História Fleurtopia - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Kim Jong-dae (Chen), Park Chan-yeol (Chanyeol), Zhang Yixing (Lay)
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Exo
Visualizações 17
Palavras 1.580
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Ficção, LGBT, Magia, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - O encontro inesperado


Chanyeol passava dias estudando seus sonhos, sempre afim de chegar a algo diferente, e sempre conseguia.

 Em um de seus sonhos, descobriu que era um cartógrafo e fez o primeiro mapa do local. Tentou, então, redesenhar o sonhado mapa com a boa memória que tinha e procurou tentar encaixar em algum dos cantos do mapa mundi atual. E surpreendentemente conseguiu encaixar. Estava localizado acima de uma das pequenas ilhas do Havaí, provavelmente uma das menores e menos visitadas, pelo o que havia pesquisado após o encaixe.. 

Aproveitara que seu aniversário de 24 anos estava chegando, e como de presente, pediu aos pais uma viagem para o Havaí. E os pais deram-no o bilhete de viagem, sem muito o que reclamar. Afinal, seu filho nunca teve muito interesse em sair de seu quarto, então, na verdade, ficaram bastante contentes com isso.

Chanyeol nunca esteve tão feliz. O sonho dele desde o despertar de sua curiosidade, era andar pelo local de seus sonhos, próximo ou que ao menos se assimilasse à ilha .

 

[...]

 

Quase terminando sua viagem, Chanyeol andava pelo local popular no lindo cenário noturno, com a praia de um lado, e a feira de souvenires no outro. Já havia comido, andado e comprado diversos souvenires para sua família e  amigos. Já estava na hora de voltar ao hotel. O homem notou que o dia passou rápido. Rápido até demais.

No caminho, percebeu diversas flores, que apareceram em seus sonhos também. Pelo que passou pesquisando, essas flores que viu, eram bastante específicas e que apenas apareciam no Havaí.  Em que parte de seus sonhos ele havia encontrado essas flores? O nome delas era o Hibisco Amarelo, flores típicas do Havaí e seu símbolo oficial. Chanyeol queria levar uma delas para casa, então retirou uma de um dos arbustos e guardou dentro da capa de seu celular.

 

[...]

 

Já eram 21:35 e Chanyeol apenas queria voltar para descansar. Andando enquanto olhava as flores, sorria porque lembrava de Harvor, que era realmente bonito, e as estrelas, pois estavam lindas demais. 

 

"Sabia, Yeol, que quando você segue as estrelas que mais aparecem aos seus olhos, é porque está seguindo o caminho para o seu amor verdadeiro?" Lembrou-se de sua querida mãe falando. Desde que ela citou isso, virou um hábito para Chanyeol andar com os olhos fixados nas estrelas. 

Sem perceber por causa das estrelas, Chanyeol esbarrou em alguém.

– I am much sorry, sir... Hmm, I was distracted (Sinto muito, senhor... Hmm, e-eu estava distraído) - Chanyeol tentou se desculpar, com seu inglês não muito fluente.

 

Para sua surpresa, assim que voltou seu olhar à pessoa a quem esbarrou-se, parecia se assimilar muito a alguém. Alguém que andava pensando muito ultimamente...

Era Harvor! Porém, vestido casualmente e com roupas atuais e com uma pele mais pálida, o que parecia muito estranho e diferente, já que em seus sonhos, Harvor usava uma espécie de saia feita de palha e folhas, não muito bem elaborada.

Chanyeol arregalou seus olhos na esperança de que aquilo seja apenas o efeito do cansaço, mas "Harvor" estava realmente ali. Em sua frente.

– D-Desculpa, mas qual o seu nome?

– Err... Byun Baekhyun. Desculpe-me, já vou indo.

– Ok... M-mas poderia me passar seu número? Sou um... Fotógrafo e achei que você seria perfeito para o meu próximo tema! - Chanyeol tentou arrumar uma desculpa.

–Tudo bem... 

Anotou o número no celular de Chanyeol e se despediram rapidamente. 

Chanyeol sentiu se vitorioso por um momento, mas assim que chegou ao hotel, tentou ligar para o número no papel, e resultou no infame "Este número não existe. Tente novamente.". Esse não podia acreditar, então tentou ligar mais de cinco vezes, mas, como em todas as ligações anteriores, ninguém realmente atendeu.

Chanyeol foi enganado!

Mas também, por que alguém daria seu número para um completo desconhecido em uma ilha de um país que nem sequer mora? 

"Burro. Argh! Burro! Burro! Imbecil!" Chanyeol pensava enquanto rolava em sua cama.

Na mesma posição por aproximadamente meia hora, estava com tantos pensamentos, porém de cabeça vazia. Chegou a conclusão que não deixaria a ilha até conseguir, ao menos, um contato verdadeiro do homem que viu em seu caminho de volta ao hotel.

– Eu não posso deixar essa chance de ouro passar assim... É o "Harvor" afinal de tudo! - se levantou de modo confiante, pegou seu celular e saiu de seu quarto, com a determinação que nunca sentiu ter.

Sem nem sequer pensar duas vezes, saiu correndo, mas acabou notando que estava cansando rápido. Pensou que provavelmente era porque ainda não havia jantado. 

 

Chanyeol não tinha certeza se pararia no restaurante do hotel para jantar, mas também não estava certo se conseguiria chegar ao seu objetivo de estômago vazio. Optou então, comprar sanduíches na cafeteria perto, para ao menos retardar o efeito do cansaço.

