História Foi assim... (Gastina) - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Delfina, Gaston, Luna Valente, Matteo, Nico, Nina, Pedro, Simón
Tags Gastina, Lutteo, Sou Luna
Visualizações 45
Palavras 1.068
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amores, tudo bem com vocês? Eu espero que sim. Sei que não tem desculpas que faça eu me redimir mais eu escrevi esse capítulo seis vezes e ainda não sei se ficou tão bom, porém espero que gostem e por favor fãs de Lutteo não me matem, a história já estava planejada assim desde o início. Obrigadaaaaaaa a todas e todos que favoritaram essa estória, cada vez que olho e vejo mais um favorito meu coração se enche de alegria, então obrigada. Deixa de conversa e vamos ao que realmente importa: lê!

Capítulo 16 - Capítulo 15


Fanfic / Fanfiction Foi assim... (Gastina) - Capítulo 16 - Capítulo 15

1 semana depois

Gastón estava mais nervoso que o normal e tudo graças ao desaparecimento do seu pai. Depois de ter ameaçado Delfina o homem sumiu e isso era o que mais deixava o rapaz apreensivo. E com tudo ainda tinha Âmbar que estava no hospital sobre observação. Simón mesmo quebrado pela perca de memória da loira estava lá com ela sempre. Luna resolveu tirar umas férias e só Nina sabia onde ela estava, Matteo se enfiou no trabalho e mesmo sabendo que todos estavam bem ele se preocupava se seu progenitor feriria alguém. Ele deixou a caneta cair sobre a mesa e passou a mão no rosto e segurou as pálpebras como quem está cansado e realmente o estava, não fisicamente mais seu psicológico estava e muito. Continuou assim até que ouviu batidas na porta liberando a entrada da pessoa logo em seguida.

- Te atrapalho? Nina perguntou abrindo apenas uma brechinha da porta.

- Você nunca atrapalha, pode entrar. As bochechas dela ganharam um leve rubor. Deste a conversa deles os dois estavam mais próximos e Gastón sentia-se estonteante com isso, ele nunca tinha sentido tanta vontade de ter uma pessoa ao seu lado como ele sentia com Nina. O rapaz achava lindo seu jeito tímido e ao mesmo tempo determinado, aquilo era admirável.

- A Delfi saiu para almoçar e pediu para te entregar esses documentos. Ela pôs os papéis na mesa e ele agradeceu. - E também quero fazer um convite.

- Pode falar. Falou enquanto organizava algumas coisas sobre a mesa para levantar.

- Quer almoçar comigo? Ela empurrou a armação do óculos sobre o nariz em gesto de nervosismo e Gastón abriu um sorriso que iluminou todo seu rosto.

- Claro que sim, você é minha companhia favorita no momento. Quando Nina abriu a boca para responder Matteo entrou na sala reclamando.

- Bom saber que me esqueceu. Vim aqui te convidar para almoçarmos mais já que prefere a Nina esquece o convite.

- Porque não vem com a gente? Nina perguntou abraçando a cintura de Matteo. Gastón fechou a cara. Matteo percebendo a carranca do amigo abriu um sorriso zombateiro e aceitou o convite de Nina fazendo Gastón revirar os olhos. Os três saíram da sala e Matteo não parava de tagarelar fazendo vez por outra Gastón revirar os olhos e Nina gargalhar. Gastón queria conhecer um pouco melhor Nina mais ver seu amigo como antes lhe encheu de alegria.

Depois de consolar Simón e entender bem a situação da amiga Luna decidiu dar um tempo para si mesma e afastou-se da empresa. Pensou na conversa que teve com o Matteo e tomou a decisão de se internar em uma clínica de reabilitação, aquele vício já estava indo longe demais e prova disso era o clima austero com Matteo, ele mal a olhava e quando o fazia era para falar sobre trabalho. Aquilo estava a cansando e lhe deixando triste no entanto estava dando o primeiro passo e isso era o mais importante no momento.

Quando chegaram ao restaurante Matteo entrava de costas fazendo uma careta pra Nina quando se esbarrou em alguém, a moça quase foi ao chão porém o moreno foi mais rápido e a segurou pela mão e puxou logo em seguida fazendo a ruiva bater contra ele. As bochechas dela ganharam uma coloração quase do mesmo tom do cabelo e aquilo encantou o rapaz, ele sentiu uma euforia que a muito não sentia.

- Desculpa pelo esbarrão e obrigada. Ele soltou a mão dela porém ambos continuavam próximos.

- De nada… Ele deixou a frase solta para que ela dissesse seu nome e estendeu sua mão.

- Karen. Ela estendeu sua mão para Matteo que levou até os lábios e depositou um beijo demorado. Gastón e Nina observavam o desenrolar da cena quando ele a puxou para uma mesa e assim deixar eles a vontade. A morena o seguiu praticamente arrastada, ela queria ver o que aconteceria e foi inevitável pensar em Luna, a amiga tinha lhe confessado gostar muito de Matteo mas não sabia até que ponto se arriscaria a ter um relacionamento com ele. Nina também sabia dos sentimentos dele para com ela no entanto sentimentos não correspondidos acabam gerando sentimentos negativos e antes de tudo ela queria que os amigos fossem felizes.

- Você acha que eles vão sair? Gastón pergunta encarando o casal.

- Não sei, mais do jeito que as coisas estão é bem capaz. O moreno deu uma risadinha.

- O Matteo sempre gostou da Luna mais me falou que cansou de amar sozinho. Nina suspirou ao ouvir aquelas palavras, ninguém podia fazer nada para mudar pensamentos tão pouco sentimentos.

- A Luna também gosta dele, porém não da mesma forma. Ele merece ser feliz.

- Também acho. Mas deixando eles de lado que tal falar de nós. O tom rosado apareceu nas bochechas de Nina novamente. - Pensou na minha proposta? Ele estava ansioso pela resposta e batucava os dedos na mesa, enquanto Nina "ajeitava" os óculos. Gastón esperava pela resposta fazia uma semana e aquilo o estava massacrando. Ele propôs que se conhecessem melhor e disse também que estava muito atraído por ela, no começo Nina se assustou porém não teve como negar tal pedido, afinal ela também sentia tudo que ele descreveu.

- Bem…

- Se você quiser posso esperar mais um pouco. Eu só queria poder passar mais tempo com você. Nina sorriu com o nervosismo do homem a sua frente.

- Você não me deixou terminar de falar. Ele assentiu e Nina prosseguiu. - Tenho duas exigências: teremos cinco encontros e não ficaremos com outras pessoas nesse período. Gastón deu um sorriso estonteante e seu coração disparou, sensação essa que nunca tinha sentido.

- E quando será o primeiro encontro?

- Você escolhe. Podia ter sido esse mas o Matteo veio então… Ela deu de ombros e Gastón gargalhou chamando atenção de algumas pessoas inclusive do seu amigo que se despediu da ruiva logo em seguida e seguiu até a mesa dos amigos com um sorriso que chegava aos olhos.

- Espero não ser o motivo da piada. Matteo resmungou.

- Você estragou meu primeiro encontro. Gastón ralhou e Matteo revezou o olhar entre ele e Nina gargalhando logo em seguida e levando os outros dois a fazerem o mesmo alguns segundos depois.

- Desculpa ter estragado o momentos de vocês mas foi graças a isso que consegui um encontro. Disse depois que recuperou o fôlego. Gastón e Nina trocaram um olhar cúmplice e sorriram, aquele almoço rendeu só coisas boas.


Notas Finais


Esqueci de perguntar, o que estão achando dos capítulos de Sou Luna? Bjos nos seus corações!😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...