1. Spirit Fanfics >
  2. Flowers >
  3. Lírios

História Flowers - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Hey hey anjinhos, vcs estão bem?

Fiz esse capítulo único de 2jae hoje, e achei legal, e resolvi postar.... É isso aí

Eu espero que gostem, e até as notas finais
Boa leitura ♥️✨

Capítulo 1 - Lírios


 Lírios: a espécie é muito associada ao romantismo e simboliza a pureza, a inocência e o amor puro.

Casamentos são datas festivas muito marcantes na vida de alguém, é no casamento que você decide se juntar a uma pessoa para o resto da sua vida, geralmente são festas obviamente!. Mas tem muita gente que nem festa faz, no máximo um almoço em família

Na cidade de Seul na Coréia do Sul, ocorria um casamento entre duas amantes, a festa a princípio não fora bem vinda, mas logo as famílias deixaram que acontecesse

Im Nayeon e Yoo Jeongyeon estavam felizes por finalmente estarem juntas para o resto de suas vidas. Toda a decoração da festa era magnífica e as flores na decoração foram escolhidas por Choi Youngjae, um rapaz florista e melhor amigo de Jeongyeon.

Mas bem, apesar de todo o salão estar exalando alegria, na entrada do salão repleta de lírios, encontrava-se Im Jaebum, com sua taça de vinho em mãos enquanto observava a flor ali presente.

O rapaz estava tão distraido que mal percebeu a chegada de Youngjae

- são lindas não? - indaga Youngjae

- são belas mesmo - murmurou ainda distraído

- Lírios são flores belíssimas para casamento.

- desculpa eu te conheço? - indaga Jaebum finalmente voltando sua atenção a Youngjae

- tenho quase certeza que não - sorriu - eu sou amigo de uma das noivas, inclusive sou padrinho

- ah!, Você é padrinho da Jeongyeon?

- exatamente - afirmou o rapaz loiro - e você se não me engano, é irmão da Nayeon?

- sou sim, seu nome é....?

- Choi Youngjae - Youngjae respondeu e logo em seguida perguntou - e você seria?

- Im Jaebum - disse Jaebum ao rapaz, tomando mais um pouco de seu vinho - você soube falar um pouco sobre os lírios, você seria o que?

- sou um florista que cuida da floricultura da família - deu de ombros - já você?

- produtor musical, mas ainda estou na faculdade, enfim, acho que deveríamos entrar daqui a pouco teremos que ver a valsa das noivas

- está bem - Jae apenas concordou e ambos adentraram no imenso salão.

No decorrer da festa Jaebum havia achado Youngjae um tanto encantador, o garoto de cabelos loiros queimado era um tanto interessante na visão do Im.

O que não foi diferente pra Jae.

Ele havia achado Jaebum, misterioso tendo em si uma aura de suspense o rodeando. Durante a festa ambos se encaravam, mas de maneira discreta.

Porém não tão discreta assim, os amigos de ambos perceberam o que acontecia ali.

De um lado Jaebum tinha Jinyoung falando para ele que deveria ir falar mesmo com Youngjae, e talvez até pedir seu número:

- Jinyoung já chega! Eu não vou pedir o número dele - Jaebum já estava irritado com o mais novo

- ah vai JB, você não curte ninguém faz um tempo, e esse garoto parece ser alguém legal, além de ser seu tipo ideal - Jinyoung insistia para o garoto, já que o último citado havia tido um relacionamento acabado, da pior maneira possível, a um ano.

- sei não Jin, sem contar que eu sou péssimo em flertar com pessoas. Você me conhece, deixa quieto - apesar de Jaebum relutar o amigo não desistia tão fácil

- está bem, mas vamos fazer o seguinte, se você o encontrar por um acaso, você vai pedir o número dele.

- ok Park Jinyoung, mas isso é impossível

- nah, acho que o destino pode ser seu amigo nesse caso - acrescentou tomando um pouco da bebida em sua taça - mas se você não tem coragem de falar com alguém, eu tenho e aquela amiga da tua irmã tá me olhando já faz um tempinho. - deu um "brinde" batendo levemente as taças e foi falar com uma garota do outro lado do salão, que se não estivesse errado era Jihyo o nome da garota.

