História Flashpoint - Capítulo 3


Postado
Categorias The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Cisco Ramon (Vibro), Detetive Joe West, Dr. Harrison Wells, Dra. Caitlin Snow (Nevasca / Killer Frost), Iris West, Personagens Originais, Wally West (Kid Flash)
Tags Snowbarry
Visualizações 315
Palavras 2.088
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Past and Future


Fanfic / Fanfiction Flashpoint - Capítulo 3 - Past and Future

I gotta take a little time
(Eu preciso achar um tempo)
A little time to think things over
(Um pouco de tempo pra pensar sobre as coisas)
I want to know what love is - Foreigner

Central City 2037

Caitlin despertou com os leves toques no braço e o aroma de café freco invadindo suas narinas. Ela sorriu automaticamente.

Havia adormecido tarde, após chorar a noite toda, esperando alguma notícia de Nora, que seguia desaparecida. A agonia por não saber como a garota estava, quase não a deixaram dormir, ela apenas adormeceu por estar cansada demais.

Abriu os olhos, vendo o sorriso amigável da morena, com uma bandeja de café da manhã. Caitlin reconhecia a oferta de paz, e se sentou na cama para observar Íris depositar a bandeja sobre a cama.

- Hummm- Caitlin disse fechando os olhos e sentindo o cheiro - Pelo visto você aprendeu a fazer um bolo de fubá.

Íris acentiu.

- Tudo é possível afinal, não?

Caitlin riu e pegou um pedaço do bolo no prato, levando a boca e provando. O gosto era maravilhoso. Saboreou cada pedaço enquanto Íris observava.

- Me desculpe por ontem - Íris disse fazendo a castanha levantar os olhos de boca cheia - Por ter...brigado com você, eu não devia ter feito aquilo.

Caitlin suspirou limpando uma mão na outra.

- Você estava nervosa...Nós estávamos nervosas. Afinal Nora pode acabar com a humanidade em menos de horas e isso pode acarretar consequências irreversíveis.

- Ela não está pronta pra lidar com isso, Caitlin - Íris disse mirando o chão preocupada - Eu estou com medo.

Ela suspirou, vendo que a morena encarava a foto na cabeceira dela. Uma foto que Caitlin havia tirado de Barry, com seu traje de Flash, um sorriso radiante nos lábios e um brilho nos olhos.

- Ele te amava também - Íris disse com um longo suspiro, mudando completamente de assunto e deixando Caitlin confusa - Você me disse uma vez que, aceitava que Barry não te amasse, mas ele amava.

- Sei que sim - Caitlin respondeu - Como amiga dele.

Íris sorriu e olhou para ela.

- Ele sempre foi muito indeciso, você lembram - perguntou com uma risada. Caitlin riu e acentiu de olhos arregalados - Lembro de tantas vezes que nem mesmo ele percebeu que estava dividido entre nós duas.

Caitlin ficou séria e engoliu seco. Não tinha idéia de onde Íris queria chegar, e de onde havia tirado aquela maluquice.

- Do que você está...

Íris levantou os olhos cheios de lágrimas. Caitlin entendia que ela não sentia dor por dizer aquilo. Podia ver que outra coisa a incomodava, mas não fazia idéia do que.

- Barry me amava, e eu estava apaixonada e decidida a me casar com Eddie - Íris disse - Então você estava sempre lá, o salvando, o ajudando e...

- Para! - Caitlin disse erguendo as mãos. Íris parpu instantaneamente, olhando para a castanha - Tudo que aconteceu, foi porque tinha de ser daquele jeito. Não quero me pegar preocupada ou pensando no que podia ter sido. Quero somente viver lembrando as boas coisas que vieram com o que aconteceu.

Íris acentiu e Caitlin abriu um fraco sorriso. O momento foi interrompido pelo vibrar frenético de um celular. As duas puxaram seus celulares e Caitlin percebeu que era o seu, atendendo de imediato.

- Alô, Ralph? - ela disse.

- Podem vir pro S.T.A.R labs - ele disse com a voz tipicamente de tédio - Cisco está fazendo de novo aquele negócio de não falar minha língua, e está fazendo isso bem nervoso e empolgado...Não demorem!

Ele desligou e Caitlin bufou.

- O café da manhã vai ter que ficar pra depois - Caitlin disse.


"Caitlin estava outra vez ali, naquele mesmo local em que ela ficava todas as noites após dois longos meses da morte do velocista. Nada parecia mudar, e ao invés de curar, o tempo só lhe torturava mais e mais a cada dia.

Agora, ali, naquele laboratório frio, que ironicamente agora era parte dela e parte de Íris. Observava o traje todo deteriorado e rasgado. Aquele traje que ele usava quando o coração parou de bater.

