1. Spirit Fanfics >
  2. Flirt >
  3. Capítulo VI

História Flirt - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Hey, mais um capítulo para vocês. Eu gostei bastante de escrever este capítulo e espero que vocês também gostem, tanto quanto eu.
⚠LEIAM as notas finais, tenho uma pergunta importante.

Desculpem os erros (como sempre) e...

Boa leitura!

Capítulo 6 - Capítulo VI


Fanfic / Fanfiction Flirt - Capítulo 6 - Capítulo VI

Flirt

Capítulo 6: No Jardim, um jantar.


Pensar em meus sentimentos por Kim Taehyung ainda me assustava um pouco. Refletindo sobre isso em meu quarto no palácio, depois de trazê-lo para a construção antiga novamente, me pego pensando em como conquistá-lo realmente. Quando eu afirmei para o duque Park que o conquistaria e provaria que merecia ser amado por ele, não imaginei que seria tão difícil. Não pelo Kim, longe disso, mas por mim mesmo.

Quem diria que Jeon Jeongguk, príncipe do reino de Seom, futuro regente de uma das terras mais ricas entre os reinos, estaria com medo de um ômega? Ou melhor, dos sentimentos recém-descobertos pelo mesmo?

E por incrível que pareça, sim. Um príncipe criado para lidar com as maiores situações complexas e extensas, não fora criado para lidar com o amor. Em outras palavras; os livros que li e sonhei em ter uma história similar não me preparam para isso.

Entretanto, não desistirei dos meus sentimentos. O príncipe Kim me ama e eu o amo. Simples assim, como pensei inicialmente. Ledo engano. Eu o amo, mas terei que conquistá-lo e provar que o sinto mesmo.

O Kim tem um cheiro incrível e uma aparência mais extraordinária ainda. O futuro do reino estará seguro. A nossa convivência que não é das melhores, julgando que há algumas horas, eu jurava que não possuía nenhum sentimento pelo mesmo, é o ponto a ser melhorado. Temos que nos conhecer melhor.

É refletindo sobre isso que eu me encaminhei para a minha escrivaninha para anotar as poucas coisas que eu sei sobre o Kim, pois eu tenho uma péssima memória.

O primeiro item listado é que ele gosta de mim. O segundo é que gosta de... Respiro fundo, exacerbado. Merda! Eu não sei nada sobre o Kim!

Preciso de ajuda. Mas... Ajuda de quem? Não há ninguém neste palácio da família do Kim, além de Namjoon... Não. Não quero falar com ele agora, e nem seria bom para minha mente falar os motivos pelos quais terei que reconquistar o Kim.

Então... Quem? Ele veio na frente acompanhado somente pelos guardas e... Pelo duque Park Jimin. Sim, o lúpus irmão do Taehyung, que me odeia por ter feito seu irmãozinho chorar. Aigoo! Estou encrencado, mas não tenho a quem recorrer.

E é pensando nisso que me encaminho para o banheiro tomar uma ducha gelada e relaxar para tentar conversar civilizadamente com o meu futuro cunhado.

[...]

Depois de tomar um bom banho e comer algo, me encaminho para os aposentos do duque Park, quando fui informado que o príncipe Kim estava na biblioteca e o Park no quarto.

Enquanto caminho pelo corredor, alguns empregados me olham curiosos, uma vez que eu tive desavenças com o alfa que eu estou indo para o quarto neste exato momento. Nunca imaginei que isso aconteceria um dia na minha vida, mas cá estamos nós.

Bato na porta ainda um pouca relutante, respirando fundo e torcendo para o mesmo me ajudar. Ele não se mostrou nada amigável quando nos encontramos de manhã.

— Pois, não?

A face séria do alfa lúpus só prova que minha tarefa será difícil.

— Posso entrar? — pergunto e entro hesitante, quando o alfa me dá passagem com um gesto de mão. Me viro para o mesmo quando fecha a porta e senta-se em uma poltrona ao lado da janela. — Eu preciso da sua ajuda. — digo.

