1. Spirit Fanfics >
  2. Floral And Fading >
  3. Cap.12

História Floral And Fading - Capítulo 12


Escrita por: DJhenny

Notas do Autor


Desculpem o atraso, tem dias que eu simplesmente ESQUEÇO de postar capítulo novo. Hoje vou postar dois (pra compensar) e amanhã vai ter mais um (se eu não esquecer). Enfim, boa leitura!! Vejo vocês nas notas finais

Capítulo 12 - Cap.12


Fanfic / Fanfiction Floral And Fading - Capítulo 12 - Cap.12


“Quebra de tempo/ Escola”

Tranquei meu armário e conferi pela sétima vez ao dia se Kellin respondeu minha mensagem e ainda nada. Nick perguntou o que eu queria, mas resolvi não falar nada antes de conversar com o Kells.

Todos os momentos que eu via ele estávamos trocando de aula, e da mesma forma, quando eu tentava me aproximar ele simplesmente sumia de vista.

Agora em questão ao Oliver, todo o lugar em que eu ia ele estava (provavelmente me perseguindo) e eu tinha quase certeza de que ele não pararia, a não ser que eu fosse até ele de uma vez. À caminho do refeitório o encontrei encostado em um armário.

Oi me aproximei colocando as mãos no bolso do casaco

Umedeci meus lábios quase sem notar, mais uma de minhas manias involuntárias...das quais sempre odiei e nunca consegui parar.

E aí... ele respondeu um pouco indiferente o que me fez soltar uma risada nasal O que tem de engraçado?

É engraçado a forma como você finge que não quer conversar comigo, sendo que está me perseguindo faz um tempo

Ele revirou os olhos parando eles no chão junto de um sorriso sem graça.

Eu queria saber se você está bem, só isso

Encostei no armário ao seu lado observando algumas pessoas passando, sem querer acompanhei com atenção dois garotos de mãos dadas que andavam tranquilamente por nós, até que notei que ainda estava conversando com Oliver e o respondi distraidamente.

Estou sim...

Ficamos em silêncio, quando por fim ele disse algo que me fez estremecer:

Ontem eu vi você saindo correndo do vestiário, e quando entrei um garoto estava caído no chão...Ele parecia meio...sei lá,  confuso.

Meus olhos se voltaram drasticamente à procura de seu rosto. Apertei sem muita força minhas mãos dentro dos bolsos, ainda tentando manter o resto da postura que me sobrara. Sem dirigir nenhuma palavra o esperei terminar de falar.

Eu não sabia o que tinha acontecido e fiquei um pouco preocupado, por isso quis falar com você...ele não bateu em você nem nada, não é?

Desencostei do armário para olhar melhor Oliver, que agora me encarava sem aquele sorriso de antes.

Não aconteceu nada.falei firme, mas ainda assim fiquei um pouco sem graça da forma que Oliver me encarava. Seus lábios se curvaram brevemente em um sorriso voltando para aquela afeição tanto acusatória quanto afetada.

Não havia mais o que dizer. Já era certo de que Oliver percebeu o que aconteceu, mas ou ele ficou com vergonha de assumir ou apenas não teve vontade de colocar as cartas na mesa.

Ele já deve saber que sou gay, com certeza sabe! Se aquele beijo que trocamos não foi o suficiente para ele entender, foi o suficiente pra mim. E agora percebi que...por mais que eu ame Kellin, ainda assim sinto uma breve afeição por Oliver, ou compaixão por ele ter se aberto tanto sobre sua vida para mim...sei lá, talvez pelo fato dele ter uma confiança quase cega em alguém que acabou de conhecer...mas Kellin também não havia?

A diferença é que Oliver está bem à sua frente e Kellin está fugindo de você!

Tchau Oli Sorri e sai quase correndo para a aula

•••

No refeitório não vi Kellin, foi a prova final de que ele estava me evitando. Tentei ignorar isso ao máximo e apenas me sentei com os outros na mesa.

