1. Spirit Fanfics >
  2. Flower Shop >
  3. Flowers also break hearts

História Flower Shop - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


A primeira de muitas se meu bloqueio criativo permitir q

- plot tirado do tumblr aeho

Capítulo 1 - Flowers also break hearts


Fanfic / Fanfiction Flower Shop - Capítulo 1 - Flowers also break hearts

Terças-Feiras era um dia calmo na floricultura da família Jin. Nas Terças a floricultura recebia em média de cinquenta por cento a menos de clientes do que nos outros dias da semana. 

A única cliente fixa de Terça era uma velha senhorinha que passava pela floricultura toda Terça e Sexta de manhã, por volta das dez horas, e ela sempre comprava o mesmo: cinco Gérberas de cores diferentes. 

“A Gérbera significa amor, você realmente ama muito a pessoa para quem leva essas flores” Jin Ling, o mais novo da família Jin comentava com a velha senhora.

Os pais de Jin Ling o achavam muito jovem para trabalhar, por isso ele passava a maior parte do tempo que não estava na escola na estufa da família, logo atrás do pequeno prédio que servia de floricultura e moradia para toda família e mais algumas pessoas. Ele passava o dia dentro da estufa com as flores, as amava e achava que cada uma delas era incrível com seus nomes e significados próprio – que ele descobria através dos muitos livros de botânica que roubava da biblioteca do avô, anotando tudo que podia em seu próprio caderno. Ele só saia dali por volta das nove e cinquenta e ficava esperando pela velha senhora, querendo bater um bom papo sobre botânica antes de ter que almoçar e ir para a escola, voltando apenas quando o sol já estava se pondo.

Como eu disse antes, Terças-Feiras costumavam ser calmas, mas como sempre, a regra tem sempre exceção.

Nesta Terça-Feira em específico, Jin Ling não tinha escola, e como já estava bem grandinho – já tinha dezesseis anos, afinal – insistiu para cuidar da floricultura, dando uma folga para os pais, que depois de muita insistência acabaram por atender-lhe o pedido.

“Bom dia Senhora,” Jin Ling sorriu ao ver o rosto familiar entrando na loja, com um sorriso que era capaz de acalmar a agonia de qualquer um, de tão adorável que era. “Cinco Gérberas, ou gostaria de algo diferente hoje?”

“Meu querido, como é bom revê-lo!” A velha senhora aumentou o próprio sorriso, mostrando os dentes tortinhos e olhando levemente para cima. Jin Ling era pelo menos uns quinze centímetros mais alto que ela. “Acho que hoje vou levar apenas um Girassol. Sabe, minha filha já tá cansada de saber o quanto eu amo ela, mas tem estado tristinha… Acho que um Girassol pode animá-la.”

“Faz a escolha certa, Senhora.” O adolescente se apressou em sair de trás do balcão, caminhando de forma rápida até onde as flores em potes de tamanho pequeno se encontravam, analisando qual das flores amarelas era a mais bonita de todas, “sabe, Girassóis significam a vitalidade e energia; com certeza irá ajudá-la!”

“Eu espero que sim, meu querido. Espero que sim.”

Era de costume gastarem uns dez minutos jogando conversa fora, porém a senhorinha parecia realmente preocupada com a própria filha, o que fez Jin Ling se sentir na obrigação de guardar os assuntos para Sexta-Feira, insistindo que ela deveria ir logo entregar um pouco de felicidade para a filha. 

O resto do dia passou extremamente rápido para o jovem Jin. Atendendo um que outro cliente e no meio tempo desenhando em seu caderninho todas as flores que estavam em seu campo de visão, querendo registrar em suas folhas brancas a beleza e a vida que cada uma das plantas transmitia.

O sol já estava baixo, quase mandando Jin Ling ligar as luzes porque ele não serviria mais para iluminar a bela vitrine, quando um par de tênis brancos entraram correndo e batendo o pé na floricultura e duas notas de dez foram jogadas em sua frente com certa raiva.

