1. Spirit Fanfics >
  2. First Sight X-Men >
  3. Prenuncio

História First Sight X-Men - Capítulo 35


Escrita por:


Capítulo 35 - Prenuncio


5 MESES DEPOIS

-Ainda nada? -Julie me perguntou descrente

-Bom, essa semana tive pouca vontade de comer, mas nada muito surpreendente

-Olha, é totalmente possível que a criança não tenha poderes – Ela disse tirando as luvas que usava- inclusive já participei de alguns casos assim. Mas de qualquer forma, também existe a possibilidade de que eles se desenvolvam com o passar dos anos, até onde eu sei, é assim com a maioria dos mutantes.

-Talvez seja a melhor opção, não ter nenhum poder, assim eu e Erik não poderíamos brigar pelos direitos de ensinar os caminhos “certos”...

-Como tem sido essa questão?

-Estamos bem, animados e curiosos, você sabe que eu prefiro só saber o sexo na hora do nascimento. Não temos falado sobre esses possíveis desentendimentos, afinal não temos como saber como vai ser e achamos melhor não brigar por antecedência. Mas se quer a minha opinião, quando chegar a hora, vamos nos desentender...

-Bom, você também tinha medos em relação a Magnus e ele se tornou uma criança incrível, talvez seja só uma preocupação de mãe.

-Espero que você esteja certa

Hank entrou na sala interrompendo a conversa, claro que Julie esbarrou em alguns instrumentos do laboratório e os derrubou num claro sinal de tensão pela presença dele.

-Ahn... eu é eu só vim avisar que o professor queria conversar com você mais tarde, Anne......... Julie - ele a cumprimentou com a cabeça e ela respondeu sem contato visual e fechou a porta.

-Vocês continuam péssimos nisso hein. Achei que a história estava no passado – Disse me levantando da maca

-E está. Quer dizer, hoje em dia isso não é tão estranho quanto 5 anos atrás, afinal Xavier traz a agente MacTargget aqui toda hora e ninguém questiona ela ser humana. Mas ainda assim acho que nosso tempo passou.

-Mas, em teoria, Charles e Moira não são um casal

-Ninguém acredita nisso, nem eles –Ela riu guardando as coisas

-Bom, agora eu tenho que achar Pietro, ele pediu minha ajuda para alguma coisa que eu já nem sei mais o que era.

 

-Olha, Magnus, cuidado, ele menor que você... –Pietro vigiava Evan e Magnus no quintal

Na verdade, ele vigiava do jeito dele, ou seja, ouvindo música e eventualmente chamando atenção para algum perigo.

-Eu vou pegar um lanche, fica de olho neles? –Akirah perguntou sabendo com quem estava lidando

Ele respondeu com um olhar ofendido

-Tô falando ficar de olho mesmo –Ela complementou.

-Tá bom, mandona –Ele respondeu brincado com o cabelo dela

Assim que ela saiu, Pietro tirou os fones e admirou finalmente dar a Evan o que eu e ele não tivemos, uma família completa.

Interrompendo a beleza do momento, os meninos se desentenderam na brincadeira.

-Você me bateu, Magnus

-Claro que não, foi sem querer

-NÃO FOI

-FOI SIM

Pietro se aproximou andando para resolver a questão, quando percebeu que Evan soltava espinhos de um material ósseo idêntico às garras que Wolverine tinha antes de passar pelas experiências do Major Stryker.

QuickSilver usou seus poderes para chegar a tempo de impedir que Evan soltasse um espinho que ia na direção de Magnus com um potencial fatal. Magnus saiu ileso, mas só porque Pietro se jogou na frente dele, sendo atingido na perna direita.

Eu cheguei assim que Pietro caiu no chão e usei meus poderes para evitar que ele se machucasse mais.

-O que acabou de acontecer aqui? –Perguntei me abaixando para socorrê-lo, com dificuldade por conta do tamanho que eu estava.

Magnus mantinha um olhar de medo para Evan. E no meio dessa bagunça, Akirah voltou.

-PIETRO –Ela correu em direção a ele sem entender o que havia acontecido.

-Eu estou bem – Ele respondeu a acalmando – acho que descobri os poderes de Evan, ele solta espinhos.

-Filho, -Akirah foi até Evan- está tudo bem. Nós vamos te ajudar com isso, tá bom? E o papai, ah finalmente ele vai andar normal como eu sempre sonhei –Ela descontraiu e conseguiu que Evan sorrisse um pouco.

-Magnus, você sabe o que deve fazer –Disse a ele séria.

-Desculpa –Ele disse sem vontade

-Desculpa também –Evan disse com vergonha

Akirah ligou pedindo a Erik que viesse buscar Magnus e ficou com eles enquanto eu levava Pietro para a enfermaria.

-Quem diria que em algum momento eu seria a mais rápida de nós dois? –Provoquei enquanto ele me olhava com raiva

 

Nos últimos 5 meses Vampira e James seguiram com estranheza. Ela manteve o profissionalismo, se é que o que fazemos é considerado profissão. Não perdia os treinos, ia muito bem nas missões e ainda que soubéssemos como doeu ela ter terminado algo que nem começou, ela era muito boa em se manter de pé.