A situação de Youngjae, não estava diferente, o qual tinha seus amigos Bambam e Mark, que o enchiam para que falasse com o Jaebum, já que Jae quase nunca achava alguém interessante, então os amigos apenas esperavam uma brecha para empurrar Jae.

- pode aproveitar que ele está sozinho e ir falar com ele Jae - sugeriu Mark

- ah não sei não gente, sem contar que ele nem deve gostar de homens, olha a cara dele - acautelou Jae - e mesmo que gostasse, quem teria interesse em mim?

- Jae Jae faça me o favor, ele estava te secando a festa inteira - essa foi a vez de Bambam admitir - e sem contar que você é lindo, quem não olharia para você?

- alguém com bom gosto? - se auto ofendeu

- uau essa doeu - dramatizou Mark - está bem se não quer falar com ele.

- obrigada Hyung...

- mas - interrompeu o mais novo - se você o reencontrar eu quero que fale com ele - seu telefone tocou - gente o Jackson está me ligando um minutinho.

- desde que Mark fala com esse tal de Jackson vive em outro mundinho - o de cabelos platinados revirou os olhos - sabe Jae, acho que seria bom que falasse com ele, você sempre vive uma vida tão sem graça

- obrigada pelo elogio, mas não preciso de ninguém Bammie

- eu sei que não meu anjo, mas eu tô dizendo que talvez uma experiência nova não lhe faria mal. Vem vamos dançar um pouco, ainda estamos em uma festa poxa.

E logo os dois garotos estavam no meio da pista de dança, apenas seguindo o que a maioria fazia.

Youngjae ao longe observava sua melhor amiga dançando ao lado de sua amada, as duas realmente foram feitas uma para outra e os lírios presentes em seus buquês fizeram jus ao seu significado.

Algum tempo de música depois, as noivas decidiram que chegou a hora de jogar os buquês, primeiro foi Nayeon, e todos fizeram a contagem juntos

5,4,3,2 e 1.

Apenas podia se ver pessoas desesperadas para casar lutando para pegar o buquê, e na vez de Jeongyeon foi a mesma situação. O que Youngjae não esperava era que na vez de Jeongyeon o buquê havia caído em cima de si fazendo com ele o pegasse (meio que por reflexo).

"O destino está me pregando uma peça" foi a primeira coisa que passou pela sua cabeça.

O que Youngjae não sabia, era que de fato o destino lhe pregava uma peça!

ღ¸.✻´`✻.¸¸ღ

Jaebum estava desesperado e podemos dizer que até mesmo estava maluco, o aniversário de sua mãe era hoje, e até o horário não havia comprado nada, para dar de presente para sua projenitora

Sabendo muito bem que sua mãe ama um bom e velho presente, ele falava com sua irmã no telefone tentando pensar em algum presente:

- Nayeon! Pelo amor de Deus, me ajuda! Eu esqueci do aniversário da mamãe, o que eu faço? - perguntava Jaebum a sua irmã

- ah mas essa eu quero ver, logo você o filho preferido esquecer o presente da mamãe - provocou a mais nova rindo e Jaebum fez uma carranca, apesar de Nayeon não poder vê-lo - ok cabeção tem uma floricultura perto da sua faculdade, ela pertence a um amigo da Jeongyeon, peça um descontinho já que no mínimo vai precisar de um buquê de rosas.

- está bem - suspirou pesado - enfim obrigada, preciso voltar a aula

- de nada irmãozinho, beijinhos - Nayeon se despede, desligando o telefone e seu irmão volta para a sala de aula.

.

ღ¸.✻´`✻.¸¸ღ

.

Ao dar o horário e suas aulas na faculdade acabarem, Jaebum decidiu ir direto para a floricultura, aonde se encontrava perto do campus, em seu pensamento ocorria que pediria ajuda ao vendedor local para escolher a flor perfeita para sua mãe, depois sairia e iria direto para casa de seus pais.

