1. Spirit Fanfics >
  2. Five Nights At Freddy's: New Nightmares >
  3. Chapter one

História Five Nights At Freddy's: New Nightmares - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


:3 Eu sei. Fanfic nova

Prometo que irei postar logo uma one de Fonnie e depois atualizar a Marcas Carmesim:3 espero que gostem dessa. Fiz do fundo de meu coraçãozinho ❤🙏

Capítulo 1 - Chapter one


O som alto de passos era ouvido, o pânico que tomava conta das crianças que corriam desesperadas pela pizzaria, logo atrás com um sorriso de falsa gentileza um homem alto de cabelos longos os seguia, Ikki puxou o irmãozinho que chorava desesperado, o sangue manchava as mãos dos pequenos, antes que pudessem correr... Lá estava aquele homem com um sorriso largo e psicótico.

Horas antes...

O riso animado de crianças era ouvido pela pizzaria, Beatriz batia palmas animada olhando os humantronic's tocando e Freddy a frente cantando, Seiya estava com Shun comendo bolo enquanto Chica falava com eles, Hyoga olhava encantado para Foxy que contava histórias mirabolantes sobre o mar e lutas piratas, Shiryu estava distraído olhando marionetes enquanto Ikki os vigiava, era o mais velho ali e sentia a obrigação de os vigiar enquanto nenhum adulto estava por perto ou até mesmo quando estavam, sempre foi o mais responsável apesar dos 9 anos, isso o fazia ter crédito até mesmo com o pai de Beatriz e Seiya, Thanatos não confiava em quase ninguém, mas ao ver o garoto cuidar tão bem do caçula que permitia sempre que os pequenos fossem brincar com o leonino e o virginiano.

– Por que não vai brincar também? – uma voz diferente assustou o pequeno de cabelos azuis escuros, ao olhar para trás viu então Golden Freddy que lhe olhava com uma bandeja, possivelmente deveria ser o momento em que os humantronic's deixavam o palco para irem servir os clientes. – Vá brincar criança, aproveite. – um toque suave e metálico foi sentido pelo garoto, logo o rapaz loiro com orelhas de urso sorriu deixando visível os dentes terrivelmente afiados.

Desconfiado, o garoto saiu em direção ao irmão, sentou ao lado dele e o vigiou atento fazendo com que a humantronic saísse pelo olhar mortal que o garoto dava por ela estar próxima dele. Em pouco tempo tudo estava mais tranquilo, Ikki já estava com a guarda baixa e com os amigos, agora Naiele havia chegado com Jabu, então todos estavam reunidos numa mesa separados das outras crianças comendo pizza e rindo, o escorpiano olhou e viu os humantronic's e cutucou a irmã, ambos se entreolharam e correram animados para ir ver o que eles iriam fazer, por sorte, era Bonnie que iria fazer mágica para as crianças, foi quando o pequeno grupo foi chamado por um sussurro, eles olharam para trás e viram nada menos do que Toy Chica os chamando.

– Hey, estão chamando vocês para uma surpresa na sala dos fundos, eu não sei o que é, mas parece ser legal. – disse a loirinha abrindo um sorriso animado, ela queria ver o que era mas tinha sido barrada para não acabar a surpresa.

Guiados pela curiosidade infantil, todos foram e muito animados, lentamente o pequeno aniversariante (que no caso era Shiryu) abriu a porta empolgado vendo uma mesa redonda, haviam 6 cadeiras coloridas e um bolo com 7 velas, animados cada um se sentou e olhou para as velas verdes claras, um sorriso da pura inocência infantil surgiu nos lábios dos amigos ali reunidos. O primeiro pedaço foi dado a Seiya, seu melhor amigo, depois para Beatriz, Shun, Hyoga e por último Ikki, por ser o mais velho. O sagitariano acabou comendo logo o pedaço do bolo, sentiu algo estranho, sua garganta secou, sua respiração estava ofegante, "o que tinha naquele bolo?!" se questionou mentalmente o garoto levando as pequenas mãos até o pescoço sentido a falta de fôlego, o leonino ao ver aquilo foi o primeiro a socorrer, não podia deixar nenhum deles se machucarem enquanto estavam sob seu cuidado, o castanho começou a tossir, um líquido escarlate escorreu pela boca do pequeno, o desespero tomou conta do garoto de cabelos azuis, ele havia acabado de uma "bola" de sangue que manchou toda sua camisa, as vozes agitadas de medo das crianças tomou conta do local, Beatriz choramingava abraçada ao irmão, Ikki se levantou e segurou a mão do irmão, iria chamar o pai deles para resolver a situação, apertou firme a mão do pequeno e o puxou, abriu a porta até ouvir um grito agudo, olhou para trás assustado vendo aquele homem perfurando o peito do aniversariante, Hyoga tentou correr e puxar Beatriz mas foram puxados pelos cabelos, o leonino correu alarmado, antes que seu irmão fosse pego, o desespero tomou conta dos pequenos que corriam apressados, não lembrava de ter andado tanto para ir até aquela sala, Shun chorava com medo de ter o mesmo destino dos amigos, passos agitados eram ouvidos pelo salão vazio, Ikki viu então a porta aberta do salão principal, era possível ouvir de longe o barulho de passos e música alta, foi quando sentiu sua mão ser puxada e o barulho abafado de uma queda, olhou para trás e viu a pior coisa que poderia ver em sua vida... Seu pequeno irmão agora tinha uma machadinha cravada nas costas, o choro baixo do menor era ouvido pelo outro que gritou, Jabu estava andando perto da porta ouviu o grito, se assustou e foi olhar, viu Ikki sendo carregado pelos cabelos e Shun jogado no ombro de alguém, os olhos azuis foram até os da irmã que olhou sem entender o porquê dele estar com uma cara séria.