O Kellin não apareceu ainda?perguntei apenas para ter certeza

Não vi ele o dia inteiroTony disse me encarando

Enquanto os outros dois garotos só concordaram. Suspirei fundo e passei a mão pelo rosto frustradamente em seguida, que merda eu fiz...

Então...Não esqueçam que hoje vamos ensaiarMike mudou de assunto

Michael e Tony estavam bem mais alegres comparado aos outros dias, isso fazia eu me sentir um pouco melhor. Fora que Jaime não parava de mexer no celular e rir o tempo inteiro de mensagens.

“Quebra de tempo/ saída”

O dia poderia ser deletado, menos à parte em que consegui escrever algumas músicas na aula de artes. Mais uma vez eu voltaria sozinho, já que os garotos iriam sair um pouco mais cedo da escola e comprar comida.

Em menos de cinco minutos até o sinal bater os corredores estavam vazios. Coloquei meu material no armário e ouvi passos em minha direção. Quando ia seguir até a saída, Mullins se aproximou de mim de forma aleatória e brusca.

Você é o tal do Victor? o ruivo cruzou os braços, me encarando de forma intimidadora, mas tentei sustentar o olhar.

— Sou, por quê?

Cuidado, se esse cara te der um soco o passeio de ambulância está garantido!

É bom você tomar cuidado “Vic" Ele disse de forma ríspida e saiu esbarrando no meu ombro.

Babaca disse baixinho apenas para mim ouvir.

Segui pelo estacionamento ainda tentando entender o que acabou de acontecer com o tal Matty Mullins.

Entrei no carro. Tentei relaxar um pouco no banco e olhei no meu celular mais uma vez esperando que Kellin tivesse mandado mensagem, e claro, nada. Liguei a rádio e apesar do momento não ser muito favorável tocava “Miss You" do Blink- 182.

Aumentei o volume e lembrei de alguns chicletes no porta-luvas. Abri o compartimento e caiu uma corrente no chão. O colar do Kellin... Pensei analisando o objeto dourado nas mãos. Guardei de volta com certa repulsa e abri a embalagem do chiclete.

“Quebra de tempo/ ensaio"

Cheguei em casa e de cara vi os outros três comendo burritos na porta da garagem. Estacionei na frente da calçada

Finalmente o formiga chegou! Jaime comentou vindo me cumprimentar em um toque de mãos.

•••

Não durou nem duas horas e encerramos, ninguém conseguia focar cem por cento e todos estavam cansados. Eu estava cansado.

Mike e Tony conversaram animadamente sobre filmes, Jaime olhava o celular e eu observava... me sentindo morto.

Peguei meu caderno no canto da sala e olhei alguns versos incompletos.

If this is the end of the world
You and me should spend the rest of it in love

Can we create something beautiful and destroy it?
Nobody knows I dream about it
This is my imagination”

Perfeito...

Subi as escadas deixando todos para trás e me sentei na escrivaninha, observando atentamente as letras. Até o momento que aquele ser de olhos azuis invadiu minha mente. Deixei de lado o lápis que eu segurava e saquei o celular no bolso.

Mensagem visualizada e não respondida ainda...sério isso?Suspirei fundo. A tristeza rapidamente se transformou em raiva e sem pensar duas vezes desliguei a tela.

“Quebra de tempo// Dia seguinte"

Não há nada mais gratificante do que acordar de mau humor (não esperava menos que isso)  após ficar a noite inteira dormindo em uma posição desconfortável na escrivaninha do quarto!

Um banho rápido foi o suficiente para me fazer relaxar um pouco. Me enfiei debaixo do chuveiro com a água ainda gelada, sentindo o ódio quase transbordando para fora de mim, e magicamente, o sentimento se esvaiu com a mudança de temperatura pra água quente.

