História First Love - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Mark, Personagens Originais, Yugyeom
Tags Bts, Fower Boy, Gota, Jungkook, Mark
Visualizações 7
Palavras 1.593
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Genteeeee voltei!
Passei um tempo longe, né?
È a vida, mas eu ja expliquei que a minha vida é muito confusa e por isso que eu sumo e volto do nada.
Não abandonem a Fic, tá começando a mostrar pra que realmente veio, então não desistam.
As músicas que eu estou colocando como trecho, escutem, sério são fodas demais.

Capítulo 33 - Pacto com o Diabo Estou em todo lugar.


Fanfic / Fanfiction First Love - Capítulo 33 - Pacto com o Diabo Estou em todo lugar.

         No epsódio anterior: " Depois da morte do meu pai que tudo desandou. Mas tudo irá voltar para o trilho de novo.          

_____________________________________________________________                                         ''Se eu não confio em você, melhor não confiar em mim. ''   - Haikass          
         _______________________________________________________________                                                                                          (...) 

- Como você anda se sentindo ultimamente? 

- Bem, melhor do que nunca pra falar a verdade.

- Tem tomado os seus remédios? 

- Não preciso mais deles, mas sim, estou tomando eles sim. 

- Você sabe que precisa deles ainda, você ainda não está completamente tratada, já conversamos sobre isso. 

- Eu sei doutora, desculpa. 

- E voltando a aquele assunto sobre aquela menina, Camilla, né? 

- O que tem ela? - Pergunto a olhando fixamente. 

- Não tem procurado mais ela, né? - Ela me pergunta, me fitando por cima dos óculos potiagudos nas bordas em um tom escarlate. Durante todas as minhas seções, há pelo menos 3 anos, ela me faz a mesma pergunta, em uma tentativa falha de se convecer que os encontros e os remédios estejam fazendo efeito.

- Sim, não tenho procurado mais ela.
____________________________________________________________________________

 '' Eu sei que você não vale nada, mesmo assim eu te quero. '' - 1Kilo
___________________________________________________________________________

(...)

- Zico, seu sádico desgraçado, atende! - Ando pelo meu quarto dando volta em círculos, o idiota deve estar comendo alguma puta, e esqueceu a porra do celular no rabo dela, só pode. 

- Olha quem está me ligando...Sabia que você não iria aguentar de saudade. - Ele diz todo convencido do outro lado da linha. Babaca! 

- Que mané saudade, se enxerga! Tenho outros assuntos contigo. Que palhaçada foi aquela no baile? - Eu disse indo direto ao assunto. 

- Baile? Ah, já fiquei sabendo so showzinho, sinto lhe informar baby, mas não tenho nada a ver com isso. Deve ter sido mais um revoltado que você deve ter irritado. Tá ligada que tua lista de inimigos conseguiu ser bem maior do que o tamanho da minha rola, né? E olha que a bicha é grande.

- HaHaHa, tá confundindo serpentina com cano, denovo Zico? Enfim, o idiota do Park, voltou. - Eu disse e recebo uma risada sarcástica do mesmo. 

- Meu brother voltou! Nossa gatinha, você tá muito fudida. Já sabe quem é a criatura do baile? - Ele disse e escuto ele acender um cigarro. 

- Não tenho nada de concreto ainda, mas irei precisar da sua ajuda. È o seguinte, que tal trabalharmos juntos novamente? - Eu disse com muita raiva de ter que vende a minha alma para um sádico novamente. 

- E o que eu ganho com isso? - Ele me pergunta. 

- O que você quer? - Eu pergunto e escuto o mesmo esboçar um sorriso e relaxar na cadeira. Droga. 

- Você. - Ele disse me fazendo revirar os olhos. 

- Como assim, tá maluco? Em que sentido? - Eu pergunto, já sabendo a resposta. 

- Exatamente o que você ouviu. Eu te ajudo e você fica comigo, te promovo a primeira dama dos meus esquemas. - Ele disse e eu sei que ele está falando sério. 

- Depois pensamos sobre isso, preciso dar um jeito em algumas coisas antes. Chama o babaca do teu amigo, ele vai ter que ajudar também. - Eu disse e o mesmo demonstra frieza. 

- Não, você não entendeu. Ou temos um acordo ou eu não irei te ajudar em nada. O que é mais importante? Sua vida ou o seu orgulho? - Ele diz se passando denovo. 

- Não, foi você que não entendeu em que situação você se encontra. - Eu disse e sinto o mesmo soltar um suspiro. - Deixa eu te explicar melhor, se eu cair, você cai junto. Ou você acha que eu não irei abrir a minha boca em busca de alguma recompensa? - Eu disse. 

- Você não teria essa coragem. - Ele disse e escuto uma risada sarcástica. 

- Quer apostar? - Eu disse e o mesmo silenciou a linha. 

- No meu galpão, amanhã a noite. Vou mandar alguém te buscar, não se atrase. - Disse e o mesmo desligou o celular. 

