1. Spirit Fanfics >
  2. Flores de platina. - ABO >
  3. Flor de macieira

História Flores de platina. - ABO - Capítulo 21


Escrita por:


Capítulo 21 - Flor de macieira


Fanfic / Fanfiction Flores de platina. - ABO - Capítulo 21 - Flor de macieira

Mashiro esperava ao lado de um carro quando viu o utilitário passar pelos portões. Eles estacionou na entrada do castelo e lá estavam eles.

Mika saiu junto de Fuyuki e Neji, Ikkaku e Miyazaki, Rinko e Aoi, Ayami, Kaito e Yuuki.

Fuyuki o cumprimentou com um aperto de mão. - sinto muito pela sua perda.

- obrigado.

- sinto muito pela sua perda senhor Ishikawa.- Neji falou.

- obrigado Neji...

Mika o olhou e sorriu, não era algo triste para ele, nenhum pouco.

- veio correndo?- Mashiro sorriu

- eu vim por cortesia, não porque eu quis.

- é sua mãe, ela te amava.

- eu não me importo...- Mika o olhou.- não é como se ela se importasse também. Só que agora você não tem mais ninguém para mandar você fazer alguma coisa, como se sente tendo liberdade?

- eu a amava. 

- claro que amava. Ela também dizia que me amava e olha tudo que ela me fez? Você acha que é fácil pra mim fingir que porra nenhuma aconteceu?

- eu sinto...

- você é patético seu pau mandado.- Mika falou em tom jocoso, se afastou entrando, ouviu ao fundo o choro desesperado de Midori.

- Mika! Mika!- Midori gritou desesperado puxando seu irmãozinho.

- tá tudo bem.- Mika o abraçou.- vai ficar tudo bem...

Fuyuki olhando para os dois Ishikawas percebeu que a situação era seria.

- por que vocês não vão para a sala.- falou com os filhos e enteados. - não precisam ficar juntos.

Os adolescentes deram de ombros e saíram indo explorar o lugar, Ikkaku e Miyazaki foram atrás do ômega.

- tudo que eles fizeram, por que? Por que não me contou?

- eu não...

- eu sei de tudo.- Midori segurou o seu rosto. - eu sei de tudo agora...

Fuyuki o olhou.- quando é que você vai me contar sobre você?

- eu já contei.- Mika falou.

- você omitiu muita coisa e você sabe muito bem disso. Olha como o Midori está.

Mika o olhou. - não é necessário...

....

- é aqui.- Miyazaki falou olhando para a porta.

Ikkaku tentou abrir e estava trancada, o ômega chutou a porta arrombado ela.

- Caralho Ikkaku!

- não tem ninguém.- Ikkaku falou irritado. - onde ele tá?

- será que..

- eu sabia que iam vir pra cá...- ayaki falou. - ele fugiu?

- aparentemente sim.- Miyazaki falou.

- ele pode estar em outro lugar. Esse castelo é enorme.

- vamos procurar pelos quartos, e nada de falar c meu pai.- Ikkaku falou. - eu não quero preocupar ele nesse momento tão... único.

- vamos nos separar. - Miyazaki falou mostrando o celular.- qualquer coisa ligue.

- ok...

Miyazaki saiu subindo pela escada que dava acesso ao jardim, o alfa okhou ao redor e se assustou.

- o que faz no porão?- Mashiro perguntou.

- eu...

- estava procurando pelo ômega?

- eu? Não...

- ele fugiu.

Miyazaki o olhou tentando disfarçar um sorriso.- sério?

- sério. Porém tem um problema...- Mashiro sorriu se aproximando.

Ikkaku olhou para o irmão correndo pelo jardim indo para a floresta. O ômega foi logo atrás. Os dois Ishikawas corriam aparentemente sem rumo.

- Miya?

- eu o achei.- Miyazaki falou farejando.- ali.

Era uma pequena cabana, Miyazaki entrou vendo o ômega deitado, adormecido. Miyazaki se aproximou devagar e o tocou.

Ele abriu os olhos, verde esmeralda, eleaoeeou e o beijou

- merci! Merci!- ele abraçou Miyazaki com força.

Ikkaku suspirou aliviado.