Respirei fundo. E já finalizando meu banho, enrolei uma toalha em volta da cintura e fui até meu quarto. Separei a roupa – blusa de moletom azul, par de Vans da mesma cor, uma bermuda jeans preta e por fim um boné preto com detalhes azuis- e a vesti rapidamente.

•••

Me distrai com lembranças sobre Kellin por grande parte da manhã e isso me incomodou muito mais, porque ainda assim ele não respondeu minhas mensagens ou sequer veio falar comigo.

O sinal tocou e me despertou dos pensamentos, é agora ou nunca. Percorri até o armário de Kellin onde o garoto já estava posicionado e fazendo a troca de materiais para a próxima aula. Quando me aproximei e fizemos a primeira troca de olhares, mesmo depois de tudo ter acontecido, senti meu coração errar uma batida.

Oi...Comecei, tentando esconder o desespero e inquietação de finalmente conversar com o maior. Toda a raiva que me assombrava ontem, era inexistente nesse momento.

Sua afeição parecia cansada, e ao me ver o desgaste físico (comparado ao garoto sorridente e meio agitado de sempre) se sobressaiu. Ainda assim ele estava arrumado, os cabelos soltos com algumas mechas sobre o rosto destacando levemente seus olhos claros, a roupa justa e arrumada sobre o corpo magro, fora o perfume atraente com um leve toque de canela.

OiSua voz saiu tão baixa que podia se comparar mais à um suspiro.

Ele fechou o armário andando na direção contrária de onde eu estava, me ignorando. Sem pensar segurei seu pulso fazendo-o voltar seu rosto para mim novamente

Por favor, vamos conversar completei, tendo em vista que o corredor estava quase vazio novamente.

Eu não sei mais se posso conversar com vocêKellin falou com um tom melancólico  na voz desviando o olhar um tanto frenético à sua volta como se procurasse por alguém.

Fui diminuindo a força em seu pulso até soltá-lo totalmente, ainda captando um significado para o que o outro havia dito.

C-como assim?

Me desculpa, Vic Kellin se afastou e quase não notei uma lágrima solitária descendo por seu rosto.

Senti como se estivesse plantado ali, minha garganta sufocava com a vontade reprimida de chorar. Por um segundo meu mundo estava desabando, e aquelas palavras poderia considerar um choque.

Tanto quanto uma onda de irritação por não saber porquê agir de tal maneira, veio a sensação de tristeza e vazio. Se o problema foi o beijo, é um motivo plausível para eu me culpar por um bom tempo!

Massageei as têmporas com movimentos circulares, focando em relaxar e me limitar a pensar nisso por enquanto. Segurei com força a alça da minha mochila e fui à caminho da sala de aula, quando algo me chamou atenção no corredor que cruzava meu caminho.

Me escondi atrás da parede e fiquei observando. Mullins e outros três garotos intimidando alguém que não consegui reconhecer  e em seguida distribuindo socos e chutes.

Não era algo de se surpreender, até porque, o ruivo sempre estava metido em confusões! Tanto em prática de bullying quanto uso de drogas.

Me adiantei até a sala em passos rápidos para aqueles não notarem minha presença. Por um segundo lembrei do dia anterior quando Matty me parou antes da saída perguntando meu nome.

Balancei a cabeça á procura de ignorar esses pensamentos e por fim entrei na aula.

A sala mais uma vez estava cheia tanto sonoramente quanto fisicamente, as fofocas de sempre, as pessoas de sempre, o sempre de sempre. E pela primeira vez fiquei incomodado o suficiente com isso para chegar ao ponto de colocar a música em meus fones de ouvido no volume máximo.

Apenas agora reparei que minha  vida está de ponta cabeça. Em apenas alguns dias com Kellin por perto esqueci de todo o resto. Esqueci que minha vida acadêmica está em jogo e ainda tenho chances de reprovar se não prestar mais atenção, esqueci que tenho que avisar meus pais sobre como eu e Mike estamos nos virando sozinhos, esqueci de arrumar a casa e limpar direito a cozinha que quase coloquei fogo...Esqueci que eu ainda sou eu.

