1. Spirit Fanfics >
  2. Flores para Sasuke - Sasunaru >
  3. Dois garotos - final

História Flores para Sasuke - Sasunaru - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá amores! Segue o ultimo capítulo! <33

LEIAM AS NOTAS FINAIS

Capítulo 2 - Dois garotos - final


Fanfic / Fanfiction Flores para Sasuke - Sasunaru - Capítulo 2 - Dois garotos - final

PONTO DE VISTA DO SASUKE

Já era 18:34 da tarde, estávamos todos indo pra casa de Kiba, já que ele disse que os pais não estavam em casa.

Depois de chegar lá, Kabuto deu a idéia de fazer uma brincadeira, 7 minutos no paraíso.

— quem vai? — ele perguntou.

— eu não sei... — Naruto disse um pouco receioso, talvez com medo de que eu fosse com outra pessoa.

— qual é Naruto, é só uma brincadeira — Shikamaru tentou impulsiona-lo.

— sei lá... Eu não quero beijar outro homem. Isso é estranho — ele disse.

— Naruto, quando você vai perceber que todo mundo aqui gosta de pau? — Neji falou sem cerimônia.

— sério isso? — o loiro suspirou e olhou pra mim, que estava do seu lado — o que você me diz, Sasu?

— se é isso que todos querem, p-por mim tudo bem...

— 'ta, ta — ele cedeu.

— se todos estão de acordo, vamos prosseguir — Kabuto era tão asqueroso quanto uma cobra... Não sei por que ainda era amigo do Uzumaki. O mesmo colocou uma garrafa no centro do círculos que fazíamos e continuou — lembrando que se a pessoa que a garrafa escolher não quiser ir com a outra, ela vai com o anfitrião, ou seja, eu.

— desde quando você é o anfitrião? — perguntou Lee soando indignado.

— eu dei a ideia do jogo, então eu sou.

— que seja — Shikamaru se apressou e girou a garrafa.

Enquanto ela girava, pedia ao céus para que eu não fosse o escolhido.

E enfim, a mesma parou. Kiba e Shino foram os escolhidos.

— então, os dois vão querer ir se pegar na despensa ou querem que um de vocês vá comigo? — o platinado emanava veneno. Seu olhar era persoagivo como o de uma cobra.

— anda, — Kiba se levantou — vamos Shino. — os dois seguiram pra despensa, os olhos de cada um de nós os acompanhava.

— eu shippo hein! — Gaara gritou.

— cala a boca! — Kiba retrucou já fechado a porta.

|×|×|×|

O jogo correu "bem" até agora. Exceto pelo fato de quase todas as horas que alguém ia para o armário — vulgo dispensa — ouviamos alguns gemidos.

Nem eu, nem Naruto, Gaara e Kabuto haviam ido ainda. Eu agradecia aos céus por isso.

Até que... A garrafa girou novamente. Eu e Gaara, aquela maldita garrafa havia nos escolhido.

Engoli em seco. Naruto não parecia nem um pouco feliz, ele transbordava ódio. Gaara estava sem reação. E eu estava prestes a desmaiar.

— eu... Não posso fazer isso. — foi o que o ruivo disse.

— já que Gaara não está de acordo, o Sasuke e eu...

— não, o Sasuke não pode. — o Uzumaki disse com os olhos em chama.

— por quê? — Kabuto retrucou — que eu saiba, o Uchiha é solteiro, nada o impede.

Eu encarei Naruto, o mesmo estava inexpressivo.

— desculpe. — eu levantei e fui até o armário, junto com Kabuto.

Segurava as lágrimas pra não desabar ali mesmo. O nome do jogo pode até ser "7 minutos no paraíso", mas para mim, eram "7 minutos no inferno".

— 'ta assustado? — o platinado disse se aproximado de mim e erguendo meu rosto com uma das mãos — eu não mordo, gatinho. Quer dizer, em partes não. — ele sorri diabólico.

Minha boca tinha um gosto amargo. Eu tentei me afastar, mas o maior segurava meu braço com força.

Ele tentava me beijar, mas eu me esquivava.

Por que eu aceitei isso? Por que eu estava ali?

— m-me solta, você é asqueroso! — de alguma forma, consegui escapar de seus toques.

— Sasuke, não seja um menino mau. Você é meu por um tempo agora... — ele se aproximou seus lábios aos meus, mas imediatamente o empurrei.

Saí daquele lugar, eu estava quebrando as regras do jogo, mas não quero continuar fazendo algo que não estou confortável apenas para agradar.

Ao chegar na sala, não encontrei o Naruto, Lee havia me dito que ele tinha ido embora.

Saí correndo, imaginando que o mesmo teria seguindo pra casa, então fui por esse caminho.

