História Flowers Perfume - Capítulo 9


Postado
Categorias Dylan O'Brien, Justin Bieber, Kylie Jenner, Lauren Jauregui, Megan Fox, Zayn Malik
Personagens Justin Bieber, Lauren Jauregui, Zayn Malik
Visualizações 96
Palavras 2.801
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu to no auge de uma infecção mas mesmo assim decidi postar hoje e sexta e domingo, para terminar de vez essa fanfic e parar de enrolação com vocês meus mores <3

Capítulo 9 - Keeping feel me


Fanfic / Fanfiction Flowers Perfume - Capítulo 9 - Keeping feel me

ZHARA

Londres - Inglaterra UK. 28 de novembro de 2016. 07h29min.

Casa dos Bieber.

Acordo com mãozinhas segurando meu rosto. Os grandes olhos verdes de Leah me fitam animados e suas covinhas aparecem num lindo sorriso.

— Feliz aniversário, mamãe! — grita. Ri, agarrando meu pequeno ser e a enchendo de beijos.

— Obrigado, meu amor — sorri. Olho em volta do quarto e percebo que o Justin não está. — Cadê seu papai?

— Ele...

— Bom dia, amor — cubro a boca, vendo meu namorado trazer um bolo nas mãos e um sorriso enorme no rosto. Me aproximo dele na ponta e beijo seus lábios rapidamente.

— Bom dia, babe.

Leah logo começa a bater palminhas e cantar parabéns, enquanto seu pai se senta ao meu lado e canta junto. Ri, pegando meu celular e tirando uma foto do momento, para guardar de recordação. Talvez eu coloque num quadro. Soprei as velas e não evitei uma gargalhada quando vi o símbolo no bolo.

— O Liverpool é seu time favorito né? — Justin pergunta divertido.

— Sim! Acertou em cheio, babe — além do símbolo do time, havia flores de açúcar em volta. Era a minha cara.

Cortamos o bolo rapidamente, pois Leah não aguentava mais esperar. Comemos na cama mesmo, não se importando de sujar. A pequena logo é arrumada para ir para a escola e Justin e eu para nossos trabalhos. É segunda, então temos que trabalhar normalmente. No entanto, combinamos de almoçar juntos, só nós dois. Meu namorado é o primeiro a sair, já um pouco atrasado. Pego a loirinha no colo, fechando a porta e descendo no elevador, destravo o carro e a ponho ma cadeirinha. Logo, estou dirigindo pelas ruas enquanto cantamos umas músicas do 5SOS. Eu havia criado um amor pela banda, e Lee parece ter entrado nessa também.

Estaciono na vaga provisória e a tiro da cadeirinha, beijando sua bochecha repetidas vezes enquanto caminho até sua professora. Cumprimento Maya e deixo Leah no chão. A mais velha até me deu parabéns, sorri e a agradeci. Me despedi com um beijo da minha filha e vou para o trabalho. A floricultura já estava aberta e Jason regava as flores da frente. Ally e Melanny ajeitavam uns novos arranjos.

Mel foi contratada na semana passada, mas hoje era seu primeiro dia. Ela iria nos ajudar ainda mais, já que nesses últimos meses a floricultura ganhou mais visibilidade.

— Olha a aniversariante mais linda! — Jason anuncia, com um sorriso enorme. Sou tirada do chão por seu abraço, rindo com a girada que o mesmo deu comigo. — Parabéns, chefe e futura sócia.

— Obrigada, amigo e futuro sócio.

— Saia, Jason é a minha vez — a morena empurra de leve o garoto, me agarrando em seguida. Seu sorriso era enorme. — Não acredito que você chegou aos vinte e cinco e sem nenhum filho!

— Obrigada?! — franzi o cenho.

— Estou brincando, feliz aniversário, minha flor de copo-de-leite — ri, abraçando-a de novo.

Mel sorri, se aproximando e estendendo uma sacolinha prata.

— É só uma lembrancinha, parabéns, dona Zhara — diz e eu a puxo para um abraço, agradecendo por seu presente. O abriria em casa, contudo.

As horas até o almoço foram tranquilas, alguns clientes novos e outros já antigos passaram - desses últimos recebi alguns parabéns. Também tivemos algumas encomendas, rosas vermelhas e orquídeas eram as mais procuradas. Por volta do meio dia, recebo uma mensagem de meu irmão, parabenizando-me e se desculpando por só poder me ver de noite, no jantar que eu e Justin organizamos. Zayn estava fazendo fisioterapia e costumava a passar a tarde na sua base, trabalhando do jeito que podia. Ele odiava ficar muito tempo parado.

