1. Spirit Fanfics >
  2. Fireheart (vkookmin-taekook) >
  3. Invitatio

História Fireheart (vkookmin-taekook) - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Invitatio


Fanfic / Fanfiction Fireheart (vkookmin-taekook) - Capítulo 2 - Invitatio

──❦──

O príncipe herdeiro de Adarlan adestrara muito mal seus cachorrinhos. Os olhos cor de safira que observavam Taehyung colado ao chão, não tinham o menor traço de piedade. Eram frios como o gelo das Montanhas Canino Branco.

— Basta, Duque Perrington. Não vejo sentido em forçá-lo a ajoelhar-se. Um sinal de respeito não deve ser exigido dessa forma tão... Ora, está vendo? Agora ele o odeia.

— É recíproco, Alteza. - disse o homem  ainda mantendo o rosto de Taehyung pressionado contra o piso frio.

Aquele que se chamava Duque Perrington soltou-o, lançando um último olhar de puro desprezo direcionado a ele, e uma reverência exagerada ao príncipe, então retirou-se.

— Espero que entenda... Eu não pedi a ele que fizesse isso. Acredito que as pessoas devem ser tratadas de forma mais... Civilizada. Mesmo alguém como... Você.

— Acredito que você precisa adestrar melhor seu cachorrinho. Um dia ele ainda vai mordê-lo.

Taehyung levantou-se com dificuldade, trincando o maxilar ao tentar ignorar a vergonha que lhe corava as bochechas. Bando de porcos vomitando merdas pomposas. Tratando uma pessoa como um animal para o abate e cuspindo um discursinho sobre tratar as pessoas de forma "civilizada"? Acorrentar todas aquelas pessoas e forçá-las ao trabalho escravo, fome, violência física e psicológica era ser "civilizado"?

Alteza. - grunhiu o encapuzado dando-lhe um chute atrás dos joelhos. Taehyung desabou ruidosamente no chão, pela segunda vez. As correntes tilintaram contra as pedras.

— Como é?!

— Você deve dirigir-se ao Príncipe com "Vossa Alteza".

— Claro que sim, queridinho. E a você devo me dirigir como? "Excelentíssimo cãozinho principesco"?

— Cuidado com a língua, escravo.

— Ou o quê? Vai me fatiar com sua espada canina? Isso colocaria um fim no nosso relacionamento. Seria uma pena...

Basta.

Era tão fácil irritar aquele sujeitinho de olhos... Uau. O homem retirou o capuz revelando um rosto de traços definidos. Cabelos curtos, levemente ondulados. Os olhos eram tão escuros quanto a noite e duros feito rocha, o reflexo do puro desprezo... Não. Havia algo diferente da arrogância que viu no Duque Perrington. Aquele jovem guarda estava tenso, embora sua postura indicasse que não era por medo. Parecia um predador espreitando… Não para dar o bote numa presa, mas sim… Analisando.

— Jungkook, parece que ele gostou de você. - um sorriso dançou pelos lábios do príncipe.

A resposta do homem que se chamava Jungkook foi um rosnado baixo. Cãozinho idiota.

— Ao contrário do outro, este não parece que vai mordê-lo, Alteza.

— Ora, não o trate assim ou vai se arrepender. - Sua expressão ainda gélida adquiria uma brisa do que parecia ser diversão. - Façamos as apresentações: Sou Park Jimin, este homem quase tão encantador é Jeon Jungkook, o capitão da guarda real. E você é Kim Taehyung, o maior Assassino de Adarlan, se não do mundo.

— E aquele que saiu agora a pouco era seu porquinho real, vulgarmente conhecido como Duque Perrington. - o assassino deu um sorriso preguiçoso, deixando o sarcasmo escorrer pelos lábios.

— Ele de fato tem a língua afiada, não é, Jungkook?

— Disseram que ele seria uma coisinha problemática e arrogante. - Dizia o capitão, logo a dar de ombros. Uma atitude que nada tinha a ver com despreocupação ou descaso.

Então ele sabia. O Capitão sabia o perigo que Taehyung representava. O assassino sorriu mais largamente, espreguiçando o corpo o quanto podia. Contraindo e relaxando os dedos das mãos, os ombros.

Jeon Jungkook enrijeceu do seu lado. Ao que parece, o corpo guerreiro do capitão reagia a cada simples gesto que o assassino fazia. Ele gostou daquilo, de ter outro corpo reagindo ao seu naquela dança ensaiada ao longo de todos os anos que treinou sob a supervisão do Clã dos Assassinos. O capitão da guarda daria um ótimo parceiro de dança. As coisas ficariam divertidas, em breve.

— Ei ei, vocês dois... Jungkook, viemos aqui para fazer uma oferta e não para causarmos tensão desnecessária. - O príncipe deslizava do trono onde estivera sentado até então.

