1. Spirit Fanfics >
  2. Flores de Outono >
  3. Exorcismo

História Flores de Outono - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - Exorcismo



Nesse momento, uma corrente de vento muito forte abre as janelas da casa e pareciam se concentram de Shizhui que instantaneamente adormeceu. Jin Ling e JingYi se olham.


-Empatia?


Jin Ling pergunta.

-Mas o Shizhui não sabe fazer isso...


-JingYi, eu não estou com meu sino. Como ele encontrará o caminho de volta?


-O que houve com ele?


A moça pergunta preocupada.


-Ainda não sabemos, com licença. 


JingYi segura Shizhui com cuidado e o encosta na parede para que não caia.


Em seguida ele se senta na frente do instrumento , mas virado para o companheiro.


-Sabe tocar?


-Pouco.


-O suficiente?


-Espero que sim...


A senhorita parece um pouco preocupada.


-Acho que ele começou uma empatia. A empatia permite algo como uma conexão entre dois pontos. O usuário e normalmente um espirito ou percepção espiritual.


Explica JingYi.


-Ele começou isso do nada?


-Mais ou menos. Só saberemos os detalhes quando ele voltar.


Enquanto isso...

Shizhui vê um garoto levemente semelhante a ele. Estava em uma colina, acompanhado de um rapaz de meia idade. 


-Lin, tem certeza disso? Eu posso ensina-lo, mas é um caminho perigoso.


-Meu núcleo dourado é fraco de mais, eu não consigo fazer nada com isso. Por favor, me ensine Mestre Hu.


-Eu estou ensinando um pequeno grupo. Sabe onde fica a velha mansão abandonada?


-Sim.


-Esteja lá,  no inicio da tarde.


-Certo.

A imagem muda para Lin chegando a uma casa. Ao entrar nela, ele encontram outras cinco pessoas, incluindo o rapaz de antes.


-Certo, vamos começar.


Shizhui assiste a aula, ele reconhece alguns aspectos que acabou vendo vez ou outra nas coisas de Wei. Aquilo era cultivo demoníaco, porém ele nunca havia visto algo tão bizarro no cultivo de Wei. Nada ali ensinado fazia sentido, eram apenas parte de rituais.  Sizhui sabia disso por ser um cultivador. Aqueles garotos estavam sendo enganados.



Fora da empatia, Shizhui havia ficado um pouco tenso. Sua reação foi minima, mas por estar com toda a atenção da sala voltada a si não passa desapercebida.


-Aconteceu algo que o deixou apreensivo.


Comenta JingYi. Ele conhecia bem as reações de Shizhui. 


-Acha que é algo perigoso?


-Não,  pelo menos por enquanto. Ele so parece estar preocupado.


De volta a empatia.


A imagem passa rapidamente indicando que um tempo se passou.


-Meste Hu, quando vamos conseguir utilizar de fato o cultivo demoníaco. Por enquanto o senhor apenas nós ensinou como fazer rituais 


-Não tenha presa , Lin. Tudo necessita de preparo. Mas os outros garotos estao a mais tempo ainda e possuem a mesma duvida.

 


-Tudo a seu tempo...


Lin fica um pouco chateado, caminha como se fosse sair da casa e entao se esconde ali dentro. Ele queria consultar o livro do mestre Hu para pelo menos saber o que estava fazendo.


O mestre em algum momento deixa aquela sala e Lin aproveita a oportunidade para espiar o livro. Ele encontra uma pagina marcada com a dobra.


       "Possessão demoníaca"


Ele le a pagina e se da conta de que é o ritual feito na ultima aula. Uma pagina solta cai, ele se abaixa para pegar . a pagina falava de um contrato que podia ser feito com um demónio através de um ritual que envolvia a possessao e morte de cinco jovens saudáveis. Na lateral da pagina havia uma pequena anotação


   "Eterno".

Shizhui nota uma movimentação que faz Lin se virar, mostrando a pequena marca em V, como uma queimadura no pescoço de Lin. Ao olhar para o livro, o garoto nota a semelhança entre as marcas dele e a cicatriz do ritual. 


Jin Ling se assustada com a agitação de Shizhui que naquele momento estava ofegante. Ele mechia levemente a cabeça de uma lado para o outro.

-Chega, ele esta agitado de mais.


JingYi começa a tocar algumas notas. Para Jin Ling, ele tocava normalmente.


