1. Spirit Fanfics >
  2. Fixação e desejo >
  3. Capítulo 8 O segredo do Grande Mestre

História Fixação e desejo - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Olá!!!!

Sobre o capítulo de hoje, teremos um pouco de tensão....

Capítulo 9 - Capítulo 8 O segredo do Grande Mestre


Capítulo 8 – O segredo do Grande Mestre

 

Tóquio, Japão. Mansão Kido.

Saori e Mii haviam retornado a pouco do hospital da fundação Graad. A jovem costumava visitar os pacientes, em especial, as crianças da ala oncológica. Apesar de muito jovem, Saori se envolveu muito cedo com atividades filantrópicas.

- Athena-sama – Mii, a saintia de Golfinho, notou que a jovem deusa tinha um semblante preocupado, algo frequente nos últimos dias – ainda está mal pelos últimos acontecidos...

- Ah, Mii – a jovem suspirou de maneira triste – são tantos problemas. Katya desapareceu, embora eu sinta o seu cosmo, sinto que ele está aprisionado. Ela pode estar sofrendo... não sei o que está acontecendo, mas pressinto um grande perigo. Além disso, tem os meninos que retornaram do Japão, o torneio Galático, e agora... Kyoko...

- Athena-sama...

- Eu não fui inteligente o suficiente para perceber que Éris estava por perto, e mais ainda por ela ter tomado o corpo de Kyoko...indiretamente minha falta de experiência acabou por provocar o sofrimento de duas irmãs, não ficaria surpresa se Shoko dissesse  que tinha raiva de mim... e com razão, pois, durante todos esses anos ela vivou longe da irmã... todos a minha volta acabam sofrendo... que tipo de deusa sou eu que sequer consegue protegê-los?

Agora, algumas lágrimas inundavam sua delicada face.

- Não diga isso! – Mii a abraçou na tentativa de acalma-la – você ainda é muito jovem, e ainda está aprendendo a controlar melhor o seu cosmo...

Saori se afastou da saintia e amiga de longa data.

- O Seiya tinha razão quando me disse aquelas coisas...

- O que? Aquele grosso? -  Mii se indignou – Não diga uma coisa dessas! Aquele imbecil não tinha o direito de dizer aquelas coisas contra você!

- Não, Mii. Ele tinha todo o direito. E com razão. E por mais que eu ame o meu avô, nunca irei concordar com o que ele fez a esses meninos. Quando eu era pequena não havia entendido claramente, mas hoje vejo as coisas de maneira diferente. Não foi nada justo mandar aquelas crianças para a morte certa como ele fez. Eram órfãos sem muita escolha que tiveram que passar o inferno por minha causa... Seiya disse tudo, eu precisava ouvir. Por minha causa ele foi separando da irmã, e meu avô não cumpriu com sua palavra, mas eu farei o que for possível para encontra-la, mesmo que ele continue me desprezando.  E justamente por isso, resolvi tomar uma decisão importante.

- Está sendo muito dura consigo mesma...

- É a verdade Mii.

- E... de que decisão se refere?

- Decidi que... não irei mais seguir as orientações de meu avô, não irei mais realizar o torneio Galático... há outras formas de se aproximar do Santuário, e farei isso a minha maneira... não obrigarei ninguém a me ajudar, só o farão se assim desejarem de forma espontânea.

- Athena-sama... – Mii a fitou com admiração.

- Mii, creio possa existir uma forma de darmos fim a tudo isso sem necessariamente ocasionar uma guerra...

De repente Athena sentiu um mal pressentimento, a jovem colocou a mão no peito e se apoio a parede.

- Athena-sama! O que houve? O que está sentindo? – a saintia de Golfinho a fitou assustada.

Saori tinha uma expressão agonia e aflição.

“Katya!”

                                                                       *

Santuário, proximidades de Atenas. Grécia.

Horas antes pela manhã.

