1. Spirit Fanfics >
  2. Fix You >
  3. Beijos, ciúmes e... Galos?

História Fix You - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oi! Sentiram minha falta?
Gostaram da nova capa?
Foi feita pela @_Ladyblue
Tá um amor ne? Aaaaaaa


Demorei por causa de vários bloqueios... Horrível a
Sinto muito pois como já me conhecem... Sabem que vai ter alguns errinhos alí no meio...
Mas não se preocupem, eu vou ficar sempre relendo tudinho e corrigindo os erros, okay?

Boa leitura e obrigado por me acompanharem até aqui a

Capítulo 5 - Beijos, ciúmes e... Galos?


— Eu tive uma ideia incrível!


Jongin gritava e pulava sem parar, como uma criança que havia comido muito doce antes do almoço, em frente a porta do quarto de Sehun, com uma sacola verde em suas mãos e uma toalha enrolada em seu pescoço suado. 


— O que você quer a essa hora, Jongin? — Oh, resmungava enfiando seu rosto no travesseiro e encolhendo-se nas cobertas. — não são nem 6 horas.


— eu estive pensando…


O mais velho insistia no assunto, ignorando completamente o fato de ser o único ser humano que acordava cedo e com disposição suficiente para fazer uma caminhada em pleno feriado. Adentrou o quarto do menor, caminhou em silêncio até a enorme janela e abriu suas cortinas de seda. 


— Vamos acampar! — dizia, se alongando enquanto encarava o céu meio escuro, um escuro quase alaranjado que, em pouco minutos, estaria azulado com a chegada do sol.


— Vai se fuder, Jongin.


Sehun, que odiava bancar o mau-humorado, naquela manhã estava tão emputecido com jongin ao ponto de pegar um de seus travesseiros e arremessá-lo contra a cabeça do outro rapaz. Não queria admitir, mas o fato de ter sido acordado cedo na manhã anterior para depois ter que voltar sozinho para casa havia lhe irritado mais que não saber com quem Kim havia se encontrado.


{...}


Sehun se levantou depois de passar quase duas horas tendo que escutar um discurso motivador de seu amigo sobre o quanto a vida na floresta era importante para desestressar e aliviar as tensões dos últimos três meses de sua vida. 


(Jun-Myeon disse, 06:55)

"Bom dia! Não se esqueça das luvas hoje, não estarei lá para ser seu herói! Haha"


Era uma mensagem do garoto do dia anterior, o qual havia lhe emprestado algumas luvas cheirosas e desde então passaram a trocar algumas mensagens aleatórias sobre clima em geral; as vezes falavam sobre política ou até mesmo sobre o sabor favorito de sorvete de cada um; Sehun adorava o de chocolate mas às vezes escolhia o de limão; já "Suho", assim como Myeon gostava de ser chamado, adorava o de baunilha mais que tudo em sua vida.


— Quem é Myon? 


Jongin indagou ao fitar a conversa informal daqueles dois através do reflexo do espelho que separava a cozinha da sala. Não que estivesse com ciúmes, porém nunca tinha visto Oh conversar de forma tão informal com outras pessoas além dele. 


— Myeon. — disse rindo ao corrigi-lo, guardou o celular no casaco e segurou a xícara de café em sua frente. — não precisa ter ciúmes, é só um amigo.


— n-não estou com ciúmes! — Kim balbuciou, logo queimando sua mão por acidente ao tentar virar uma de suas panquecas. — Droga!


Sehun riu enquanto observava o jeito atrapalhado do mais velho ao tentar fazer com que sua queimadura parasse de doer. Certamente era por situações bobas como aquela que Oh adorava passar seu tempo com Jongin. — vem cá.. —  o menor segurou no braço do rapaz, e o guiou em silêncio até o banheiro. 


— O que você tá fazendo? — Kim sentou-se na beirada da banheira encarando-o.


— fica quieto, Jongin. — o menor parou em sua frente após pegar uma pomada vermelha dentro do armário. — você é muito burro… —  dizia enquanto passava lentamente todo o condimento pelo pulso do loiro, massageando cada centímetro de suas mãos.  


— Me desculpe por ontem. — o maior estava cabisbaixo, tentando esconder o fato de estar envergonhado e talvez levemente excitado pelos toques suaves de Sehun. — eu não deveria ter deixado você ir embora sozinho.


— não deveria mesmo! —  Sehun gracejou após dar um uma piscadinha para o garoto.