-Hoje foi bom, né? Fiquei até surpresa -Kitty ria entrando pela porta com a turma que voltava de um dia ajudando o FBI com seus muitos criminosos.

-Não sei porque está surpresa, comigo, não podia dar errado -Vampira respondeu brincando de ser superior.

Atrás vinham os meninos com uma expressão não tão feliz.

-ME CONTEM LOGO COMO FOI - Os recebi no saguão depois de deixar Pietro com Akirah

A gravidez já estava avançada o suficiente e eu já não saía mais para aventuras com eles. Faltava menos de um mês para o nascimento do bebê, eu e Erik não falávamos sobre como seria, mas no fundo, eu temia como seria isso.

-A criança derrotou quase todo mundo sozinha -Logan disse com um certo orgulho se referindo a Vampira

-Na próxima vou pedir que lidere -Disse abraçando-a

-E posso saber que caras são essas de vocês? -Perguntei a Kurt enquanto Vampira seguia para a cozinha

-Apostamos que os homens prenderiam mais pessoas e salvariam mais crianças, mas perdemos e agora temos que fazer o que elas mandarem por um mês

Os garotos pareciam tristes dentro do contexto, mas James estava totalmente a parte deles. Apache era o último a cruzar a porta quando fui até ele.

-Vou arriscar um palpite e dizer que você não está chateado por ter que limpar uns banheiros esse mês

Ele me olhou sem corresponder à brincadeira

-Você deve saber do que aconteceu entre eu e Vampira....As coisas não são mais como antes –Ele disse olhando para o nada

-É, nada escapa de mim, eventualmente acabo sabendo de tudo.... - Respondi- Como você está? É só uma situação desconfortável, James, vai melhorar.

-Não, não é só isso. Ela está certa....Eu não sigo em frente da maneira que deveria, e você -Ele olhou para minha barriga - claramente não tem a mesma dificuldade.

Honestamente, me ofendi um pouco com o tom dele.

-Não foi simples para mim te deixar, James, eu gostava de você. Mas fiz o que era honesto e justo com todos os envolvidos. Eu lamento que você tenha sofrido e que tenha dificuldade de seguir em frente, lamento mesmo, porque você é uma pessoa sensacional. Mas ela está certa sim. Você não quer me esquecer, e eu sei que alimenta expectativas de que Erik vá vacilar e eu vá te procurar, mas as coisas não são assim. Ele é uma pessoa complicadíssima, mas eu o amo. E eu admiro que mesmo gostando de você, Vampira mantenha a pose e separe as coisas.

Ele arfou como quem me acusa de uma hipocrisia e começou a me deixar falando sozinha

-Arrume sua bagunça, Proudstar - Segurei o braço dele e percebi como ele era maior que eu - ela vai liderar nas próximas vezes e preciso saber que pode lidar com isso.

Ele fez um sinal de "fazer o quê?" com as mãos e saiu me deixando na porta de entrada.

Achei que lidaríamos melhor com isso quando fui atrás de Erik, mas para ele, eu deveria tê-lo escolhido.

 

-Professor? Queria me ver? –Disse fechando a porta atrás de mim –Desculpe o atraso, fiquei ocupada com Pietro.

-Achei que você deveria saber –Ele começou sério, mas sorriu – vou contar a ela hoje

-MEU DEUS JÁ ERA HORA. Quer que eu ajude? É só me dizer como –Respondi animada

Moira era uma pessoa de poucos amigos, a maioria de nós se via preocupado com o mundo lá fora e toda hostilidade que ele apresenta. Como eu não podia mais ajuda-los nas lutas, acabei percebendo as pessoas que precisavam de ajuda bem debaixo dos nossos olhos. Eu e Moira nos aproximamos, e durante esses 5 meses, ela manteve a crença de que Charles não queria nada além de um relacionamento profissional e que a conexão deles era só por ele ser um homem gentil e visionário.

-Acho que é uma coisa que preciso fazer sozinho. Mas agradeço por tudo, Maximoff –Ele me abraçou

O telefone tocou e interrompeu o momento.

-Professor Charles Xavier –Ele atendeu

Percebi a expressão dele se fechar.

-Não se preocupe, entrarei em contato com eles, terão nosso apoio. – Ele desligou a ligação.

-Algum problema?

-Precisam de nós, houve uma falha nos sistemas de uma nave orbitando próximo a Terra. Eles têm cerca de 5 tripulantes, precisamos ir. –Ele olhou para baixo numa expressão triste – Parece que nosso plano vai ficar para depois.

COMO ASSIM OS X-MEN IRIAM PARA O ESPAÇO?

Ele pegou um comunicador que ganhou das autoridades do FBI e usou para se comunicar com a nave que estava com problemas.

-Aqui é o professor Charles Xavier, a ajuda está a caminho.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...