Quando adentrou no estabelecimento, conseguiu escutar uma voz, sendo mais específico, uma melodia, a qual soava lindamente em seus ouvidos.

Infelizmente não reconheceu a música, mas por ironia do destino reconheceu o dono da melodia.

Se isso foi uma peça do destino ou não, era Choi Youngjae.

Na hora pensou em dar meia volta, mas lembrou-se do trato com Jinyoung e além do que precisava comprar as flores a sua mãe, então não teve escolha

"Espero que ele não lembre de mim" era o pensamento na cabeça do rapaz

- hum, oi? Desculpa pode me ajudar? - pediu a Youngjae que se virou prestando atenção em JB

Youngjae logo se espantou em ver Jaebum, mas se recompôs, e até passou pela sua cabeça que Jaebum nem devia lembrar-se de si.

Mas as palavras que mais ressoavam na cabeça do loiro era "que ironia do destino"

- ah claro que sim! Do que precisa? - questionou para o cliente inusitado

"Então acho que não deve se lembrar" concluiu Jaebum em mente "mas é claro que não deve lembrar seu tonto!"

- eu preciso de uma flor para minha mãe, alguma sujestão? - pede a opinião do florista.

"De fato não deve se lembrar!" Pensava o Choi

- hum, acho que... Dálias! - sugeriu e o músico lhe olhou confuso

- dálias? Que flores são essas? - indaga recebendo uma risada baixa de Youngjae

- me segue - e assim fez JB seguindo o loiro para um dos corredores da floricultura - são essas aqui, Dálias podem significar reconhecimento e gentileza, um ótimo presente para mães, lhe recomendo as cor de rosa pois carregam o significado de delicadeza e sutileza

- hum, está bem, obrigada vou levar ela mesma - respondeu e Youngjae teve uma ideia em sua cabeça, mas que foi ignorada. O garoto travava uma batalha interna

- certo me acompanhe até o caixa - e ambos foram ao caixa da loja - será apenas uma ou irá levar o buquê?

- no momento estou entre a minha mãe me matar ou não, então prefiro o buquê - respondeu JB sendo agraciado pela risada de Youngjae.

- está bem, vai querer colocar em um vaso mais bonito? Ou deixar aqui mesmo?

- hum, quanto ficaria tudo? - indaga pegando a carteira

- dálias são mais baratas, então o buquê fica em torno de dezesseis reais, hum, com o vaso ficaria vinte reais - respondeu os preços pegando um vaso bonito.

- Nayeon me disse que ficaria mais caro - pensou alto e Youngjae ouviu

- Nayeon te indicou minha loja? - indaga Youngjae, recebendo em resposta um assentir de cabeça do mais velho - por isso que veio aqui... Jaebum? - Jae praticamente jogou a bomba e saiu correndo

Jaebum se surpreendeu e pensou "então ele lembra!"

- ah então lembra de mim! - exclama o Im, fazendo o Choi rir

- você falou como parentes antigos que me perguntam "lembra de mim?" - comentou Jae - olha mas eu achei que você não lembrava de mim, nem quis arriscar, mas aí veio a coragem, estou surpreso que não me esqueceu - admitiu dando de ombros

- e tem como esquecer? - sussurou mas Jae escutou e corou levemente - bom mas olha eu... Ah que saco eu não consigo falar!

- quer pedir meu número? - Youngjae perguntou tão direto que surpreendeu Jaebum - não se sinta surpreso eu queria pedir o seu também, bem na verdade, meus amigos disseram para pedir - coçou atrás da cabeça aparentemente envergonhado

Jaebum sorriu

- meu amigo também, então você pode passar?

- claro

Números trocados, compras feitas e logo Jaebum saiu da loja se sentindo muito bem, matou dois coelhos com uma cajadada só, e agora tinha que correr para casa dos pais, e em mais tarde mandaria uma mensagem para Youngjae.