Park Jimin me encara por alguns segundos que parecem horas, logo depois, começa a rir escandalosamente. O olho confuso quando sua risada ainda persiste por minutos a fio. Ira me consome. Este alfa debochado está rindo de mim, quando minha situação é desesperadora. Jimin nunca se mostrou a meu favor e reviro os olhos, pois eu já deveria estar esperando por uma reação dessas.

— Quem diria que Jeon Jeongguk, príncipe de Seom, iria pedir ajuda à um bastardo como eu? — diz e volta a gargalhar novamente. Jimin é uma naja completa. — Em que posso lhe ajudar, vossa alteza? — pergunta depois de cessar as risadas, ironia presente em sua voz ao pronunciar meu título. Ainda não sei porque estou esperando boa vontade deste lobo. Mesmo assim, me forço a, pelo menos, tentar.

— Quero saber mais sobre seu irmão, Kim Taehyung. — digo.

— Vá pedir ajudar ao Namjoon e não apareça mais aqui. dita entediado. Não é porque eu estou hospedado em seu castelo que vou fazer tudo que quiser. Se dependesse de mim, Taehyung já estaria em Onion, governando ao lado de um alfa que não o faz sofrer e o ama há muito tempo. Meu irmão merece coisa melhor que você. finaliza no mesmo tom monótono.

— Está bem, já saquei para quem vai o seu favoritismo, duque Park. Mas, sinto te contrariar, o Tae me ama e eu o amo. Vamos ficar juntos. Agora, só se acostume com seu cunhado. Vamos ser da mesma família. Obrigada por nada. deixo por isso mesmo. Estou sabendo que todos gostam do Choi, mas não é fácil ouvir isso.

Bata a porta com força quando saio de seu aposento. Não sei porque ainda cogitei a ideia de pedir ajuda ao alfa baixinho.

Ando pelo corredor frustrado e assim fico por alguns bons minutos. E agora? Como farei?

Estou indo em direção ao Sul do castelo, quando sinto um cheiro divino que eu reconheço bem. Me aproximo mais, diminuindo minha presença ao passo que vou me acalmando enquanto ouço uma melodia preencher meus tímpanos.

Kim Taehyung está na sala de música, sozinho, cantando e tocando piano. Sua voz grave se suaviza de um modo para acalmar até o mais irritadiço dos lobos. Chego mais perto e abro a porta devagar perdido em sua cantoria melodiosa. Suspiro fundo pelo seu cheiro que está exalando notas calmantes como se tivesse sido feito para me acalmar. Como se adivinhasse que eu estava uma pilha por dentro.

Simplesmente entro e sento em uma cadeira próxima, aproveitando mais de seu poder sobre meu lobo que está encantado com esse poder do ômega concentrado em sua tarefa.

Taehyung está envolto em sua música, de olhos fechados e concentrado ao extremo; seus dedos finos e longos deslizando pelas teclas pretas e brancas com suavidade, enquanto suas cordas vocais entoam notas graves e baixas delicadamente, compondo junto ao instrumento a mais bela canção, quase como um anjo. Sim, um anjo lindo e celestial.

Fico mais alguns minutos o cultuando e aproveitando da calmaria que está sendo a sala de música nem lembrando do ocorrido de mais cedo, quando o ômega toca as últimas notas e respira fundo, notando meu cheiro, abrindo os olhos rapidamente e sorrir envergonhado quando começo a aplaudir o show particular que me deu.

— Há quanto tempo está aqui? — Taehyung pergunta envergonhado após meus aplausos, sorrindo mínimo em minha direção e me perco nele mesmo que seja pequeno. Lindo. Aprecio seu gesto por mais alguns momentos, comemorando internamente pelo avanço, mesmo que singelo.

— Há poucos minutos. — respondo simples e o vejo mais envergonhado ainda, uma vez que suas bochechas ficam mais rubras. — Você toca muito bem. — elogio sinceramente.