Saga se sentou na cama. Seu corpo pesava e sua cabeça latejava com muita força. Não havia dormido e sentiu dores horríveis em sua cabeça durante toda a noite. A única coisa que queria era aliviar aquela dor... lembrou-se de Katya e suas mãos que irradiavam um frescor gelado. Porem tinha medo de procurá-la, pois, temia que algo ruim pudesse acontecer. Estava exaurido por lutar por horas contra o lado maligno que o assolava querendo assumir controle naquele momento. Numa última tentativa ele pensou em ir para a sala de banho, mas estava fraco e após dar alguns passos acabou desmaiando, devido a dor.

 

Horas mais tarde Katya caminhava próximo ao aposento do Grande Mestre, achou estranho não o ter visto durante o dia. Em determinado momento ela ouviu um forte barulho que chamou sua atenção. Ela correu por um dos corredores que levava a entrada dos aposentos do Grande Mestre e tamanho fora o seu susto ao se deparar com um corpo de um servo caído no chão, morto.

Havia um rastro de sangue que levava até a parte interna do aposento. O mais assustador era que Katya ouvia: eram gemidos vindo daquele recinto, gemidos de dor.

“O que foi isso?”

- O que está havendo? – Claus, o sacerdote adjunto apareceu por trás dela.

- Eu não sei... ouvi um barulho forte vindo dos aposentos do Grande Mestre e encontrei o corpo sem vida deste homem...

Os gemidos se intensificaram, e um cosmo maligno inundou o lugar.

- Eu vou ver o que está acontecendo – Claus se adiantou – espere do lado de fora e não deixe ninguém entrar!

Katya fez o que foi ordenado, saiu e fechou a porta ficando com a costa colada nela. Seu coração batia descompassadamente e seus pensamentos eram frenéticos.

“O que está acontecendo? Foi... o Grande Mestre que fez aquilo? Será que... eu realmente estava sendo enganada... por uma máscara de um homem bom? Que agonia... não quero saber. Poderia ser um engano! Afinal ele não...”

Um barulho forte do outro lado foi escutado por Katya. Assustada, Katya não pensou duas vezes e abriu a porta num rompante de adrenalina.

- Senhor Claus!

A cena que se viu fez o corpo da jovem estancar. Uma parede havia sido arrebentada e próximo dela viu o corpo de Claus inerte, caído de bruços. E então ela viu aquele homem.

“Grande Mestre?”

- Você viu... – a voz do homem era familiar porem tinha um timbre assustador.

“Não... a cor do cabelo está diferente...”

Sem dúvida era o Grande Mestre, a túnica era a mesma, porem os cabelos tinham um tom cinza e os olhos eram a parte mais assustadora, pois os glóbulos estavam avermelhados como se fosse sangue.

- Você me viu... quem vê o rosto descoberto... DEVE MORRER! – disse o homem preste a deferi-lhe um golpe mortal.

Katya, petrificada não conseguiu se mexer. Ela iria morrer. A jovem pensou que seria o seu fim. Mas para a surpresa de Katya, algo paralisou o ataque. Diante dela havia surgido a sua armadura de Coroa Boreal que a protegia.

“É a minha armadura... mas por quê? Não é apenas isso...o cosmo de Athena! Ele reside na armadura! Senhorita Athena está me protegendo...”

- Uhmm... uhm...

De repente Katya viu algo estranho... aquele homem estava segurando o próprio punho, afim de impedir o próprio ataque. A jovem percebeu que o tom do cabelo do Grande Mestre estava se alterando, voltando para a cor azulada...

- Maldito.... uhm... – a cor cinzenta ainda teimava em voltar, fazendo o cabelo mudar novamente – não fique no meu caminho!

- Não! De forma nenhuma! – Claus, que aparentemente parecia estar morto, se levantou agarrando a cintura do patriarca. Estava ferido e havia sangue em seu rosto.

- Apontar seu punho para ela é como apontar para a própria Athena! Eu Claus, jamais permitirei que o senhor tome tal atitude! Por favor! Acorde Grande Mestre!

O tom do cabelo voltou ao azul normal. Katya estava assustada e em completo choque. O Grande Mestre pareceu ter voltado a si. Saga a fitou nos olhos e viu como ela estava pálida e trêmula. Era a segunda vez que Katya via o seu rosto. Era um homem jovem, bonito, mas em sua feição ela pôde ler vários sentimentos: raiva, tristeza, vergonha e arrependimento.