Porque ele se aproximou tanto de mim pra no fim se afastar justo quando eu tomo uma atitude?  Eu podia jurar que ele estava sentindo o mesmo por mim...pelo menos um pouco e...

Victor Fuentes! a professora gritou talvez pela terceira vez, me encarando com um ar de fúria.

Tirei meu fone de ouvido e por fim prestei a devida atenção que ela tanto almejava.

•••

Passaram -se meia hora e já estava livre para o intervalo, onde encontrei Mike, Tony e Jaime sentados no refeitório.

Me sentei em silêncio na mesa observando os três conversarem.

Eu não sei, o Kellin está estranho. Ontem ele não quis ficar aqui com a gente e nem hoje... Jaime comentou com Tony, que apenas assentiu com a cabeça.

Não é ele lendo lá fora?Michael apontou discretamente e até mesmo eu virei para checar.

Kellin estava sentado debaixo de uma árvore escutando música e lendo o mesmo livro da primeira vez que o vi. Pelo jeito levou a sério o fato de querer me ignorar.

Acho que vou chamar ele pra vir aqui.

Quando Mike estava se levantando o segurei forte pelo pulso, até porque se Kellin contar o que realmente aconteceu...não só vou morrer de vergonha como não vou conseguir olhar na cara de mais ninguém!

E-eu acho que ele quer ficar um pouco sozinho! De qualquer jeito, ele sabe o que está fazendo.

Suspirei calmo quando Mike voltou a se sentar, ainda assim com um ar de dúvida

Vocês brigaram?o mesmo perguntou com a sobrancelha arqueada.

Neguei com a cabeça roubando em seguida o copo de suco de Tony, o tatuado brevemente fez uma expressão de reprovação e tomou de mim o objeto.

Enquanto os três voltaram a conversar, mandei mensagem para Nick o convidando para ir até em casa. Menos de um minuto recebi uma resposta do garoto em acordo.   

 Quando o sinal tocou senti uma involuntária esperança já que minha próxima aula seria junto com o Kells. Adentrei o local com um ar de confiança e me sentei, atento à chegada do garoto de olhos claros.

Até o momento em que minha autoconfiança e esperança foram jogados no lixo, em meio de um olhar indiferente do outro ao se sentar à cadeira ao meu lado. Me senti consumido e reciclado por dentro, quase fazendo meu sangue ferver de desgosto e tristeza.

O resto da aula foi assim.

Na saída, caminhei entre a multidão até meu armário para guardar alguns livros, quando uma rosa vermelha caiu no chão. Segurei a delicada flor com certo receio, uma etiqueta de papel estava presa no cabo: “Amanhã tenho algo para te contar” dizia a mensagem em letra cursiva. Por um segundo pensei que era engano, mas ao virar e ler o outro lado da etiqueta, estava o nome que eu menos esperava: Oliver.

É, talvez seja pra mim. Dei uma risada nasal e fechei o compartimento, carregando a rosa em uma das mãos. Entrei no carro junto de Mike que estava esperando encostado à porta do motorista. Apenas o cumprimentei e fomos embora em silêncio.

Como será que Oliver conseguiu a senha do meu armário e colocou aquela rosa lá?

“Quebra de tempo//em casa”

Subi para meu quarto e coloquei uma roupa mais confortável, enquanto isso Mike se ocupava na cozinha preparando a janta. Nick chegou em menos de quinze minutos em casa.

Oi! o cumprimentei com um aperto de mãos seguido de um breve abraço.

Mike veio até a sala e o cumprimentou também, voltando em direção à cozinha mais uma vez. Sentei no sofá pensando por onde começaria até que Nick se opôs.

As centenas de mensagens e ligações tem a ver com o assunto? Nick me encarou com um meio sorriso. Acenei positivamente com a cabeça.