— Obrigado. agradece envergonhado, suas bochechas em um lindo tom de vermelho. Maravilhoso. O olho me deleitando com sua aparência delicada e bela. Taehyung é um espetáculo da natureza.

Suspiro sem saber o que fazer, ainda apreciando seu rostinho bonito. Preciso conquistá-lo, mas não sei seus gostos. Nada sobre ele.

Ficamos em silêncio por um tempo, quando tenho uma ideia.

— Taehyung, tem um compromisso esta noite? — pergunto hesitante.

— Nada programado até o momento. — responde baixo.

— Gostaria de jantar comigo? A sós? — vejo seu olhar levantar rapidamente até o meu, com olhos arregalados. Fofo.

— S-somente nós dois? — gagueja envergonhado. Sorrio simples, apreciando o gesto.

— Sim, mas não se preocupe, somos noivos e eu irei respeitá-lo. asseguro.

— N-não é isso. — arqueio uma sobrancelha indagadora, por suas palavras. Vejo Taehyung respirar fundo. — Eu aceito.

— Muito bem. Irei buscá-lo às oito horas. — me levanto e faço uma reverência simples, pegando sua mão em seguida e beijando o torso amorenado. — Até mais tarde, alteza. — pisco-lhe e saio da sala de música rapidamente.

Jimin não irá me ajudar; Namjoon está fora de questão, então eu mesmo tomarei as rédeas do que pode ser feito. Está na hora de colocar o que li nos livros em prática e deixando meu lado romântico surgir.

[...]

Terminei de me arrumar pouco mais das sete e quarenta, me encaminhando para o quarto do meu ômega. Combinamos de irmos juntos, e me certifiquei que estará tudo pronto antes de subir para me arrumar para o ômega. Passo por meu escritório e pego um ramalhete de flores, tulipas amarelas que encomendei hoje mais cedo. Eu amo tulipas e espero que Taehyung goste de flores.

Minha ideia para nossos encontros são simples. Nós iremos nos divertir, nos conhecermos melhor, eu vou corteja-lo da maneira correta, flertar com ele, conquistá-lo como meu. Seremos um casal, eu tenho certeza.

Ajeito meu terno, uma ruga imaginária, querendo ser o mais apresentável possível. Seguro as flores, percebendo minhas mãos suadas, ansiedade dando as caras. Respiro fundo, tomando um copo de água na intenção de me acalmar e me encaminho em direção ao quarto do ômega.

Bato na porta devagar, aguardando poucos instantes para vê-lo e... Pelos deuses! Taehyung está maravilhoso. Sapatos sociais confortáveis em seus pés, a calça em linho preto, recaindo perfeitamente em seu corpo maravilhoso; está de camisa social branca, o paletó do mesmo está em seus ombros, dando um ar despojado e sofisticado. Seus cabelos estão penteados para o lado, a franja lisa escorrendo para sua testa, e nas orelhas brincos de pérolas brilhantes. A face está com uma maquiagem leve, lábios vermelhinhos assim como as bochechas. Lindo. O conjunto perfeito.

Ainda estou me banqueteando com sua visão, quando o vejo com um sorrisinho divertido nos lábios cheinhos. Pigarreio, um pouco constrangido, entregando-lhe as tulipas, vendo-o ficar ainda mais vermelho e cheira-las apreciando seu perfume doce. Respiro fundo também, mas, diferente dele que está sentindo o perfume floral das tulipas, eu estou apreciando seu cheiro doce, cheiro de Taehyung. Acalmo-me quase que instaneamente, derretendo em sua presença reconfortante.

Você está lindo. elogio, sincero e o mesmo cora sob meu olhar apreciador. Taehyung abaixa a cabeça um pouco.

Obrigado. responde, sem jeito.