ღ¸.✻´`✻.¸¸ღ

- desse jeito você vai me deixar tonto Jaebum, tem como parar de andar de um lado pro outro! - ordenou Jinyoung ao amigo

- mas Jin eu não sei o que mandar! - contestava Jaebum

Jaebum havia chamado o amigo para o ajudar a mandar mensagem para a nova quedinha de JB, mas o Park faltava apenas esganar Jaebum, pois já havia perdido a paciência com o garoto fazia tempo.

- você é realmente péssimo com flertes, por que não manda um oiê ou um oii, sei lá, só tenta evitar o máximo papo de elevador - Jinyoung tenta ajudar - mas só manda a porcaria da mensagem!

- eu sei, eu sei, da pra parar!? Eu estou nervoso sabe, e não adianta falar nada e... - fora interrompido pelo celular que vibrava - minha santa divindade, é ele! Ele me mandou mensagem!.

- e o que diz? - pergunta o Park curioso

- esta dizendo "oi sou eu Youngjae, tudo bem?", "Sabe porque não me fala mais de você Jaebum?" - JB dizia o que estava em sua tela

- ah esse é dos meus, direto! - respondeu o mais novo, mal sabia Jinyoung que por trás daquela mensagem tinha dedo de duas pessoinhas; Mark e Bambam- anda responde garoto!

- mas, eu, ah ok - pegou o celular e abriu no app de mensagens mandando uma mensagem em seguida:

Jaebum.

Oi, tudo bem sim, e com vc?

Bem o que gostaria de saber?

- mandei isso - mostrou a tela do celular para o amigo que deu um peteleco em sua testa - ai, pra que isso

- ah Jaebum me dá esse celular - manda estendendo a mão para o amigo, que a princípio fica receoso - vamos logo! - com seu tom autoritário Jinyoung fez com que o amigo obedecesse

- você é um porre Park Jinyoung - Jaebum o xingou mas Jinyoung apenas lhe mandou um beijinho no ar

- e você me ama, agora deixa eu responder esse garoto - o celular que estava desligado recebeu mais uma notificação - olha ele respondeu

- o que?! - Jaebum pareceu um adolescente ansioso com mensagens

- calma seu idiota, foi só a notificação do YouTube, Youngjae, acho que travou, deixa que eu mando mensagem para esse garoto - Jinyoung riu e Jaebum revirou os olhos

E assim se seguiu aquela noite, de um lado Jaebum quase cometendo um assassinato com seu melhor amigo, e do outro Youngjae, simplesmente envergonhado com um Mark rindo e Bambam respondendo as mensagens por si.

Aquela noite de fato não terminaria tão cedo.

.

ღ¸.✻´`✻.¸¸ღ

.

Com todas as conversas, que ambos tiveram, acabaram até mesmo se encontrando, foi um primeiro encontro divertido e agradável para os dois.

Youngjae estava nas nuvens, com os encontros, conversas e de como Jaebum era um principe para si; Jae sempre teve uma vida turbulenta, nunca teve tempo para muitos amigos, por conta que sempre trabalhou e estudou a vida toda, é tão grato por Mark e Bambam por não desistirem de si, sua família já teve diversos problemas, seus pais se divorciaram, quando tinha seus quinze anos então sua mãe tinha que cuidar da floricultura dos Choi sozinha, por isso ele sempre tentava ajudar a mãe. Tanto que desistiu da faculdade de música, para um dia ser musicoterapeuta, para estar junto com a mãe, principalmente depois que a mãe ficou doente e debilitada.

Além de um filho prestativo e carinhoso, e um ótimo amigo, Youngjae era um apaixonado por romance clichê, sempre sonhou em um dia, ter um romance que começava com suspiros apaixonados, mensagens trocadas e encontros cem por cento clichês, como cinema, parques de diversões e etc.

Sem contar que Jaebum era um homem maravilhoso para si, sempre prestativo, e depois de bons dois meses de encontros aqui e ali, JB mimava e cuidava de Youngjae, quase o tempo todo, os dois eram bem melosos.

Jaebum, achava que nunca poderia ser assim com alguém, já que seus relacionamentos sempre eram bem frios, tanto que, Jaebum era meio zoado por Jinyoung pelos famosos chifres que ele acabava recebendo.

