História First Crush - Capítulo 3


Escrita por: e truppel

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Min Yoongi (Suga)
Tags Bangtan Boys (BTS), Drama, Stalker!au, Yoonkook
Visualizações 11
Palavras 1.729
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorou, mas tá aí mais um capítulo
espero que gostem sz

Capítulo 3 - Capítulo 3


P.O.V. Min Yoongi

Três minutos. Foi o tempo necessário que precisei esperar para que Jungkook se distanciasse de casa para eu finalmente agir.

Havia visto perfeitamente o local em que a chave havia sido colocada e ao julgar a garagem visível onde um carro preto ficava todos os dias em sua maior parte naquele horário, seus pais não estavam. Então não foi difícil para eu saber que a casa estava vazia e assim entrar.

Confiro a rua e ao notar que ninguém passava por ela, eu a atravesso, andando calmamente até a moradia de Jeon com tamanha tranquilidade que parecia que eu mesmo morava lá. Com a caixa de correio uma vez aberta e as chaves achadas, não demorou para eu estar no interior da propriedade, fechando a porta principal com cuidado atrás de mim.

Analisei o ambiente com cuidado, andando pelo local enquanto tentava guardar cada detalhe em minha mente, subindo para o segundo andar que sabia que ficava o quarto do garoto mais novo após tantos anos observando.

Paro na frente da porta entreaberta, levando a destra na direção da maçaneta para a empurrar, mas algo na minha mente soa como um aviso e hesito, parando antes de a tocar.

Não toque.

Viro o braço, empurrando a porta com o cotovelo o suficiente para que eu passasse, assim entrando no cômodo.

Inspiro o ar, querendo guardar até o cheiro do seu quarto na memória, girando enquanto analisava em 360° todo o local, prestando atenção em cada mísero detalhe.

Por algum motivo era gratificante estar no cômodo pessoal de Jeon Jungkook.

Não queria demorar, eu não tinha certeza de quanto tempo os moradores ali ficariam fora e sabia que era arriscado. Mesmo que soubesse que aquilo era errado de alguma forma, eu não conseguia me sentir culpado. Eu só queria me sentir próximo do garoto que eu gostava.

Me aproximo de seu armário que era enrustido na parede, parecido com um closet, suas portas estavam totalmente fechadas, não demorando a perceber que estava trancado com um simples puxão, assim destrancando e abrindo as portas do móvel.

Olho para dentro do armário, sentindo um desconforto imediato com a falta de espaço. Mesmo com as frestas de saída de ar nas portas, o interior não era convidativo, tanto que eu entro com receio, dando uma rápida analisada em suas roupas antes de alcançar uma peça no canto, dobrada junto perfeitamente no meio de uma pilha de roupas bem organizadas, retirando do meio da pilha uma camiseta preta simples.

Me ajoelho no chão do armário enquanto derrubava a alça que suspendia minha mochila, que havia trazido comigo, do ombro, a deixando no chão enquanto abria seu zíper com pressa e guardava a peça de roupa dentro do objeto, fechando rapidamente o bolso aberto enquanto já puxava a mochila para sair dali.

Saio do armário, me virando para fechar e trancar as portas, exatamente como estavam, logo me afastei, voltando para a porta do quarto, lembrando que ela estava entreaberta, passando para o lado de fora e a puxo com delicadeza, tentando a deixar na posição que lembrava mais ou menos estar.

Estava feliz, havia entrado em contato com o quarto de Jungkook e de bônus ainda um objeto dele para levar de recordação. Me sentia positivamente mais próximo dele, era uma evolução na nossa futura relação. Afinal quanto melhor eu o conhecesse melhor seria.

Sorrio levemente, de forma infantilmente adorável, descendo as escadas novamente para o andar inferior, abrindo a porta da frente que não havia trancado e pego as chaves colocadas na fechadura da porta antes de a trancar e eu voltar para o portão no lado de fora.

Portão novamente trancado, chaves mais uma vez na caixa de correio, ninguém para incomodar na rua e eu já me encontrava seguindo caminho para casa, confiando na desculpa da falsa aula extracurricular para justificar meu atraso para chegar em casa.

Era um ótimo dia.

P.O.V. Jeon Jungkook.

Após o breve passeio pelos quarteirões próximo, retorno à frente da minha residência, logo me aproximando mais da caixa de correio, notando uma leve diferença na posição que a chave se encontrava, logo a pegando e ignorando o caso.

Ao ultrapassar a porta, tranco-a novamente e deixo a chave pendurada no chaveiro ao lado da entrada principal, retornando para o andar acima, no qual eu me encontrava minutos atrás.

Me aproximo do meu quarto, prestes a abrir a porta do cômodo, paro e observo a distância na qual a peça de madeira se encontra, imaginando se tivera deixado a mesma aberta naquela distância, tirando conclusões de que a porta estava poucos centímetros mais fechada.

Abro meu guarda roupa para pegar uma roupa limpa, percebendo que uma das pilhas estava pouco mais baixa do que anteriormente, notando a falta de uma camisa.

Meu casaco, e agora uma das minhas camisetas...

Pego uma peça de roupa e vou até o banheiro existente na lateral do quarto, retirando minhas roupas e entrando no chuveiro. Ainda encucado com o fato da camiseta ter 'sumido'. 

Parado no chuveiro, apenas sentindo a água escorrendo sobre minha pele, penso mais sobre o ocorrido e novamente o nome do menino retorna à minha mente. Yoongi. 

