História Foi Apenas Um Sonho - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai
Tags Exo, Happykaiday, Happykaisooday, Happykyungsooday, Ídolo, Jongin, Kaisoo, Kyungsoo, Wegotthatpowerkyungsoo, Yaoi
Visualizações 118
Palavras 2.904
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: LGBT, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heeeey! ~que gostinho de nostalgia~ Eu voltei! Obrigada às pessoas que pacientemente tem me esperado.

E hoje é o aniversário do mozão, mas desde ontem estou comemorando kkkk quem me acompanha no twitter viu.
Vamos dar muito amor ao nosso Kyungsoo e ao EXO, que este ano seja repleto de conquistas e sucesso para eles e que nós, fãs, continuemos nessa saga interminável de apoiá-los.

Eu espero que vocês gostem disto aqui, foi preparado com muito carinho e altas risadas.
Obrigada a @BeChanbaek por todo apoio e ajuda nas minhas loucuras KKKK Te desejo um Baekhyun lindo e cheiroso e um Elyxion pra nós se encontrar de vez KKKKK <3

Boa leitura~

Capítulo 1 - Inesquecíveis


Eu estava eufórico não só por estar atrasado, como também por estar perdido. O caminho que o GPS havia apontado estava interditado e eu não tinha ideia de como optar por outra via sem perder nenhum momento do show que eu havia esperado acontecer o ano inteiro. Eu estava surtando! E tudo piorava ao ver que os minutos pareciam estar voando. Eu podia vê-los flutuando ao meu redor numa espécie de miragem, literalmente!

Dou a volta com o carro, por fim encontrando uma via para retorno, que aliás, era por onde outros milhões de carros também retornavam, mas eu duvido que um desses motoristas se senta tão frustrado e nervoso quanto eu estou, principalmente com o engarrafamento que se arrasta diante do meu carro... e a chuva que de repente começa a cair em grossas gotas contra o para-brisa.

— Desse jeito eu nunca vou conseguir chegar... — resmungo, já começando a sentir o nó se formar em minha garganta. Eu tinha esperado tanto tempo por esse dia… tinha esperado tanto tempo para vê-lo novamente.

D.O. Kyungsoo e sua voz entoada em suas belas canções me arrebataram por inteiro quando eu tinha dezesseis anos de idade; em seguida foi, o que eu gosto de chamar de ‘poemas’ que são nada mais, nada menos do que rabiscos pessoais do cantor. E por fim, ele. O seu jeito, as suas ideias e opiniões; o carisma... e claro, a beleza dele, o homem em si... eu mal posso pôr em palavras o que acontece comigo sempre que, em meus fones de ouvido ou qualquer outro lugar, a sua música começa a tocar. É esmagador, é fascinante, é intenso e é impossível não me sentir em paz ao me deixar levar pelo seu timbre, pelo o que D.O. conta em suas composições.

Quando eu tive a minha fanbase reconhecida pelo próprio Kyungsoo, eu mal pude caber em mim tamanha era a felicidade e realização por ter conquistado algo sequer cogitado naquele momento. Quer dizer... quantas pessoas iniciam um projeto como este e se dedicam à isso por puro prazer e acaba sendo reconhecido pelo próprio ídolo ainda mais como uma fonte confiável oficial de assuntos relacionados à si mesmo? As chances são mínimas, se não nulas!

Além da melhor recompensa que eu poderia ter ganho por essa dedicação, D.O. Kyungsoo reconheceu o meu rosto dos seus shows em Goyang, pois eu estou em todos eles agindo como se eu estivesse vendo-o pela primeira vez ao vivo. E esse reconhecimento foi um pouco embaraçoso porque eu tenho a péssima mania de encará-lo enquanto o mundo ao meu redor se desvanece; como se estivesse apenas eu e ele dentro do nosso próprio mundo. Eu jamais imaginava que ele poderia me notar dentre tantas pessoas na plateia tão eufóricas e agitadas, enquanto eu, fico apenas lá, encarando-o seriamente, absorvendo tudo daquela visão, da dádiva de poder vê-lo e ouvi-lo tão de pertinho; tentando ao máximo não perder nenhum detalhe dos seus gestos e dizeres.