Mas isso não importava mais, ele era cem por cento grudento e meloso com Youngjae, e isso era bom para ambos.

Naqueles dois meses. Muita coisa aconteceu!

Como o primeiro beijo entre os dois:

Youngjae cuidava de uma pequena margarida machucada, enquanto cantarolava uma música qualquer em inglês, sua pronuncia não era tão boa, mas ainda sim, estava bela a canção em sua voz.

Jae estava tão distraido, que não percebeu o barulho clássico do sininho da floricultura, indicando que um cliente chegou, era ninguém mais ninguém menos que Im Jaebum.

Ele caminhou pelo estabelecimento e encontrou um Youngjae distraido, e riu baixinho

- Jae ? - o chamou e o florista lhe olhou lhe presenteando com seu lindo sorriso

- oi JB, o que faz aqui, nesse horário? - achou que as aulas do rapaz ainda não tinham acabado

- minhas aulas acabaram agora e eu quis te ver, me desculpa se essa semana eu não conseguir me encontrar com você - Jaebum tentava se desculpar e Youngjae apenas lhe olhou docemente

- Bummie não tem problema, eu também estou meio ocupado essa semana ok? - Youngjae lhe abraçou - tá tudo bem - sussurou ao pé do ouvido

- você é um anjo Youngjae - respondeu ao garoto que riu soprado em resposta

Ainda abraçados os dois começaram a olhar nos olhos, e em seus olhos era possível se ver um carinho tão grande.

Jaebum delicadamente colocou sua mão no rosto do rapaz e apertou um pouco mais seu braço em sua cintura, Youngjae levou suas mãos para o peito de Jaebum, e em seguida mordeu o lábio inferior com um pouco de receio e vergonha, suas bochechas coradas lhe denunciavam. JB logo cortou qualquer distância se estabelecia junto seus lábios em um beijo delicado.

Ao findar do beijo sorriam um para o outro, tão bobos e apaixonados.

.

ღ¸.✻´`✻.¸¸ღ

.

Os carinhos entre os dois amantes não pararam por ali, é claro que por ser um romance extremamente clichê que estamos vendo aqui. Aconteceu pedido de namoro e alianças, e os amigos de ambos bem felizes pelo casal.

Tiveram que enfrentar o preconceito tão presente no país em que viviam, mas mesmo assim, se amavam demais para desistir de tudo.

Talvez fosse o amor que sustentaria os dois.

ღ¸.✻´`✻.¸¸ღ

O relacionamento dos dois seguiu se Com todas as conversas, que ambos tiveram, acabaram até mesmo se encontrando, foi um primeiro encontro divertido e agradável para os dois.

Youngjae estava nas nuvens, com os encontros, conversas e de como Jaebum era um principe para si; Jae sempre teve uma vida turbulenta, nunca teve tempo para muitos amigos, por conta que sempre trabalhou e estudou a vida toda, é tão grato por Mark e Bambam por não desistirem de si, sua família já teve diversos problemas, seus pais se divorciaram, quando tinha seus quinze anos então sua mãe tinha que cuidar da floricultura dos Choi sozinha, por isso ele sempre tentava ajudar a mãe. Tanto que desistiu da faculdade de música, para um dia ser musicoterapeuta, para estar junto com a mãe, principalmente depois que a mãe ficou doente e debilitada.

Além de um filho prestativo e carinhoso, e um ótimo amigo, Youngjae era um apaixonado por romance clichê, sempre sonhou em um dia, ter um romance que começava com suspiros apaixonados, mensagens trocadas e encontros cem por cento clichês, como cinema, parques de diversões e etc.

Sem contar que Jaebum era um homem maravilhoso para si, sempre prestativo, e depois de bons dois meses de encontros aqui e ali, JB mimava e cuidava de Youngjae, quase o tempo todo, os dois eram bem melosos.