Caitlin se lembrava das inúmeras vezes em que ele a pegou nos braços usando aquele mesmo traje. Sendo seu herói, como sempre.

Mas agora aquilo havia acabado.

Foi naquele instante que seu celular quebrou o silêncio, com o toque ecoando pelo laboratório vazio e escuro. Caitlin puxou e levou a orelha.

- Alô?

- Caitlin - a voz embargada e os soluços desesperados fizeram a castanha paralisar e franzir o cenho.

- Íris? Íris o que aconteceu?

- Eu não consegui ligar pra mais ninguém - Íris justificou.

- Você está bem? - Caitlin perguntou agoniada e preocupada.

Um longo tempo de silêncio sendo preenchido pelos soluços desenfreados de Íris, deixava Caitlin mais curiosa e preocupada a cada instante. Então se ouviu um longo suspiro, antes da bomba explodir bem nas mãos da castanha.

- Eu tô grávida."

Through the clouds I see love shine
(Através das nuvens eu vejo o amor brilhar)
It keeps me warm as life grows colder
(Ele me mantém aquecido enquanto a vida vai esfriando)

Central City 2017

As coisas não estavam indo tão bem quanto ela esperava. Faltava pouco menos de um ano para que seu pai morresse. Como ela poderia ficar ali todo esse tempo? Como poderia não se encontrar com todos aqueles que era sua família? 

Ela pensava nisso enquanto observava as luzes do S.T.A.R labs se apagarem andar por andar, e por fim, sair a mulher de cabelos castanho-avermelhados, buscando pela chave do carro na bolsa. 

Ela se aproximou do carro, entrou e deu partida. Logo seu carro saiu do pátio deserto, sumindo aos poucos na longa e extensa estrada.

A barras estava limpa.

Nora correu em super velocidade e vibrou pelas portas - algo que havia aprendido a menos de uma semana - e correu direto para aquela sala onde sabia que encontraria respostas sobre, passado, presente e futuro.

Parou no corredor, andando lentamente. Ela sabia exatamente onde haviam câmeras e sensores, e escapava com maestria de todos.

Nora se aproximou da parede, e colocou a mão, fazendo a porta secreta se abrir diante dela. Olhou mais uma vez em volta antes de entrar, e a porta se fechar em seguida.

A sala branca. Finalmente, seu refúgio tão amado. Era ali que ela passava grande parte de seu tempo, querendo somente, ver imagens e ao menos imaginar como era ver o grande Flash em ação.

Ela se aproximou, e colocou a mão no scanner, se afastando em seguida, para ver a inteligência artificial se apresentar.

- Olá, Srta.West-Allen - Gideon cumprimentou.

- Gideon - Nora disse - Poderia me mostrar o S.T.A.R labs, no futuro?

O rosto de Gideon sumiu, revelando a fraca imagem de câmeras, onde Cisco andava de um lado a outro no córtex, gesticulando e falando milhares de coisas enquanto Ralph observava com as mãos no bolso.

- Já perceberam que eu sumi! - Nora disse passando a mão pelos cabelos e bufando. Precisava pensar. Ela se afastou andando de um lado a outro com as mãos na cintura. 

Agora não havia mais volta. Ela já estava ali, não podia voltar atrás com seu plano. Ela ia salvar Barry Allen. Ia recuperar a família que nunca teve, custasse qualquer coisa.

- Obrigada, Gideon - ela disse antes de se virar e correr em super velocidade para fora dali.

In my life
(Na minha vida)
There's been heartache and pain
(Tem havido sofrimento e dor)
I don't know
(Eu não sei)
If I can face it again
(Se eu posso encarar isso de novo)
Can't stop now
(Não posso parar agora)
I've travelled so far
(Eu já fui longe demais)
To change this lonely life
(Para mudar esta vida solitária)

Central City 2037

Caitlin e Íris, passaram pela porta do córtex e já foram fuziladas pelo latino, que apontou o dedo na direção delas, com um olhar paranóico, cheio de olheiras e os cabelos bagunçados.

- DESCOBRI! - Cisco disse. Elas franziram o cenho e Caitlin semicerrou os olhos olhando no fundo dos dele.

- Você dormiu essa noite Cisco?

- Não preciso dormir, eu preciso de respostas! - ele disse se inclinando para o computador - E acho que encontrei Nora!!

Elas se aproximaram enquanto ele movia os dedos pela tela rápida  e precisamente.

- Eu pensei que se ela voltou ao passado, a única coisa que pode mantê-la conectada com o futuro lá é...

- A Gideon! - Caitlin disse batendo na testa, se perguntando como não havia pensado nisso.

