História Foi de repente - Capítulo 59


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Adolescente, Amizade, Banda, Comedia, Drama, Intriga, Jovens, Musica, Romance
Visualizações 14
Palavras 748
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa taaarde!!!! Segunda tamo aí, sim senhores!
Trouxe um cap, ENJOY!

Capítulo 59 - Cap 56


Estávamos dançando e um Carlos alteradissimo chega em nós. (imaginem ele falando arrastado)

Ca: Foi mal interromper casaaal. - eu e Vini os olhamos.

Eu: Eita vejo que já bebeu demais hein.

Ca: Eu quero dá parabéns pra vocês.

Eu: Você já deu, quer uma água? - ele estava realmente mau. O cheiro do álcool tava forte e seu corpo sem equilíbrio algum. Vinicius tentava ampará-lo.

Ca: Eu tô ótimo, não ta vendo? - tentou parecer sério, falhou. Eu ri.

Eu: Carlos, vem comigo. Aliás, cadê sua namorada? - passei o olho pela galerinha e a vi entrando com Beto, que não parecia normal também. Sinto cheiro de problema no ar.

 

Eu: Vini, fica aqui com ele, por favor? - cochichei meio rápido, não queria que Carlos ouvisse.

Vn: O que houve? - falou preocupado.

Eu: Só fica com ele aqui, eu vou conferir uma coisa. Confia em mim. - ele me olhou desconfiado. Virei pro Carlos — Eu vou deixar vocês terem uma conversa de meninos, ok? Se comportem! - olhei pro Vini, tipo “cuida dele”. 

Ig: Eu tenho bastante coisa pra falar mesmo. - ele riu e Vini forçou um riso. Nem sei se isso foi uma boa ideia, mas eu tava sentindo algo muito errado.

Primeira pessoa que fui caçar, advinhem? Meu fiel escudeiro, meu anjo da guarda, Lucas. O encontrei dançando, como sempre, com Izabel, Felipe e André.

Eu: Oi gente! - fingi naturalidade, eles se voltaram pra mim sorridentes. — Então, posso roubar o Lucas rapidão?

Iz: Posso saber por que? - se apoiou em meu ombro fingindo seriedade.

Eu: Eu preciso de um favor, só isso.

Lu: O que foi? - disse sorridente.

Eu: Eu preciso falar com você uma parada, é rápido.

An: Agora ela tá de segredinho com Lucas, já que claramente, vimos que ele é o seu preferido agora. - ele emburrou que nem uma criança.

Eu: Ei, para com isso André! Todos voces são meus meninos.

An: Mas você postou foto só dele, né?!? - tive que abraçá-lo, rindo junto com os outros.

Eu: Ai meu Deus, como você é ciumento bebê da titia. Sabia que eu te amo, seu bobo? - beijei demoradamente sua bochecha. Ele sorriu, cara, eu amo esses moleques sério, nunca crescem.

Fe: Você não existe Dedé, é muito bebê mesmo.

Iz: Fica quieto, que você é do mesmo jeito, só disfarça bem. - nós rimos dele.

Eu: Eu preciso roubar o Lucas, prometo que vocês vão saber já já. - puxei o Lucas pelo braço indo em direção a casa.

Lu: Milly, o que foi? Você nem tá bêbada hein.

Eu: Lucas tem algo muito errado aqui e você disse que quando eu fosse bater naquela vagabunda era pra te chamar. - olhei pra ele que pareceu não entender e sorriu.

Lu: Você não..  - enfim ele acordou e seus olhos se arregalaram.

Eu: Pois é, segura minha coroa. - dei a ele e depois tirei o colar que o Vinicius me deu, tinha acabado de ganhar né?! — Cuida disso pra mim e segura o Alberto. - ele só fez que sim, visivelmente preocupado, mas me acompanhou, acho que ele não estava acreditando que eu estava daquele jeito.

Como sabem, Maria Luiza já fez de tudo pra tirar meu chão, por um tempo, eu deixei, mas depois decidi que não ia mais deixar ela me abalar. Eu a superei e depois desses anos de distância, vejo que ela não cansou de tentar me atingir de alguma forma depois de sua volta. Eu tava com tanta raiva, tanto ódio dela, mas não tinha um motivo verídico pra poder acabar de uma vez por todas com essa piranha. Mas agora eu sinto que tenho, eu a avisei, eu detesto esse tipo de coisa, mas não tenho sangue de barata e se tem uma coisa que eu defendo com a minha vida são minha familia e amigos e esses amigos são da minha familia.

Entramos em casa em silêncio, Lucas ainda não estava entendendo. Fomos em direção a cozinha, eu pedia pra Lucas ir atrás de mim. Chegando próximo a porta, eu só ouvi.

Al: Você é maluca, tu é namorada do meu primo, não viaja.

Ma: Ah eu sempre quis ficar com você. - abri a porta da cozinha sem esperar e vi a pior cena dos últimos tempos. Maria Luiza empoleirada em cima de Alberto, o beijando, sim. Se ele estava correspondendo? Eu espero que não, confesso que só foquei nela e de repente, fiquei cega.


Notas Finais


Agora fudeu! "Macobra" acho que você foi longe demais.
Querem o próximo cap hoje ainda? Não sei, talvez eu ponha só mês que vem o que acham? HAHAHAHAHAHA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...