 

[...]

 

– Olá, vou querer dois sanduíches para levar, por favor. - Chanyeol pede assim que chega à cafeteria - e uma água, por favor.
        – Claro! Fique à vontade se quiser pedir mais algo - afirmou a atendente, indo preparar seu pedido.

Chanyeol agradeceu e sentou-se em uma das cadeiras giratórias próximas ao balcão. Entendiado e ansioso, girava-se na cadeira diversas vezes, como uma criancinha, afim de se acalmar um pouco.

Em um dos giros, percebeu uma silhueta familiar, andando próxima à cafeteria. Yeol estava receoso de tentar chamá-lo, já que havia esquecido o nome da pessoa. 

"B-Byun Baekh... Byun Baekhoon? Byun BaekBeom? Byun Baekhyun!"

– B-Byun Baekhyun! - O mais alto gritou, esperando que esse o escutasse e notasse.

Esse então, parecia não ouvir. Ou ao menos, parecia fingir que não ouviu, pois o maior notou que Baekhyun levemente estremeceu. Chanyeol entenderia, afinal, seria estranhamente assustador ver um cara que lhe abordou, sem mais nem menos, e pedir seu número, chamar pelo próprio nome, depois do primeiro ocorrido.

Chanyeol, não querendo ser mais ambíguo do que já estava sendo, conseguiu superar a ambiguidade e ser mais peculiar: correndo em direção ao homem.

Baekhyun, assustado, decide tentar correr de volta ao seu quarto, no intuito de fugir daquele homem alto, que parecia o Slenderman atrapalhado correndo. 

Chanyeol, já quase o alcançando, decide parar, porque não quer que o mal entendido se estenda. Além do mais, ficou mais fraco do que antes, ajoelhou-se no chão, para tentar se recompor. 

– Desculpe-me, senhor Byun. Eu não queria causar esse mal entendido na sua mente - disse Chanyeol, tonto de fome, quase chegando a desmaiar por causa de uma simples refeição pulada.

O homem não ouve uma sequer resposta do mais baixo, que aparentava já ter fugido. Park, cabisbaixo, decidiu tentar voltar à cafeteria, para pegar seu jantar improvisado, desistindo da sua missão.

Estava tonto demais, teve de confiar em seu tato pelas paredes dos corredores, tentando buscar de volta o senso de direção. 

Em não mais de 2/3 de seu caminho, acaba desmaiando ali mesmo. Ouviu rápidos passos em sua direção, mas foi tarde. 

Droga... O que pular uma refeição não faz ao corpo de Chanyeol?

 

 

[...]

 

 

Retomando a consciência após mais de meia hora, Chanyeol, levantou-se e, aos poucos, notou que não estava mais no corredor no qual desmaiara, nem mesmo na cafeteria. Percebeu que estava de cama, em algum hospital, que, provavelmente, era próxima do hotel.

Pensou então, que algum funcionário do hotel havia notificado seus colegas para o levarem ao hospital. Estava certo dessa teoria por uns minutos enquanto pensava, mas assim que olhou para o lado, percebeu que havia um lanche, no que parecia ser os sanduíches, que ele pedira antes do desmaio, e a água, entretanto,  havia um bilhete colado em uma das embalagens dos sanduíches:

"Fique bem e assim que receber a alta, venha para o quarto 606. BBH." 

Não entendrndo muito do que estava escrito, Park decidiu traduzir no Google. Obtendo a resposta, ficou confuso. 

"Não sabia que funcionários poderiam ter um quarto próprio... Espera... Ah, deve ser de serviço 24 horas. Esse hotel sabe bem como tratar dos empregados." 

Chamou o doutor - com seu inglês falhado - e recebeu a alta, sendo notificado que a falta de uma alimentação equilibrada ocasionou o desmaio, algo que o próprio já estava ciente sobre.

Saiu do hospital, comendo seu lanche. Finalmente, seu estômago não estava mais vazio. Ouviu até mesmo o órgão agradecê-lo.

Próximo ao hotel, ficou planejando em como retribuir o funcionário que o avistou desmaiado. 

– Thank you very much for your concern about me. (Muito obrigado pelas suas preocupações sobre mim) - Chanyeol agradeceu assim que chegou na recepção, com o que havia rapidamente traduzido no Google. No entanto, notou a expressão confusa das funcionárias, mas não se preocupou tanto.

Caminhou em direção ao quarto que estava no bilhete e pensou em usar a mesma frase de agradecimento com o funcionário, que foi atribuído como o herói do seu dia.

Decidiu que iria o retribuir com um jantar no restaurante do hotel, já que era o mínimo que poderia fazer.

Chegando e certificando-se que era aquele quarto mesmo, apertou a campainha, um pouco nervoso e relendo o bilhete diversas vezes, acreditando que o acalmaria um pouco. Percebeu que alguém abrira a porta, então sorriu de olhos fechados e curvou-se o agradecendo da mesma maneira que agradeceu as funcionárias da recepção. 

– Muito obrigado pela sua preocupação sobre mim. Gostaria de lhe retribuir com um jantar. - agradeceu, abrindo os olhos. 
– D-De nada... Não precisa retribuir, você estava desmaiado, era o mínimo que eu poderia fazer.

"Espera. Então aquele 'BBH' do bilhete era... Byun BaekHyun? Meudeusmeudeusmeudeusmeudeusmeudeusmeudeusmeudeusmeudeusmeudeus"


Notas Finais


Obrigada e espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...