Dentro da empatia Shizhui estava um pouco assustado. Ele começa a ouvir uma melodia que conhecia bem, era ensinada no recanto das nuvens. Porém ele tinha certeza que o tom estava um pouco diferente. 


-JingYi...


Ele entende que talvez seja hora de voltar, Lin encarava seu professor. Conforme Shizhui começa a seguir o som, escuta um grito vindo de Lin. Ele se vira e presencia o inicio da possessao.



-Não me leve a mal Lin, eu ainda preciso de mais um. Não posso deixar que os outros saibam ainda. Preciso que esse elo funcione para ter o que eu quero.


O possessao se completa. Shizhui havia parado de andar e tapava sua boca em choque.


-Voce concederá meu desejo e eu conseguirei todos os 5 jovens que deseja.


A feição macabra no rosto do garoto esboça um sorriso ainda pior.

Nesse momento ele escuta a voz de Lin.


-É perigoso. Vá embora...


Shizhui recua um passo. A visão deveria ter acabado assim que Lin perdeu a consciencia. Ao recuar pela primeira vez seus passos emitem um eco, ele entao nota aquela feição sinistra olhar diretamente para ele.

...

-Ele não está voltando. Tem algo errado.

-Toca direito.

-Tem algo muito errado.


A respiração de Shizhui acelera junto com seus batimentos. Seu corpo tem uma espécie de espasmo, como se levasse um soco. Um filete de sangue escorre por sua boca e quando JingYi tenta tocar a proxima nota, o instrumento o repele.


-O que?


Ele tenta de novo e não consegue tocar no Guqin.


-Me diz que era para isso acontecer...


-Não. Esse Guqin é um instrumento espiritual, possui vontade propria assim como nossas espadas. Ele esta me repelindo por algum motivo.


-Irmao Yuhan?


Shizhui estava totalmente imóvel.

 
-O que é isso?


Jin Ling se aproxima e inclina um pouco o pescoço de Shizhui.


-Quando foi que ele se queimou aqui?

JingYi faz careta e olha tambem.


-Ele nunca teve essa marca ai. Eu tenho certeza.


-Parece um Ve.


-Igual ao do Lin?


A senhorita pergunta chamando atenção dos dois garotos.


-Como assim?


-O Lin tambem possuia uma marca de queimadura assim quando...

  
Ela olha para a filha.


JingYi e Jin Ling trocam olhares preocupados.


O Guqin toca algumas notas sozinho, chamando a atenção deles.


-Yuna, ja para a cama.


A senhorita pega a menina e a leva para o quarto.


-Sabe interpretar?


-Lógico que não. Isso é avançado demais. 


JingYi tenta tocar de novo na Guqin, a aura que antes o repelia forma energia que vai ate a ponta de seu dedo. O Guqin toca sozinho de novo e ele parece entender.


-Não... O... Acordem... Realizem... O ... Exorcismo...


JingYi repete palavra por palavra antes de ser repelido de novo.


-Shizhui! 


-Faremos isso em quem?!


Pergunta Jin Ling mesmo ja sabendo a resposta.

-O que houve?


A senhorita havia voltado. 

-Ele... Ele... Precisamos começar... Ele é o lider... Eu...

JingYi estava totalmente perdido.

-JingYi!  Se concentra. Temos que fazer isso rapido ou vamos perde-lo.


Jin Ling ja havia começado a espalhar alguns talismãs.


- Sem ele não posso usar a tecnica de exocismo com as espadas. O movimento tem que ser espelhado, precisa dos dois. Se eu usar...


-JingYi,  eu te ajudo. Apenas vamos tentar tudo okay? Você sabe o que fazer então lidere. Você sempre fez isso. Se perder a calma, não teremos chance.
 


Em algum lugar, na consciência de Shizhui.


O garoto tinha seus braços e pernas suspensos entre duas pilastras da mansão, eles estavam envoltos em uma aura negra que havia os envolvido como amarras.


-A empatia deveria ser memórias. Como isso pode acontecer?


Ele diz sentindo seus braços e pernas puxados pelas amarras. 


O Mestre Hu estava congelado do mesmo jeito,  Dali Shizhui podia ver ate mesmo o fogo das velas parados de forma estática.  Apenas ele e Lin podiam se mexer.


-Acha que esta lidando com um simples espirito vicioso garoto?


