História Five night at Freddy's: Corrigindo erros do tempo! - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Personagens Carlton, Charlotte "Charlie", Dave, Jason, Jessica, Michael, Personagens Originais
Tags Fnaf viagem No Tempo
Visualizações 13
Palavras 818
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Científica, Luta, Sobrenatural, Survival, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yo, minha primeira fic de fnaf. Eu posso falar muita besteira aqui, mas me dá um desconto. Eu não sou muito ciente do universo fnaf. E o personagem original, tentem ler o nome dele com a pronúncia em inglês para uma experiência um pouco melhor. Ah, e a sinopse vai ser um pouco modificada.


Os eventos dessa fic se passam depois dos ocorridos de FNAF 6 com apenas Baby sobrevivendo ao grande incêndio. Ela voltou a fábrica fe montagem dos animatronics, onde ela montou um exercito para cumprir o objetivo de seu pai.

Capítulo 1 - Cap 1: Regresso


Escuridão... Apenas escuridão podia ser vista. Enquanto o medo aumentava a cada som de passos metálicos chegando á uma sala onde um homem que usava um sobretudo preto rasgado no braço esquerdo construía um aparelho com um forno microondas.

- Sabe que não pode se esconder por muito tempo de nós, Gabriel. Seu medo me guia. O rastro do sru sangue denuncia você.- Dizia uma voz doce que Gabriel reconhecia e que lhe causava tanta raiva e medo.

- Está pronto. Finalmente está pronto. 1993 é o máximo até onde eu posso ir.- Ele sente a dor aumentar ainda mais onde seu braço fora estraçalhado por alguma coisa. Ele perdeu muito sangue, mas por sorte nenhum tendão e nenhum osso foi danificado..- Caralho, ela está perto.

Mas antes que ele pudesse pressionar o botão, a porta é arrombada por uma figura horrorosa e metálica com um braço em forma de uma tesoura serrilhada que gotejava sangue, denunciando que o ferimento do homem foi causado por ela. Seus Olhos pretos com pupilas verdes brilhantes esboçando um sorriso que tornava a figura ainda mais macabra. Seu corpo era constituído por várias sucatas. Atrás dela, vinham vários outros robô sedentos por sangue.

- Eu disse, não disse? Hora de acabar com essa brincadeira de esconde esconde, pois nós o encontramos. 

- Sinto muito, Elizabeth. Mas não será hoje que vou morrer. Não pelas consequências dos crimes de seu pai.- Ele então pressiona um botão e logo após isso, ele some em várias correntes estáticas deixando apenas um crachá com sua foto e seu nome. Ele era... Gabriel Afton.

- Onde ele foi?- Se perguntava Baby confusa.

Cidade de Huricane 1993

Logo após os incidentes dos twisted animatronics

Gabriel havia chegado em frente à um restaurante da Freddy's Fazbear Pizzaria. De seu braço esquerdo ainda saia muito sangue, e ele estava começando a perder a consciência. Mas antes, entrou em um pequeno posto de gasolina que ficava logo em frente a pizzaria, e entrou lá dentro. Ao abrir a porta, aimda meuo cambaleante, ele pegou um jornal de hoje. Datava de 25 de março de 1993. Ele sorriu meio de canto.

- Senhor, posso ajudar?- Gabriel então desmaia por hemorragia.- Senhor? SENHOR?!- Ele percebe o ferimento no braço de Gabriel.- Meu deus, ele precisa de um médico. ALGUÉM CHAMA A PORRA DA AMBULÂNCIA, DROGA!- Um dos clientes liga para ambulância que chega em questão de 30 minutos. Enquanto isso, Gabriel tinha um pesadelo. 

Ele havia voltado a ser uma criança, e estava em casa com sua mãe na cozinha e ele assistindo tv. Ele então puve sua mãe gritando de agonia e dor. Ele corre desesperadamente até a cozinha temendo o pior, e ao chegar lá, se deparou com a imagem de um coelho dourado com uma coloração esverdeada, um sorriso bem grande em sua face, totalmente desgastado. Mas suas características mais marcantes, eram seu olhos que pareciam olhos humanos sem vida que se mexiam, seu cheiro de podridão e morte que exalava de seu interior, e por dentro de seus buracos, era possivel ver carne humana. O coelho eztava ao lado de um urso rosa/roxo com detalhes brancos e um fantoche de coelho azul em uma de suas mãos. Dele escorria sangue. Ambos ao perceberem a presença de Gabriel ali, caminham em sua direção. Quando iam colocar as mãos mele, ele acorda ofegante e chorando tremendo muito. Logo mais, ele começa a vomitar pelo medo que sentia naquele instante. Só depois ele notou que estava com o braço esquerdo enfaixado com a dor muito menor do que antes. Um médico entrou pela porta de seu quarto.

- Ora, parece que você acordou. Como se sente?

- Bem melhor do que estava antes doutor.

- Você teve muita sorte, sabia? Seu braço foi estraçalhado de uma forma quase irrecuperável. Por meio centimetro nenhum tendão ou osso foi danificado. O que aconteceu para que seu braço ficasse assim?

- Eu.. Não quero muito falar disso, se não se importa é claro.

- Está tudo bem. Você está aqui faz duas semanas. Em 3 dias seu braço estará completamente recuperado. Tome esses anti inflamatórios de 8 em 8 horas e em caso de dores, tome essa morfina para aliviar. 

- Obrigado, doutor.

- Ah, e Eu vou avisar para o velho Quentin que você está bem.

- "Quentin"?

- O dono do estabelecimento em que você desmaiou. Ele ficou bem preocupado com você.

- Ok. Eu vou agradecer a ele pessoalmente depois. 

- Seus bens estão naquelas gavetas. Menos o seu sobretudo que estava acabado cheio de sangue e lam a assim como a sua camisa. O velho Quentin comprou uma camisa pra você e um casaco também. Não se preocupe em pagar a ele, pois ele disse que não precisaria.

- Bem, eu estou indo. Obrigado pelos cuidados.

- Não agradeça. É apenas o meu trabalho.

Ele pegou seu casaco preto e sua camisa branca, colocou ambos junto de sua calça jeans. Pegou seu smartphone e sua pistola e saiu para fora do hospital.


Notas Finais


Foi curto pois foi apenas o primeiro capítulo. Eu não sei se vou postar capítulos novos frequentemente, mas vou tentar sempre que puder. Comentem e digam o que acharam.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...