É que...aconteceu uma coisa e o Kellin está agindo estranho dei uma pausa encarando meus dedos  Sei que você é uma das pessoas mais próximas dele, e estou um pouco...você sabe dei mais uma pausa olhando em volta da sala, sentindo o clima frio e por fim completei Estou preocupado, Nick.

Nicholas, ajeitou o colete jeans que usava e passou a mão pelo cabelo aparentemente macio, apoiando os cotovelos nos joelhos de forma com que ainda assim me encarasse.

Vic, vou ser sincero. As coisas não andam muito bem...e Kellin está tentando te proteger de algo maior Nick suspirou pesadamente e a expressão calma foi para preocupada. Ele namorava uma garota à um tempo enquanto estava em Oregon, Katelynne, ela era perdidamente apaixonada por ele. Além de ser extremamente linda também era criativa e bastante conhecida

Me recostei sobre o sofá ainda preso pelo o que Nick falava.

Só que como não existe ninguém perfeito, ela era ciumenta...de um modo psicótico. E de qualquer forma Kellin gostava um pouco da garota, e não queria dar queixa de qualquer ameaça que ela fazia

Repeti um tanto assustado “Ameaças?” e Nick concordou cautelosamente com a cabeça.

Depois de um tempo as brigas foram mais presentes e sempre que ele tentava terminar ela gritava por mais uma chance, e por dó, Kellin foi cedendo. Até um dia que conheceu um garoto, eles começaram a se aproximar bastante, e pronto, a confusão estava feita!Nick sorriu Katelynne descobriu o caso e surtou, não conseguiu aceitar o fato de seu namorado se descobrir gay, mesmo com o término evidente meses antes junto de todos os sinais de que o garoto não queria mais sua companhia, ela fez questão de ameaça-lo e ameaçar quem quer que ele namorasse...ou gostasse uma breve pausa se fez e ele continuouOutro motivo pra ele estar aqui é esse, fugir dessa garota.

—Okay, mas não entendi o porquê dele se afastar de mim, muito menos o quê isso tem a ver comigo...

Na verdade eu sabia, no fundo eu sabia. Só queria ter certeza.

Ontem Kellin foi até a minha casa.Um sorriso surgiu em seu rosto Ele me disse o quê aconteceu no vestiário Vic.

Senti minha pele queimar de vergonha, eu estava vermelho. Ah, com certeza estava vermelho de vergonha como um tomate!

Resumindo, o que tem a ver é que a Kate simplesmente descobriu sobre sua existência e sobre seus “segredos” com Kellin. Provavelmente ela fará mal à você, talvez não com as próprias mãos, e isso é a última coisa que ele quer...por isso se afastou.

Tentei falar alguma coisa ainda sobre o que rolou com Kellin, mas as palavras não saíram e apenas continuei o assunto com outra pergunta.

Tá, mas como ela descobriu? Tipo, se ele está aqui em San Diego e ela em Oregon...

Então, quando viemos para cá com a banda, todos nós fizemos anúncios do nosso show, o que você foi, lembra? E temos quase certeza de que ela viu algum post nas redes sociais e achou nossa localização, fora que o Justin insistia que tinha visto ela no meio da plateia no dia.Nick parou para checar se eu acompanhava seu raciocínio, e apenas acenei com a cabeça                                                                             

Isso significa que ela está aqui na cidade e você tem que tomar cuidado, Vic. Essa garota é louca, nunca se sabe o que ela pode fazer

Merda...fora isso, o pior é que Kellin também está me ignorando na escola comentei sem muita importância

Ele me falou que achava estar sendo perseguido por um ruivo Nick respondeu parecendo lutar pra se lembrar das coisas

Ruivo?respondi e lembrei brevemente do dia anterior “Você é o tal do Victor?” NICK! Tenho certeza que eu sei quem é esse cara! Ele me barrou na saída da escola ontem, disse pra mim ter cuidado...ele sabe meu nome.esbravejei desencostando rapidamente do sofá, mas por um segundo parei pra pensar Bem, talvez não tenha tanta certeza porque esse garoto sempre arruma briga com qualquer um, só que também é um dos únicos ruivos da escola...

