História Five Nights at Freddy's: Bem-Vindo Ao Seu Pesadelo - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Personagens Bonnie the Bunny, Chica the Chicken, Dave, Foxy the Pirate, Freddy Fazbear, Golden Freddy, Marionette, Personagens Originais, Purple Guy, Shadow Freddy, Springtrap
Visualizações 50
Palavras 1.332
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Romance e Novela, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Mutilação
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Capítulo 3


*** Nick ***

Já estava na hora de sair da escola, os meus amigos me esperava para irmos para a pizzaria, eles pareciam muito tranquilos para quem acabara de sair de lá vivo por um fio.

Antes de ir a pizzaria eu liguei para o suposto dono de lá. Fiquei feliz quando ele contratou a mim e a meus amigos, mas algo me deixou preocupado. Ele falou que o guarda noturno não estaria lá está noite, então era a gente que deveria cuidar das câmeras.

Confesso que estava com medo, mas eu precisava, Angel precisava. Eu não trabalhava antes, comiamos muito pouco, eu sempre arranjava um jeito de "roubar" um pouco de dinheiro do nosso pai para podermos ter o que comer. Mas eu não diria roubando, o dinheiro era nosso por direito. Até as nossas poucas roupas estavam ficando gastas e pequenas em nossos corpos. Angel então, nem se fala.Ela estava em um período de crescimento acelerado, suas roupas atraiam olhares de outras pessoas e eu não gostava nem um pouco disso. Nunca a deixava sair sozinha por medo de que mais pessoas pudessem olha-la. Sim, sou um irmão ciumento, mas eu só  penso no bem dela.

Um dia ela me pegou "roubando" dinheiro do nosso pai para comprar o nosso café da manhã. Ela brigou comigo e se recusou a comer. Fiquei bravo com ela por tamanha imaturidade, tudo aquilo era pro bem dela. O resto daquele dia eu não a vi comer, então resolvi ir falar com ela para tentar faze-la comer algo, mas quando cheguei ao quarto eu não a encontrei. Me desesperei e chamei seu nome pela casa.Corri pela casa e a encontrei tomando uma cerveja velha na "adega" do nosso pai.

Não consegui ter nenhuma reação, e a deixei beber aquilo sem que me visse. Ela cheirou o líquido fazendo uma cara de nojo, porém ela bebeu após sua barriga emitir um som auto denunciando sua fome. Naquele dia voltei ao meu quarto e jurei a mim mesmo que nunca mais ela sentiria fome, não a minha irmã. No dia seguinte eu já havia conseguido o emprego e estava nele até ontem.

Meu dinheiro já estava no fim, eu precisava do emprego. Eu fui um tolo deixando meus amigos irem junto comigo, eles não deviam se preocupar com um problema meu. Afinal eu não iria ficar muito tempo nesse emprego logo conseguiria outro. Pelo menos é isso que eu acho.

Conforme vamos chegando perto da pizzaria vi a tensão nos rostos deles, e a conversa, antes animada, havia se transformado em um silêncio perturbador. Queria falar:"Ei, pessoal! Não se preocupem, podem voltar para casa! Eu me viro sozinho, afinal são só seis horinhas, eu posso sobreviver a isso" Só que na verdade eu tinha dois problemas.Primeiro, a minha parte covarde. Sim, eu estava com medo, não queria ficar sozinho naquela pizzaria. Sei que é meio irresponsável me responsabilizar pelo trabalho e agora estar amarelando, mas agora que me encontrava tão perto da pizzaria eu estava com medo. Mas eu tinha que ser firme, afinal eles ofereceram uma boa quantia. Eu precisava daquele dinheiro.

E o segundo problema. Não eram só seis horinhas. Parece que o tempo naquela pizzaria passa muito divagar, é como se fôssemos para outra dimensão. Mesmo tendo passado pouco tempo consciente na pizzaria, esse pouco tempo pareceu uma eternidade. Talvez você pense que foi por conta do nervosismo, mas não, eu juro que cada segundo pareceu eterno, e como se estivéssemos entrado em outro mundo.

Perdido em meus pensamentos, não notei quando passei reto pela entrada da pizzaria. Meus amigos me puxaram e riram de mim, mas até suas risadas estavam nervosas. Tentei rir um pouco também para descontrair, mas só saiu um som esganiçado.