Jaebum, achava que nunca poderia ser assim com alguém, já que seus relacionamentos sempre eram bem frios, tanto que, Jaebum era meio zoado por Jinyoung pelos famosos chifres que ele acabava recebendo.

Mas isso não importava mais, ele era cem por cento grudento e meloso com Youngjae, e isso era bom para ambos.

Naqueles dois meses. Muita coisa aconteceu!

Como o primeiro beijo entre os dois:

Youngjae cuidava de uma pequena margarida machucada, enquanto cantarolava uma música qualquer em inglês, sua pronuncia não era tão boa, mas ainda sim, estava bela a canção em sua voz.

Jae estava tão distraido, que não percebeu o barulho clássico do sininho da floricultura, indicando que um cliente chegou, era ninguém mais ninguém menos que Im Jaebum.

Ele caminhou pelo estabelecimento e encontrou um Youngjae distraido, e riu baixinho

- Jae ? - o chamou e o florista lhe olhou lhe presenteando com seu lindo sorriso

- oi JB, o que faz aqui, nesse horário? - achou que as aulas do rapaz ainda não tinham acabado

- minhas aulas acabaram agora e eu quis te ver, me desculpa se essa semana eu não conseguir me encontrar com você - Jaebum tentava se desculpar e Youngjae apenas lhe olhou docemente

- Bummie não tem problema, eu também estou meio ocupado essa semana ok? - Youngjae lhe abraçou - tá tudo bem - sussurou ao pé do ouvido

- você é um anjo Youngjae - respondeu ao garoto que riu soprado em resposta

Ainda abraçados os dois começaram a olhar nos olhos, e em seus olhos era possível se ver um carinho tão grande.

Jaebum delicadamente colocou sua mão no rosto do rapaz e apertou um pouco mais seu braço em sua cintura, Youngjae levou suas mãos para o peito de Jaebum, e em seguida mordeu o lábio inferior com um pouco de receio e vergonha, suas bochechas coradas lhe denunciavam. JB logo cortou qualquer distância se estabelecia junto seus lábios em um beijo delicado.

Ao findar do beijo sorriam um para o outro, tão bobos e apaixonados.

.

ღ¸.✻´`✻.¸¸ღ

.

Os carinhos entre os dois amantes não pararam por ali, é claro que por ser um romance extremamente clichê que estamos vendo aqui. Aconteceu pedido de namoro e alianças, e os amigos de ambos bem felizes pelo casal.

Tiveram que enfrentar o preconceito tão presente no país em que viviam, mas mesmo assim, se amavam demais para desistir de tudo.

e duradouro, venciam todas as desavenças da vida juntos.

É claro que eles se casaram e foram morar juntos, os dois tiveram bons quatro anos de convivência, sendo dois de namoro e dois de casamento.

Mas nem tudo é um mar de rosa

E mesmo depois de pouco tempo, as brigas se infiltrando no casal pouco a pouco, de início eram brigas bobas, que se resolviam com abraços, pedidos de desculpas, e beijinhos aqui e ali, mas com o tempo tudo passou a ser feias discussões, Jaebum as vezes até saia de casa sem hora pra voltar, e Youngjae mesmo preocupado ficava com raiva e nem ousava ligar para o marido.

"Sabe-se que todo casal briga, logo vocês se resolvem" essa era a frase que ambos ouviam dos amigos mais íntimos, o que era parcialmente verdade, porém, em um dia fatídico, aconteceu o estopim para Youngjae. Ele viu fotos de JB o traindo.

Eram fotos feitas por uma garota, que amava Jaebum e queria o fim do relacionamento dos dois, pois achava que "merecia mais" o produtor musical.

Apesar da edição ridícula, Youngjae estava raivoso demais para notar qualquer coisa, e começou uma discussão com Jaebum:

- é assim que você me trata Jaebum?! Depois de quatro anos juntos? - indagava o marido explodindo de raiva - não foram quatro dias, ou quatro semanas ou até mesmo quatro meses, FORAM QUATRO ANOS JUNTOS IM JAEBUM!