****

Mika olhou para o túmulo apagando seu cigarro. Tinham acompanhado o enterro, Neji tinha ficado em casa com Midori, Yuuki e Aoi. Enquanto os outros estavam ali.

- maldita. Mesmo depois de tudo você teve um final digno, isso é tão injusto.

- vamos Mika?- Fuyuki perguntou olhando para o namorado ainda perto do túmulo. 

- Mika? É mesmo vice?

Mika levantou e o olhou.

- minha nossa como você cresceu.

Mika sorriu olhando para ele. - Oliver?

- então ainda me reconhece...- ele se aproximou e o abraçou.- ainda tem o mesmo cheiro.

- Oliver idiota.

- Mika..- o alfa sorriu.

- quem é o sugar Daddy?- Miyazaki perguntou olhando para o pai. 

- tá mais para sugar grampa.- Kaito falou 

- não. Com certeza é Daddy...- Ikkaku respondeu.

- eu não sei.- Rinko deu de ombros.

Fuyuki olhava a forma como aquele homem tocava Mika se forma íntima.

- olha a cara do Fuyuki.- Ikkaku falou.

- vai dar briga.- Miyazaki riu.

Fuyuki tosauy atraindo a atenção dos dois alfas se abraçando. Mika percebendo se afastou um pouco.

- Fuyuki esse é o homem que me ajudou na infância.- Mika sorriu. - Oliver, esse é o Fuyuki.

- o mesmo Fuyuki de anos atrás? 

- sim...

- então? Vocês se casaram?

- sim/Não.- Fuyuki e Mika falaram juntos.

- sim, nos casamos. - Fuyuki falou.

- isso é ótimo.

- que bom, pode ir embora que quem ajuda ele agora sou eu...

- você cresceu bastante, já não parece mais aquele menino indefeso.- Oliver segurou o seu rosto com ambas as mãos. - porém, continua lindo

- vai dar merda...- Miyazaki falou.

Mika sorriu.

- eu tô com fome!- Ikkaku falou.

- podemos jantar hoje?- Oliver perguntou. - eu ainda moro no mesmo lugar...

- claro. Eu passo por volta das 20h...

- perfeito.

Os adolescentes conversavam sobre algo e pareciam animados.

- como se conheceram?

- ele era um dos meus clientes. Oliver me ensinou a hackear e entre outras coisas. Foi graças a ele que eu não me tornei um Hikikomori

- clientes?

- é... quando Midori fugiu minha mãe me fez passar por ele, Oliver era um cliente, acho que não precisa ser nenhum gênio para saber que tipo de serviço em tinha que fazer....

- então você vai dormir com ele?

Mika o olhou e riu nasalado. - e é por isso que eu não te conto nada.

- isso é um sim?

- se eu for dormir com ele, isso não é da sua conta.

- Mika, eu sou o seu...

- marido? namorado?- Mika o olhou.- não somos nada, não sei você, mas eu me lembro de tudo. Essa marca que eu tenho no pescoço, não foi feita por amor. Foi culpa... Não vamos mais fingir que sentimos algo, vamoa ser sinceros. Isso nunca vai dar certo, eu vou ficar em Paris, você vai voltar para Tóquio. Acabou.

- eu vim atrás de você!

- você tá 17 anos atrasado.- uma falou indo atrás dos seus filhos.

...

Após dois dias do enterro, Mika convidou a todos para ficarem em sua casa em Versalhes,as antes de irem Midori queria conversar com seu irmãozinho. Algo de extrema importância.

Midori o olhou entregando alguém documentos.

- o que é isso?- Mika perguntou sem entender.

- você me disse que éramos meio irmãos, eu fiz Mashiro me entregar os documentos. Sua certidão de nascimento original.

Mika pegou. Olhamos para o nome dela, Mayumi Sato, a idade estava riscada, Mika nasceu em uma terça-feira...

- eu fiz alguns telefonemas, eu sei onde ela mora, eu posso te levar até lá. O que você acha?

- por que?- Mika o olhou.- por que voxe faria isso?

- Porque eu te devo isso...

- você não...