No horário do almoço, me despeço dos meus amigos e dirigo até o restaurante combinado, procurando a mesa que Justin havia reservado. Sento-me e logo um garçom aparece, peço apenas uma água, enquanto espero meu namorado. Alguns minutos se passam até que ele chegue, trazendo consigo uma caixa perfeitamente embrulhada. Sorri.

— Você sabe que não precisava ter dado agora, Leah vai ficar chateada por eu ter aberto um presente sem ela — digo após lhe dar um selinho e pegar a caixa.

— Tudo bem, amor. Só abre — sorri, me incentivando. Balanço a cabeça antes de colocar a caixa na mesa, abrindo a mesma com cuidado. Cubro a boca no mesmo instante que percebo o que é.

Allah seja louvado!

Estou tremendo quando retiro o conteúdo, olhando esbacacada para o loiro na minha frente. A camisa vermelha estava rabiscada em letras curvadas e grandes.

"Para uma grande fã, com todo carinho do mundo. Parabéns, Zhara.

Ass: Phillipe Coutinho"

"Feliz aniversário, Zhara. Obrigado pelo carinho com o time.

Ass: Loris Karius"

Alguém me segura, pelo amor de Deus!

Lágrimas de felicidade rolam livremente pelo meu rosto. Mal consigo respirar! Solto um grito abafado segurando a camisa contra minha boca. Allah, estou chorando!

— Obrigada, amor! Obrigada, obrigada, obrigada! — digo entre lágrimas.

— De nada, babe. Agora, por que não olha o que mais tem na caixa? Hu? — com um sorriso enorme, vasculho ainda mais o objeto.

PUTA MERDA!

3 ingressos para o show do 5SOS se encontravam enrolados por uma pulseira dourada. A mesma tinha pingentes de vários tipos de flores e lindos brilhantes ao seu redor ou centro. Deixei a camisa no meu colo, tirando a pulseira com cuidado. Justin me ajuda a colocar a mesma, beijando meu pulso.

— Eu amo você, amor — digo emocionada.

— Também amo você, carinho — sorri, beijando meus nós.

Um garçom logo se aproxima, anotando nossos pedidos. Almoçamos em meio à risos, comigo contando de meus aniversários anteriores constrangedores e Justin dos dele. Eu ainda olhava os presentes esbacacada, pensando no quão sortuda eu sou por ter um homem que sabe do que eu gosto, que fez tudo isso por mim! E, confesso, me sentia um pouco mal por ter ocultado sobre a condição de meus pais.

Como será que ele vai reagir ao saber que, se meus pais quisessem, poderiam comprar o Liverpool apenas para me dar de presente de tão ricos? Me sinto horrível.

— Vou pegar a Leah, te espero em casa para jantarmos OK? — beijo seu maxilar enquanto caminhamos abraçados até meu carro. Ele estava na viatura.

— Vou tentar sair cedo para te ajudar — diz, beijando-me uma última vez antes de de afastar e correr até o seu automóvel.

Ally é a primeira a reparar na pulseira, gritando o quão sortuda eu sou por ter um homem tão bom na minha vida. Não neguei, era bom mesmo. Jason e Mel reparam na camisa e babaram pelas assinaturas. Meu amigo era um fanático pelos reds e a loira tinha uma quedinha no jogador brasileiro. Waliyha me liga brevemente, parabenizando-me, seu jeito apressado indicava que ela estava trabalhando na empresa. Às 16h, fechamos a floricultura e nos despedimos brevemente. Busco Leah na escola e fomos pra casa com ela comentando sobre o seu dia.

Ao chegar, dou um banho na garotinha e a arrumo devidamente, colocando-a para tirar uma sonequinha até a hora do jantar. E, também, para evitar que ela fique me atrapalhando. Arrumo a sala devidamente, logo a mesa de jantar e depois ligo para o bufê, confirmando a encomenda.

Eu e Justin decidimos por apenas pedir bolo e alguns doces, a janta seria uma lasanha tradicional e a entrada pães de alho com trufas brancas. Meus pratos preferidos. Meu namorado de fato chega mais cedo, tomando um banho rápido para se juntar à mim na arrumação da casa. Nós dois éramos organizados, mas a criança de 2 anos que morava aqui era um furacão.

Recebo uma ligação de Safaa e outra de Donyia. A última me informa que meus pais ligariam assim que pousassem em Luxemburgo. Meu pai tinha uma reunião de negócios por lá. Minhas irmãs estava animadas para vir me ver no aniversário da Zhara's Place, e principalmente para conhecer Justin. Yaser e Trisha fingiam não estar ansiosos também.