- Youngjae me escuta essas fotos são falsas! Você acha que eu trairia você? Eu tenho pelo menos um pingo de consciência, diferente de você que acredita em tudo o que vê pela frente, é por isso que brigamos tanto - Youngjae se encolheu e lágrimas começavam a se formar em seus olhos. Aquela cena machucou Jaebum, mas ele não abaixou a guarda - e quer saber de uma coisa? Depois que casamos você se tornou insuportável!

E foi nesse momento que Youngjae tomou a sua pior decisão:

- eu vou sair agora Jaebum, e não me ligue, vou ver se fico menos insuportável então - essa foram as últimas coisas a serem ditas

A chuva caia forte lá fora, mas isso não importou na mente do rapaz, ele entrou em seu carro e começou a dirigir, a sua raiva tão forte quanto a chuva e isso restou apenas em uma coisa. Um telefone tocando na casa de Jaebum, a recepcionista de um hospital tentava lhe passar as notícias de Youngjae, e elas não eram nada boas, pois Jae acabara de sofrer um acidente.

Sua primeira foi sair de casa, e as logo tudo começou a se passar em câmera lenta, ele no pronto socorro, vendo seu marido lutar pela vida, suas lágrimas ameaçando sair, e alguns médicos locais tentando acalma-lo.

Aquele fora seu pior pesadelo.

ღ¸.✻´`✻.¸¸ღ

Primavera é a tão conhecida, estação das flores, é a época mais colorida e viva do ano, em algumas regiões é claro! Mas em Seul, a cidade qual tem lindas flores desabrochando nessa época do ano, um jardim quase não tinha vida presente, apenas algumas Miosótis, que floresciam. Pode parecer ironia, mas aquele jardim era sempre florido e bem cuidado, mas seu dono o deixou assim com o tempo

Da janela da varanda naquela casa estava Jaebum, o qual observava aquelas flores com olhar de mágoa e saudade de alguém distante, sua xícara de café tão amargo, mas que lhe parecia tão bom, ele tomava a bebida quente, enquanto sua gata passava no meio de suas pernas em uma maneira de consolar o rapaz.

- eu sinto tanta falta dele Nora - conversava com a gatinha, que miou em resposta - e parece que não é só eu, lembro que ele também fazia tratamento pra estar junto com você. - riu sem graça ao lembrar de alguns "sacrifícios" que seu amado fazia.

Olhou perto da porta que levava para o jardim e viu a pequena maltês que pertencia a seu amor, Coco, o nome da pequena cachorrinha, sentia saudade assim como ele.

- eu sei que também sente a falta dele Coco, é bem difícil mesmo - acariciou a cabeça do pequeno animal, que tinha um semblante bem triste, Coco não comia nada, isso preocupou muito Jaebum, mas de alguma forma sabia que era falta de seu antigo dono o que a cachorrinha tinha.

Aquela casa, além de tristeza e vazio, tinha um homem com saudade, de seu antigo amor, o qual foi tirado de seus braços e de seu carinho. Jaebum todos os dias se arrependia de ter brigado com ele naquela noite chuvosa, de que as últimas palavras trocadas, entre os dois foram de raiva, não pode ver seu sorriso pela última vez, ou falar eu te amo uma última vez.

O arrependimento do garoto era grande!

Decidiu tentar afastar os seus pesadelos que lhe assombravam, e foi para sua sala de trabalho, apesar de todos seus amigos tentarem te tirar de casa, fazê-lo trabalhar fora ao invés de estar em casa, de ir conhecer um novo alguém, ou até mesmo ir fazer um tratamento psicólogico.

Mas não, Jaebum não queria mais ajuda de ninguém, preferia ficar sozinho, apenas na companhia dos animaizinhos de estimação que tinha em casa. Achava o quão ridículo era o porquê de tudo ter acabado entre os dois.

Seu marido era sua luz, mas assim que a luz se apagou ele se viu na escuridão.

Youngjae se foi e infelizmente ele não conseguia mudar isso jamais.


Notas Finais


Eai gostaram? Espero que sim

Bom obrigada pela leitura beijos de luz Tchau ♥️✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...