          (...)                         _________________________________________________________________________________
" Vim para sabotar o seu raciocínio! '' - Rap Nacional.
___________________________________________________________________________________

  Depois do baile as coisas conseguiram ficar cada vez mais estranhas entre mim e a Camilla. Estávamos tão bem antes dessa bagunça toda. Antes de eu agir feito um babaca e antes de ela mudar da água para o vinho, em apenas uma única noite. Pra falar a verdade, nunca fui de me apegar a ninguém, tive um caso com a Sun Hee, mas era apenas um caso, nada demais. Ela sabia disso e também nunca tentou ter alguma coisa comigo, um dos motivos de eu gostar do jeito dela. Mas com Camilla foi diferente, tem alguma coisa nela que me atrai. Não é apenas o desejo do corpo, não é só por que me faz bem. Tem algo nela, algo bem mais fundo...perigoso. Nossa, viajei. Como a mesma não quer falar comigo, mesmo eu demonstrando o quanto eu estava preocupado com ela, resolvi deixa-la em paz. Acordei cedo e fui tomar banho, não esperei o Kook acordar. Precisava de um tempo pra mim. Meus pais inventaram de viajar e deixou a casa sob minha responsabilidade, já que eu era mais velho que o Kook. Me troquei, coloquei uma calça preta uma blusa branca qualquer e uma jaqueta preta, peguei a minha carteira que estava com um certo dinheiro que minha mãe deixou. Peguei a chave e saí. Andei alguns metros e logo me eu uma vontade de ir ver com a Camilla tá, mas resolvi deixa pra lá. Peguei minha touca no meu bolso e acendi um cigarro. Resolvi ir em um lugar que eu não vou a muito tempo. Preferi ir andando, antes disso passei em um mercado e como ainda era menor de idade, tinha uma identidade falsa para comprar bebida. Comprei uma garrafa da primeira bebida que eu tinha visto na minha frente. Não não iria dar um de revoltadinho com a vida e beber para esquecer uma guria qualquer do colégio. Iria beber porque eu gosto, é diferente. Comprei o que queria e antes de tudo passei em um conhecido que me vendia uma ervas, o cara era de confiança. Sim, eu fumo, mas é por pura diversão e claro ninguém sabe, a não ser meu irmão, é claro. Ele não concorda, mas é coisa minha. Rumei para um bosque que fica um pouco mais afastado e poucas pessoas frequentam  por ser em um bairro de pouca confiança. Enfim, tinha um lugar que eu costumava a ir quando queria ficar sozinho, ou quando somente brigava com os meus pais, comente o Kook sabe onde fica, normalmente ele fica vazio. Depois de 1 hora, cheguei finalmente ao meu destino. Era como se voltasse ao passado. Fui caminhando e uma cena me chamou atenção. Não deveria ter ninguém ali, mas estava uma menina com cabelos escuros, sentada em um dos bancos que já estavam quebrados e desgastados com o tempo. Ela estava chorando. A mesma tinha um puta corpo, não pude deixar de notar, mesmo com um frio desses, ela se encontrava com um vestido vermelho colado no corpo, parecia ter saido de alguma festa. Me sentei no mesmo banco, pra ver se ela precisava de ajuda. 

- Moça, precisa de ajuda? Aconteceu alguma coisa? - Eu perguntei a mesma, que só fazia chorar. Caralho, é o meu ponto fraco, não aguento ver mulher chorar. De perto ela ainda era mais bonita do que eu pensava, parecia um anjo, de tão bonita. 

- Meu namorado terminou comigo. - Ela disse em meio ao choro que parecia não conseguir controlar. - E hoje é o meu aniversário....ele terminou comigo no meu aniversário. - E teve mais uma crise de choro. 

- Calma, vai ficar tudo bem, o cara que fez isso é um babaca. Fique calma. - Eu disse tentando inultilmente acalmar o anjo que estava do meu lado. - Olhe, eu tenho bebida aqui, podemos brindar o seu aniversário, o que acha? - Eu disse e logo tentei retirar o que tinha falado mas já era tarde demais, pensei que iria receber um tapa ou algo pior, mas não, a mesma me deu um sorriso. Nossa e que sorriso lindo, ela tinha covinhas. Fiquei morrendo de vontade de procurar o babaca que tinha feito isso com anjo desse. 

- Não, não quero te atrapalhar. Tenho que ir pra casa. - Ela disse enxugando o rosto. 

- Não, engano seu. Não irá me atrapalhar em nada. Por favor fique. - Não sei o que deu em mim, mau conheci a criatura.  - Fazemos assim, bebemos e depois se quiser, te levo em casa. 

- Tudo bem então. - Ela disse e me ofereceu um sorriso sincero.

- Desculpa, nem me apresentei. Prazer, meu nome é Mark. - Eu disse. - Qual é o seu?

- Prazer Mark, me chamo Yerin, mas todos me chamam de Alu

 

 

Eu juro que tentei... Não quero crucificar você
Fui a fundo e me doei, mais você não parecia ver
Hoje minhas noites são vários goles
os problemas voão com os trago
Mais e certo que tua falta torne minha cama
o paraíso dos rabos, a saudade não me comove
troquei ela por um baseado, roubei o mundo do diabo
Eu não quero mais pensar no que eu passei
pra mim tanto faz cê viu que eu mudei
encontrei a paz no mundo novo bem longe de você 

- O mundo me ajudou a te esquecer - Nith
 


Notas Finais


Alu - Demônio da noite.
Beijinho e até a próxima!
Não está totalmente corrigida, desculpem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...