- Então vasculhei filmagens antigas, só pra ver se achava ela em alguma por acaso e...Eu achei um vídeo muito revelador seu, Dra. Snow - ele disse com um sorriso provocador. Caitlin sentiu as bochechas corarem com medo do que podia ser. Mas Íris mudou de assunto.

- Foco, Cisco!

Ele bufou e clicou em uma gravação.

- Achei isso - ele disse apontando para a tela. As duas se inclinaram para ver melhor. As câmeras pegavam a entrada do laboratório. Caitlin saiu, e trancou, como de costume. Pouco tempo depois, um vulto roxo e amarelo, veio da rua e atravessou a porta, sumindo laboratório adentro.

- Nora! - Íris susurrou.

- Ela esqueceu que nessa época a câmera da entrada não estava estragada - Cisco disse.

Caitlin sorriu satisfeita.

- E quando é isso? - perguntou ela. Cisco bufou e checou.

- 17 de novembro de 2017 - ele disse.

Íris e Caitlin se olharam engolindo seco. Justo naquela data. Elas se lembravam bem o que ia acontecer.

- Isso é...- Caitlin começou.

- Uma semana antes de eu me casar com o Barry - Íris completou.

I'm gonna take a little time
(Eu vou achar um tempo)
A little time to look around me
(Um tempo para olhar a minha volta)
I've got nowhere left to hide
(Não tenho nenhum lugar para me esconder)
It looks like love
(Parece que o amor)
Has finally found me
(Finalmente me encontrou)

Central City 2017

Ela havia passado a noite, abraçando as pernas em um beco qualquer, como qualquer morador de rua. Ela precisava de alguma coisa com que pudesse se sustentar. Ali não havia a herança de seu pai, ou o salário de Caitlin ou Íris.

Ela precisava de um emprego. Um que desse pelo menos para um quarto de hotel descente. Então, ela revisou nos jornais. Passou a manhã toda procurando, mas ninguém a aceitava.

Aquele lugar era sua última esperança. Ela respirou bem fundo antes de entrar naquele restaurante. Chique, bem organizado. Ela logo foi fuzilada com os olhares atentos das pessoas esnobes. Mas mesmo assim, ergueu a cabeça e avançou, chegando a recepcionista. 

- Com licença - ela disse.

- Bom dia, tem reserva? - a mulher perguntou.

Nora negou.

- Eu vim pela vaga de garçonete - ela disse. A mulher acentiu.

- Está vendo aquela porta? - disse apontando. Nora olhou naquela direção e já avistou, acentindo - Entre ali e fale com o gerente.

- Obrigada - Nora agradeceu sorrindo, e começou a passar ali no meio daquelas pessoas que a olhavam como se ela fosse ninguém. Mal sabiam de quem ela era filha.

Ela abriu a porta, olhando lá dentro. O homem de terno, sentado a enorme mesa de carvalho concentrado em uma folha, era velho com um bigode que quase a fez rir. Ele levantou os olhos.

- Quem é você? - ele perguntou. Ela entrou sorrindo e avançou até ele com a mão estendida.

- Meu nome é N...Nancy! Nacy Hilston - ela desdobrou falando o primeiro nome que veio a mente - Vim porque vi o anúncio, no jornal.

Ele fez um gesto de desdém e voltou a se concentrar no papel. Nora franziu o cenho.

- Pode ir, a vaga foi preenchida - ele disse.

- O quê?! Não! - ela disse alto o fazendo olhar incrédulo - Olha, eu vim de muito...muito longe pra fazer algo que pode mudar minha vida. Literalmente. E pra isso preciso sobreviver! Só estou pedindo que aceite uma garçonete a mais, qual é! Você vai morrer por ter uma garçonete a mais?

O homem ainda não acreditava na audácia dela. Então ele riu. Nora apenas ficou séria esperando.

- Você é bem decidida garota, gostei de você...ahn..Nancy - ele disse recordando - Posso até te contratar, mas será para eventos.

- Como, festas?

Ele acentiu.

- Somos muito requisitados para isso, e preciso de garçons rápidos e com um belo sorriso - ele disse - Você tem um sorriso incrível, mas é rápida suficiente?

Ela sorriu de lado.

- Você nem imagina - respondeu.

O homem acentiu.

- Temos um casamento na semana que vem, será seu primeiro teste - ele disse - Se me agradar, você fica. Combinado?

- Claro! Muito obrigada! - ela disse apertando a mão dele com força - Isso significa muito pra mim!

Ele sorriu e puxou um papel, rabiscando algo e entregando a ela. Nora leu. Era um endereço. 

- Não se atrase - ele disse - É o casamento de um oficial da CCPD.

Ela sorri.

- Não vou perder por nada.

I wanna to know what love is
(Eu quero saber o que é o amor)

Notas Finais


Esperamos que tenham gostado ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...