História First Station - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags 5 Seconds Of Summer, 5sos, Amor, Asthon Irwin, Bandas, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Rock, Romance
Visualizações 18
Palavras 1.136
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá!
Eu estou de volta. Desculpa pela demora para postar esse capítulo, mas eu tava revisando a história é o destino dela é como já está tudo ajeitado na minha cabeça vou voltar a postar com mais frequência!
Vejo vocês lá em baixo.

Capítulo 6 - First Feeling


POV Carolina

Com uma mão eu estava segurando um copo de suco de laranja e a outra estava pousada em cima da minha boca, tentando impedir que uma risada saísse da mesma. Eu observava Sophia olhando meio desolada para uma caneca de café em cima da mesa e tudo que eu pensava era como essa cena era hilária.

-Sophia, qual é o problema?- Mariana perguntou sem esconder a risada.

-Já provaram esse café?- Ela diz alternando o olhar entre eu e Mari. – Eu quero café do Brasil!

-Não é tão ruim assim.- Luísa, em pé perto da pia, diz.

-É horrível!

-Bom dia, meninas.- Um Ashton animado diz entrando na cozinha.

-Bom dia.- Eu, Mari e Luísa respondemos, enquanto Sophia grunhi voltando a encarar o café.

-O que aconteceu com ela?- Ashton se senta ao meu lado e aponta para S.

-O café daqui é diferente do café do Brasil.

-Diferente melhor ou pior?- Calum diz entrando na cozinha com Michael logo atrás.-Oh, esquece!- Ele diz assim que vê a cara da minha amiga. Sophia levanta da cadeira com a caneca na mão e a coloca na frente de Luísa, que ri e pegar caneca para tomar o café.

-Bom dia.- Um Luke sonolento resmunga entrando na cozinha.

-Caiu da cama, loirinho?- Mari pergunta.

-Sophia me empurrou.

-Me erra, Hemmings.- Sophia diz revirando os olhos.

-Vocês se amam tanto!- Digo rindo.

-Nossas ideias de amor são um pouco diferentes.- Sophia diz enquanto Luke a encara com um sorriso de lado.

-Deixando o amor desse dois de lado. O que vocês acham de ir na praia hoje?- Michael pergunta.

-Ai meu Deus, sim! Por favor!- Luísa diz.

-Não sei não eu ainda estou um pouco cansada.- Digo torcendo meu rosto numa careta.

-E o que é melhor para relaxar do que um dia na praia?- Olho para Calum considerando e ele me encara com uma carinha pidona.

-O que você não me pede rindo que eu não faço chorando?

[...]

Aquela praia diante dos meu olhos só pode ser uma miragem. Eu provavelmente morri e estou no céu porque eu nunca vi uma praia tão linda como essa. Talvez Mari esteja certa e eu realmente me impressione com coisas pequenas, mas esse lugar é qualquer coisa menos pequeno. Não estou falando apenas de extensão e sim do que ele significa, do que representa. A água é nada menos que cristalina e os grãos de areia são muito finos e claros. Não vejo lixo jogado na areia em ponto algum e fico mais admirada quando me toco que o lugar parece intocado, como se os humanos nunca estivessem o achado.

-Fecha a boca, vai entrar mosquito.- Calum brinca do meu lado e eu rio ainda um pouco impressionada com a beleza.

Ashton, Sophia, Luísa, Mari e Luke estão sentados na areia olhando Mike nadando e fazendo palhaçadas e vejo alguns deles se juntarem ao menino de cabelo colorido. Calum ao meu lado apenas ri das brincadeiras dos amigos.

-Por que não entra lá?

-E te deixar aqui sozinha?- Ele pergunta.- Não mesmo, eu vou se você for comigo.- Rio da cara de desafio que o moreno faz.

-Sabe que só Sophia cai nessa né?!- Ele me acompanha na risada.- Mas por sorte sua, estou com vontade de entrar.- Digo levantando e esticando a mão para ele.

POV Luísa

A tarde na praia não poderia ser mais agradável do que foi. Ela seguiu com muitas brincadeiras, risadas, jogos, discussões- vindas, é claro, da parte do Luke e da Sophia- e muitas conversas.

Agora nós estávamos na “sala de cinema” da casa dos meninos. Todos sentados prontos para assistir a um filme qualquer. E esse era o problema. Decidir o filme.

-Vamos assistir um drama.

-Não, Mariana. Ninguém tá a fim de chorar aqui!

-Que tal ficção científica?- Michael tenta.

-Tem que pensar muito e eu tô com muito sono para isso.- Corto.

-Que tal terror?- Sophia diz.

-Tô com a Sophie vamos assistir um de terror.- Ash é o primeiro a responder é no final todos acabam concordando, mesmo que uns a contragosto.

-Qual filme de terror?- Pergunto com um pé atrás.

-Sobrenatural?- S diz encolhendo os ombros depois do palpite.

-Você já viu esse milhares de vezes.- Mari se manifesta.

-Isso só prova que é bom!

- Ou você tem um gosto horrível para filmes.

- Coloquem logo o filme é calem a boca! Vamos acabar logo com a tortura.- Carol fala.

Me acomodo mais no sofá quando Calum finalmente põe o filme. E já no início me arrependo de ter aceitado assitir um de terror. Quando levo o primeiro susto viro para o lado escondendo meu rosto no ombro de alguém e soltando um gritinho baixo. Sem me esquecer de xingar todas as gerações da Sophia por amar esse filme. Sinto Mike rir e passar um braço por cima dos meus ombros fazendo com que eu me aconchegue mais para perto dele. O cheiro dele bate minhas narinas e eu me repreendo por tê-lo achado tão bom e familiar. E então quando olho para tela novamente quase não sinto mais medo. Quase. Eu ainda assim me assustei o filme todo.

[...]

Eram duas horas da manhã e eu estava no quarto junto com Carolina. Estava deitada na cama, pensando na minha proximidade com o Mike durante o filme e me perguntando o porquê de eu ter gostado tanto daquilo, quando uma almofada atinge meu rosto.

-Ei!- Reclamo.- Posso saber o motivo disso?

-Te chamei uma dez vezes e você não me escutava.- Ela senta do meu lado.- No estava pensando?

-Então...E-Eu...- Gaguejo tentando arranjar uma desculpa.

-Eu sabia!- Ela grita e eu logo a repreendo por estar gritando a essa hora.- Está pensando no Michael? O que foi aquela cena durante o filme?

-Você viu?

-Tenho quase certeza que todos nós vimos.- Enfio a cara no travesseiro para esconder meu rosto vermelho e grunho de vergonha. -O que tá rolando entre vocês?

-Nada!

- Então tá me dizendo que aquilo não significou nada?

-Não posso dizer que não gostei.- Tiro a cara do travesseiro deixando a vergonha de lado.- Mas nós literalmente acabamos de nos conhecer.

-E daí? Pessoas transam no mesmo dia que se conhecem o tempo todo!

-Não é mesma coisa! Nós não transamos!

-Mas você quer.

- Vai se foder, Carol!

-Vai dizer que não quer?

-É claro que se eu tivesse a oportunidade eu não deixaria passar, afinal ele é gostoso para caramba!- Confesso.- Mas ao mesmo tempo é estranho porque ele deveria ser só meu amigo... Eu tô confusa!

-Se você tá confusa imagina eu?- Ela ri.- Eu não sou a voz da razão desse grupo, não sou eu quem dou os conselhos.

-Tem razão você é só a caçula irritante!- Digo rindo e logo sinto a almofada me atingir de novo.


Notas Finais


Comentem o que acharam!
Volto logo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...