O encontrei no meio do trajeto, vi que ele emanava raiva e — ofegante — me aproximei dele.

— N-Naruto?

— o que é Sasuke? — ele disse — Não estava se divertindo com o Kabuto? — ele se virou pra mim, andando de costas. Vi que escorriam algumas lágrimas de seus olhos, o que cortou o meu coração. — vai lá ficar com ele! — ele se virou de costas de novo.

— não, Naruto! Eu não gosto dele e você sabe muito bem disso! — segurei o pulso dele, o virando pra mim.

— por quê Sasuke? — ele disse num tom baixo.

Começou a chover, as gotas cada vez mais aumentava a força.

— por quê o quê? — disse sem largar o pulso do maior, que desviava o olhar do meu. Estávamos encharcados.

O cabelo do Uzumaki pingava contas cristalinas, suas roupas estavam coladas no corpo. Ele estava divinamente belo.

— por que eu não consigo te esquecer? Por que eu não gosto quando você está com outra pessoa? Por que eu quero ficar o tempo todo com você? — permaneci calado — me responde Sasuke! — e eu o respondi, tomando os seus lábios.

Os lábios de Naruto eram viciantes, e me deixavam alucinado. Eu sou louco por aquele Uzumaki maldito! Cada vez o desejava mais. Eu queria senti-lo de todas as formas.

— eu te amo, Naruto Uzumaki — disse depois de nos separarmos. — amo com todas as minhas forças, mesmo você sendo um idiota completo. — sorri mínimo entre sues lábios.

O loiro respondeu apenas com um meio sorriso.

"tão loucamente

Que tento me apagar e me tornar seu boneco

Te amo tanto, te amo tanto

Que construo uma mentira bonita para você

Te amo tão loucamente, te amo tão loucamente"

— vamos pra casa. — ele disse e eu acenti.

Ele segurou em minha mão e começamos a andar, no meio da chuva.

Eu estava com frio, mas Naruto emanava um calor que esquentava o meu corpo apenas segurando a minha mão.

Chegamos na casa do mesmo e estava vazia, provavelmente Kushina e Minato ainda estavam trabalhando.

— pode ir tomar banho se quiser.. — ele disse.

— okay...

Ele abriu o guarda-roupas e pegou uma roupa, logo me entregando.

Vou até o banheiro de seu quarto e tomo uma ducha um pouco demorada. A água estava tão quentinha...

Saí do banheiro já vestindo a roupa que Naruto tinha me dado e encontrei o mesmo sentado na cama.

— seca o meu cabelo? — ele perguntou, e eu me aproximei do mesmo, pegando a toalha de suas mãos.

— você já não está grandinho de mais pra seca-lo sozinho? — digo já passando a toalha em seu cabelo.

— eu gosto quando você seca. — confessou um pouco corado.

Não pude deixar de sorrir com o que ele disse.

— pronto. — digo tirando a toalha do seu cabelo e colocando no gancho do benheiro.

Volto pra onde o loiro estava e me sento ao seu lado.

— Sasuke.. — ele suspirou.

— q-que? — o olhei, o garoto ao meu lado estava encarando o chão.

— d-desculpe.

— pelo quê?

— por... Eu ter sido rude com você, de novo.

— tudo bem, Naruto. Eu não tiro a sua razão dessa vez....

— eu... Acho que... Te amo, Sasuke — ele disse com as bochechas vermelhas.

— olha, eu acho que os tomates estão com inveja de você agora, viu? — ri.

— idota! — ele disse rindo.

— eu não sou idiota! — faço bico.

— é sim! — ele aproxima seu rosto do meu — só não é mais do que eu. — ele me da um selinho rápido, voltando a encarar o chão.

Num movimento rápido — movido por uma força sobrenatural — eu fui pro colo do Naruto, deixando um pé de cada lado e apoiando meus braços em seus ombros.

— S-Sasuke... — ele me lançou um olhar surpreso.

— d-d-desculpa... — agora quem estava vermelho era eu. Tentei saí dali, mas, o maior segurou minha cintura, impedindo que eu saísse.

Imediatamente, o loiro tomou meus lábios. Era um beijo sedento e veroz, diferente dos que já tínhamos trocados.

Vez ou outra, ele dava mordidas na minha boca, eu tentava acompanha-lo, repetindo os seus movimentos.

Senti as mãos do Uzumaki adentrarem debaixo da minha camisa e arranharem a minha pele.

Eu já estava fora de mim, e acredito que o loiro também.

Quando me dei conta, estava deitado na cama com Naruto em cima de mim, distribuindo beijos pelo meu corpo.

— N-Naruto... — disse o nome dele um pouco baixo. Tapo minha boca ao perceber que ele havia saído como um gemido.

