Jaehyun apenas riam. Eles diziam que eram coisas de adolescentes, e se apaixonar fazia parte do processo de “crescimento’’. Tive minha primeira paixão apenas com nove anos e nem foi tão forte. Depois que parei de gostar dessa pessoa, nunca mais senti o sentimento de novo. Achei que podia conquistar um relacionamento igual o de Taeyong e o de Jaehyun, pois era um relacionamento saudável e carinhoso. Eles se tratavam tão bem que eu os admirava, pois no futuro queria ter um relacionamento com alguém da mesma forma que a dos dois. É estranho ouvir Jaemin falando que eu e Chenle iríamos ficar juntos no futuro. Não sabia dos meus sentimentos porém sabia que tinha uma atração por Chenle, não era atoa que eu antes de acordá-lo o observava dormir como um nenê.

– Ehh.... eu não consigo falar nada – Chenle fala rindo em desespero fazendo todos ali soltarem leves risos – Eu posso criar um shipp! – O coreano ruivo pula em meio a uma idéia – Infelizmente o horário de visita acabou, então vocês vão ter que ir – Jaehyun enuncia – Aaa que chato Hyung, mal chegamos – diz triste – Amanhã você vem aqui de novo – Jaehyun diz e o outro assente animado.

Após alguns minutos eles se despedem de mim e de Chenle, dando um abraço e um beijo na testa de ambos. Assim que ele foram embora eu tentava disfarçar o clima estranho e silencioso que estava entre mim e Chenle. Hey! Jaemin conseguiu fazer com que nós ficassemos constrangidos! Que merda. Não conseguia pronunciar nem um “a” direito, não havia como falar algo, pois a vergonha falou mais alto, e falou primeiro. Não estava surpreso de que Jaemin ia falar alguma merda perto de nós para ficarmos com vergonha. Jaemin apenas sabia como deixar alguém constrangido e isso era um fato.

Depois de alguns minutos finalmente Chenle conseguiu dizer algo.

– Jisung...

– Hm?

– ... Nada, desculpa era só pra tirar esse clima kkkk – ele ri passando a mão em sua nuca

– Entendi kkkkk

Ver Chenle sorrindo melhorava o meu dia, pois quando o conheci, os dois primeiros dias foram difíceis fazer ele sorrir, porém eu consegui. Chenle tinha um sorriso bonito entretanto não sorria com frequência. Não havia porque negar que ele ficava lindo sorrindo, pois seria mentira. O sorriso de Chenle pra qualquer pessoa traria felicidade. É bom ver alguém sorrindo, ver que ela está feliz, ver que ela está se sentindo bem, bom pelo menos pra mim.

Agora seria difícil negar, que eu não estou atraído por Chenle. Ele fazia meu coração acelerar mais do que ninguém. Eu sentia mais do que uma atração por ele, mas tinha medo de contar e medo de ferir meus sentimentos. Mesmo que Chenle não fosse de ferir alguém, era difícil falar sobre sentimentos com ele. Ele não gosta de falar sobre sentimentos, família ou algo pessoal, ele sempre evitava esses assuntos então eu não os falava com ele.

[...]

(Narrador ON)

Era de manhã e naquele dia Jaemin iria de novo no hospital, pois Jisung queria conversar sobre algo com ele, entretanto sem que Chenle estivesse por perto. Chenle não estava no quarto e sim no mesmo local onde houve a surpresa onde o deixou muito feliz. Enquanto Chenle brincava com os galhos da árvore percebeu ver alguém familiar, seus olhos se encheram de lágrimas ao ver quem é. Era Johnny. Depois de uma semana sem se ver o que restava neles era saudade. Chenle pensava que o universo era contra a sua felicidade, pois na verdade ele sempre quis estar com Johnny a todos os momentos.

Johnny assim que o viu correu em direção a Chenle, que logo pulou no mais velho para um abraço. A felicidade percorria no coração dos dois e ambos estavam alegres e emocionados. Chenle não conseguia se soltar de Johnny e muito menos Johnny se soltar de Chenle. Antigamente os dois não passavam uma tarde sem se ver, por isso a saudade bateu forte nos corações de ambos fazendo os emocionar. Após um abraço longo os dois se soltam depois de um abraço demorado. Chenle e Johnny se sentaram um pouco no carrossel onde as crianças brincavam pela tarde e começaram a conversar.

— Eu estava com tanta saudade, Hyung – dizia Chenle ainda tirando as lágrimas dos olhos. – Eu também estava pequeno, eu quebrei uma promessa.. me desculpe – o mais velho diz um pouco tristonho – Você não fez por mal Hyung, eu entendo o porque você não ter vindo me visitar não se preocupe. – Chenle diz tranquilizando Johnny

Chenle compreendia perfeitamente as coisas, mesmo que no fundo ele estivesse incomodado ou triste, ele entendia o motivo e não se sentia mal. Abre aspas.

— Para quem são essas flores Hyung?