- Saia daqui – foi o que ele disse a ela.

 

Algum tempo depois a jovem se encontrava sentada em sua cama. Estava ainda em choque com tudo o que havia acontecido. A saintia ainda ajudou Claus a tratar dos ferimentos da cabeça e agora ele descansava em seu quarto. Muitas coisas rondavam sua cabeça agora. Uma delas era que tinha certeza de que aquele homem era mesmo o Grande Mestre. Era como se ele tivesse se transformado em um demônio. Completamente violento e irreconhecível. Se não fosse pelo cosmo de Athena, Katya acreditava que certamente estaria morta há essa hora. Mas também não pode deixar de esquecer-se da forma como ele parecia lutar contra si mesmo ao tentar ataca-la e no rosto repleto de remorso e arrependimento que ele tinha quando ela saiu do local.

“Será que é por isso que eu o percebia sempre tão penitente...?”

 Uma batida na porta fez a jovem pular da cama de susto. Hesitante ela abriu a porta e se deparou com Afrodite, o cavaleiro de ouro de Peixes, conhecido por sua incrível beleza          que ao mesmo tempo escondia uma armadilha letal.

- Senhor Afrodite – a jovem o cumprimentou, ainda visivelmente assustada.

- Senhorita Katya, a partir de hoje está liberada de suas tarefas. Reúna os seus pertences.

Poderia ser a sua chance de voltar para o Japão, mas ela sabia que não seria assim. Sua vida estava por um triz. Não deixariam que ela fosse embora simplesmente, ainda mais com o volume de informações que ela tinha agora sobre o Grande Mestre. A jovem levou alguns segundos para refletir e então respondeu:

- Espero um momento. Antes, eu gostaria de uma audiência com o Grande Mestre.

- Não compreende a situação? Estou dizendo para partir.

- Eu o compreendi perfeitamente – disse ela ao cavaleiro de Peixes – mas com todo respeito, eu não acredito que consiga sair do santuário a salvo... portanto, estou disposta a oferecer a minha vida a serviço do Grande Mestre.

-Então prefere ficar, mesmo ciente dos riscos?

- Sim. Eu não tenho nada mais a perder, estou preparada.

Afrodite deu um sorriso enigmático.

- Então... você realmente se afeiçoou ao Grande Mestre... sendo assim, tenha bastante cuidado, mas já lhe adianto que o coração não é o melhor conselheiro - disse o cavaleiro de Peixes enquanto se afastava da porta, deixando a saintia pensativa para trás...

 


Notas Finais


É isso gente.... ah, como posso dizer, diante dos problemas pessoais que venho tendo, escrever tem sido de certa forma um bálsamo.... ainda mais agora com esse corona vírus, o praga desgraçada. Para vocês terem uma ideia, eu trabalho como professora e a partir de amanhã as aulas aqui estarão suspensas por 30 dias. Não estou nem um pouco feliz, embora entenda que seja por uma questão de saúde... tem gente que acha que é férias, para mim não, é quarentena. Como vocês já tinha visto em posts anteriores, eu contei que o meu pai está muito doente... e com toda essa muvuca de corona, todo mundo aqui em casa fica tenso e preocupado... o meu trabalho e os meus alunos de certa forma também me distraiam, mas agora... precisamos ter paciência e fé para que tudo isso passe... esperamos que logo tudo possa voltar ao mais normal possível... enquanto isso vou escrevendo por aqui...
Agora voltando a fic, a parte em que Katya descobre o segredo do Saga aconteceu conforme o mangá, e bem eu apenas dei alguns floreios para coisa ficar mais interessante, quanto a cena da Saori, eu usei a minha criatividade... tem gente que curti, mas eu particularmente não vejo nexo no torneio galático, foi mais pra mostrar lutas e combate mesmo, como é o foco do próprio Saint Seiya.... é e ainda tem a Éris na parada, e já adianto que ela terá um papel de destaque mais para frente... eu vou pegar muita referência de Saintia Sho, então se tiver alguém meio perdido... no mais comentem e digam o que estão achando disso tudo...
E que todos se cuidem e fiquem bem, porque esse vírus não é de brincadeira!
Bjs!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...