— não quero que se cale! Eu estou gostando da forma que está dizendo meu nome... — ele selou nossos lábios novamente. Dessa vez, era um beijo apaixonado, de pura paixão.

Senti o membro do Uzumaki, entrar em atrito com o meu, que assim como o dele, estava duro.

Meu corpo queimava em prazer com cada toque que ele me dava.

Rapidamente, Naruto desabotoava a calça que eu vestia e eu praticamente arrancava a sua blusa.

Eu estava corado. Sentia um pouco de vergonha por estar naquelas condições.

— está com vergonha? — ele perguntou.

— u-um pouco...

— não precisar continuar se quiser...

— não! Eu não quero parar! — falei colocando meu braço ao redor do seu pescoço.

Selei novamente meus lábios aos dele. Não sabíamos direito o que fazer, nunca tínhamos feito nada daquilo antes.

Senti as mãos do Naruto descerem por minha bunda e abaixarem o cós da minha cueca.

Faço a mesma coisa com ele, tentando tirar a última peça de roupa que nos restava.

— N-Naruto... — o chamei com um gemido sôfrego.

— Hm? — ele disse em meio aos beijos que ele espalhava em meu peito.

— eu... Eu... P-p-posso te... — com tais palavras, com certeza eu estaria vermelho como um tomate. — chupar? — e disse, morrendo de vergonha. Sempre sonhei com isso, mas não imaginei que ficaria com tanto receio...

— ainda pergunta? — suas bochechas tinham um rubor, mas não tanto quanto as minhas.

Ele se deitou, completamente despido. Era a visão do paraíso... Ter Naruto ali, inteiramente para mim, era tudo que eu desejei a vida toda.

Fui me abaixando e toquei a língua na cabeça do seu membro. Não tinha idéia de como faria isso, mas eu queria, queria muito.

Tentei colocar tudo na boca, — quase ne engasgando — porém, não cabia.

Ouvi o loiro soltar alguns gemidos contidos, e isso me animou ainda mais. Queria fazê-lo gemer ainda mais, sentir que estava lhe dando prazer.

De forma desajeitada, vou chupando todo o falo, utilizei a minha mão para punhetar as partes em que não conseguia colocar na boca.

Quanto mais eu acelerava, mais conseguia arrancar gemidos do Uzumaki.

Aquilo era delicioso... Me sentia nas nuvens, e sentir Naruto se contorcer e gemer de prazer pelos meus movimentos, me levavam a loucura...

— S-Sasuke... — o loiro segurou os fios do meu cabelo com a mão, coordenando os movimentos.

Eu acelerei ainda mais a felação, e parei ao sentir a minha boca ser preenchida por um líquido perolado e meio amargo, mas ainda assim doce, tratei de engolir tudo.

Subi em cima de Naruto e colei meus lábios aos dele, fazendo-o sentir o seu próprio gosto.

— a sua boca é tão quente, gatinho... — isso fez o meu ego aumentar ainda mais.

"Me jogando em você como uma chama azul

Como se eu tivesse naufragado em seus dedos

Estou cativado

Derretendo com o calor

Me jogando em você como uma chama azul

Em seus dedos

Yah, estou sendo puxado até você, só consigo te ver, isso é claro"

Sem aviso algum, Naruto inseriu um dedo em mim. Gemir de dor, e ao perceber isso, o loiro me dei um beijo.. E assim, ele colocou mais um dedo e começou a movimenta-los. Continuei sentindo uma dor, que logo foi transformada em um prazer irreal.

Logo, pedi pro mesmo entrar, e assim ele fez.

— a-ahn... — gemi em dor, veio algumas lágrimas em meus olhos. Era alguma diferente que nunca havia sentido...

Minutos depois, eu já tinha me acostumado e mandei Naruto se mover.

Ele ia lentamente, com cuidado. Mas, depois de um sentimento imensurável consumir o meu corpo, eu queria que ele fosse mais rápido, mais forte... E ordenei que o fizesse...

Eu ouvia Naruto gemer, chamar por meu nome, e isso era maravilhoso...

— p-porra Sasuke... Ahn...

Os gemidos de prazer era como uma melodia que nos impulsionava a ir cada vez mais fundo.

O loiro percebeu que eu já estava chegando ao meu ápice, então ele começou uma punheta ritmada. Não demorou muito pra que eu gozasse em sua mão.

Senti meu interior ser preenchido por um jato quente, soltei um gemido ao senti-lo e me joguei na cama ao lado do Uzumaki.

Tentava normalizar a respiração enquanto encarava Naruto, tentando decifrar o que ele pensava.

— Naruto, chegamos! — ouvimos a voz de Kushina no andar de baixo e rapidamente nos levantamos.