Midori o interrompeu. - devo, eu não posso voltar atrás, não posso mudar o que eu fiz, mas posso viver um dia de cada vez, eu quero o meu irmãozinho se volta.

- tudo bem, vamos até lá.



Midori estacionou em frente a um condomínio, havia uma pracinha perto onde uma mulher brincava com algumas crianças.

- é aquela ali. 

Os dois Ishikawas a olharam, olhos vermelhos e cabelo preto, era uma mulher bonita e lembrava muito Mika.

- Mayumi Sato.- Midori falou. - ela teve que ir embora depois que te teve, era jovem demais para criar o filho e Mashiro aceitou, ele quis você porque ele a "amava"...

- como ele consegue dormir a noite?

- remédio. Bebida...

- ele te contou tudo?- Mika perguntou.

- ele teve que me contar.- Midori falou tom sério.- não podia mais esconder nada de mim.

- foi você, não foi?

Midori entendeu a pergunta. - eu tive que fazer aquilo Mika, ela não podia ficar impune e você jamais a denunciou...

- Midori era a sua mãe. Ela nunca te fez mal.

- mas fez a você e a sua mãe...- Midori o olhou.- se você tivesse continuado com ela sua vida seria tão diferente... voxe teria 4 irmãos mais novos, e dois sobrinhos. Você seria o irmão mais velho super legal e talvez fosse médico ou cientista, você é tão inteligente.

Mika ficou em silêncio, olhava para Mayumi, a ômega de cabelos pretos e olhos vermelhos olhava pra seu netinho brincando no carrossel. Era linda, uma beleza clássica e exuberante. Mika sorriu com tristeza, se tivesse ficado com ela, nada do que ela conquistou seria possível.

Era tão jovem quando ele nasceu, e não conseguia imaginar o que Mashiro fez com ela, Mika seria uma mancha na vida dela, uma desgraça, talvez sua vida tivesse sido pior. Mayumi estava melhor s ele em sua vida.

- oi. Você não me conhece mas eu conheço você, sei pelo que você passou, sei o que você sentiu. Eu me sentia assim algumas vezes... muitas aliás, espero que esse vazio dentro de você tenha se curado, espero que tenha tido uma boa vida pois você merece. Você era tão jovem e ele tão cruel, sinto muito pelo que passou, talvez tudo tivesse sido diferente. Talvez não... espero que seus filhos sejam bons com você, que cuidem de você e não se preocupe, Mashiro é um lixo e ele vai ter o que merece.

A ômega olhou para ele sem realmente acreditar, ela ficou assustada. Mika virou de costas e Midori riu.

- vamos falar com ela...- Midori o puxou.- vamos.

- não...- Mika puxou seu braço

- hey, toi là.

Mika virou olhando para ela, mulher pedra o ar colocando a mão no peito.

- Mika. Mikaku? c'est vraiment toi?

Ela o reconheceu? - o-oui. Tu me connais?

- ne peut pas être! ils ont dit que tu étais mort.- a mulher começou a chorar.- você, eu... Eu sempre sonhei com esse momento.

Midori e Mika se entreolharam. Mayumi o olhou, parecia temerosa. 

- Mashiro tinha dito que você nasceu morto, mas no fundo do meu coração eu sabia... Eu aabia que meu filho estava vivo. Que estava bem...

- eles disseram que eu estava morto?- Mika perguntou assustado.

- é realmente você?- Mayumi o olhou.- oh Deus, eu rezei tanto por esse momento. Eu...

Mika a olhou, podia sentir um cheiro doce, parecia flor e fruta, algo gostoso. Mayumi o abraçou, era diferente, era quente, aconchegante,  como se um peso enorme tivesse sai do de suas costas.

- meu filho. Meu filho querido. Eu sinto muito por ter te deixado, me perdoe.

********


Ikkaku não era do tipo de ômega que demonstrava como se sentia, não, ele não era do tipo que gostava de chorar quando era machucado, ou do tipo que se joga quando está mal, Ikkaku sabia esconder muito bem como se sentia, mas o que Ayami fez com ele foi no mínimo cruel. O ômega tinha seus surtos de choro, suas crises de tristezas, de fica em claro no meio da madrugada se perguntando o porquê, ele regazia seus passo mentalmente e não sabia onde ele tinha errado, de ter sua depressão, mas Ikkaku sabia que era seu lado ômega falando mais alto por perder o alfa que amava. Pois amava muito Ayami.