 Ambos os loirinhos foram se esgueirando até a sala, e foi ali, ali mesmo quiseram correr para voltar para os braços dos pais, aquele homem estava com o corpo fraco do leonino nos braços, a máscara de Puppet era colocada no rosto moreno do rapaz, ele acariciou de leve a cabeça do garoto e o embalou como se estivesse dormindo, logo a cabeça do homem virou de direção a porta, Jabu num ato de desespero para proteger a irmã, empurrou a garota em direção a uma sala com a porta entreaberta, agitado o garoto tentou correr e gritar, mas numa velocidade assustadora o homem com uma máscara amarela de coelho o agarrou, num movimento brusco foi possível ouvir o som do corpo do garoto se chocando contra a parede, os olhos azuis da garota de arregalaram ao ver a faca brilhar e logo golpear o irmão, lágrimas banharam o rosto da garota de engatinhou para trás, não havia local para se esconder naquela hora, ela seria a próxima! 

Tamanho o trauma e desespero da garota, sua mente escureceu e logo ela desmaiou, só não contava com um humantronic quebrado ali, ele olhava a perna que estava com algum curtocircuito e olhou o pequeno ser no chão, devagar ele a pegou com o braço que tinha e a escondeu na cama que ficava, olhou para trás e viu a movimentação do lado de fora, se deitou deixando a menina grudada na lateral do seu corpo meio robótico e a manteve próxima, fechou os olhos e ficou quieto, a porta fora aberta e logo fechada, devagar abriu os olhos e olhou a criança do lado, esperou a movimentação afoita vinda da sala passar e poder levar aquela menina para os pais.

Horas depois...

Thanatos andava para um lado e para o outro, era visível as lágrimas escorrendo pelo rosto enquanto um Manigold andava atrás dele tentando o acalmar, Saga estava sentado no meio fio da pizzaria, chorava alto de preocupação com os dois pequenos, Camus estava inquieto, batia o pé e até roeu as unhas de nervoso já Dohko... O libriano já havia desmaiado duas vezes com a notícia de que seu pequeno havia sumido sem nenhuma explicação, não podiam fazer nada naquele momento já que faziam duas horas que as crianças sumiram, não adiantaria chamar a polícia já que não havia vinte e quatro horas de desaparecimento e nenhum deles queriam isso, só queriam que os pequenos aparecessem correndo pela pizzaria e dizendo que haviam se perdido no meio das salas que haviam ali e que pulassem em seus braços para um abraço caloroso e cheio de saudade, mas quando mais o tempo passava, maior era a preocupação dos adultos, já eram onze horas e a pizzaria iria fechar logo, o desespero se tornava maior ainda mais que os humantronic's agora procuravam pelas crianças.

O primeiro a chegar foi Bonnie, os olhos carmesim transmitiam a decepção em não ter encontrado as crianças bem e para de volta de seus pais, logo em seguida, Puppet chegou com um pequeno ursinho e entregou a Saga que apertou a pelúcia nos braços chorando forte novamente ao lembrar dos pequenos, Chica também apareceu e assim como os outros, sequer ergueu o olhar desapontado para os adultos a sua frente, Foxy então chegou no local e negou com a cabeça, não havia achado nenhuma pista sobre as crianças tão pouco de alguém havia estado com elas, Freddy foi o último a chegar no salão, apressado pela visão que tivera ao entrar em uma sala.

– A sala de concertos... Ela... Ela tem sangue! – as bochechas cheias de sardas estavam levemente rubras, de forma imediata, Camus ligou para a polícia e seguiram o meio urso que corria afoito até a sala, de maneira lenta abriu a porta fazendo com que todos vissem a cena terrível que tinha ali.

Havia sangue por todo o local, a mesa redonda pequena de plástico estava quebrada assim como algumas das poucas cadeiras ali, uma machadinha estava caída no chão ao lado de uma faca, no chão havia uma mão devia ter sido brutalmente arrancada com um dos utensílios, quase todos passaram mal e o desespero se aumentou, som de passos foi ouvido por todos ali causando um tremor geral, Dohko olhou desesperado para os lados até ver um humantronic,este diferente dos outros, possuía cabelos espetados e semblante sério, as roupas lembravam as de um príncipe ou algo do tipo, ele mancava bastante e carregava algo em seus braços, ao se aproximar viram a pequena Naiele desacordada mas segura ali, um alívio, mesmo que pequeno, se sentiu no peito de todos ali, mas logo a angústia se tornou forte, apenas ela estava viva, todos tinham certeza que não iriam mais ver seus filhos novamente, choros e o sentimento de impotência por não ter protegido as crianças se tornou forte, o que restava ali das crianças eram apenas sangue, um urso de pelúcia manchado de sangue e uma mão solta do pulso de alguma das crianças.

De longe, haviam olhos cintilando com a visão, um sorriso largo e carregado de insanidade surgiu, era uma maravilha ver a expressão de desespero dos "amigos", o choro carregado de dor lhe fazia bem, havia o enorme desejo de rir o mais alto que podia até sentir sua barriga doer e lhe faltar o ar, todos iriam pagar pela sua perda, não importava se não tinham culpa ou se as crianças eram inocentes, sua vida era guiada por duas coisas: o ódio e a vingança. 


To be continued


Notas Finais


Espero que tenham gostado:3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...