— droga! Isso não deveria ter acontecido! — ele disse enquanto vestia sua roupa.

— o que? — perguntei confuso, vestindo, de vagar, a camisa.

— isso que fizemos, Sasuke! Não era pra te acontecido, não agora.

— está dizendo que se arrependeu? — levantei e o encarei, tentando entender sua fala.

— não é bem isso Sasuke...

— não, eu já entendi. Isso foi um erro, eu sou um erro pra você. — terminei de vestir minhas roupas e saí do quarto, batendo a porta com força.

Passei por Kushina e Minato sem trocar uma palavra com os mesmos. Rumei para casa, estava dolorido, minhas pernas estavam bambas, me mantinha em pé pela força do ódio.

A chuva que ainda caía em Tokyo batia em meu rosto com uma certa fúria.

"Estava tão confusa, feito uma criancinha

Tentei pegar o que podia, com medo de não conseguir encontrar

Todas as respostas, querido

Não me deixe triste, não me faça chorar"

PONTO DE VISTA DO DEIDARA

Eu e Itachi estávamos juntos por longos 13 anos. Nesses anos, eu me sentia a pessoa mais especial e amada do mundo.

Itachi era a definição do perfeito... Eu o amo mais do que tudo na vida. Ele sempre esteve me apoiando em todos os momentos.

Quando toda a minha família era contra eu fazer faculdade de artes, o Uchiha foi o único que me apoiou até o fim... Eu posso ter os maiores defeitos do mundo, ele me amará incondicionalmente.

— no que está pensando meu amor? — ele perguntou colocando as mãos na minha cintura, e, como eu estava sentado na bancada, enrosquei minha perna na sua também.

— no quanto eu te amo... — sorri.

— 'iti' meu 'amoxinho', eu também 'ti amuh' meu anjinho... (autora: foi mal Galerinha, to tão carente que to descontando nos personagens jsksk) — Itachi era um homem sério, exceto nos momentos que estávamos juntos... Ele fazia voz de neném, é tão fofo! Apesar de que Sasuke acha isso estranho.

E por falar em projétil de viado, lá estava ele, passou por nós numa velocidade tremenda, — completamente encharcado — subiu as escadas com paços firmes e barulhentos.

— eu vou falar com ele — o moreno disse me soltando.

— não, deixa que eu falo com a bixa louca... — desci do balcão — suba, tome um banho e descanse. Eu vou depois.

— mas Dei...

— sem 'mas' Itachi... — o interrompi — eu sei que pelo fato de ser irmão do Sasuke, você se preocupe com ele... Mas, por favor amor, deixe que eu fale com o Sasu. Eu sou quase a mãe dele. — ri.

— tudo bem... Eu te amo. — ele me da um selinho.

— eu te amo. — sai do seus braços e fui pro quarto de Sasuke.

Nem me dei o trabalho de bater na porta, sabia que ele não iria abrir tão facilmente.

— o que houve, Sake? — sentei na beira da cama, acariciando seus fios negros.

— me deixe sozinho, Deidara! — ele virou o rosto.

— Sasuke... — suspirei — eu e o Itachi só podemos te ajudar se você nos disser o que está acontecendo.

— Dei, por que os homens são tão idiotas? — ele colocou a cabeça em meu colo.

— esqueceu que eu e você também somos? — ri. — deveria se perguntar isso então.

— você parece tanto uma Barbie que, as vezes, eu até esqueço disso... — ele soltou um sorriso nasal.

— mas me diz, o que houve?

— bem... Eu e o... Naruto fizemos... er..

— vocês transaram. — disse simplista.

— é. — corou — E daí, depois de ter me usado, ele me descartou, Dei... — ele virou sua cabeça pra me encarar — disse que tudo aquilo foi um erro. — o menor voltou a enterrar a cabeça em minha barriga.

— eu sei que o Naruto é um tremendo de um idiota, mas olhe pelo lado dele, Sasu... Ele ainda tem um certo receio. E isso foi prematuro de mais...

— eu sei disso... Mas é que... Eu me senti tão atraído... E ai ele correspondeu os meus toques, e eu simplesmente cedi, e ele também, ao calor do momento... — passei a mão pelo seus fios, sentindo ele arfar contra minha barriga.

— vocês tem muito fogo no rabo, isso sim. — o encarei e ele me lançou um olhar de ódio.

— fogo eu acho que eu não tenho, mas dor eu tenho, e muita. — soltei uma gargalhada.

— também fico um pouco dolorido quando transo com seu irmão, então tenho algumas pomadas pra dor, eu posso te emprestar uma pra você depois...

— obrigado, Dei... — ele se ajeitou ao meu colo, fechando os olhos.