Às sete e meia, meu irmão tocou a campainha. Seu braço esquerdo me apertou num abraço e, depois de um parabéns e um beijo na bochecha, ele me entrega uma sacola impessoal. Bem a cara dele. Ally e Jason chegam juntos, cada um com um presentinho. Ryan, Chaz e Chris chegam mais depois. E por último, meus ursinhos!

Leah logo começa a tagarelar no colo da tia Angel enquanto Harry e Liam a fazem rir com suas histórias malucas. Servimos o jantar depois de um alegre parabéns. Lee mal colocaca uma porção na boca e já falava algo animadamente. Ela, com toda certeza, não deixou a mesa sem assunto. O "novo emprego" de Zayn também foi conversado e me surpreendi por saber que a faculdade era a mesma que os meninos cursam. A UFL era a faculdade de riquinhos, portanto minha surpresa foi breve. Meus pais ligaram durante a sobremesa.

— Estamos com muita saudade, e mal podemos esperar para lhe ver, querida — mamãe falara com a voz embargada. Ela ficava uma manteiga derretida nos aniversários de seus filhos.

— Mandamos um presente para você pelo seu irmão, espero que goste, minha doce Zhara — meu pai completara. Falamos mais alguns minutos antes de eles terem que desligar - a reunião de Yaser começaria.

— O presente deles tá na sacola, é a caixa preta — meu irmão respondeu quando indaguei sobre o tal presente.

Leah adormeceu por volta das 22h, no colo do tio Zayne. A pego no colo e a levo para seu quarto, deitando-a na sua caminha. Retiro suas sapatilhas e presilhas, assim como sua jaqueta de couro e a meia calça de bolinhas. Cubro-a com os lençóis rosas e ligo a babá-eletrônica. Por mim nós não a usávamos mais, mas Justin se sentia mais relaxado assim.

Depois das 23h, pouco a pouco cada um dos nossos amigos partiam, restando apenas Zayn. Meu irmão custou apenas o suficiente para nos ajudar a arrumar as coisas - mesmo eu o dizendo que não precisava. Ele choramingava falsamente o quanto sua irmãzinha fazia falta, o quanto meu café de manhã era melhor que o dele. Eu apenas ria e prometia o levar uma garrafa do meu café e chá toda manhã quando fosse para a floricultura. Nem preciso dizer que saiu com um sorriso enorme no rosto.

Eu e meu namorado fechamos as luzes da casa e, após vestirmos nossos pijamas, deitamos na cama e ficamos abraçados.

— Obrigada pelo dia, adorei cada segundo, amor — o agradeci.

— Você ainda merecia bem mais, babe — beija meus cabelos.

— Amo você, sabia?

— Não tanto quanto eu te amo.

●●●

09 DE DEZEMBRO 2016. 17h10min.

Salão de festas Kenya Medicent.

As flores de Dálias desciam graciosamente pelas cortinas de seda rosa bebê, os copos-de-leite em vasos do lado das pilastras façam um toque de graça e as rosas brancas se emoldavam nas estruturas das mesas de aperitivos. Buquês de orquídeas e jasmins enfeitavam as mesas dos convidados. A decoração delicada fazia jus à reputação da Zhara's Place, um grande e majestoso logotipo da loja estampava o centro do salão, acima de uma estrutura de cupcakes.

A recepção estava divina e os convidados felizes. Eu não poderia estar mais realizada! A festa era um arraso e ainda tinha minha família aqui. Meus pais realmente vieram e até me parabenizaram - ignorei mamãe e seu discurso dramático sobre o quão ingrata eu sou por não aceitar a ajuda deles para expandir mais o meu negócio. Justin ficou nervoso, mas logo ele e meu pai se engataram numa conversa animada sobre os confrontos da semana e suas apostas para a Champions. Homens e sua paixão pelo esporte.

E claro, Trisha teve que dar seu veredito.

— Ele é um rapaz bonito — disse ao meu lado, bebericando seu champanhe — e a filha uma graça. Você arranjou uma linda família, estou orgulhosa, Zhara.

Não precisei mais que isso para saber que ela havia mesmo gostado do Justin. Leah consquitou minhas irmãs rapidamente, afinal quem ela não agradava com os seus lindos olhinhos meigos?! Zayn a segurava para lá e para cá, a usando como um imã extra para atrair mulheres. E, funcionava.

— Não pode ficar usando minha filha desse jeito, Zayn! — fingi estar brava.

— Ah, Zhara, ela gosta de ser paparicada pelo tio, né princesa?! — cutucou a garotinha, que riu e balançou a cabeça.