E você sabe o nome dele? o outro falou parecendo mais interessado agora

Fechei os olhos, e inconscientemente, estralei os dedos rapidamente enquanto vasculhava minha mente em busca do nome.

Ahn...Matty Mullins! Disse alto enquanto Nick me encarava  Eu acho que vou mandar mensagem para o Kellin avisando

Uma lâmpada pareceu se acender na cabeça de Nick, o garoto me olhou confuso piscando desnecessariamente rápido.

Que estranho...ele disse que não conseguia receber mensagem de ninguém. Nick pegou o celular dele e abriu na conversa com Kellin, as mensagens não estavam sendo recebidas

Ele disse que o aplicativo começou a dar alguns erros no começo da semana passada, mas parou de receber desde terça à noite.

—Como? Sendo que eu mandei algumas coisas pra ele na terça à noite ele recebeu e leu...só não respondeu.conferi no meu celular provando para mim mesmo que foi realmente o que aconteceu.

Nick se aproximou e leu minhas mensagens, ele seguiu o olhar para mim e deu um sorriso malicioso.

Ah qual é! desliguei a tela do aparelho e cruzei os braços

Sinta-se privilegiado, porque nem as mensagens da nossa banda, que eu julgo ser o mais importante o celular dele recebeu.Nick riu fracamente Se você não for importante pro Kellin, ao menos é importante para o telefone

Gargalhei sem muita graça e o assunto se perdeu, por um segundo me senti relaxado, mas quando a ficha caiu...

Nicholas!! Me levantei rápido O Kellin foi Hackeado!

O outro me encarava um tanto assustado com um ar de “Nah, Impossível”

Isso não faz sentido, só porquê ele não recebe mensagem pelo Whatsapp não significa qu.. Logo o interrompi

Faz sentido! Kate descobriu de repente que beijei Kellin, sendo que ninguém no colégio viu muito menos o Mullins, ele não consegue receber as mensagens, e o mais incrível: A EX NAMORADA PSICÓTICA DELE QUER ME MATAR! Sorri sarcasticamente abrindo os braços como quem diz: “A merda tá rolando solta e eu tenho provas”

Nick me fitava como se eu estivesse louco, abaixei meus braços e sentei novamente no sofá.

Vic, hackear alguém não é tão fácil quanto parece. Fora que Katelynne não teria capacidade de fazer isso.

Exato! Se ela contratou alguém para nos perseguir, pode muito bem chamar alguém para invadir a merda de um número! Fora que apenas tinha eu e o Kellin no vestiário, claramente me entreguei quando Kate viu a mensagem parei para respirar E talvez as mensagens que Kells não está recebendo estão sendo “sugadas” por outro aparelho.

Isso significa que ela está lendo tudo o que a gente manda?

Simconcordei entusiasmado demais pra situação

Mas e as mensagens recebidas? Nick falou quase convencido

É provável que o Kellin tenha lido antes de ser hackeado.

O fato de eu ter pensado em tudo isso me animava, as aulas de informática com certeza não foram em vão...ou as séries de investigação.

Combinei com Nick para que ele fosse até a casa do Kellin para esclarecer as coisas, e  concordamos dele voltar no dia seguinte para conversar comigo e criar um plano.

O acompanhei até a porta, e antes de ir embora ele olhou em volta na rua e por fim disse:

Eu sei que você e Kellin estão apaixonados um pelo outro. Ele é um garoto muito bom pra deixar passar

Sem responder acenei com a cabeça concordando e Nick por fim foi embora.

É, primo. Talvez ele realmente seja muito bom pra deixar passar.


Notas Finais


Espero que tenham gostadoo ;)
Não esqueçam de comentar e dar a opinião de vcs, isso é bastante importante!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...