— converse com ele, Sasuke. Tenha uma conversa definitiva, diga: "ou come o meu cu a vida toda, ou vai embora" — ri e ele seguiu minha risada.

- PONTO DE VISTA DO SASUKE

Deidara sempre foi assim... Espontânea. Agradeço aos céus por meu irmão tê-lo como namorado. Ele é quase como minha mãe e o Itachi meu pai. Os dois se completam, e eu os amo.

— queria ter a sua coragem de dizer o que sente assim tão fácil... — disse brincando com uma mecha do seu cabelos.

— dizer as coisas fácil?! Querido, eu demorei anos pra dizer o que sinto pro Itachi... Acho que se ele não tivesse se confessado primeiro, talvez nem estivéssemos juntos agora. — eu ri com a sua frase.

— eu seria o homem mais triste do mundo se isso acontecesse... — o Uchiha mais velho entra no quarto com um meio sorriso, sentando do outro lado da cama, colocando meus pés em seu colo.

— eu mais ainda! — indaguei — como eu viveria sem meu casal preferido?! — falei e os dois riram.

O Deidara está ali, conosco, a tanto tempo que é como se ele estivesse desde o único, desde quando nasci.

Apesar de quase sempre está brigando com o mesmo, eu o amo e posso dizer que ele faz parte do meu tudo.

Ficamos um tempo conversando e dando gargalhadas, até que decidimos dormir, todos juntos um em cima do outro. Estava com saudade disso... Sentir o calor das pessoas que eu mais amo.

|×|×|×|

— tchau meu povo! — Deidara se levantou.

— deixa que eu te levo, amor. — Itachi disse.

— não, não. Leve o Sasuke pra escola, eu posso ir sozinho.

— que tal irmos todos juntos? — sugeri. — Itachi me leva pra escola, depois te levar pro trabalho e vai pro dele.

— por mim tudo bem. — o moreno disse.

— então vamos logo fuinhas — ele pegou a chave do carro e jogou pro Itachi.

Levantei e fui pro lado de fora. Esperei meu irmão tirar o carro na garagem e entrei bo mesmo junto com Deidara.

Como combinado, eles me levaram pra escola. Cruzei os portões principais e, quando cheguei nad portas do colégio, lá estaca ele, o motivo do meu amor e do meu ódio, Naruto Uzumaki.

— oi. — ele disse, segurando duas rosas brancas na mão.

— PONTO DE VISTA DO NARUTO

Um dia antes...

— você vai nos dizer agora o que está acontecendo entre você e Sasuke! — a ruiva praticamente gritava pra mim.

— mãe, eu não quero falar disso agora! — levantei da cama num pulo indo em direção a porta, mas sou impedido pelo meu pai.

— você não sai daqui até nos dizer o porquê de quase todas as vezes que o Sasuke vem aqui ele sai chorando. — o loiro disse.

— okay, vocês querem saber não é? Pois bem. — suspirei — o Sasuke me ama, e eu não posso corresponde-lo! — meu tom de voz estava elevado — a gente transou e foi a melhor coisa da minha vida! — meus pais esboçaram um semblante de surpresa — Só que... Eu sou um idiota! Eu só machuco o Sasuke... — e nisso, meus rostos estava encharcado em lágrimas.

Meus pais se aproximaram e me abraçaram. Um embalo de soluço veio junto com meu choro.

Eu só queria sumir e não aparecer nunca mais, cair num vácuo eterno.

— PONTO DE VISTA DO SASUKE

— oi. — disse um pouco ríspido.

— você tem razão de estar magoado comigo...

— licença, eu tenho que ir pra aula. — tento passar por ele, mas o mesmo segurou meu braço.

— vamos conversar, por favor...

— depois da aula no Pop's.

— okay.

— e leve dinheiro, por que eu vou estar com fome e vou querer comer algo.

— 'ta. — ele sorriu, e o meu coração derreteu, mas me mantive sério por fora — toma, pra você! — ele estendeu as flores, e eu as peguei.

— o-obrigada... — corei um pouco. — eu vou pra sala.

— eu posso ir com você, eu to indo pra lá também.

— 't-ta.. — cherei um pouco as flores e sorri mínimo.

— eu passei na sua casa pra te buscar, mas você não tava — começamos a andar.

— é, o Itachi me trouxe de carro hoje..

— tendi... V-você gostou das flores? — corou.

— eu amei — sorri.

Não importa quantas vezes Naruto me machuque, eu sempre volto pra ele... Basta ele vim com flores e meio pedido de desculpas que eu o perdôo.

— que bom... — ele deu um belo sorriso, meu coração palpitava em meu peito.

|x|x|

As aulas passaram arrastadas... Demoravam para terminar, até as aulas de história que eu tanto gostava pareciam entediantes. (Autora: ai gente, eu amooo aula de história, seriao. E o meu professor da aulas maravilhosas, pode ter 5 aulas seguidas, eu nunca fico entediada ksksks).