Oh não havia percebido naquele exato momento o que estava diante de seus olhos, tão visível quanto as gotas que escapavam dos minúsculo buracos da pia e escorriam em silêncio pelo ralo da banheira, a qual Jongin se apoiava, ou pelo olhar luminoso e bochechas rosadas que o mesmo demonstrava ao encarar-lo em silêncio. O fato é que mesmo depois de tão pouco tempo morando juntos sobre o mesmo teto, ambos nunca haviam estado em uma situação tão íntima como aquela; nem mesmo quando Kim lhe pegou dormindo com uma de suas cuecas próxima ao seu rosto - assunto que por acaso não fora citado por nenhum dos dois - .


— eu cansei de fingir. — O rapaz mais velho enunciou por meio de um gesto involuntário no qual levou as mãos do menor até seu peito e as pressionou até que ele pudesse sentir o pulsar das batidas de seu coração. — você consegue sentir também.


— Kai…? 


Em uma questão de segundos, o banheiro daquele enorme apartamento aparentava estar tão quente quanto o forno que preparava o frango na cozinha na temperatura máxima; uma tensão sexual extrema que emanava dos corpos daqueles dois, onde apenas  sete centímetros de distância foram suficientes para que sentissem uma vontade avassaladora de se tocarem como nunca haviam se tocado antes.


— não consigo mais me controlar, Sehun. — Jongin sussurrou ao aproximar seu rosto de forma premeditada, deixando seus narizes se tocarem e apenas a respiração de ambos era necessária para responder todas as perguntas guardadas naquele momento. Um gesto delicado e suave que fez Sehun rir ao ver seu melhor amigo sendo atrevido pela primeira vez em sua vida; isso ficou mais óbvio quando um dos dois deram o primeiro passo ao tatear seus lábios em um curto selinho que deu abertura para que Kai desse uma leve mordida no lábio inferior do menor que mantinha-se sorridente e corado.


Um beijo inocente que em cerca de minutos havia se transformado em algo intenso e saboroso como o gosto doce dos lábios de Jongin que eram preenchidos por um brilho molhado ao serem presenteados com os lábios terno do outro rapaz extasiado. Uma sequência fascinante e completamente irresistível, onde tudo que importava era saciar aquela tensão sexual que emanava entre seus corpos cada vez que seus membros excitados dentro de suas calças se tocavam acidentalmente quando sentiam a necessidade de usufruir dos toques um do outro.


Com toda certeza, um momento perfeito para que ambos finalmente pudessem se entregar por completo um ao outro, deixando apenas o tesão e o amor falar por si só. Isso se em meio ao fogo ambos não tivessem se empolgado e batido por acidente suas testas, o que interrompeu o beijo e acabou com tensão de forma imediata. 


— Que droga, Jongin! — gritava Sehun, massageando o calo enorme que havia surgido no meio da sua testa. — você queria me beijar ou me matar?!


— Te beijar?! — Kai gritou ao pegar uma das toalhas molhadas  que havia deixado no box, pressionou-a contra sua cabeça, tentando enxugar seu suor e de quebra massagear o calo que também havia surdido em si. — Foi você que me beijou! — retrucou ao abrir a porta do banheiro e sair batendo os pés como uma criança mimada pelo corredor.


— Que!? —  Sehun riu ao seguir o rapaz, segurou-lhe  pelo braço antes que chegasse na cozinha e o empurrou contra a parede. — Não foi eu que vim com aquela história de não poder mais se controlar!


Ao perceber que estava em uma cena clichê de BL, onde o seme era preso contra a parede pelo Uke, Kim sentiu suas bochechas corarem como duas maçãs maduras. — e-eu estava falando de outra coisa… — virou o rosto para o outro lado do corredor. — você que concluiu que eu queria te beijar.


E mais uma vez o loiro não era capaz de assumir seus sentimentos e arrumou uma forma de desviar a situação. Aquilo havia deixado Sehun farto de toda a atuação que estava sendo feita.


— Então você não queria me beijar? — Sehun sorriu mordendo levemente seu lábio, se aproximando cada vez mais do corpo do mais velho. — mas que mentira…


Kim estava sem reação, envergonhado e completamente excitado ao ver aquela feição safada estampada no rosto de Oh. Queria fudê-lo naquele exato momento, queria sentir seus suspiros falhados e escutar seus gemidos ao ser penetrado, mas não era homem suficiente para tomar tais atitudes. Foi salvo quando seu telefone tocou sem parar até que Sehun o largasse e lhe mandasse atender.


— covarde… — Sehun murmurou ao dar de costas para o rapaz. Estava feliz por finalmente ter beijado seu melhor amigo; porém, completamente decepcionado por aquele homem não ser capaz de admitir o que sentia. 




Notas Finais


Vixi aish desculpem a demora a
Espero q tenham gostado do capítulo me perdoem pelos erros que provávelmente estão espalhados por aí a
Até a próxima...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...