Pronto? pergunto, satisfeito. Ele gostou das tulipas, dá para perceber pelo jeito que as recebeu e cheirou-as, além de permanecer com um sorriso nos lábios.

Estou, sim.

Com licença. retiro um lenço do meu bolso, pedindo um permissão muda para colocá-lo no ômega. Confia em mim? pergunto com duplo sentido explícito, mas não para um lado malicioso e sim para saber se está disposto a confiar, a depositar esperanças nessa nossa história. Taehyung concede sorrindo, com certeza deve ter imaginado isso também.

Coloco a venda em seus olhos, dando um nó não muito apertado, para não amassar seu cabelo, e nem frouxo para não cair e ele ver a surpresa. Seguro uma das suas mãos e coloco a outra na parte de trás de suas costas, pouco acima de sua cintura, direcionando-lhe para nosso destino. Passamos por uma beta que trabalha no castelo e entreguei-lhe as tulipas, pedindo para colocar no quarto de Taehyung em uma jarra.

O ômega protestou, relutando em entregar as flores em suas mãos, mesmo vendado ele tem um senso de direção incrível, mas o ômega não poderia ficar com elas o tempo todo. A beta ria discretamente de seu drama, dizendo que eram preciosas e fiz uma nota mental de presenteá-lo com mais flores e entre outras coisas.

Taehyung ficou o caminho inteiro com um biquinho insatisfeito em seus lábios bonitos e quase selei os mesmos de tão fofo que o ômega ficava. Mas tive que ter outra ideia para tirar a insatisfação do meu ômega e ameaçando-lhe com cócegas, método esse que funcionou perfeitamente. O restante da nossa trajetória foi feita com sorrinhos de ambos, apenas comtemplando a presença um do outro; o ômega se mostrava ansioso por não ver nada. Entretanto, quando chegamos ao local, não teve outra maneira, ele descobriu onde estávamos. Retirei sua venda com cuidado, acariciando de leve sua pele de veludo, adorando a textura macia.

Pode abrir os olhos. digo baixo, rouco.

Taehyung abre ao olhos devagar, como o pedido. Presencio a hora exata em que seus olhos ganhando um brilho a mais, observando a decoração e perfume do lugar.

É lindo, Gukie! exclama contente, notando cada canto do jardim Sul do castelo. Ao todo temos três jardins e um campo no castelo de Seom, campo este aberto ao público diariamente.

Decorei junto com alguns alfas e o jardineiro ômega, Min Yoongi, colocando alguns ramalhetes de trepadeiras em uma grade ao oeste da entrada do local, usando essa mesma instalação para colocar mais iluminação. Também colocarmos uma mesa menor no centro, somente para duas pessoas, está que está decorada com uma toalha vermelha e um jarro pequeno de tulipas vermelhas ao centro. É, me arrisquei em colocar tulipas novamente na mesa, mas ver a cara de satisfação do Kim não poderia ter feito escolha melhor. Fomos rumo à mesa, puxei a cadeira para o meu ômega, que sorriu apreciando o gesto e agradecendo.

Nos acomodamos sorrindo um para o outro, quando chamei a Eunjin, nossa chefe de cozinha. A alfa é uma cozinheira de mão cheia. Está conosco há cincos anos e já é insubstituível. Confesso que também me arrisquei fazendo a sobremesa e espero que o ômega a minha frente goste.

Tomei a liberdade de escolher nosso cardápio, uma vez que não conheço seus gostos. comentei simples, sem dar a entender que fiquei a tarde inteira preparando nosso encontro e refeição. Escolhi uma coisa simples, mas que agrade. Escolhi duas entradas simples: bruschetta, a tradicional e salada caprese. Os pratos principais são: espaguete à carbonara e almôndegas ao sugo. E a sobremesa é surpresa. Se quiser, podemos escolher outra coisa, o jantar do castelo está a disposição também.

Não, eu gostei das suas escolhas. Eu gosto bastante de almôndegas ao sugo.