Na aula de educação física, percebi que Kabuto e algumas pessoas que estava com ele — no qual não sabia de quem se tratava — me observava o tempo todo.

Quando finalmente as aulas acabaram, Naruto veio até mim, peguei a minha mochila e dei um meio sorriso pra ele.

— então vocês vão comer no Pop's e não ne convidaram, né? — Sakura cruzou os braços.

— você come de mais, Sakura, vai acabar nos falindo. — retruquei.

— que calúnia contra minha pessoa! — ela disse com uma falsa indignação. — vou adicionar o nome de vocês no meu death note.

— vai lá. — ri e Naruto me acompanhou.

— bem, eu também tenho um compromisso com a Ino... — a rosada soou apaixonada.

— eu e Naruto temos muito o que conversar, então já vamos. — disse.

— tchau Sakura. — o Uzumaki se despediu.

Saímos da escola e rumamos pro Pop's. Pedi o de sempre, e Naruto pediu um milkshake de morango.

Sentamos numa mesa próximo a janela, fiquei em silêncio, esperando o Uzumaki começar.

— bem... — ele mordeu os lábios, provavelmente buscando uma forma de se expressar. — me desculpe, Sasuke — ele colocou a mão sobre a minha — eu não quis dizer que aquilo foi um erro e muito menos você... Eu só... Estava com medo dos meus pais nos pegarem... E eu nunca... Nunca tinha feito isso com ninguém, você foi a primeira pessoa que eu... Você sabe. — ele corou — eu queria ter a minha primeira vez em um momento mais... Apropriado. Me preparar psicologicamente pra isso. Não que eu não tenha gostado, eu amei. Amei cada toque seu, — ele fez carinho em minha mão — você é muito especial pra mim, e eu não quero, em hipótese alguma, te perder...

— Naruto... — quando eu ia começar a dizer, o garçom veio entregar os pedidos. Não pude deixar de perceber que ele tinha me flertado, e Naruto também notou, lançando um olhar mortal pro moreno.

— abusado. — ele soltou ríspido quando o garçom se afastou. Ri com a sua ação e dei uma mordida no meu hambúrguer.

— então, recapitulando... — comecei — eu entendo que isso é novo pra ti, e sei também que você é compulsivo, não raciocina direito com as palavras... — bebi um pouco do café — porém, eu não posso te esperar o resto da vida e "voltar" pra você toda vez que que me machuca sem ao menos ter nada concreto.

— eu sei disso, Sasuke...

— eu estou a três meses suportando tudo isso, te perdoando e aguentando a dor de cada ferida que você me deixa... E sabe por que eu suporto tudo isso? Porquê eu te amo... Amo mais do que a mim mesmo, você é uma das definições do meu tudo.

"Por você, eu

Seria capaz de fingir estar feliz mesmo estando triste

Por você, eu

Seria capaz de fingir ser forte mesmo estando machucado

Eu queria que o amor fosse perfeito por si só

Queria que todas minhas fraquezas pudessem ser escondidas"

— eu estou tão confuso, Sasuke... Eu estou atordoado, meu coração bate forte quando estou com você, mas eu não sinto como se isso fosse algo ruim, é uma coisa boa de sentir. Eu quero estar cada segundo da minha vida contigo, quero senti-lo cada vez mais... — ele suspirou, sabia que sua confissão estava sendo difícil. O loiro tomou um pouco do milkshake e continuou — eu tenho muito medo, Sasuke. Medo de ser insuficiente, de ser julgado, de ter olhares maldosos pairando sobre nossas vidas o tempo todo. Eu tenho medo de te afastar, gatinho. Você é incrível de mais pra estar comigo e ter que suportar toda a minha estupidez.

— sabe uma coisa maior que a sua estupidez? — ele arqueou a sombrancelha — O meu amor por você. E Naruto, pra você não se sentir tão insuficiente, deve fazer por onde... A começar por medir as palavras quando dize-las, elas machucam, Uzumaki, e muito... — Naruto suspirou pesadamente. Eu havia tirado um fardo de minhas costas. Itachi me ensinou que a melhor forma de evitar ou resolver uma discussão é ter uma conversa aberta, com ambas as partes expondo seus pontos de vista.

— quer tentar algo comigo? — ele engoliu em seco e me olhou com os olhos ansiosos.

— é-é claro que sim — disse depois de um tempo en silêncio.

Bebi o último gole de café que restava no meu copo e olhei pro loiro a minha frente, o mesmo estava com um sorriso de orelha-a-orelha. Meu coração estava aquecido e feliz por tê-lo mais próximo de mim.