Eu sempre sou levado pelas danças descompassadas e outras vezes empurrões dos outros fãs, enquanto imortalizo D.O. Kyungsoo em minha memória. Ficar ciente de que ele sabe disso, de que ele preferiu esse meu “silêncio” ao invés da barulheira dos demais direcionada à ele, é surreal, inacreditável, mas é verdade e eu fiquei em êxtase!

E depois de tudo isso e de tanto tempo à espera dele, de poder ver de perto o seu olhar de reconhecimento, eu acabo no contratempo do risco de não poder vê-lo e ser visto de verdade pela primeira vez em oito anos de carreira.

Eu me nego a isto!

D.O. Kyungsoo é uma parte importante da minha vida e dar à ele a impressão de que agora, o meu interesse diminuiu depois de sua atenção, é quase desesperador.

Eu preciso sair dessa confusão de carros. Eu preciso vê-lo.

Essa noite seria tudo diferente, eu podia sentir. Eu precisava estar lá.

Pelo o que parecia ser a sorte intervindo por mim, a chuva havia parado consideravelmente, resumindo-se a respingos quase invisíveis. O trânsito já estava menos lento, quase que com uma velocidade normal fazendo com que o meu coração começasse a bater rápido demais; como se eu tivesse recebido uma descarga de adrenalina.

E foi por causa dessa suposta descarga de adrenalina, que cansado e impaciente por esperar a boa vontade do que quer que fosse sair do meu caminho, é que eu começo a buzinar sem parar. O relógio já avançou tanto; imaginar que D.O. já possa ter subido no palco… era angustiante para mim.

E como por mágica, o engarrafamento desaparece quase que instantaneamente… Eu já estava pisando no acelerador atento ao carro na minha frente e ao meu lado, me certificando de que aquilo era real. De que finalmente eu estava indo para ele. De que eu iria poder realizar tudo o que eu havia planejado especialmente para o meu ídolo.

Seria inesquecível.

*****

Era mais uma noite de show e eu estava ansioso e eufórico. Havia tantos motivos pelos quais eu estava desse jeito que eu mal podia enumerá-los. No entanto, sendo sincero comigo mesmo, havia duas razões as quais eu poderia sim rotular como as principais causas do caos que definia o ser que era eu.

A primeira: eu finalmente estava de volta à minha terra natal. Era menos de um ano sem fazer um show em Goyang, mas ainda assim era muito tempo. Viajar por várias cidades fazendo shows, que porventura é o que eu mais amo em minha vida é muito bom, mas nada me tira o prazer e o conforto de estar de volta ao berço.

Pela manhã, eu havia visitado os meus pais e uns poucos amigos num rápido almoço, e agora eu estava entregue de corpo e alma ao aqui e agora, ao meu show. Além de demonstrar gratidão aos fãs através das minhas canções, havia a segunda razão cuja qual me deixou ansioso logo no trajeto para cá. O rapaz do sorriso bonito que estava em todos os meus shows, certamente estaria neste também, mas agora, não apenas como um fã parecendo hipnotizado por mim, mal piscando ao me olhar a ponto de me deixar sem graça; mas como, oficialmente, o dono de uma fonte de informações sobre mim e o meu trabalho. Mesmo que a princípio, saber que um total desconhecido não só sabia como também expunha tudo ao meu respeito, cada passo que eu dou, fora um pouco assustador para mim, através de um pouco de pesquisa e alguns dias o observando, eu pude ver que ele não era nenhum stalker psicopata. Que na verdade, Kim Jongin além de ser nascido e morar na minha cidade natal e que ele trabalhou duro para construir uma espécie de dossiê inteiramente repleto de verdades sobre mim…  Fora um alívio e eu fiquei estranhamente feliz por isso.

