História Flower Ties - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias As Provações de Apolo (The Trials of Apollo), Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Apollo, Bianca di Angelo, Hades, Kayla Knowles, Nico di Angelo, Percy Jackson, Will Solace
Tags Nicodiangelo, Solangelo, Willico, Willsolace
Visualizações 23
Palavras 1.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello

Capítulo 5 - Capítulo 5 9 anos


(3anos atrás, 9 anos)

Era hoje! Escovei os dentes, tomei banho e me arrumei muito rápido, estava muito animado. Desci correndo as escadas e gritei:

—Bom dia mãe! Bom dia pai!

Eles estavam os mesmos de sempre: minha mãe tomando café e meu pai lendo o jornal:

—Oi filho— Respondeu minha mãe

—Por que você está tão animado hoje, campeão?

Vacilei por um momento, "eles esqueceram?" 

—Não é nada— Menti, logo vi de soslaio eles se entreolharem

Nesse dia era o meu aniversário, eu não acreditava que meus pais esqueceram. Como era sábado, eu fui para a casa do Nico:

—Claro— Concordou ele quendo eu perguntei se ele gostaria de ir para o parque

O sr. a sra. di Angelo também concordaram, mas Bianca teria de vir junto. Então Nico pediu para que eu esperasse, pois ele havia esquecido algo no quarto–eu chutei que eram as cartas de mitomagia. Porém eu errei, já que, quando ele voltou, ele estava com uma caixinha:

—Parabéns— Ele disse, entregando-me a caixinha— Espero que goste

Eu a abri e dentro tinha um pingente de Sol:

—Amei—Falei sincero— Obrigado

Ele tirou algo pela camisa dele. Também era um pingente, porém era de caveira:

— Serão nossos colares da amizade— Sorri com a ideia.

Entretanto pensei na possibilidade de um certo alguém ter alguém possuir. Não me julguem, eu não sou ciumento... talvez um pouco; Logo perguntei:

— Bem... apenas eu e você temos isso, né?

— Sim, por quê?

—Nada— Respondi escondendo a felicidade

—Então, vamos?— Chamou Bianca

Concordei e logo fomos para o parque. Ficamos brincando até Bianca nos dizer que recebeu uma ligação de Percy nos covidando para o campeonato que ele teria de natação. Eu disse que não queria e que iria para casa, sim, posso ser bem direto às vezes. Todavia Nico ficou nervoso, o que eu estranhei, e falou que gostaria muito que eu fosse também, o que me fez estranhar ainda mais. Porém, apesar disso, eu fui com eles para o clube, a contragosto. Nico se manteve ao meu lado o percurso todo, até mesmo quando viu Percy, outra atitude muito estranha. Nós assistimos ao campeonato e o vencedor foi o Percy. Logo fomos parabenizá-lo. Quando nso aproximamos, ele já estava com algumas pessoas ao redor, eu supus que eram a mãe, o seu professor, o melhor amigo e... a namorada, talvez?

Eu nunca tina visto ela–deve ser porque eu não consersava muito com ele; Então perguntei ao Nico quem era, logo ele fez uma careta e disse que ela estudava com ele, era a sua melhor amiga e seu nome era Annabeth. E também falou que, apesar de loira, ela era uma das meninas mais inteligentes da classe. Nós conversamos com Percy:

—Mentira— Disse ele, surpreso— Parabéns cara

Ri um pouco sem jeito e respondi:

—Obrigado, e digo o mesmo para você

Ele se aproximou e apertou minha mão. Bem... acho que a partir daquele momento, eu parei de julgar o Percy, ele não era chato, muito pelo contrário, ele era legal e divertido. Nico permaneceu quieto, o que era incomum no momento, já que o garoto que ele gosta estava ao lado. E, como estava ficando tarde, nós fomos para casa. No caminho eu perguntei para o Nico se ele estava bem, ele apenas disse que sim e que não estava muito afim de conversar agora. Podia ser, mas eu não tinha certeza, ciúmes.

Bianca, que estava mexendo no celular, se aproximou de Nico e sussurrou algo que eu não pude ouvir, o mais novo concordou com o que-seja-que-ela-tenha-dito , virou-se para mim e perguntou:

— Vamos apressar o passo?

Assenti.

.

.

.

Quando chegamos, percebi que minha casa estava completamente apagada, o que era anormal

—O-o que aconteceu?— Corri para abrir a porta, Bianca e Nico me acompanharam

Eu fiquei muito nervoso, me perguntava se algo havia acontecido com os meus pais ou se eles estavam bem. Logo, quando entrei, eu ouvi:

,

,

,

,

,

—S-U-R-P-R-E-S-A

Quase tive um infarto. Só então eu soube o porque de Nico ter me impedido de voltar para casa ou de ficar o meu lado o tempo inteiro–Provavelmente era para eu não fugir.

Eu pude ver Naomi servindo os cachorros-quentes, meu pai, que estava ao lado da tia Ártemis, o treinador, a galera do time de basquete e alguns amigos da escola:

— Oi campeão!— Gritou o meu pai, vindo ao meu encontro, logo ele me segurou e me colocou nos ombros

—Apolo, esse garoto cresceu muito desde a ultima vez que o vi— Disse a minha tia para o papai— O que você está dando para ele comer?

—Vegetais, frutas, legumes— Ele respondeu, fiz uma careta

Enquanto nos dirigíamos para a mesa do bolo, algumas pessoas para vam para me desejar os parabéns

.

.

.

—Will— Era a minha mãe— Parabéns querido

Apolo me desceu do ombro, logo eu pude abraçar minha tia e minha mãe

— Eu trouxe algo que certamente você vai gostar— Sussurrou a tia Ártemis para mim

— O que é?— Perguntei em um mesmo tom

—É surpresa— E ele se afasta para conversar com Naomi

—Will, já está na hora de cantar os parabéns

Dirigi-me para ficar atrás da mesa. Então eles acenderam a vela e cantaram os psrabéns. Estava tudo certo, até chegar no "com quem será". Quando começaram, eu tentei fugir por debaixo da mesa, mas meu pai conseguiu me segurar:

" Com quem será? Com quem será? com quem será que o Will vai casar? Vai depender, vai depender, vai depernder se o Nico vai querer"

Eu quis enfiar a minha cara em algum lugar, de tanta que foi a vergonha, provavelmente eu estava tão vermelho quanto um pimentão. Nico riu, desconcertado, e todos estavam achando graça da situação. Soprei as velas e desejei que meu aniversário fosse assim todos os anos– E talvez eu também tenha pedido que Nico gostasse de mim, só talvez

Dei os primeiros pedaços para meus pais, claro, depois para Nico, Bianca e o resto:

—Você desejou alguma coisa?— Perguntou-me Nico

—Sim

— E o que foi?

Naquele momento, eu havia esquecido da regra que se eu contasse, o desejo não se realizaria:

—Quero que todos meus aniversários sejam como esse

—Hm

.

.

.

 


Notas Finais


Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...