— eu... Tenho que ir. — disse — Itachi vai me matar se eu chegar tarde igual aquele dia... — ri.

— tudo bem, — ele sorriu mínimo — vou pagar a conta e te levo em casa.

— 'ta. — levantei.

Depois de esperar o Naruto, ele me levou pra casa, de mãos dadas — dessa vez, sem chuva.

— Naruto, eu queria te dizer uma coisa... Sobre o Kabuto... — falei receioso.

— o que ele fez com você? — indagou irritado.

— ah, ele tentou me forçar a beijá-lo aquele dia e... Ele fica me encarando de uma forma estranha ultimamente...

— que bom que me disse isso... Ele não vai te incomodar mais, fique tranquilo... — sorriu e eu assenti.

Me despedi do Naruto e entrei em casa, encontrando um Deidara admirando seu próprio reflexo e dizendo o quanto ele era gostoso e que já havia ficado excitado se olhando no espelho e um Itachi quase babando admirando o namorado, mais um dia normal na residência dos Uchiha.

— oi seres de inteligência contida por um distúrbio chamado idiotisse — ditei colocando minha bolsa sob o sofá e tirando os sapatos.

— põe os sapatos no quarto e a roupa no cesto pra lavar! — Deidara falou e sentou ao lado de Itachi.

— quando eu quiser eu faço. — falei um pouco grosso.

— você é um cubo de açúcar querido. — Deidara falou irônico.

— como foi as aulas hoje? — quis saber o Uchiha mais velho.

— ah, como sempre... — tombei a cabeça pra trás — Sabe, parece que quanto mais queremos que as aulas acabem, mais elas demoram e se tornam insuportáveis...

— você conversou com ele? — Deidara questionou.

— sim, fomos até o Pop's e conversamos bastante... Decidi da uma chance pra ele...

— uma chance como? — Itachi perguntou.

— ah, sabe... Tipo quase um namoro sem ser um. Entende?

— não... — os dois disseram juntos.

— é, eu sei que não... — olhei atrás de Deidara e vi que em cima da mesinha tinha um pássaro de argila. — você que fez, Dei? — apontei pro mesmo.

— é, fui eu sim. O Sai tinha pintado um pássaro incrivelmente lindo, e eu o recriei com a minha arte. — ele sorri.

— ficou lindo... — disse depois de ter ido até onde o passaro de argila estava e ter pegado-o.

— tudo que o Deidara faz é incrível — Itachi falou sorrindo e dando um beijo no namorado.

— bem, eu vou tomar banho — coloquei de volta na mesinha.

Subi as escadas e fui pro meu quarto, comecei a tirar a roupa assim que passei na porta do mesmo.

Tomei um banho rápido e me taquei na cama. Percebi que meu celular vibrava, vi o nome de Sakura brilhando na tela e atendi.

— resposta da questão nove agora e informações da sua conversa com Naruto Uzumaki na minha mesa pra já.

— não sabia que tinha virado detetive.

— querido, você está conversando com a maior detetive de casos da escola de Tokyo inteira. — a rosada disse com um ar de deboche.

— uhum, sei... A resposta é 26 de abril de 1986, quando uma Sakura explodiu e causou um desastre nuclear.

— seu cu — eu ri. — eae, conversou com ele, xuxu?

— libertador...

Contei tudo o que havíamos conversado a Haruno, e claro, dei as respostas das questões da atividade de história pra mesma, mesmo não tendo prestado atenção direito na aula de hoje.

|~•PONTO DE VISTA DO NARUTO

Horas antes...

Sabia que Kabuto estava no vestiário, pois sempre que ele saia do treino de futebol, ele ia pra la.

O encontrei pegando algo no armário, fui até ele e o imprensei contra o mesmo.

— mas o que...

— nunca mais encoste o seu dedo sujo em um fio de cabelo do Sasuke, ou eu juro que quebro a sua cara...

— experimenta. — ele sorri sinico.

— está avisado. — o soltei, indo em direção a porta.

— você não é nada dele.

— ele é meu namorado. — me virei pra ele, não era exatamente uma verdade, mas algo que eu queria. — o Sasuke ama a mim, não a você.

|×|×|ו

Eu achava que o meu amor por Naruto Uzumaki não passava de uma simples quimera, quase impossível de se realizar...

Ele era uma estrela azul distante, no qual eu não conseguia alcançar.

Meu céu era um mero borrão negro, que logo depois ganhou lindos tons em azul, a cor que julgava ser uma das mais belas.