Por mais que a minha carreira solo seja tranquila, que eu não esteja com todos os dias do ano com um show marcado, em algum momento surge alguma falsa notícia a meu respeito, e saber que há pessoas como o rapaz do sorriso bonito cuidando para desmentir essas coisas, é maravilhoso.

Como forma de parte da minha gratidão para ele, hoje eu apresentaria um repertório repleto de novidades. Esta noite seria inesquecível.

~

Eu já tinha tocado três músicas, uma atrás da outra, quase sem intervalos entre os finais delas, e o cara do sorriso bonito, não chegava. Meus olhos o procuravam incansáveis, e não o encontrava. Era frustrante!

Mas então, um caminho em meio a multidão começa a ser feito depressa criando um pequeno e breve tumulto, e só quando ele para em frente ao meu palco é que consigo vê-lo. Parecendo cansado e tão diferente das vezes anteriores, mas tão igual e ainda assim, tão belo. Eu não posso deixar de sorrir e encará-lo, verdadeiramente e pela primeira vez, encará-lo como tantas vezes ele fizera comigo.

O nevoeiro do gelo seco nubla a todos ao redor dele, destacando-o cada vez mais, deixando-o cada vez mais próximo a mim. Meus lábios entoavam mais uma canção, a última canção da noite, mas eu queria prolongar aquilo, ele tinha acabado de chegar! Eu precisava mais dele.

Então, como se ouvindo os meus pensamentos, o rapaz do sorriso bonito gesticula um pedido de foto com seus lábios enquanto aponta para seu celular… e é claro que eu aceito; assinto com a cabeça sem desviar o olhar dele, dando-lhe a certeza de que eu o entendi.

O show acaba. Os agradecimentos e despedidas são feitos, e então eu me retiro torcendo silenciosamente para que Jongin apareça.

~

Através dos rapazes que fazem a segurança do local, eu pude saber que todos já haviam ido embora e isso pesou no meu coração. Eu não podia acreditar que ele tinha embora depois de tão pouco tempo…

Diferente dos momentos pós show, quando eu já estou sozinho e relaxado, realizado por ter feito e estado com o que mais amo, desta vez eu me sinto diferente; como se algo estivesse faltando. Levanto-me disposto a ir embora, ainda tentando aceitar que nada aconteceu, tudo acabou. Porém, ao dar a volta, Jongin está aqui, bem na minha frente. Como se ele estivesse ali o tempo inteiro, me olhando com seus olhos calorosos e sorriso quase imperceptível. Como as vezes nos meus shows nesse lugar.

“Olá.” — o cara do sorriso bonito diz de forma tão segura e doce, quase familiar. De alguma forma ele me deixa confiante novamente; me faz esquecer a total surpresa de vê-lo aqui tão perto e não dando qualquer aviso de sua chegada.

“Gostou do show?” — pergunto olhando ao redor, silenciosamente agradecendo pelos rapazes da segurança nos dar privacidade ao saírem discretamente e sem qualquer pedido.

“Sim. Lamento não ter chegado antes, mas isso não importa agora. Estou feliz por poder te conhecer pessoalmente, D.O. Kyungsoo.” — o modo como ele menciona o meu nome causa um arrepio instantâneo em mim. É o suficiente para eu ter certeza de que esse garoto, com certeza, sabe como agir para me deixar sem reação. É incrível!

Sorrio e estendo a minha mão para ele. Eu precisava mais do que apenas a sua presença. Há algo nele, não na sua aparência, mas algo nele que é... cativante; me atrai. E esse mistério em seu olhar… eu preciso saber o que eles reservam para mim.

~

Jongin me estende um dos meus álbuns o qual eu rapidamente autografo o meu nome, e a base de um completo novo segundo impulso, eu rabisco o meu número de contato pessoal. Mas Jongin não vê. Ele está ocupado demais me encarando por debaixo das mexas de cabelo castanho que caem lisas por sobre sua testa.