A aparencia do garoto se desfigura em borrão e entao volta ao normal.


Shizhui se lembra do que viu no livro.


-Você é o demonio que possuiu eles. Por que ainda está aqui? Por que a empatia não terminou?

-Talvez isso seja algo de mais para você compreender. A empatia acabou sim, porem acabei sendo invocado novamente. A ideia do último ser um cultivador me agrada.


-Eu não fiz o ritual, não pode possuir meu corpo.


-Ainda...


O rapaz vai ate o livro.


Shizhui arrega-la os olhos.

-voce não vai...


-Eu vou sim.


Ele sorri balançando o livro.


-Espera! Não faça isso...


-Por que eu não faria?

-Por que não dara certo. Eu assisti o ritual pela empatia. Eles. Mesmo realizaram. Você está só tentando me assustar, apenas dará certo se eu fizer. Por isso Hu precisou enganar os garotos. Se você está ainda falando comigo, quer dizer que não pode simplesmente toma-lo a força. Esta preso aqui assim como eu.


-Você é um rapaz bem interessante. Será uma honra lhe matar.


-Boa sorte...


Shizhui para de tentar escapar.

-Acho que ainda não percebeu onde está. Devo lembrar a você que a empatia acabou. Se não estamos mais nas memorias de Lin, onde pensa que estamos?


Shizhui volta a ficar preocupado. O local começa a se desfazer.


-Não...


Ele fecha os olhos.

-Enquanto achava que as memorias de Lin estavam congeladas, não estava preocupado com o local. Quando percebe que são suas, sempre é mais dificil acreditar que não é real. É sempre impossivel não se lembrar de algum lugar importante, por falar nisso. Onde estamos?
Shizhui mantinha seus olhos fechados. Uma vez que associasse aquele lugar com algum lugar real, provavelmente acabaria em algum momento confundindo com a realidade .


JingYi e Jin Ling precisavam realizar logo o exorcismo, por mais perigoso que isso fosse. 

-Quem são esses dois? 


Shizhui aperta mais os olhos.


-Qual deles quer que eu mate primeiro? 

-Shizhui, estou com medo.


Ao ouvir a voz de JingYi, Shizhui abre intensivamente os olhos. Ele sempre acalmava JingYi quando ele tinha medo.


-Parece ser alguem importante.


De um lado estava Jin Ling totalmente emburrado, do outro JingYi assustado.


-Mas é um covarde mesmo.


-Um cenário interessante.  


Estavam nas colinas de Gusu, algo realmente familiar.


-O que você esta fazendo?


-Eu? Ainda nada. Você os trouxe aqui.


-Eles não são de verdade.


-E mesmo sabendo disso voce ainda olhou?


O demonio zomba.


-Você sempre me trata assim. É um idiota!

JingYi responde a provocação de Jin Ling.


-Vocês dois! Parem de brigar!


Shizhui diz irritado, as amarras se expandem ocupando uma maior parte de seu corpo.

-Estou adorando isso. Posso fazer isso para sempre, já você. Acha que aguentará quanto tempo antes de enlouquecer.


Os dois garotos ainda discutiam entre si. A troca de ofensa entre os dois estava deixando Shizhui muito irritado.

 


...
-Os quartos estão seguros, Yuna e a mãe ficarão bem. 

Shizhui estava com alguns selos de contenção presos na roupa. Ele estava um pouco gelado e seu cabelo começava a grudar na testa.


-Vou primeiro acalma-lo. Depois vamos tentar nós espelhar.


-certo.


JingYi concentra aura na ponta de seu dedo e depois a direciona para a testa de Shizhui.


-Que confusão!


Ele exclama.


-Temos que fazer algo com urgência.

Shizhui tinha vontade de gritar com os dois de raiva por estarem brigando daquela forma naquele momento. Mas naquele momento o garoto começa a sentir uma energia passando por ele, fazendo toda a raiva se dispersar. Ele sentia uma calma extrema que o fato dos garotos estarem ainda brigando, não o afetava mais.


Então naquele momento Jin Ling desembanhava sua espada e atacava JingYi. A espada do garoto havia atravessado o peito do outro rapaz. Shizhui se sentia um pouco dormente. Naquele momento ele estava em choque, e as lágrimas escorriam sem parar.

...


-Aconteceu alguma coisa...


JingYi diz com os olhos marejados.


Jin Ling percebe lagrimas escorrendo pelos olhos de Shizhui.