"Esta noite escura (Não seja solitário)

Como estrelas (nós brilhamos)

Não desapareça

Porque você é uma grande existência

Nos deixe brilhar

Talvez a razão pela qual esta noite pareça bonita

Não é por causa das estrelas ou luzes, mas nós

Você me pegou

Eu sonho olhando para você

Eu tenho você

Dentro daquelas noites de breu

As luzes que vimos um no outro

Estávamos dizendo a mesma coisa

Luzes das estrelas que brilha na noite mais escura

Luzes das estrelas que brilha na noite mais escura

Luzes das estrelas que brilha na noite mais escura

Uma história em uma pessoa

Uma estrela em uma pessoa

7 bilhões de mundos diferentes

Brilhando com 7 bilhões de luzes

7 bilhões de vidas, a visão noturna da cidade

E'possivelmente a noite de outra cidade

Nossos próprios sonhos, vamos brilhar

Você brilha mais do que ninguém, um"

Eu esperei a minha vida toda que Naruto disse um sim pro meu amor, mas agora, ele espera o meu sim.

Já havia passado meses desde a nossa conversa no Pop's. E agora, o Uzumaki estava ali, na minha frente, com os olhos em lágrimas e girassóis nas mãos, estávamos de baixo de um céu estrelado, na praça central. Ela estava vazia, como se tivesse feito uma barreira para que ninguém entrasse naquela atmosfera.

Era só nois dois, em um silêncio total, com um leve vento que balançava nossos cabelos. Era um cenário digno de um filme de Hollywood.

— Sasuke Uchiha, você aceita ser o meu namorado, mesmo com todas os meus defeitos, falhas e medos? — ele fez uma pausa — Eu prometo que estarei ao seu lado em todos os momentos das nossas vidas. Vou te apoiar, te amar eternamente e acima de tudo, fazer o impossível pra não te ver triste. Eu sei que sou um completo idiota, mas estou aqui, de corpo e alma, me entregando a ti, Sasuke. Assumindo todo o amor que por muitas vezes neguei sentir-lo... Eu quero construir uma vida ao seu lado, eu não me vejo sem você nem mesmo nos meus pesadelos... Eu só... Quero ter o seu amor, Sasuke... Você me aceita?

Eu fiquei em silêncio, eu sempre sonhei com tudo aquilo, e o meu amor estava ali, se declarando pra mim, com os olhos brilhando e as mãos trêmulas.

" Você me tem

Eu respiro enquanto olho para você

Eu tenho você

Dentro daquelas noites negras

Brilhe, sonhe, sorria

Oh, vamos acender a noite

Nós brilhamos em nossos próprios caminhos

Oh, vamos acender a noite

Nós brilhamos do jeito que nós somos"

— eu nunca deixei de te amar nem se quer um segundo, Naruto. E nunca deixarei. Eu sinto como se tivesse sido feito pra te amar... É claro que eu te aceito Naruto Uzumaki, só, por favor, nunca saia do meu lado... — e nisso eu já estava em lágrimas. Senti os braços de Naruto de envolvem em meu corpo, trazendo o calor no qual eu me sentia seguro.

Se havia alguma dúvida de que o Uzumaki não fosse o meu grande amor, ela foi sanada ali.

— eu nunca irei te deixar partir, e muito menos eu irei sair de perto de você. — ele me encarou e selou nossos lábios, em um beijo sem malícias, apenas um beijo entre dos garotos, duas almas, partilhando de um amor incondicional.

Um dos garotos possuía em seus olhos orbes negras e brilhantes, e o outro uma imensidão de azul, um céu, ele era lindo. Porém, vazio, era apenas um azul infinito, apesar de belo.

Agora, eram dois garotos, compartilhando um amor, com os olhos preenchidos de paixão e tons diferentes, a combinação perfeita. E no meio deles, flores, as mais belas flores.

Eram as flores para Sasuke...


Notas Finais


Foi isso amores!

Parece que o universo não queria que eu postasse essa fic kskssk

Aqui na minha cidade, na sexta-feira, caiu uma tempestade horrível, e por conta dos raios, alguma coisa la da internet queimou.

Desde o dia da chuva eu tava sem net e energia.

E ela só voltou hoje meio dia, eu fiquei de uma hora( o horário que eu acordei kkk) até agora no momento que estou postando, escrevendo essa fic.

Era apenas eu, minha caneca do Deidara com café, meu celular e meu quarto.

Não sei se betei ela direito, então desculpe se tiver algum erro! <3

Bem, pros leitores da minha fic, "Presos no Elevador", eu atualizarei ela na terça.

Eu estou fazendo um cronograma com os dias que eu vou atualizar cada história minha. (Vou botar um papel na minha geladeira e no guarda-roupas pra lembrar kddkd)


Espero que tenham gostado!

não se esqueçam de lavar bem as mãos, passar álcool gel e não sair de casa, está bem?

Unbigbjuh<33

~ Ahmya Miyazaki


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...