“Posso saber o que você faz além de se dedicar à mim, Kim Jongin?” — eu o encaro novamente e é maravilhoso vê-lo enrubescer. Ele pega o álbum das minhas mãos e nossos dedos roçam-se rápido e levemente, mas é o suficiente para eu querer mais.

“Eu também toco.” — ele diz e sorri, e que sorriso! Jongin estende, dessa vez, uma palheta para mim me deixando ainda mais surpreso. Eu tinha tantas coisas planejadas para falar, mas… ele me surpreendeu em um novo nível desta vez.

Música é como o ar que eu respiro, é essencial na minha vida. Com ela, eu superei e supero o que quer que for… e Jongin a tinha exatamente assim, ele me dissera. E a partir dessas palavras, o que tinha começado sem jeito, teve um desenrolar encantador.

Estávamos ali, na nossa bolha, éramos dois amantes de música babões!

E então a nossa conversa progrediu para outros assuntos. Falamos sobre as nossas famílias, sobre os nossos sonhos, e sobre o mundo… parecia que eu o conhecia há décadas tamanha eram as nossas semelhanças. E sei que Jongin não estava mentindo, eu podia ver em seu olhar, no seu sorriso, nos seus gestos e em como ele estava à vontade comigo.

Era tarde e eu sabia, eu podia sentir na temperatura gélida da noite como as horas haviam avançado bastante. Mas eu não queria que a nossa bolha estourasse. Eu queria mais, mas como se a vida risse de mim contrariando a minha vontade, o meu segurança bateu rapidamente na porta avisando que precisávamos ir.

Ao olhar para Jongin, o sorriso lindo que se manteve o tempo todo ali fora se transformando em um sorriso triste, espelhando-se no meu e apertando o meu coração. Nenhum de nós dois queria o nosso fim.

Mas era necessário. Aquele momento vivido com Kim Jongin fora intenso de uma forma que eu não consigo pensar comparar a outra coisa. A familiaridade que apresentamos um para com o outro ficará marcada em minha memória para sempre; como uma tatuagem, eu imortalizaria isso na minha pele; como música, isso ficaria gravado em minha alma, porque o nosso “mais” me dizia que tudo ali se definiria a único.

Eu tentei sorrir, mas falhei porque ver a tristeza nos olhos de Jongin era dilacerador. Eu queria prendê-lo ali comigo tanto quanto ele provavelmente gostaria de ficar.

E não suportando mais o silêncio do cara do sorriso bonito, eu o abracei com força.  A nossa diferença de altura era ideal para que eu me encaixasse perfeitamente entre os seus braços. O cheiro dele invadiu minhas narinas e foi impossível contar o suspiro profundo que dei; inalando dele o máximo que me foi possível.

O abraço não acabou como deveria; de repente, eu o senti mais perto, devolvendo aquele aperto e confirmando mais uma vez que ele também não queria se despedir. Foi... arrepiante.

Quando por fim nos afastamos, foi inexplicável como eu senti que eu poderia confiar naquele toque que ainda permanecia no meu corpo apesar de não estarmos mais abraçados… suas mãos na minha cintura assim como as minhas na sua, nós dois ofegante, como se tivéssemos corrido uma maratona.

Eu não queria piscar, mas o fiz e eu soube que o fim estava cada vez mais próximo. Eu sentia em seu olhar e em como Jongin parecia cada vez mais distante, mesmo estando bem na minha frente. Ele tremeluzia, literalmente.

“Não se esqueça de mim.” — ele murmurou e foi o meu fim. Foi o meu quase despertar, quando ele me puxou de volta para ele a ponto de não sobrar um mísero centímetro entre nós dois. Mas, eu ainda precisava de mais. Então continuei ali com ele, eu precisava me certificar de que esquecê-lo seria impossível.

