1. Spirit Fanfics >
  2. Flip Book; Son Chaeyoung (Pausada) >
  3. Mudança de humor

História Flip Book; Son Chaeyoung (Pausada) - Capítulo 30


Escrita por:


Notas do Autor


demorei uma eternidade para escrever isso, eu espero que gostem

Capítulo 30 - Mudança de humor


~ S O N C H A E Y O U N G


Eles não podem simplesmente se resolverem e pronto? Por que tudo isso é tão difícil para dois adultos? Eles são maduros o suficiente para conversarem, então por que eles simplesmente não se resolvem? Céus, meus pais me irritam. 

Eu fechei meus olhos e aumentei o volume da música apenas para não ouvir suas vozes altas; levei minhas mãos ao rosto os tampando, senti, aos poucos as lágrimas se formarem e em questão de segundos deslizarem pelo meu rosto. Tudo isso está me deixando mal. 

***

— Chaeyoung, você vai se atrasar se continuar no quarto e tem uma garota te esperando! — Eu acordei ao ouvir batidas fortes na porta e a voz alta da minha mãe, pelo tom, ela parece estar mais calma e um pouco mais feliz hoje. 

— Tudo bem, eu já vou... — Sonolenta, eu respondi. Minha mãe falou mais algumas coisas quais não fui capaz de entender e então se retirou. 

Cocei meus olhos com as costas das mãos e suspirei cansada, os fones ainda estão no meus ouvidos e por ter passado a noite inteira com ele, quando eu os tiro, meu ouvido dói por alguns instantes. Eu sempre esqueço de tirá-los antes de dormir. 

Eu procurei meu celular na cama, mas não fiquei nada feliz quando o encontrei, o aparelho está sem bateria alguma, o que significa que terei que deixá-lo em casa hoje. Bufei, chateada comigo mesma por não ter colocado o mesmo para carregar e ao criar coragem, eu me sentei na cama. 

Minha cabeça dói um pouco, mas nada que um comprimido não resolva, espero; me coloquei de pé e de maneiras preguiçosa, eu separei meu uniforme indo direto para o banheiro em seguida. 

***

— Finalmente apareceu, sua namorada está te esperando faz um bom tempo. — Eu fiz uma careta quando ouvir as palavras de Jihoon, o mais velho tem um sorriso nos lábios e parece apressado. 

— Minha namorada? — Ele afirmou e um sorriso pequeno se formou nos meus lábios ao lembrar de ____, ela está aqui? — Achei que mamãe estava falando da Dahyun ou Tzuyu quando disse que tinha uma pessoa me esperando. 

— Hm, se enganou. A ____ está aqui e parece um pouco tímida na presença dos nossos pais. — Ele riu e então negou. — Melhor ir ajudar ela.

Meu irmão não falou mais nada, apenas riu e subiu as escadas e eu as desci, caminhei sem pressa até a mesa onde meus pais conversavam e riam alto. 

— Bom dia. — Falei calma e direcionei meu olhar a garota que sorria para meus pais. 

— Chaeyoung, finalmente — Minha mãe sorriu para mim. — Anda, vem comer, vocês vão se atrasar se continuar enrolando. 

Meus pais parecem bem e felizes agora, eles não parecem ter discutido novamente noite passada. 

— Não precisa, mãe. — Ela me olhou. — ____ e eu vamos passar em uma cafeteira perto do colégio, vamos tomar café lá. 

Eu apenas quero sair de casa. 

— Tem certeza? Vocês precisam comer. — Foi a vez do meu pai de falar. 

— Não se preocupe, senhor Son, nós iremos tomar café. — Agradeci mentalmente por ____ ter me ajudado. Sua afirmação fez com que meu pai fizesse um sinal positivo. 

— Tudo bem, vê se não se atrasem. — Falou. — Foi um prazer te conhecer, ____.

— Digo o mesmo. Até outro dia. 

A garota se despediu dos meus pais e eu fiz o mesmo, logo saímos de minha casa. 

— O que você está fazendo aqui? — Devo admitir não ter gostado muito da presença de ____ em minha casa. Eu gostaria que ela não tivesse aparecido. 

— Que tipo de pergunta é essa? Eu vim te chamar para irmos ao colégio juntas. — Falou calma e sorriu de forma fofa. 

— Não precisava ter vindo. — Fui sincera. 

— Não é nenhum incômodo vir até a casa de minha quase namorada para irmos juntas ao colégio. — Novamente sorriu e eu suspirei. — Eu já estava com saudade. 

Antes que eu pudesse dizer algo, ____ me abraçou forte, me permitindo sentir seu cheiro logo pela manhã, algo que me deixaria completamente feliz se não fosse pelo dia horrível que estou tendo. 

— Tudo bem, me solta. — Me afastei.

— Não gostou de me ver? — Cruzou os braços ao perguntar. — Se não quisesse me ver agora era só ter respondido minhas mensagens. Fiquei preocupada, por isso vim e também porque queria fazer uma surpresa, mesmo que minha presença não seja a melhor coisa do mundo. 

— Meu celular está sem bateria, por isso não respondi. — Falei a olhando. — E não precisava ter vindo. 

____ apenas afirmou e desviou o olhar, parecia não saber muito o que dizer nesse momento. 

— Vamos logo. — Falei e novamente a garota afirmou. 

***

~ (S/n) 


— Está tudo bem? — Parei em frente a baixinha que novamente desenhava, com minha pergunta, Chaeyoung levantou a cabeça e então me encarou e suspirou nada feliz ao me ver. 

— Sim. — Respondeu e voltou a desenhar. 

— Eu quero te fazer uma pergunta. — Falei um pouco mais animada, o que, de fato, eu estava. 

— Faça. — Suas respostas curtas me deixam tristes. 

— Bom, nesse fim de semana irei para casa de uma tia, ela foi viajar, mas irá voltar na segunda feira. Ela mandou mensagem perguntando se eu poderia ficar lá nesse final de semana, apenas para cuidar da casa e eu pensei em te chamar, o que acha? 

Minha tia não mora tão longe, apenas duas horas de viagem e nós chegamos. Ontem, pouco depois que Chaeyoung foi embora, eu recebi sua mensagem e fiquei feliz ao pensar na possibilidade de poder passar dois dias inteiros ao lado de Chae. 

Iria falar isso hoje mais cedo com a baixinha, mas seu mal humor estava tanto que decidi deixar para contar no intervalo, achei que ela poderia estar mais calma, porém não. 

— Ah, pode ser. — Falou sem me olhar e sem animação alguma, de qualquer forma, eu sorri feliz. 

— Ótimo, irei mandar mensagem para ela avisando que nós iremos. — Me sentei no banco ao lado dela e beijei sua bochecha. 

— Já está difícil terminar esse desenho e você ainda atrapalha? Droga. — Reclamou me olhando e então arrancando a folha do seu caderno e a amassando. 

— Chaeyoung, não é pra tanto. Era só apagar e refazer. 

— Você diz isso porque não é você que está desenhando. — Bufou. 

— Me desculpe, Chae. Não era a intenção. — Falei baixo. 

— Agora já foi. — Fechou o caderno e então se levantou saindo do meu lado sem mais nem menos. 

Sua atitude me fez suspirar e abaixar a cabeça. Acho que fiz algo errado para ela estar assim justo comigo. Com Dahyun e Tzuyu ela está agindo normalmente, até mesmo com Taehyung ela está falando, mas quando tento me aproximar, ela me trata mal ou diz que estou muito grudenta. 

Odeio não saber o que fazer em relação a isso e me sinto péssima por estar sendo tratada dessa forma. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...