História Fix Me (Malec) - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Magnus Bane
Tags Malec
Visualizações 243
Palavras 1.484
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E este colar cujo aparesce na foto é o famigerado colar A Bela e a Fera, o qual no capítulo passado contei que Magnus deu para Alec.

Capítulo 14 - De volta em casa


Fanfic / Fanfiction Fix Me (Malec) - Capítulo 14 - De volta em casa

05/01/2018

Ao acordar pela manhã, Magnus se deparou com Alec ao seu lado assim como quando dormiu na noite anterior.

Se sentia com mais forças do que horas atrás e sua cabeça estava mais leve, Alec lia um livro tão concentrado e ao mesmo tempo tão lindo.

-As crônicas de Harry Shum? O alto feiticeiro do Brooklyn-

-Sim- Deu um pequeno sorriso e o olhou.

-É um de meus livros favoritos-

-Eu sei, inclusive foi você que me deu este aqui de presente-

-E o que está achando?- Seu tom de voz era curioso assim como seu olhar.

-Que descobri alguém cujo ama glitters mais do que você- Ambos riram e foram interrompidos por Will que adentrava o quarto naquele momento.

-Vejo que meu paciente está bem mais humorado do que ontem-

-Hoje me livro deste hospital, é algo bom-

-O quê? Mas e quanto a mim?- Usou tom de voz falsamente magoado -Eu pensei que eu fosse seu crush e que você ia gostar de me ter por perto-

Fez Magnus gargalhar enquanto Alec revirava os olhos não tão satisfeito.

-Pelo que me lembro, em 2012, seu grande amor sempre foi o James, eu e Ragnor mais do que ninguém torcemos pra vocês dois ficarem juntos. Você não faz meu tipo-

-Vai dizer que não gosta de caras altos, brancos, olhos azuis e cabelos negros?-

-Você especificadamente não-

-Mas outro cara que tenha as mesmas caracteristicas talvez?-

Alec engasgou com a própria saliva e tossiu, Will segurou para não rir e Magnus olhou para os dois desconfiado.

-Quando minha memória volta?-

-Sua céquela é algo complicado de explicar assim como eu lhe disse antes. Pode voltar em poucos dias ou meses ou talvez...-

-Nunca volte-

-Me desculpe, eu não queria dizer isso mas é meu dever como médico. Bem, seu estado de saúde está bom e terá que usar moleta por no máximo duas semanas até seu pé recuperar direito-

-Recebo alta ainda hoje?-

-Sim, primeiro tome seu café da manhã e faremos exames por precaução, de qualquer forma ainda hoje terá alta e voltará para casa-

-Na verdade vou pra casa do Alec por enquanto. Você que cuidou do meu pai também? Como ele está?-

Will e Alec se encararam, definitivamente Alexander não havia contado ainda o que aconteceu com Asmodeus, uma hora teria de contar, não agora.

-Ele está em casa, está repousando bastante desde o acidente. Bem, vou preparar tudo para seus exames e você trate de se alimentar, o Alec trouxe uma bandeja para você. Com licença- Saiu da sala e fechou a porta.

Magnus se sentou e pegou a bandeja que Alec o entregou, comeu algumas frutas e tomou o iorgute assim ficando com um "bigode" rosa, causando risos em Alec que o limpou, cuidadoso como sempre.

-Alexander, em um gral de 0 a 10, o quanto estão me escondendo as coisas?-

-Oito-

-Sinceridade como sempre. Meu pai realmente está vivo?-

-Isso eu garanto que sim-

-Engravidei a vibora da Camille que vivia dando em cima de mim sempre que me via bebado nas festas?-

-Não e ela já está casada em outro país-

-Me meti em alguma briga fisica nos últimos anos?-

-Sim, por causa de ciúme, você estava namorando e um cara estava nitidamente dando em cima dele com a expressão mais ser vergonha do mundo. Você perdeu a pasciência e deu um soco nele, dai ele quis revidar e a briga começou. Você ganhou, claro, mas não se preocupe pois nunca mais vimos ele na vida e mesmo se você o visse, ele tem medo de ti, não terá outra briga novamente-

-Sendo assim, está tudo tranquilo. Espera... você disse... namorado? Está falando sério? Uma coisa é namorar e outra coisa é sair ficando com pessoas em festas, eu nunca namorei, bem, até onde me lembro, claro-

-Como eu já disse... Muitas coisas aconteceram nos últimos anos-

-Terminei com ele faz muito tempo?-

-Olá de novo pessoal- Will entrou no quarto com alguns papéis -Logo após os exames irei assinar te dando alta, preparado?-

-Espero por isso desde ontem- Se levantou com ajuda de Alec e pegou a moleta, era esquisito andar com aquilo e os primeiros passos foram bem lentos, mas aos poucos ia pegando o jeito e se dirigiu até o quarto onde os exames seriam feitos. Ragnor precisou ir embora durante a madrugada mas uma semana depois voltaria e visitaria seu amigo, Izzy embrulhou o irmão durante a noite e também foi embora junto com Simon que a buscou. Alec esteve ali o tempo inteiro e agora finalmente levaria seu marido pra casa.

