História Foi bobeira te amar - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink
Personagens Lisa, Rosé
Tags Abandono, Chaelisa, Drama, Relacionamento Tóxico, Romance
Visualizações 41
Palavras 687
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Poesias, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie! Espero que gostem. Esse texto não foi feito na intenção de denegrir a imagem de nehuma das meninas, foi escrito para entreter. Aproveitem ;)

~Queen

Capítulo 1 - Capítulo Único


De todas as coisas que se enquadram nas coisas bobas que já senti, a emoção de ver a chuva cair era a mais interessante delas. Refletir sobre como tudo ficava mais feliz numa tempestade foi essencial.

Todas as chuvas do ano eram felizes porque você estava lá comigo, deitada em mim sem medo das trovoadas e eu acreditava que era por minha causa que se sentia segura.

Eu gostava de sentir o cheiro do seu xampu no meu travesseiro, de alisar seus cabelos quando se aninhava perto de mim para ouvir a chuva comigo. Eram coisas bobas que nunca pensei que se tornariam angustiantes depois de ver você partir.

Ver você ir e não fazer nada para você ficar.

Mas tudo bem, porque você também não se despediu, não pensou em mim, em nós, só foi e me abandonou desolada definhando na saudade que senti de você.

Curtia sentir teu cheiro na minha cama, acordar com teu sorriso, encontrar suas roupas no chão do meu quarto, brigar para você não andar descalça, pois ia ficar doente. No fim eu quem estava doente. Doente em você, por você e sempre porque você fez algo de errado. E mesmo você com seus erros, suas paranoias, seus fardos e problemas, dramas, defeitos e qualidades, suas ideias absurdas, eu ia voltar se precisasse de mim, ia voltar se não me procurasse, ia voltar mesmo se me machucasse.

É a lei do meu amor, meu amor que não foi valorizado por ti, meu amor que entreguei para você e se tornou nosso na minha cabeça.

Você tinha suas maneiras de lidar comigo, eu tinha minhas maneiras de te entender, de entender o porquê de você esperar os créditos no final dos filmes, o porquê de nunca amarrar os cadarços dos tênis, o porquê de não dobrar as roupas depois de usar, o porquê de sair do banheiro molhando a casa toda depois do banho, o porquê de me fazer apaixonar pelos seus encantos e me quebrar em pedaços para te manter inteira.

Era só o que eu sabia fazer: ser tola, gostar de sofrer por você.

Ainda que tivesse me avisado para não ser assim, para não me entregar e não idealizar nossa vida juntas, porque não era a nossa vida, era a sua e a minha, vidas individuais que se cruzaram por um doce e cruel acaso, e como é a ordem das coisas, não iriam se cruzar numa segunda vez.

Você adorava cantar, e eu fiz do meu corpo o teu estúdio. Você sempre amou saturno, e eu fui teu universo. E gostava de dançar, era a minha bailarina, você dançava na minha caixinha de sentimentos e eu nunca vi mulher tão bonita, nunca amei alguém como você, nunca quis tanto alguém como quis você, mesmo que você tivesse seus defeitos.

Eu fui me apaixonando sozinha, você não queria ser como eu, não queria me amar, mas permitiu que eu te amasse e desse para você o meu melhor e o meu coração que sempre foi teu e o pisoteou de salto alto.

Foi egoísta comigo.

E eu fui idiota por você e pelo que achava que você pudesse me oferecer além de ser um falso reflexo do que eu tinha para te dar.

No fim das contas eu quem me machuquei, eu quem amei, eu quem não obedeceu aos avisos da vida. Mergulhei no mar dos teus olhos porque queria chegar ao fundo do oceano que era teu coração, e você, Rosé, não permitiu que eu se quer chegasse perto de te descobrir.

E você foi embora sem me dar satisfações. Sempre disse que odiava despedidas, assim como odiava minha transparência, mas amava a chuva e eu era a sua tempestade, vim para movimentar as folhas de suas árvores, e descobri no fim que você não passava de um mero jardim de ervas-daninhas que eu acabei amando como se fossem lindas tulipas, as minhas tulipas.

Foi besteira depositar tanta esperança no nosso amor.

Foi besteira te amar.

Foi besteira não te pedir pra ficar e foi besteira te perder e deixar que fosse embora do meu abraço, da minha vida, nos abandonou.


Notas Finais


Obrigada para você que leu até aqui <3
Quero que tenha gostado. Compartilhe, escreva um comentário e seja feliz syahsuahu

Até mais ;)


~Queen


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...