Mas tudo ia ficar tudo bem, ele só precisava esquecer Ayami. Precisava conversar com seu pai, ele não queria mais morar sob o mesmo teto que o ex-namorado, estava pensando até em mudar de escola. Queria ficar o mais longe dele, pois se continuasse perto ele não iria suportar e provavelmente faria igual aqueles ômegas...

- Ikkaku.

Mas o problema era que Ayami não pensava da mesma forma e sempre procurava por ele, não deixava Ikkaku respirar, não o deixava em paz...

- me deixa sozinho.- Ikkaku pediu sem olhar para ele.

- eu quero conversar! Me ouça por favor.

- não tenho nada pra falar com você. 

- Ikkaku me...

- você partiu meu coração e parece que nem se importa...- Ikkaku falou sentindo o queixo tremer, ele precisava dizer tudo que estava entalado ou surtaria. - eu era algum tipo de jogo pra você? Pra fazer o Hideki sentir ciúmes? Era isso?!

- eu...

- você me fez parar com tudo, eu parei de sair com os alfas por você e eu te amei tanto... por que?! Por que ele e não eu?- Ikkaku parou ao sentir a primeira lágrima escorrer.- por que Eu não fui o bastante para fazer você esquecer seu destinado?!

Ayami se assustou com isso e se aproximou, Ikkaku o acertou com um tapa, o alfa ficou parado, então ele o acertou novamente, os tapas cada vez mais forte, até que Ikkaku se convenceu de que isso não era o suficiente, ele deu um murro quebrando o nariz de Ayami, o Uchiha caiu no chão. O ômega subiu em cima dele começando a socar Ayami, queria machucar ele. Queria fazer essa dor desaparecer, esse vazio. Queria machucarAyami drama forma que estava machucado, ou até mesmo pior.

Sua não foi segurada com delicadeza, Ikkaku virou vendo Miyazaki.

- Miya...

- já chega. - Miyazaki segurou o rosto do irmão mais novo.- já chega Icchan.

Ikkaku começou a chorar desesperado puxando seu cabelo, ele não conseguia respirar, era uma de sufocante que Ikkaku achou que fosse morrer, Miyazaki abraçou com força olhando para Ayami no chão. O alfa Uchiha tossia de dor, Miyazaki definitivamente não iria provocar nunca o irmão caçula.

- vai ficar tudo bem. Vai ficar tudo bem...

- eu quero ir pra casa...- Ikkaku falou agarrando Miyazaki com força.- nii-chan me leva pra casa. Me leve lara longe, me leve daqui...

Kaito entrou no quarto vendo Ayami tentado se levantar.

- o que aconteceu?

- precisamos levar eles para um hospital.- Miyazaki falou com seriedade.

- eu te amo...- Ayami falou. - eu te amo Ikkaku...

Ikkaku conseguiu se soltar e saiu correndo em direção ao adolescente e o chutou.

- CALA A BOCA! CALA A PORRA DA BOCA! EU TE ODEIO.

Fuyuki entrou puxando Ikkaku. - o..

Ikkaku acertou seu pescoço fazendo fiyulo perder o ar, o ômega Ishikawa avwetou um soco nele, também estava com raiva desse idiota.

Miyazaki puxou o irmão, ele estava deacontrolado. 

- Ikkaku para!

- não! Eu odeio os dois!- Ikkaku gritou. - eu odeio você por magoar o meu pai, de novo. E eu te odeio tanto Ayami por quebrar a porra do meu coração! Por que? Por que vocês são assim?!

- Ikkaku...

O garoto perdeu o ar começando a tossir.

- precisamos levar ele ao hospital.

*******


Mika chegou um pouco depois deles serem atendidos, Fuyuki estava com um olho roxo, o Ishikawa passou por ele sem dizer uma palavra. Mika tinha conversado com o médico responsável por Ikkaku, além da fratura no pulso existia um problema ainda maior.