“... Pois não?” perguntou assustado, dando de cara com um garoto que – tirando a expressão clara de raiva, – era extremamente fofo. 

“Como eu poderia mandar alguém tomar no meio do cu de forma educada através de flores?”

Jin Ling olhou para os belos olhos negros por um momento antes de abrir a boca e franzir as sobrancelhas, “perdão?”

“Como eu posso, educadamente,” o garoto com um suéter branco e rosto fofo enfatizou a palavra, “desejar tudo do mal e do pior para alguém, mas através de flores?” 

“Desculpa a pergunta, mas… Existe algum motivo específico para tal?” Jin Ling estava confuso, era a primeira vez que alguém buscava por flores sem ser para declarar amor ou simplesmente encher suas casas com cores vívidas e belas. Mandar alguém tomar naquele lugar através de flores era com certeza algo novo. 

“A história é longa, agora por favor, tem como eu fazer isso ou não?”

“Claro… Claro…”

O jovem Jin pensou um pouco, andando pela floricultura com seu caderninho em mãos, lendo as breves anotações sobre cada flor ali dentro. A floricultura era dividida em quatro partes difere, todas iluminadas pelo sol avermelhado do final da tarde. A área leste era preenchida com pequenas árvores e outras plantas verdes de porte maior. A parte que Jin Ling procurava pelas flores para o buquê perfeito para seu cliente era na parte de trás do lado oeste da loja, um pouco mais afastadas dos fracos raios de sol. 

“Você vai precisar de… “ Jin Ling pegou três pequenas flores laranjas que recordavam o menino de suéter branco de pequenos botões. “Alguma espécie de Geranium, que simbolizam a estupidez. Acho que essas laranjas cairiam bem com o resto do buquê. Digitalis, insinceridade, também cairiam bem, já que o roxo e o laranja formam um belo contraste. eu geralmente não recomendaria colocar Filipendula Ulmarias em um buquê, já que elas fazem uma sujeira danada e ficam mais bonitas no jardim, mas a ocasião vale um pouco de inutilidade. Cravos amarelos são além de bonitos bem interessantes, pois eles também significam que, quando se dá um deles para alguém, que essa pessoa desapontou você. E por fim, Lírios laranjas, que apesar de lindos, carregam um grande ódio em seu significado” 

E o buquê estava pronto, com cores quentes e um leve contraste do roxo e o branco, e; apesar de tanto ódio, aquele era um dos buquês mais lindos que o cliente raivoso já tinha visto.

“Esse é para aquela pessoa que te machucou, será apenas dez, não vinte.” O Jin devolveu uma das notas amassadas que tinham sido jogadas no caixa ante para o cliente, entregando junto o excêntrico buquê. “E isso aqui é pra você, caso queira me contar essa história uma outra hora.” 

Com um olhar surpreso, o menino um pouco mais baixo que o Jin aceitou de bom grado uma bela Rosa azul junto de uma cor de rosa e um pequeno pedaço de papel com um número rabiscado às pressas. 

“Muito obrigado, ah…”

“Jin Ling.”

“Muito obrigado, Jin Ling.” Ambos adolescentes sorriram de forma quase tímida, “pode me chamar de Sizhui, Lan Sizhui.”

“Pois bem, cuide bem das rosas. Rosas azuis são acreditadas por trazer a realização dos desejos de aqueles que as tem. E a rosa significa a beleza e pureza, na hora que te vi lembrei de uma.”

“Muito obrigado, Jin Ling. Prometo marcar um café para contar-lhe a história.” Lan Sizhui abanou o papelzinho com o número do outro como se estivesse dando um ‘tchauzinho’ com a mão direita. Abrindo um belo sorriso e se virando para a saída, indicando que aquele encontro estranho e inusitado tinha chegado ao seu fim. “Sabe a parte mais lindas das flores, Jin Ling? É que elas são tão, mas tão lindas que até mesmo para quebrar um coração elas continuam belas.”

 


Notas Finais


btw eu to preparando uma long fic com o foco em wangxian também,,, talvez eu poste ainda essa semana yey


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...