Esses dois...

O jantar foi servido após um breve discurso dado por mim, onde anunciei juntamente a vinda do Jason como meu sócio. Ally também foi mencionada, comigo contando o quão orgulhosa eu estava por ela ter sido chamada para fazer um projeto na Escócia. Apenas eu e Jason sabíamos, logo fora uma surpresa para todos e mais um motivo para comemorar. Leah adormeceu após a sobremesa, depois de ter se enchido de bolo e tagarelado até suas energias esvairem de seu corpo. Por sorte, havia uma ala no salão para bebês e a colocamos num berço grande, Amy ficara com ela.

— A festa está bonita e ninguém parece preocupado em ir embora, isso é bom né? — meu namorado sentou ao meu lado, abraçando-me pelos ombros. Pousei minha cabeça no seu peitoral e suspirei, cansada. Tudo estava me cansando nessas últimas semanas, sem falar da minha incrível vontade de agarrar uma barra de chocolate a qualquer hora.

— Sim, é bom.

— Então Ally, quanto tempo na Escócia? — Justin pergunta, realmente interessado. Ele sempre quis visitar o país, mas Leah nasceu e então todos as suas prioridades tiveram que mudar. Talvez, eu consiga o convencer de fazermos uma viagem por minha conta.

— São só quatro meses, não se preocupem que eu vou voltar a tempo — piscou para mim, que retribui com um sorriso.

— A tempo de quê? — perguntou o loiro, confuso.

— Do seu aniversário, babe — respondi, mordendo seu queixo de leve, o distraindo.

— Ah, mas nem é tão importante assim — deu de ombros. — só vou fazer vinte e oito anos.

— Exatamente, são dois números faltantes para os trinta. É uma data muito importante — Ally explica, entendendo meu jogo.

— Se vocês acham...

Ufa!

Conforme os dias foram passando, Leah ficava ainda mais agitada. O Natal estava perto e seu aniversário também. A pequena nasceu no dia 27, portanto o Justin e sua ex-esposa comemoravam o aniversário dela junto da data. Eu não quis mais assim, mesmo que minha religião não comemorasse o natal. Primeiro, concordamos em passar o Natal com seus pais e o Ano Novo junto com os meus - seu pai Jeremy viria do Canadá com seus irmãos mais novos. O aniversário de Lee seria comemorado no dia 5 de janeiro, com seus familiares mais próximos. O pai de Harper, Donnis, também seria convidado. Ainda estávamos decidindo se chamaríamos a mãe.

No dia 20, Harper apareceu e perguntou se poderia levar Leah para passear. Receosos, deixamos contanto que Amelie fosse. A morena não discutiu, talvez ela realmente só queria ficar com Lee. Apesar de tudo o que ela fez, ela merece, assim como todos, uma segunda chance. E eu, de fato, estava disposta a dá-la. Mesmo que isso englobe algumas discussões com o pai da menor.

Na véspera de Natal, os pais do meu marido vieram para nossa casa e festejamos numa ceia animada. Meu Hannukah poderia esperar o ano que vem. Acendemos uma vela no bolo e cantamos parabéns para Lee, que surtou ao saber que teria outro bolo depois. Jeremy, sua esposa grávida e seus filhos me adoraram, segundo eles, o que me rendeu mais ainda o dia. Perto da virada do ano, viajamos para a mansão de meus pais em WestYorkshire. Leah praticamente implorou para que morassemos lá e nunca mais saímos, além de ter se encantado pelo quarto que mamãe organizou para ela.

— Só iremos passar uns dias, mamãe não precisava — eu disse, mas ela negou e sorriu abertamente ao encarar a menininha.

— Claro que precisava, ela é minha neta agora.

Foi o melhor presente de começo de ano. Chorei e abracei mamãe com toda força e amor que podia, ela aprovava minha relação com os Bieber e isso significava muito para mim. Foram servido várias comidas típicas árabes e muçulmanas no Ano Novo, além da festa estupenda que deram. Zayn quase não veio por isso, ele era o que menos gostava quando nossos pais misturavam datas de família com negócios.

A contagem regressiva começou, e meus dois estava abraçados à mim.

— Amo vocês — sussurrou meu namorado quando gritaram "CINCO".

— Também amo vocês — sorri, beijando seus lábios ao som dos fogos e gritos.

Um novo ano se iniciava, uma nova fase da nossa vida também.

E, eu gosto de saber disso. Muito.


Notas Finais


TRÊS CAPÍTULOS PARA O FUCKING FINAL, ME SEGUREM COM FORÇA!!!!😭❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...