Mika entrou no quarto, olhou para Ikkaku, o ômega usava um gesso na mão direita e sorriu.

- papai.

- soube que você deu uma surra no ayaki e no Fuyuki.

- eles mereceram...- Ikkaku falou irritado.

Mika se sentou ao seu lado olhando para Ikkaku com pesar.

- o que foi papai? O que aconteceu?

- eles a acham você tem um pequeno problema no coração. Cardiomiopatia hipertrófica, ainda vão fazer alguns exames para ter certeza.- Mika acariciou o seu rosto.

- eu devo carregar a mesma maldição que você, nunca somos felizes no amor.- Ikkaku falou rouco e sorriu.- eu tô com medo pai...

- vai dar tudo certo...- Mika falou com a voz chorosa. - eu já te contei como o Fuyuki quebrou meu coração da primeira vez?

- não.

- bom, ele disse que ia voltar para o casamento do seu tio Itachi, disse que ainda o amava e não queria me iludir. Isso depois de 5 anos juntos. Eu implorei para ele ficar, passamos a noite juntos e quando eu acordei ele tinha escrito um bilhete pedindo desculpas... Eu fui um idiota indo atrás dele, mas eu o amava.

- você ainda o ama?

Mika não sabia a resposta, sempre que achava que tudo ia ficar bem, Fuyuki parecia dar um jeito de fazê-lo se afastar.

Ikkaku o olhou engolindo em seco. - eu o amo pai.

- eu sei...- Mika o olhou o menino queria tanto puxá-lo para um abraço.- e é por isso que você deve se afastar, nada de bom vai vir disso.

- pai...

- eu conversei com Midori, eu não vou voltar para o Japão. Vamos ficar aqui...

Ayami entrou no quarto vendo Mika dormindo em uma poltrona, Ikkaku estava cheio de eletrodos pois estavam monitorando seu coração.

- eu sinto tanto...- Ayami falou se sentindo tão mal. - eu sinto muito.

- um ômega pode morrer por conta de um coração partido, eles são seres que se apegam demais aos alfas que amam, e ver você marcar Hideki fez com que o coração dele trabalhasse menos.

Ayami olhoi para Mika.- eu sinto muito p...

- eu não quero você perto dele.    Se o meu filho morrer por sua causa, eu não vou te perdoar jamais.

- eu...

- você tem ideia do quão assustador é isso?- Mika perguntou olhando para o adolescente.- Ayami, vá embora. Diga aos seus pais para irem embora.

- Mika..

- nos vamoa ficar. Não tem o porquê vocês continuarem aqui, não tem lógica, não tem sentido.

- você quer que eu vá embora?- Fuyuki perguntou.

Mika o olhou. - quero. Você já foi embora antes... Você é excelente em me abandonar, mais uma vez não faz diferença.

Os dois Uchihas o olharam, Mika não demonstrava nenhum pouco de incerteza ou compaixão. Ele estava extremamente sério, e nada o faria mudar de ideia.

- vamos Ayami.

- mas...

- sem mas, não somos bem vindos aqui. - Fuyuki falou virando de costas.

Mika permaneceu sentado, olhando para a cama mordeu o lábio inferior com força sentido gosto de sangue. A porta se abriu e Fuyuki o puxou colando seus lábios aos deles.

- eu não quero ir sem você. Pode me bater também, pode me humilhar eu mereço, mas não saio desse país sem você Mikaku Ishikawa.

Mika o olhou assustado, Fuyuki o beijou novamente com desejo. Mika engoliu em seco começando a chorar desesperado puxando Fuyuki para perto, não queria soltar ele.

- ainda bem que estão aqui.- Neji falou.

Ambos o olharam, o ômega sorriu indo até Mika e se ajoelhou assim como Fuyuki.

- Mikaku Ishikawa, nós conhecemos da forma inusitada possível, nós amamos por causa do acaso, o futuro parece tão incerto. Mas se tem algo que eu sei é do passado que construímos e dos dias que queremos viver com você. Quer se casar conosco?

Neji abriu a caixinha mostrando uma aliança era uma aliança de noivado magnífica, a pedra parecia lilás, mas ao mesmo tempo com um tom perolada.

Mika olhou para os dois. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...