“Impossível. Improvável. Nunca.“ — eu disse brincando, mas falando extremamente sério e o cara do sorriso bonito sorriu apesar de eu não ver o seu rosto; eu podia sentir que ele sorria.

Ficamos brevemente sem reação. Eram tantas declarações e emoções… Estávamos tão juntos… Eu estava perto do meu mais.

De repente, Jongin estava tão perto num momento, mas no seguinte, não estava mais.

Os minutos pareciam estar voando.

Nós nos encaramos diretamente, o desejo no olhar dele estava estampado e quando ele se aproximou novamente, um beijo fora depositado em minha bochecha e logo ele se afastou… eu não pude acreditar! Eu queria mais! Eu estava exatamente como ele, eu o desejava também e deixei a minha insatisfação pelo beijo na bochecha estampada em minha expressão… eu não nos deixaria na vontade. Então, eu o beijei.

Kim Jongin, seu jeito, suas ideias e o gosto da sua boca me perseguiriam por toda a minha vida.

Eu fiquei na ponta dos pés e Jongin abaixou-se um pouco, cada um bebendo do outro o máximo que podia com aquele beijo. Cada um lapidando um no outro cada detalhe daquele momento da forma que queria.

Foi um beijo longo, caloroso, com um encaixe delicioso.

Se não fosse a nossa dependência do oxigênio, nós dois ficaríamos ali para sempre, mas nós precisávamos respirar. Juntamos nossas testas, ofegantes. O seu aperto em minha cintura se intensificou e eu retribui apoiando-me nele.

Jongin segurou o meu rosto, seus dedos acariciaram as minhas bochechas e quando finalmente me beijou de novo, eu tinha certeza de que seria mais do que apenas um beijo.

Eu queria mais rápido, mas o cara do sorriso bonito, não. Então ele me beijou devagar, mas com tanta voracidade… eu me sentia a cada segundo sendo consumido por algo inteiramente desconhecido, mas muito bom.

Quando deslizei as minhas mãos por dentro da blusa de Jongin, ele gemeu e foi o nosso fim. Jongin me beijou mais, e mais, e mais… e então…

~

— Hey, acorda! Nós chegamos! — diz Chanyeol, sacudindo-me de leve pelo ombro.

Olho ao redor e minha visão dói pela claridade repentina, minha cabeça dói pelo susto e ao perceber o que aconteceu, me viro de lado e dou um gemido resmungando, completamente frustrado.

— Hey, tá tudo bem? — Suho hyung pergunta, e eu assinto.

Ninguém entenderia que por culpa da minha curiosidade, eu acabei por abrir uma das inúmeras cartas de nossos fãs, apenas para descobrir que tudo não passava de uma Fanfic; uma simples história inventada onde eu e o rapaz dono de um sorriso lindo chamado Kim Jongin, éramos protagonistas.

Eu jamais vivi algo como aquilo, mas desde então, tudo, todas aquelas palavras rondam a minha cabeça e me assombram em forma de sonho, vívidas demais.

Inesquecíveis.

 

"Ontem eu tive esse sonho
Nele eu encontrava com você
Não sei se eu sonhava o meu sonho
Ou se o sonho que eu sonhava era seu"

Um sonho, Nação Zumbi.


Notas Finais


Para quem não entendeu muito bem, é realidade o que está antes das "*". Tudo o que ocorre entre os "~" são sonhos com aqueles saltos que geralmente se tem quando sonhamos, por exemplo: num segundo estamos num lugar e no seguinte já estamos no outro. Por isso essas aparições rápidas etc.
Espero não ter bugado vocês kkkkk

E obrigada a moça mais fofa que eu conheço (vc mesma Thainá) por ser paciente comigo também, e por sempre demonstrar seu apoio e carinho sempre que conversamos <3


E é isto.
Link da musiquinha que me inspirou: https://youtu.be/G64EzXR7bHE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...