— Uma é pra você e a outra é pra um amigo aqui do hospital. Acho que você o conhece. O Jaehyun. – pergunta o mais velho e Chenle assente

— Hyung! Eu preciso perguntar algo pro senhor – diz

— O quê? – pergunta

— Ontem um amigo meu recebeu algumas visitas, uma delas foi o seu irmão adotivo que no começo eu pensei que era namorado dele. Quando vi os dois juntos agindo fofo, por alguma forma eu fiquei com ciúmes mas eu não sei porque. O que é isso? – Johnny abriu um sorriso no rosto e riu do ato do outro — O quê mais aconteceu entre vocês dois?

Johnny antes de falar algo precipitado queria ligar os pontos então perguntou primeiro. Chenle mesmo com vergonha disse:

— Dois dias atrás ele fez uma surpresa pra mim o que me deixou muito feliz. No meio do pique nique, nossas mãos (como em um clichê) se tocaram sem querer mas isso não é muito importante. – o mais novo diz fazendo biquinho – Você sentiu algo depois desse dia? Sem ser ciúmes? – pergunta o mais velho – Sim, porém não sei explicar. É um sentimento estranho.

Johnny já tinha as respostas em mente e sorria que nem bobo. Ele procurava como explicar aquilo sem ser no diálogo. Era difícil explicar o sentimento da paixão também pra Johnny mesmo que ele sentisse aquilo por seu esposo Ten. Chenle esperava a resposta de Johnny calado, olhando para a neve e a tocando fazendo desenhos. Johnny passou mais alguns segundos em silêncio até buscar a forma perfeita de explicar.

– Ah! Já sei. – Johnny diz empolgado assustando o outro – Você está apaixonado!

Chenle se assustou e seu sistema parou de funcionar por alguns segundos até ele ligar as palavras do mais velho. Ele sabia o que significava, ele sabia o nome, porém não sabia o sentimento. Ele nunca sentiu esse sentimento, pois nunca acontecera dele se apaixonar. Existia certas coisas que Chenle ainda precisaria aprender na vida, e uma delas era o que era paixão, alma gêmea e o amor.

– O quê!?? – Chenle perguntou “confuso” – Como eu posso estar apaixonado?! Eu conheci ele faz pouco tempo – Chenle tentava se livrar da conclusão do outro, mas Johnny só conseguia rir.

– Pequeno você não conhece esse sentimento. Ainda. É a primeira vez que você o sente, aproveite. Paixão é algo que todo mundo vive, mesmo sendo mais novo ou mais velho – Johnny diz – O amor é uma forte afeição, carinho por uma pessoa, nascidas de laços sanguíneos ou de relações sociais

Chenle ainda tentava raciocinar com o que o outro dizia porém aos poucos ele entendia.

– Esse que você está sentindo é de relações sociais. Quando você crescer mais você vai entender. – Johnny disse após engolir sua saliva. – Acho que já tenho que ir pequeno, vou só ir lá dentro falar com Jaehyun, ver esse tal menino que você gosta e depois ir embora – Chenle dá um soquinho no braço do “pai” depois de sua penúltima fala e os dois rir. – Qual o seu quarto? – pergunta – 119, logo no começo.

Depois de mais alguns minutinhos de conversa, os dois se despedem em um abraço não tão longo. E logo Johnny vai e entra no hospital.

Chenle estava pensativo, as coisas que Johnny havia falado ainda rodeavam a sua cabeça. Ele não queria admitir que estava apaixonado no entanto estava falhando. Ele vacilou completamente e já não sabia mais mentir sobre isso, em seus pensamentos.. ele estava perdido.

[...]

Enquanto Johnny ouvia as palavras do melhor amigo, ele tinha Chenle em sua cabeça e toda vez que pensava em sua conversa com o menor, ele ria. Jaehyun reparou no comportamento do amigo e não deixou de se questionar sobre o que o outro pensava.

– Hey, o que foi? – Jaehyun perguntava dando mais fome a sua curra. – Hm? Ah! Nada não. – Jaehyun colocou seu rosto debochado e olhou para o amigo incrédulo. – Huhum sei, é o Ten? – perguntou ainda debochado.

O amigo o olhou retrocando o olhar debochado. Os olhos dos dois travavam uma disputa de quem era mais debochado. Jaehyun venceu, pela décima quarta vez.

– Não – bufa – Ei! você sabe o nome do colega de quarto do Chenle? – pergunta o outro mudando de assunto levando um murro de Jaehyun – Sim, o Jisung por que? – pergunta incrédulo – Só pra saber. Hm eu já vou indo só que antes tenho que ir no 119 então até.

Johnny sem encarar o amigo sai do balcão e vai andando calmamente até o quarto de número dito pelo menor.
Chegando ao quarto, lentamente ele abre uma fecha dando uma pequena visão de Jaemin e Jisung. Observou Jisung por alguns segundos tentando ver cada detalhe e a personalidade do mais novo. Enquanto Johnny observava ele também ouvia atentamente a conversa dos dois que estavam no quarto e sabia que se Chenle a escutasse, uma parte de si não parava de gritar mais.

– É Chenle... Boa sorte – sorrir


Notas Finais


qual será a conversa de Jisung? eu sei q essa fic n eh nada empolgante ಥ‿ಥ
se voceh acompanha a fanfic e n favorita por favor ajudem o moço aqui pq ajuda no engajamento. obgd por ler e desculpem a demora pra postar até o próximo cap!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...