-O que aconteceu?


-Eu não sei, tudo esta ainda mais confuso. Tinha muitos sentimentos, tudo se acalmou e do nada foi como se um abismo engolisse tudo e nada mais importasse.


-JingYi, deixa como esta. Vamos fazer o exorcismo agora.


-Mas pode ser perigoso para ele.


-JingYi, nós vamos conseguir. Precisa ser feito logo.


...


As amarras somem aos poucos e Shizhui cai no chão.

-Como...?


Shizhui se levanta e caminha ate JingYi. Ele chega a tempo de segurar JingYi antes que ele caia.


-JingYi! 


Jin Ling parecia confuso. Como se se perguntasse o que tinha acabado de fazer. Ele larga a espada no chão. 


-Shizhui... Eu... Me...


Shizhui não responde, apenas abre o robe de JingYi para poder cuidar do ferimento.


-Jin Ling,  me ajuda aqui...

Ele tapa o corte com a mão, tentando conter o sangramento.


-Ta!

Ele tira uma pare da propria roupa para tentar conter o sangramento. 


JingYi não reage, estava sem pulso.


-JingYi!


Shizhui estava totalmente desolado. Ele abraça forte JingYi.


-O que eu fiz...

Jin Ling cai de joelhos no chão.


-Por que não esta funcionando? 


O demonio estava confuso. As amarras sumiram do nada e ele não conseguia mais influenciar os garotos.


-Cuida dele por favor.


Shizhui poem JingYi no colo de Jin Ling e se levanta.


Ele pega a espada de Jin Ling e procura pelo demónio.  Ele apenas consegue ouvi-lo e nao encontra-lo.


-Nós dois sairemos perdendo daqui. Não devia ter envolvido eles...


Shizhui ergue a espada e a aponta para seu proprio peito.


-Não!


Jin Ling deixa JingYi no chão e se levanta.


-Saiam os dois daqui!


Jin Ling tenta o alcançar mas some no meio do caminho, o mesmo acontece com JingYi. Shizhui puxa um pouco a lamina e se desfere o golpe na altura do coração e é impedido pelo demonio. 


-Não quer correr o risco de perder essa chance não é?  Mas isso acaba agora.

Primeiro uma aura prata surge em volta de Shizhui. Ele ergue o rosto para olhar para o demónio. Seu olhar era de fúria e determinação. Sua aura começa a mudar de cor para o vermelho e se expande. A aura adquiri uma textura semelhante a uma chama.


-O que...

-Escolheu irritar a pessoa errada. Acha que eu demoraria para perceber que tudo aqui pode ser alterado conforme o que eu quero?!

A chama crepta como fogo e avança ate o demónio. 


...

-Pronto? 


-Pronto...


JingYi e Jin Ling espelham seus movimentos. Eles correm para lados opostos em um semicírculo que é completado por ambos e entao cravam a espada no chão. O circulo de exorcismo surge e envolve Shizhui, emitindo uma luz prateada com tons de dourado.


Uma energia negativa e sentida mas some rapidamente. Quando a aura se dispersa Shizhui ainda está desacordado.


-Shizhui!

Jin Ling olha novamente o pescoço do garoto, a marca havia sumido.

-A Guqin...

JingYi se senta imediatamente para tocar. O instrumento não o repele dessa vez. Ele toca apenas poucas notas.


-Shizhui? 


JingYi para ao ouvir Jin Ling o chamar. Ao olhar para Shizhui ele estranha. O garoto ja havia aberto os olhos, e encarava um canto vazio com a expressão totalmente fechada. JingYi nunca havia visto Shizhui daquele jeito.


Jin Ling estrala os dedos para chamar a atençao do garoto, mas é ignorado. Os dois se olham preocupados.
A expressão de Shizhui começa a relaxar aos poucos. Ele pisca algumas vezes. Os dois se aproximam dele e não puxados para um abraço.


-JingYi... Jin Ling...


-Como se sente?


JingYi pergunta preocupado.


-Shizhui, você está quente. 


Jin Ling diz colocando a mão na testa do garoto.


-Senhorita!


Chama JingYi.


-Fico feliz que estejam seguros...


Ele diz cada vez mais baixo ate sua voz sumir.


-Shizhui?


Jin Ling fica preocupado e JingYi boceja.


-Agora ta tudo bem. São nove horas...
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...