Park Jimin aproximava-se a passos lentos, com a graciosidade de outro parceiro de dança. Parou a poucos centímetros do assassino, sorrindo. Um maldito galanteador com aquele rostinho angelical.

— E que oferta um humilde escravo como eu deve esperar do magnífico herdeiro de Adarlan? - murmurou com o sorrisinho torto, deixando que cada palavra fosse banhada por aquele tom sarcástico que irritara tão bem o capitão da guarda. 

— Você realmente sabe usar as palavras, não é? Usa-as de uma forma muito pomposa para quem quer dizer o completo oposto. Não parece alguém da ralé.

— Realmente espero que não!

— Bem, meu caro Kim Taehyung, vim lhe fazer a oferta de um acordo... Gostaria de saber se seria de seu interesse.

Eles estavam o menosprezando, tratando-o como um simples e vulgar prisioneiro. Um escravo qualquer. Ah, como estavam enganados. O Duque pagaria por aquela humilhação. Pagaria por sequer ter ousado tocá-lo com aquelas mãos imundas. O próximo seria... O quão tolo o príncipe de Adarlan conseguia ser? Tagarelando a poucos centímetros... Rondando-o como um idiota, sem perceber que estava diante de uma fogueira. As chamas o queimariam antes que ele sequer percebesse o que havia ocorrido.

Seria tão fácil. Tão simples. Bastaria lançar as correntes em torno de seu pescocinho real, um simples movimento e o príncipe estaria morto pelas correntes de Endovier. Mas um pescoço quebrado parecia tão pouco comparado com o estrago em suas costas e por tudo o que lhe foi tirado... Seria uma pena não ter a chance de fazê-los pagar por aquilo de forma equivalente. 

— Devo entender essas faíscas em seus olhos como uma confissão de amor, Taehyung?

— Certamente, Alteza. A sua presença me deixa em chamas.

— Acredito que devemos deixar essa confissão para outra hora. Jungkook parece enjoado, e ele tem o péssimo costume de cortar cabeças quando está enjoado.

— A palavra certa seria enojado, Alteza. Acredito que seja perda de tempo discutir com esse pirralho.

— Humm... Desculpe, Alteza. Mas o Capitão acabou de conquistar meus desejos mais profanos.

— Senhor Kim, essa conversa não vai nos levar a lugar algum... - O príncipe pigarreou arqueando as sobrancelhas. - Jungkook, guarde essa espada.

Em poucos minutos Taehyung concluiu que o Capitão da guarda real era alguém extremamente fácil de provocar, o Príncipe Jimin era um playboy pomposo e que as chances de que ele saísse morto daquela sala eram nulas.

— Guarde sua espada, Jungkook querido. Você não vai usá-la, afinal, vocês não podem me matar.

— Uma alegação audaciosa para quem está acorrentado em uma sala vigiada por guardas.

— Uma alegação inteligente de quem percebeu que vocês vieram para me PEDIR algo e não oferecer. Algo de que precisam a ponto de vir de Forte da Fenda até aqui. Algo que fez com que o príncipe herdeiro se aproximasse tanto de um mero e insignificante escravo. E que, para isso, dispensou um Duque e sua guarda pessoal.

Bingo. A expressão dos dois homens se contorceu com o que poderia ser choque. Taehyung não pode conter o sorriso quando notou as chamas fantasmagóricas dançando naqueles olhos negros. Jungkook odiava admitir que Taehyung estava certo. Já os olhos do Príncipe sorriam para ele como duas pequenas luas crescentes. Ele cobriu a boca com as costas da mão, fingindo uma tosse para disfarçar a curva nos lábios. 

O assassino observava o príncipe com uma contemplação silenciosa, bonito em qualquer aspecto. Mas havia um jogo ali que o interessava ainda mais. Um no qual o príncipe deve agir como o galanteador poderoso e não como um jovenzinho de sorriso fofo. Ele devia saber daquilo, então reassumiu a pose arrogante até sentar-se no trono, o sorriso havia desaparecido. 

— Quanta perspicácia. Não deveria esperar menos do grande Assassino que causou terror por toda Forte da Fenda e que é temido ainda hoje. - O príncipe apoiou o queixo na mão, cruzando as pernas despreocupadamente.

— Fico lisonjeado pelo reconhecimento. - Taehyung gesticulou com a mão, girando-a algumas vezes antes de dar de ombros num "Deixa para lá". - Então? Qual de meus serviços será solicitado pelo herdeiro de Adarlan?

— Uma competição. Vença-a e será um homem livre.


─────❦─────

❝ So just take it, 

please accept my invitation, 

give in to the dark temptation ❞



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...