A porta da frente estava aberta como prometido pelo cara que eu liguei, e lá estava, em uma das mesas da pizzaria, os uniformes e as chaves do estabelecimento. Bom, não deve ser difícil, e só cuidar das câmera até as seis depois é só abrir a pizzaria e esperar que o guarda do diurno chegasse. Simples. Mas notei quando fui pegar meu uniforme e as chaves que estava suando tanto que até minhas mãos estavam molhadas.

O local estava frio como da última vez que estive aqui. Laya pegou o seu uniforme e foi correndo para a sala de segurança seguida por Alice e Allan, mas quando fui segui-los algo no Parte and Servises me chamaou atenção, fui até lá, o local estava completamente escuro, mas os poucos raios de luz que vinham do palco já eram o suficientes para revelar o que a escuridão escondia, era um animatronic, ele era parecido com o Freddy a única coisa que era diferente, era sua coloração amarela, que estava um pouco manchada mostrando que era antigo.

- Uunn! Porque sera que você está aqui? - Pergunto sem esperar uma resposta, mas fui surpreendido com uma risada vinda do animatronic, que deixou os meus cabelos em pé.

Não demorou muito para sair daquele cômodo correndo. Não queria saber se foi ele mesmo que deu a risada ou se foi a minha imaginação, só sei que não queria ficar lá para descobrir. Fui até a sala de segurança, aonde todo mundo me esperava, e foi bem na hora, mal botei o pé na sala e escutei passos metálicos vindo para minha direção. Rapidamente apertei o botão para fechar a porta, Alice se aproxima da porta e acende a luz do corredor revelando o Bonnie do outro lado da porta, ele se aproxima da janela abrindo a boca, parecia que ele queria falar alguma coisa, mas de sua boca só saia grunhidos, como se ele tivesse sendo sufocado por algo. 

Logo ele desiste e vai para o salão de festas. Preferimos deixar a porta fechada com medo de que ele volta-se, por prevenção. Laya tinha até fechado a outra porta sem saber que aquele lugar tinha bateria,  só descobrimos quando olhamos o computador, mas já era tarde as luzes da pizzaria inteira começaram a piscar, e com um estalo se apagaram.

- Droga! Que estabelecimento funciona a bateria? Isso só pode ser brincadeira. - Falo indignado.

Escutamos alguém pular do palco e caminhar para nossa direção, ficamos parados rezando para que aquelas criaturas não pudessem nos ver no escuro. Logo Freddy aparece na porta tocando uma música, seus olhos piscavam com o ritmo, quando ele parou escutamos um relógio tocar avisando que já eram seis horas, as luzes voltaram a acender e vemos Freddy se afastar da porta e voltar para o palco junto com os outros.

- O que aconteceu aqui? - fala Allan saindo da sala. Ninguém sabia a resposta. Acho que ele mesmo não estava esperando que soubéssemos responder alguma coisa naquele momento.

Sigo ele junto a Laya e Alice, todos os animatronics estavam parados como se nada tivesse acontecido, como se tudo fosse obra de nossas mentes.

                        *****

Finalmente chego em casa, estou exausto. Subo as escadas e vou até o meu quarto, coloco o meu uniforme da pizzaria no guarda-roupa. Me sentindo observado, viro para trás e me deparo novamente com a sombra do Freddy. Achei que fosse algum tipo de alucinação, afinal passar pelo que estou passando não é fácil. Então tentei ignorar pensando que era apenas coisa da minha cabeça, mas sua voz interrompe meus pensamentos me fazendo gelar.

- Olá Nick. - Fala a criatura se aproximando de mim. Sua voz era grossa parecia de um trovão.

- Quem é você? - Tento manter a voz firme, mas minha expressão de terror logo me denuncia, fazendo com quer ele de uma risadinha. Involuntariamente, me afasto.

- Sou Shadow Freddy - Fala ele se aproximando cada vez mais me fazendo recuar ainda mais - serei o motivo para você temer novamente a escuridão. 

Minha visão começa a ficar turva e caio no chão como se as minhas pernas não tivessem ossos, em pé na minha frente escuto o Shadow rir, ele se agacha perto de mim.

- Tenha bons pesadelos. - Fala ele sussurrando em meu ouvido antes da minha visão ficar totalmente escura.  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...