---

-Bem, agora oficialmente você recebeu alta-

Will afirmou após entregar os papeis assinados na recepção do hospital.

-Muito obrigado, mande um abraço para o James-

-Como sabe que estamos juntos?-

-Seu sorriso de orelha a orelha, principalmente quando falo o nome dele-

-Mandarei um abraço sim e ele ficou feliz em saber que você acordou quando contei ontem chegando na nossa casa-

-"Nossa"? Você e James casaram?-

-Sim-

-Ual, quem diria. Só faltam dizer que estou casado com alguém e nem sei-

-Quem sabe?-

-Acho que ninguém me aturaria- Deu um pequeno sorriso não muito alegre.

-Por que acha isso?- Alec perguntou o olhando e nem perceberam quando Will se afastou.

-Olhe pra mim, acha mesmo que alguém me aturaria? Um ser tão... problemático, esquisito-

-Me esculte bem. Você é incrívelnente lindo, não é esquisito e tem o coração mais bondoso em que conheço, seu sorriso é perfeito e seu olhar desconcertante. Muitos se rasgariam por você, então de valor a isso, dê valor a quem você é pois existem muito poucas pessoas no mundo iguais a você, com beleza e grande caráter-

-Alexander... Você está me cantando?- O olhou confuso e viu as bochechas dele corarem.

-Eu só... eu só estou dizendo que... Ah, quer saber? Vamos logo- Caminharam até o estacionamento e foram para o carro de Alec onde o mesmo o ajudou a entrar e sentar.

-Você tirou carteira antes de comprar esse carro?-

-Sim, não se preocupe, não corremos risco de ser presos- Deu um pequeno sorriso e colocou o cinto de segurança igual o indonésio.

Durante boa parte do caminho nada Magnus disse, apenas observava o caminho, as reformas que ocorreram pela cidade nos últimos 5 anos.

-Você tem filhos?-

-Não. Eu queria adotar uma criança no fim do ano, meu marido também queria mas não sei se dará certo-

-Por que? Vocês discutiram?- Desejava muito a felicidade de Alexander mas no fundo no fundo queria que essa história dele estar casado com outro homem fosse uma grande mentira, por mais que não quisesse admitir ali, Magnus o amava imensamente e estava sendo doloroso lidar com toda aquela situação, Alec não sabe mas durante a madrugada Mag esteve acordado por um tempo, tempo o suficiente para chorar em silêncio acreditando ter perdido seu grande amor para sempre.

-Lembra quando eu te disse que ele foi viajar devido alguns problemas e que já faz um mês? Ainda está viajando mas eu sei que ele vai voltar, ele vai voltar pra mim, tenho certeza, mas ainda não sei quando. Essa viagem talvez dure meses-

-Desculpe se toquei em um assunto muito delicado-

-Tudo bem, você tem direito-

-Não, eu não tenho. Em fim, me conte um pouco mais sobre esses 5 anos, eu trabalho em alguma coisa?-

-Você ficou por um bom tempo trabalhando por hobby como editor daqueles sites e ainda é herdeiro as ações nas empresas. Ao completar 20 anos recebeu toda herança de sua mãe que era sua por direito e investiu a quantia, fez grandes coisas e inclusive criou um instituto para pessoas deficientes, lá você conheceu a Aninha, o Jonas e muitos outros-

-Isso... isso é sério?-

-Sim-

-Assim que recuperar minha memória, quero voltar lá. Prefiro não voltar agora, seria triste verem que não me lembro deles, algumas crianças talvez não entenderiam-

-Eles te amam muito, são tão fofos-

-Pela primeira vez, consegui sentir orgulho de mim-

-Você deve se orgulhar de muitas outras coisas em que fez- Estacionou o carro em frente um apartamento. Não compraram nenhuma mansão, não viam necessidade nisto, por este fato preferiram o lugar em que foram morar, apesar de ser bem grande e espaçoso, era lindo tanto por fora quanto por dentro e ali já moravam à 3 anos.

-Chegamos-

-Ual, você tem bom gosto. E eu estou morrendo de sede-

-Obrigado, e pegaremos uma água agora mesmo- Desceu do carro e ajudou Mag a descer com a moleta, caminharam até o elevador e subiram para o apartamento, uma porta grande e preta foi destrancada por Alec e logo entraram, finalmente em casa.

-Eu já te visitei antes- Magnus afirmou indo até o meio da sala e olhando tudo a sua volta. Paredes douradas, decorações admiradoras e cortinas vermelhas escuras meio vinho -Este lugar é muito famíliar, tenho certeza que já estive aqui-

-Magnus, podemos conversar?-

-O que houve?-

-Você precisa saber de algo. Vou buscar aquela água que você queria e já volto- Caminhou até a cozinha e pegou a água, respirou fundo, sabia o que iria contar por agora, sabia que precisava fazer isso mas não sabia qual seria a reação do indonésio. Com o copo em mãos, voltou para a sala se deparando com Magnus segurando um porta-retrato enquanto lágrimas invadiam seus olhos.

-Por que estamos trocando alianças nessa foto?-


Notas Finais


Me superei nos capítulos pequenos né? Hahahah, prometo colocar um grande em breve, me desculpem!

Ps: amo vocês 💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...