Que ótimo. Eu gosto de almôndegas também. comento, mesmo que ele não tenha perguntado. E quais outros tipos comidas você gosta?

Eu gosto de experimentar coisas novas e gosto de comidas com massa.

Temos outro ponto em comum. Eu gosto de massas também. Na verdade, qualquer coisa com farinha de trigo. comentei sorrindo. O ômega sorriu também e eu permite-me abrir um mais largo por conta da reação do ômega.

O jantar ocorreu muito bem. Eu conversei trivialidades com o Kim, sempre procurando o conhecer melhor. Ele me falou um pouco de seus gostos, de como gosta de ler e interagir com as pessoas, bem como, também gosta de esgrima e atividades aquáticas, que foi outro ponto em comum, entre tantos outros que possuímos.

Eu fiz uma sobremesa especial. É uma sobremesa tipicamente italiana chamada Tiramisú. Consiste em camadas de biscoitos de champagne, embebidas em café, entremeadas por um creme à base de queijo mascarpone, creme de leite fresco, ovos, açúcar, vindo do tipo Marsala e polvilhadas com cacau em pó e café. Taehyung está atento a minha explicação e eu me empolgo falando um pouco mais da cultura que eu tanto gosto. Mas a receita original abrange muitas variações. Há pessoas que preferem café solúvel ao café tradicional, há também, as que preferem chocolate de diferentes porcentagens de cacau, entre tantos outros fatores que interferem na receita, mas que ficam maravilhosa também. finalizo a explicação. Fora um pouco trabalhoso, espero que agrade o Kim.

Parece divino. seus olhos brilham e sirvo-lhe um pedaço generoso. Coloco um em igual em meu prato, expectante. O Kim pega um pedaço com a colher e leva a boca, fechando os olhinhos lindos em seguidas, comtemplando o sabor do chocolate na sobremesa doce. É muito bom! exclama maravilhado e me permito soltar a respiração que nem havia percebido prender. Você que fez?

Digamos que eu tenho alguns truques. sorrio, me deliciando com a minha fatia.

Tens truques excelentes na cozinha. Nunca tinha provado um Tiramisú e está aprovado. faz um gesto com as mãos, aprovando, coisa que não é educado fazer em reuniões, mas parece ser típico dele. Sorrio grande, por saber que está a vontade comigo ao ponto de não se importar com isso.

Depois de comermos levei o Kim para ver o luar, e este era o ponto forte da noite. O jardim Sul do castelo tem uma bela vista sob a Lua, e que as pessoas constantemente frequentam aqui. O imenso campo dá vista para o satélite natural, que está em sua forma crescente. A fase cheia estará em seu auge na noite de nosso casamento. Isso me alegra em demasia, uma vez que eu tenho a Lua como regente. Alfas são regidos por Lua e ômegas por Sol. Betas são regidos por Terra, ao passo que são mais centrados e menos instintivos.

Caminhamos um pouco, Taehyung olhando admirado a vista esplêndida a nossa disposição e eu me aproximei de si lentamente. Vagalumes serpenteiam pelas flores dando um lindo contraste. Fiquei observando o quão bonito o Kim era, com seus cabelos louros escorridos, os olhos brilhantes. Segurei suas mãos, assustando um pouco o mesmo, que sorriu envergonhado, as orbes castanhas atentas a mim.

Você está lindo. repito o que eu disse desde quando o vi na porta de seu quarto até este exato momento.

Você disse isso o jantar inteiro. resmunga divertido, sem de fato achar ruim. Sorrio também, a medida que entrelaço nossos dedos, sentindo o ômega se arrepiar com o toque cálido.

E nunca me cansarei de efetuar essas palavras, pois são a mais pura verdade. digo galanteador, jogando um flerte barato, como fiz toda a noite, cortejando-o.