Ele não seria capaz de invadir minha casa e pegar uma de minhas blusas.

Tomo isso como ideia final e deixo de lado o pensamento, saindo do chuveiro e por fim me secando. Visto a roupa e retorno ao quarto, me deitando sobre a cama, acabando por dormir.

P.O.V. Min Yoongi

– Oi, Yoongie, como foi a aula? – a mais velha pergunta enquanto corria pela sala, à procura de suas coisas com pressa enquanto com uma mão escovava os dentes e os cabelos negros na altura dos ombros estavam bagunçados. O motivo da pressa era por estar atrasada para o horário de sair para o trabalho. – Onde está a minha carteira?

– Em cima da mesa – indico o móvel bem na frente dela, ignorando a primeira pergunta que também não possuía valor para ela, já que nem ligou para a falta da resposta. – Vai voltar 'pra janta?

Ela para momentaneamente para me olhar, possuindo pena e culpa carregada nos olhos, sorrindo docemente para disfarçar.

– A conferência de empresa provavelmente vai atrasar, mas eu juro que tento voltar antes que vá dormir, okay?

Apenas dou de ombros, acostumado com a falta dela em casa igual meu pai. Aparentemente trabalhar era a coisa mais importante para eles ali.

Obviamente minha progenitora nota minha reação e tenta de alguma forma consertar a situação.

– Não fique assim, querido. Sabe que é o melhor para nós. – ao ver que eu novamente não dou uma resposta, apenas me dirigindo até a cozinha procurar por comida, já que não comia desde o lanche na escola, ela suspira em desistência, pegando sua bolsa e a jogando sobre o ombro, logo indo em direção à porta. – Se cuide, tá bom?

Respondo com um “aham”, a vendo sair em segundos, com tamanha pressa que parecia fugir do fim do mundo. Era apenas um atraso para o trabalho, não conseguia entender essa obsessão com o emprego. O que ele realmente importa? Um trabalho daqueles só gerava estresse e isolamento, não me fazia sentido um punhado de pedaços de papel significar tanto a esse ponto.

Mas o que eu sabia? Sou apenas uma criança. Nenhuma opinião minha tem valor para os adultos tão sábios, afinal.

Bato a porta da geladeira enquanto pensava nisso, deixando os ingredientes para fazer meu almoço em cima do balcão com a ajuda da ponta dos pés para alcançar.

Surpreendentemente eu sabia cozinhar até que bem demais para a minha idade. Obviamente não servia para um restaurante francês ou algo do tipo, mas conseguia me alimentar bem. Ainda mais que a comida da minha mãe era péssima. Obviamente não foi dela que puxei meus dotes culinários e como meu pai não cozinhava, eu tinha que me virar.

De qualquer jeito, é melhor do que não comer


─  ⃟͜͡��͜͡⃟  ─

Estava agora deitado de barriga pra baixo em minha cama, balançando as pernas infantilmente enquanto assistia a vídeos no YouTube pelo meu celular, após ter almoçado e lavado a louça suja.

Me encontrava no completo tédio. Era solitário estar em casa na grande maioria das vezes, eu precisava de algo para me distrair e ocupar o silêncio total que o local se encontrava nesse horário.

Até havia pensado em ligar para Hoseok, ou o Nam, até mesmo SeokJin hyung, mas todos estavam ocupados no momento, então tinha que me contentar com as pequenas distrações que tinha.

Enquanto passava o longo e tedioso dia tentando achar ocupação, pendurado sobre o apoio da cadeira de minha escrivaninha estava um casaco preto com respingos coloridos, e dobrada com cuidado, deixada em cima da mesa se encontrava uma camiseta preta simples.

A verdade era que eu precisava de algo para me apegar, para buscar refúgio dos momentos solitários e monótonos que passava em maior parte de minha vida.

E havia achado esse refúgio em Jeon Jungkook.

P.O.V. Jeon Jungkook

Horas mais tarde, acordo meio confuso, com um pouco de demora para tomar consciência e entender novamente o que estava acontecendo. Sinto minha barriga roncar, olhando então para o relógio e me assustando com a hora que já era.

Eu dormi durante 2 horas e meia.

Me levanto da cama e vou ao andar abaixo em direção à cozinha para aquietar meu estômago que roncava adoidado. Abro a porta acinzentada da geladeira e observo durante alguns segundos às opções de refeições que eu tinha.

– A comida está quase pronta, querido. – me assusto levemente ao ouvir a voz delicada e feminina em minhas costas. Minha mãe se encontrava fazendo a janta, e, como eu ainda estava meio perdido, não a vi quando entrei na cômodo.

Minha mãe é uma mulher bem solitária. Desde que meu pai a deixou, ela desenvolveu transtornos psicológicos; não que não tivesse antes, já que meu “pai” sempre foi um babaca e a tratava como um rato.

Ela nunca para em casa, está sempre no trabalho e nunca tem tempo para nada. Me surpreende ela estar em casa uma hora dessas e fazendo a janta.

– O que faz aqui?. – pergunto pegando uma garrafa d’água.

Ela apenas fica em silêncio. Sem resposta, saio dali.

– Quando terminar a comida, me chame. – falo antes de avançar para fora do local, indo novamente para o quarto.

 

 


Notas Finais


hoje ou amanhã tem mais um capítulo aí, juro hahahah
até mais bbs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...