Taehyung retirou suas mãos de meu entrelaço, cobrindo o próprio corpo. O ômega respira fundo e olha para a Lua brilhante no céu. Sigo seu olhar encarando minha regente, pedindo ajuda silenciosamente. Ele não gostou do que eu disse e o motivo é óbvio. O falei como se já fizesse isso há muito tempo e não é bem o que acontece. Devo ir mais devagar com ele. Para ele é novo esse meu lado, e eu entendo seu receio. Nós ainda estamos em fase de aceitação, conhecimento, então devo compreender e ter mais paciência consigo. Alfas são mais práticos, se estão apaixonados vão e assumem, o que é meu caso. Ja ômegas e betas são mais receosos e inseguros. Paciência é a palavra chave para nós dar bem.

Depois de mais alguns minutos em um silêncio desconfortável, resolvemos voltar ao castelo. A medida que o cenário natural ia se desfazendo as minhas costas, Taehyung entrelaçava seu braço com o meu e isso me trouxe um pouco mais de confiança de que estou no caminho certo. Não pensar que terei que ter filtro sobre o que penso com o mesmo, mas me conterei por um momento. Nossa relação ainda é frágil, recém-descoberta.

Caminhamos lentamente pelo corredor dos quartos, eu querendo adiar esse momento mais do que tudo. Contudo, foi inevitável ao chegar na porta dos aposentos do ômega. O olhei admirando-o uma última vez antes do nosso primeiro encontro acabar, decorando cada parte daquele ser magnífico.

E-eu... Adorei nosso jantar. Taehyung começou gaguejando um pouco e sorrio por sua fofura.

Eu também gostei bastante. digo-lhe galanteador, tentando usar as palavras certas dessa vez. Quero poder ter a honra de sua companhia mais vezes.

Eu também anseio por este momento. o Kim segredou-me em um simples sussurro. Sorrio grande, levando minhas mãos para seu rosto, bem próximo de si. O Kim arregala os olhos levemente por minha ousadia, mas não retira minhas mãos de si. Bom sinal, ótimo, na verdade.

Eu também anseio por sua companhia, Taehyung. minha voz sai rouca, ansiosa, enquanto me aproximo mais de seu rosto. Dei-me a oportunidade de acompanhá-lo em um passeio ao ar livre, visto que disse que gostava da natureza e devo confessar-lhe que a amo também. murmuro rouco ao seu ouvido, o vendo estremecer sob minhas palmas.

S-sim. afirma e o olho novamente, vidrado em seus lábios cheios. Me aproximo mais ao ponto de encostar nossos narizes e ele fecha os olhos, entreabrindo a boca vermelha num convite mudo.

Nos vemos amanhã de manhã e à tarde, sairemos juntos. digo e beijo-lhe a bochecha corada, ouvindo um suspiro leve pelo selar quando retirei quase imediatamente minhas mãos de si. Taehyung estava tão entregue que eu poderia tomar-lhe seus lábios em um beijo apaixonante no mesmo momento, mas não posso ser tão precipitado. Boa noite, meu ômega.

B-boa noite. murmura e saio daquele corredor o mais rápido possível. Meu coração estava batendo feito um louco no peito, quase saindo da caixa torácica.

Entro em meu quarto, me jogando na cama e sorrindo à toa, sendo bombardeado por uma euforia momentânea. Ver o ômega tão entregue, estremecendo, respiração acelerada, revela o fato de que o afeto também. Nossos lobos estavam felizes e o Kim também percebeu isso.

Kim Taehyung é perigoso para minha sanidade e eu estou adorando descobrir isso; cada pedacinho dele.


Notas Finais


Obrigada se você chegou até aqui. Eu gostei muito de escrever este capítulo, espero que tenha agradado. Assim como o Jeongguk, eu penso em todas as palavras que ponho aqui, pensando em vocês <33.

Agora, vamos a pergunta: Vocês querem que Flirt tenha lemon? Porque, pela áurea da fic, tanto um quanto o outro, cabem perfeitamente. Então, vocês escolherão.

Até a próxima. Bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...